You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

21/10/2018
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Editorial Hora de definição

Hora de definição

E-mail Print PDF

A administração municipal de Nobres, através do prefeito Leocir Hanel (PSDB), terá que se alinhar politicamente a partir do ano que vem; que é quando haverá essa necessidade, de apoiar nomes e quadros políticos que estarão na disputa majoritária em 2018. Será a hora da decisão para qual rumo seguir, que alinhamento político tomar, mesmo sabendo que um fato decorre do outro, ou seja, bons contatos, rumos melhorados.

Especula-se sobre alteração no “staff” de governo, mas ninguém sabe disso e acredita-se que tudo não passe de boatos da oposição. Mas, que oposição? Por enquanto, o governo segue navegando por águas tranquilas, mas deve se preparar porque nunca foi fácil para ninguém, administrar sem que haja críticas, algumas necessárias e outras nem tanto.

Tudo vai depender do rumo que seguir o governo em relação ao novo cenário político que se desenha e o próprio Pedro Taques, governador de Mato Grosso, que ao assumir o comando político e administrativo do Estado, não via como boa coisa a intrusão de políticos na sua equipe de governo e teve que se render.

Mesmo com todos os técnicos e com a tendência de que tudo aparentemente segue caminhando bem, é bom se ater no velho dito popular, o de que as aparências enganam. Muitos dos elogios pode ser a teia que se está traçando para atrair o governante ao declínio caso as escolhas e os lados políticos não definam o perfil do governo que se deseja para uma segunda fase, vencido o primeiro ano de gestão.

O PSDB vai emplacar um segundo mandato a Pedro Taques? Nilson Leitão terá apoio e gás necessários para uma disputa ao Senado Federal? E os candidatos a deputado federal que virão pedir votos aos já “escaldados” eleitores de Nobres, que apoio terão do governo com uma equipe de perfil eminentemente técnico e sem conhecimento externo do cenário?

O atual ministro Blairo Maggi terá novamente Cidinho como suplente em 2018 na chapa ao Senado Federal? Quais as perspectivas em relação à eleição do deputado estadual Guilherme Maluf para a reeleição?

Qual a afinidade dos tucanos com Jaime Campos, assanhado para uma disputa a qualquer cargo, seja a Senador ou ao Governo do Estado?

São vislumbres que se precisa atentar para eles, de modo que o governo pense interna e externamente no estabelecimento de um cenário novo para Mato Grosso, com o município de Nobres atento às possibilidades de mudança e de como vai se portar diante do possível e do desconhecido.

O certo é que as tendências encaminharão a administração municipal a uma correção de rumos, principalmente se ocorrer algum acidente de percurso daqui pra frente. O farol a guiar a navegação daqui em diante será o novo comportamento do Tribunal de Contas de Mato Grosso, tendente a ser cada vez menos complacente com os exageros no modo de governar nas prefeituras de Mato Grosso.

A Egrégia Corte de Contas nunca foi e não será uma espécie de “verdugo”, pronta a levar o gestor público municipal ao cadafalso. Pelo contrário, o que temos visto são pequenos municípios praticando gestões salutares e sendo premiados pelas boas práticas administrativas. Quando se diz “premiado”, isso equivale dizer que se trata de uma “auto premiação” pelo que fazem e até pelo que deixam de fazer por não querer incorrer no erro de outros gestores.

Então, é fazer a coisa certa e evitar que o gongo soe quando algo já estiver feito, e fora das práticas normais.

Governar é isso, aprender a cada dia como atravessar uma pinguela, vendo o precipício e evitando nele cair. É como se cercar de cuidados, evitando uma nota não muito boa nesse que é um vestibular a cada prática administrativa. Errou, a nota despenca.

Se acertou, não fez mais que a obrigação; até porque, aquele que cairá da pinguela será só um... justamente o gestor que a tudo tem que ver e a tudo tem que conferir, até mesmo na hora de escolher quem serão os seus parceiros na esfera política, municipal, estadual e federal.

Há uma outra realidade a caminho, mais nova e com a possibilidade de cenário novo a partir daqui e em direção a acolá. Pode acreditar.

 

TRINCHEIRA LIV

Crise de Relacionamento I Informações dão conta de que o médico Esmeraldo Ribeiro deixou o Hospital Laura de Vicuña. Uma pessoa ligada ao médico lembra que pode ter havido antecipação do processo político, razão porque vinha sendo pressionado dentro do serviço privado. De outra parte, cons

Hora de votar

Campanha feita, com todos os recursos tecnológicos possíveis, debates, reuniões e corpo a corpo, agora é a vez de o eleitor manifestar-se perante a urna. Agora é na individualidade e a cabeça tem que estar fresca para que a escolha aconteça dentro da normalidade, sem que a sua decisão seja t
Banner
Banner
Banner
Banner