You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

18/11/2018
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Rondonópolis terá unidade da Escola Militar Tiradentes

Rondonópolis terá unidade da Escola Militar Tiradentes

E-mail Print PDF
Ao todo 360 alunos serão atendidos em 2018 nos ensinos fundamental e médio

Gustavo Nascimento/Seduc-MT

Foto:Christiano Antonucci/Gcom-MT

Rondonopolis-41O Governo do Estado assinou odecreto de criação da Escola Estadual Militar Tiradentes Major PMErnestino Veríssimo da Silva, no município de Rondonópolis (218 km ao sul de Cuiabá). A unidade atenderá 180 alunos e deverá iniciar as atividades no início do terceiro bimestre desse ano.

Nesta segunda-feira (19.03), o governador Pedro Taques e os secretários de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), Marco Marrafon, Segurança Pública, Gustavo Garcia, e Casa Civil, Max Russi, participaram da cerimônia de criação da unidade. O evento também marcou o início das atividades do Projeto Anjos da Escola em 2018.

Conforme Taques, a Escola Militar tem o claro objetivo de contribuir no processo de formação do cidadão. “Em um ano, esta é a quarta escola militar que criamos. Ela já se mostrou um modelo de sucesso, apresentando ótimos indicadores de ensino e aprendizagem e formação de bons cidadãos”.

O governador elogiou o trabalho realizado com o projeto Anjos da Escola, que promove a cultura de paz nas unidades escolares do estado. “Esse projeto foi pensado ainda durante a formação do Programa de Governo em três eixos: Saúde na Escola, Paz na Escola e Mediação Escolar. É uma das ações mais importantes que temos no Estado. Este não é um programa feito pelo governador, ele é feito pelos profissionais da educação, da segurança pública, pais, alunos e pessoas que querem mudar a vida da comunidade”, concluiu.

O secretário Marco Marrafon afirmou que a criação da unidade é um momento histórico para Mato Grosso e o município. “Somente a educação pode transformar a nossa sociedade. E hoje é mais um dia histórico, pois fornecemos mais uma opção de ensino de qualidade, focado na cidadania, com direitos e deveres constitucionais, para a população“.

De acordo com ele, a escola funcionará de forma integrada com a Secretaria de Segurança Pública. As coordenações pedagógica, administrativa e financeira da unidade serão exercidas por profissionais devidamente habilitados, em consonância com a legislação educacional.

Os militares ministrarão aulas na educação básica, desde que devidamente habilitados para docência nas áreas específicas, conforme os procedimentos para atribuição de classe/aula adotados pela Seduc.

O secretário de Segurança Pública, Gustavo Garcia destacou que a parceria com a Seduc para a criação da escola militar reflete diretamente na área e ressaltou que as pastas já atuam em conjunto em diversos projetos, como o Anjos da Escola, que influenciam positivamente na formação dos estudantes. “Nós acreditamos na prevenção como a melhor medida no combate à criminalidade”.

Expectativa

Segundo o major Roosilvelth Escolástico, diretor da nova unidade, ao todo 360 alunos, dos 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio serão atendidos nos períodos matutino e vespertino.

“A Escola Tirantes já vem, há muito tempo, provando a sua qualidade e seu êxito, e em Rondonópolis não será diferente. Vamos trabalhar para criar uma das melhores unidades do Estado”, afirmou.

Conforme o comandante diretor, o prédio da unidade já foi escolhido e passa por pequenas adequações para receber os alunos. A expectativa é que as aulas iniciem já no terceiro bimestre.

 

Last Updated ( Tuesday, 20 March 2018 22:00 )  

TRINCHEIRA LIV

Mudar É Preciso Quem será que terá a coragem e a boa vontade para propor alteração na lei, garantindo nova denominação aos residenciais André Maggi e Daury Riva, cujos nomes ali inseridos já não refletem mais o interesse político e não tem nada a ver com a comunidade municipal. Tanta gent

A ponte governista

O Legislativo é a ponte entre os pleitos populares e o Executivo, ao menos deveria ser assim nos municípios, onde o vereador é pago para atuar em favor das causas populares. É o vereador que tem a obrigação de fazer esse meio de campo entre o que o povo quer e o que governo pode atender. Não h