You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

18/08/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home

Aliquam nec cursus pretium Sed adipiscing orci convallis vel dignissim amet. Auctor Ut mus metus lacinia ipsum pretium dolor nascetur odio Phasellus. Quis feugiat Cras habitant Proin molestie Ut Ut auctor ipsum ornare.

M√£o e contram√£o

Em alguns munic√≠pios do violento e conturbado Estado do Rio de Janeiro e tamb√©m em munic√≠pios do interior de S√£o Paulo, j√° chegou at√© oito meses de repasses em atraso a essas unidades municipais que amea√ßam devolver as denominadas UPA‚Äôs ao estado, mas, ao que consta a Secretaria de Sa√ļde nem cogita a possibilidade de receb√™-las de volta naquelas bandas carnavalescas.

Todos sabemos que as Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA‚Äôs) foram criadas com o objetivo de desafogar os hospitais p√ļblicos, atrav√©s de um modelo de atendimento que acabou copiado por v√°rios estados e at√© pelo governo federal. Bem, mas isso j√° faz parte do passado e em determinados munic√≠pios dos cerca de 5.570 que o Brasil possui, as UPA‚Äôs est√£o sendo vistas como transtornos pelos prefeitos que, devido √† queda de receita, alegam n√£o ter como administr√°-las.

Os investimentos em pessoal acabam onerando ainda mais os cofres p√ļblicos municipais, para onde vem a menor quantia do bolo or√ßament√°rio nacional; em que pese √† vida da na√ß√£o come√ßar exatamente nos munic√≠pios.

Consta, segundo dados de not√≠cias divulgadas que, embora a parte que lhes cabe pagar, no caso as prefeituras, segundo dados da Secretaria Estadual de Sa√ļde do Rio de Janeiro, por exemplo, os gastos representem apenas 25% dos custos de manuten√ß√£o no caso das n√£o municipalizadas. S√£o as Unidades de Pronto Atendimento, as UPAs, as mais reivindicadas por todos os munic√≠pios fluminenses nos √ļltimos anos, mas agora na imin√™ncia de serem fechadas por falta de recursos.

Essa é a chamada volta na contramão dos fatos e de toda expectativa que cercava essa solução criada em tempos passados. Tomando como exemplo, o roubado Rio de Janeiro, na Baixada Fluminense o movimento pela devolução das UPAs à administração estadual é mais forte em Nova Iguaçu, Belford Roxo e São João de Meriti. Os prefeitos de Nova Friburgo e Cabo Frio já tentaram fazer isso e não conseguiram.

A pergunta √©: ‚Äúestar√≠amos andando na m√£o certa quando sonhamos com uma UPA/24 Horas para Nobres?‚ÄĚ. H√° quem compare os gastos com o hospital conveniado com o investimento em UPA, colocando quase que no empate entre um gasto e outro, sem se levar em conta a exig√™ncia de quatro profissionais m√©dicos se revezando. Seriam estes profissionais do quadro municipal? Seria poss√≠vel reverter o quadro de reclama√ß√Ķes existentes a cada atraso nos pagamentos de despesas contratuais com o hospital conveniado caso Nobres tivesse uma UPA?

No Rio de Janeiro, que n√£o √© o nosso caso, o ex-governador est√° na cadeia e o atual anda mais falado que m√£e de juiz de futebol. Mas, seria melhor uma UPA ou continuar pagando o hospital conveniado? Todos sabemos que o humor varia de acordo com o barulho m√°gico das notas, do money, do ‚Äúvil metal‚ÄĚ que todos gostam; seja no hospital conveniado ou em uma UPA, que consumiria cerca de R$ 250 mil, segundo avalia√ß√£o de um secret√°rio carioca. Mas consta que, a partir da UPA municipalizada, o munic√≠pio s√≥ recebe apenas os 25% do estado, mais 25% do governo federal, ficando o munic√≠pio obrigado a custear os 50% restantes.

