You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

18/02/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Sesp, PF e Sejudh promovem seminário sobre facções criminosas

Sesp, PF e Sejudh promovem seminário sobre facções criminosas

E-mail Print PDF

O evento ocorreu no auditório da Diretoria Geral da PJC, em Cuiabá, nesta terça-feira (08.05).
Nara Assis | Sesp-MT - Foto: Lenine Martins / Sesp-MT

SESPOs agentes de inteligência das Polícias Federal (PF), Militar (PM-MT) e Judiciária Civil (PJC-MT), e das Secretarias de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT) participaram, na tarde desta terça-feira (08.05), do Seminário "Prevenção e enfrentamento a facções criminosas". O evento ocorreu no auditório da Diretoria Geral da PJC, em Cuiabá.
A programação incluiu apresentações da PM e da PJC sobre as ações integradas na área de inteligência direcionadas ao combate às facções criminosas e os resultados positivos, e da Sesp sobre o Plano Estadual de Inteligência e a execução junto às Agências de Inteligência (AI's) com foco neste combate. Além disso, o seminário abordou as funcionalidades do Sistema S3iMT e a importância da integração das AI's.
Segundo o secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, o evento visa também fortalecer a integração entre as forças de segurança, juntamente com o sistema prisional. "Este trabalho conjunto foi intensificado desde o ano passado, quando assinamos o termo de cooperação com a Polícia Federal, por exemplo, para compartilhar o acesso ao banco de dados entre as duas inteligências. Agora, estamos compartilhando também a expertise de cada órgão e entrando na terceira fase que é operar juntos, com o trabalho técnico de inteligência integrado ao operacional".
Esta interação, que já era forte no relacionamento interpessoal, ganhou mais impulso também no campo institucional, conforme destacou o superintendente substituto da PF em Mato Grosso, delegado Sérgio Sadao. "Nós sempre atuamos em parceria, mas agora iniciamos uma nova jornada que marca a mudança de conduta por parte das instituições de segurança pública, em busca de bons resultados, por meio da troca permanente de informações".
Na avaliação do comandante-geral da PM-MT, coronel Marcos Vieira da Cunha, esta rotina é salutar para fortalecer o sistema de segurança pública no estado. "O trabalho integrado em Mato Grosso é referência nacional, e a PF vem somar ainda mais neste planejamento que engloba tanto a parte de inteligência quanto as ações operacionais", disse. A delegada-geral adjunta da PJC, Silvia Maria Pauluzi, endossou. "É fundamental trocarmos informações e aperfeiçoar técnicas que são importantes para o combate às facções criminosas".
Resultados eficazes
O compartilhamento de conhecimentos também conta com a participação do sistema prisional. O titular da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT), Fausto Freitas, destacou que a integração já surtiu efeitos positivos. "Um exemplo é que, em parceria com os órgãos que compõem o sistema de segurança pública, evitamos a fuga de 300 reeducandos da penitenciária da Mata Grande, em Rondonópolis, no mês de abril. E nossa diretoria de inteligência também atua em conjunto no subsídio de informações importantes para evitar possíveis ações coordenadas de dentro dos presídios".
De acordo com o secretário-adjunto de Inteligência da Sesp-MT, Arnon Osny, as informações geradas pela inteligência são essenciais também para assessorar os gestores no alinhamento das ações. "Além de alimentar o planejamento operacional com dados qualificados, a inteligência permite o acompanhamento daquilo que é executado, com estudo e análise criminal, com o objetivo de aprimorar o sistema de segurança".

Last Updated ( Tuesday, 08 May 2018 22:33 )  

Trincheira LV

B.O do B.O Um certo repórter policial não gostou nadinha da comparação de uma notícia com outra, acerca de um assassinato ocorrido no Bairro São José, dia 10, pela madrugada. Ele questionou que, entre dar um furo e ser furado há uma grande diferença. Ser furado (não pensar pornograficamente

Silêncio conveniente

Como o ar por aqui tem em seu contexto químico metade de oxigênio e outra metade de política, parece até estranho, até agora, esse silêncio sobre candidaturas majoritárias. Ninguém fala sobre o assunto sucessão municipal e ao menos um candidato segue a sua rotina, desde o ano de 2017, posici