You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

19/07/2018
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Editorial Tempo de avaliações

Tempo de avaliações

E-mail Print PDF

O prefeito Leocir Hanel (PSDB) está tendo a oportunidade de implementar obras que se encontravam encaminhadas e a espera de vontade política para serem executadas ou ter o seu início. Ele está tendo a oportunidade de ver o quanto um gestor público depende de outros e outros para praticar um governo que seja ao menos razoável.

Projetos que já estavam encaminhados, a espera da liberação de recursos, voltaram a necessitar de novas gestões para que tivessem o seu curso normal. Equipamentos, peças de reposição e outros, a espera de liberação de recursos através dos complicadíssimos procedimentos licitatórios acabam por atravancar o gestor público e comprometer datas quando a máquina pública exige celeridade.

Um gestor que queira ser dinâmico e um pouco mais audacioso, corre o risco de ver e de receber apontamentos pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso. Mas o tempo não para e a máquina necessita se tornar célere ante a exigência da população que quer ver resultados. Esse cenário deixa o gestor angustiado e para quem já está habituado a comprar quando a necessidade exigir na iniciativa privada, no setor público, fica à mercê das exigências e normatizações contidas em lei.

Uma gestão que se preze, não pode se dar ao luxo de esperar por bom tempo e precisa avançar. É isso que preocupa o gestor e o torna, por vezes, pensativo quanto à gerência da coisa pública.

É preciso, em algumas oportunidades, rasgar o gesso e sair a caminhar, acelerando naquilo que for possível. Uma máquina engessada traz prejuízos financeiros e desgastes, mal que vem sofrendo a gestão do governador Pedro Taques, que encontrou um cenário financeiro adverso e teve que se sobressair com o uso da mídia.

No município, é onde os gestores, a toda hora, estão “trombando” com os munícipes, que exigem isto e aquilo. É o caso das obras de infraestrutura turística, sob execução da Secretaria de Estado de Turismo na questão financeira através do Ministério do Turismo. O que teria o município a ver com isso?

Não fosse o fato de a obra estar sendo executada em Nobres, de estar paralisada e causando transtornos, ninguém reclamaria. E a reclamação é com a administração municipal, que nada tem a ver, a não ser o fato de ter essa realização no âmbito local e estar sofrendo com esse estado letárgico da obra, que aos poucos vai se deteriorando.

O instrumento do aditivo na obra (da JK e Marechal Rondon) pode fazer com que ela seja retomada e as pessoas de fato saibam que a administração municipal nada tem a ver com os procedimentos que tanto atrasam a sua execução. A não ser cobrar e se utilizar do Ministério Público para ver a coisa andar.

Então, esses meses de experiência do empresário Leocir Hanel na condição de prefeito de Nobres, demonstram bem como é que funciona a máquina pública, com todas as suas dependências estruturais e burocráticas. Apesar de todos os entraves, é preciso exigir cada vez mais celeridade da sua equipe, evitando que o tempo acabe por emperrar a máquina. Há que se encontrar o equilíbrio entre ação e reação de todo o contexto, avaliando que as vitórias conquistadas se tornem a propulsão a movimentar a máquina para uma velocidade razoável, passado o primeiro semestre.

O segredo é não correr em círculo e fazer opção por metas a cumprir. Afinal, a máquina pública não é carro de exposição, onde se vê um protótipo belo, reluzente e bem cuidado, mas sem ganho de velocidade ou com o motor emperrado... que não vai a lugar nenhum.

De sorte que a opinião pública parece que está de bem com o governo... mas só parece. Que o diga o secretário Marcos Cheba... o para-raios que absorve todas as descargas advindas da sociedade municipal.

 

TRINCHEIRA LIV

Troca de Farpas Todos estavam no mesmo barco para destronar Silval Barbosa (MDB), agora, todos se voltaram contra Pedro Taques e a união histórica entre PMDB e PFL volta a acontecer só que, com a maquiagem da mudança de nome embora os ocupantes das naus sejam os mesmos. A política mato-grossense

Razão desconsiderada

O impasse gerado entre a categoria dos profissionais da Educação e o Executivo municipal está longe de terminar em Nobres. Nenhum dos dois lados cede e o prazo para que os alunos voltem a estudar está sendo esticado. As negociações estão emperradas e a crise entre educação e governo permane
Banner
Banner
Banner
Banner