Moleza? R$ 125 mil reais do município e R$ 62,5 do estado e R$ 62,5 da União. Muita gente torce para que o município de Nobres tenha a sua Unidade de Pronto Atendimento no mais breve espaço de tempo, mas será preciso avaliar os prós e os contras.

De outra parte, √© um campo de trabalho que se abre para os profissionais que atuam em Nobres na √°rea da sa√ļde.

Mas, ao seguir essa linha de racioc√≠nio, estaremos, enfim, andando na m√£o certa, sem riscos de sobressaltos? Teremos a compet√™ncia para gerenciamento de uma unidade dessas? Quem ser√£o os profissionais m√©dicos a atuarem na UPA? A sa√ļde preventiva nas Unidades B√°sicas de Sa√ļde melhorar√° ou ser√° relegada a planos inferiores? N√£o teremos um choque de opini√Ķes entre o que √© UPA e o que √© UBS? √Č que tem pessoas que deixam de ir buscar atendimento nas UBS‚Äôs√ā¬† para bater √† porta do hospital conveniado, ao menor sinal de uma dor de barriga.

Ent√£o, o que pode ser uma luz no fim do t√ļnel, de repente, pode ser um trem vindo da dire√ß√£o da nossa t√£o sonhada solu√ß√£o, ainda que estejamos em nossa m√£o, mas correndo o risco de uma colis√£o frontal contra o desejo de muitos, de se ver livre de um fantasma que j√° nem assusta mais - o hospital conveniado e os humores diretivos daquele nosoc√īmio quando o dinheiro falta para cobrir as despesas da planilha de custos.

A direção defensiva, mesmo que estejamos na mão certa, sempre é recomendada. E perguntar não ofende?

 

Ciclo findando

A atual administração está com os dias contados e contando os dias para o fechamento de um ciclo que durou quatro anos. Faltam poucos dias, mas o prefeito Gilmarzinho da Ecoplan já começa a ser homenageado por aqueles com quem trabalhou nesse pe

Olhar Social

E lá se foram alguns anos, consumidos pelo tempo, até que o setor privado voltasse a devotar respeito para com o município de Nobres, readquirindo a confiança perdida em idos anos.

Em 1.998, após uma descoberta grave feita por um vereador, que de

Competitividade irreal

Um setor que passa por maus momentos √© o da constru√ß√£o, desde as micro, pequenas, m√©dias e grandes empreiteiras. As causas s√£o muitas e v√£o desde o descaso dos governos com o estabelecimento de um calend√°rio de pagamento, passando pela corrup√

TRINCHEIRA L

Feitiços e Feiticeiros

No notici√°rio de hoje (23/02), vimos uma not√≠cia surreal (nem tanto!), em que um casal morreu numa colis√£o de uma Blazer com um caminh√£o ba√ļ. N√£o fosse o casal dono de uma funer√°ria, o acidente seria considerado normal d


Last Updated ( Thursday, 23 February 2017 22:53 )

Page 5 of 38

Trincheira LV

√Ä Flor da Pele Um exorcista, por favor. A C√Ęmara Municipal de Nobres precisa chamar um padre e benzer o ambiente ou do contr√°rio, ‚Äúafastar‚ÄĚ os maus esp√≠ritos que rondam ali. Em dois anos e meio j√° se contabiliza ao menos um barraco por sess√£o. E por mais que se diga, a Casa de Leis tem a im

Turbulências no trajeto

Daqui pra frente, a campanha pol√≠tica come√ßa a se mostrar mais evidente, com as siglas pol√≠tico-partid√°rias buscando alinhamentos, promovendo reuni√Ķes de bastidores e se ajeitando para o ano que vem ‚Äď 2.020. Algumas observa√ß√Ķes j√° come√ßam a ser feitas e a administra√ß√£o municipal sob Leoc
Banner
Banner
Banner
Banner