You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

18/11/2018
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Rotam celebra 17 anos e números mostram capacidade técnica-operacional

Rotam celebra 17 anos e números mostram capacidade técnica-operacional

E-mail Print PDF
Rotam celebra 17 anos e números mostram capacidade técnica-operacional

Alecy Alves PMMT – Foto:Biaggi/PMMTBiaggi/PMMT

 

RTM 3Militar Mato-grossense, celebrou 17 anos na noite do último dia 21.06. Mesmo não sendo um batalhão do policiamento de rotina, mas de apoio e intervenção nas ocorrências mais complexas, sua capacidade tática e técnica-operacional pode ser mensurada em números.

Em 2017, por exemplo, a Rotam apreendeu mais de 200 tabletes de droga, principalmente maconha, e 120 armas, 40 delas pistolas. Também recuperou 47 veículos roubados, prendeu 305 pessoas em flagrante delito e capturou 45 foragidos da Justiça. Este ano, até maio, já contabilizou 123 prisões em flagrante, 20 foragidos capturados, 31 armas apreendidas e 30 veículos recuperados.

Criada pelo decreto 005/PM3/01, de junho de 2000, hoje o Batalhão Rotam integra o Comando Especializado (Cesp), juntamente com os batalhões de Trânsito, Ambiental, Cavalaria e Bope. Reúne em seu efetivo policiais treinados   para prevenção e repressão aos crimes de maior potencial ofensivo, além de ser referência na capacitação de PMs em Mato Grosso.

RTM 1Na solenidade do aniversário, o comandante Rotam, tenente-coronel Cleverson Leite de Almeida, falou do orgulho de comandar o batalhão onde atuou no início se sua carreira policial. Ele  assinalou que a unidade está prepara para dar suporte tático, técnico e logístico as outras unidades da PM na capital e interior contra crimes como assalto a banco e associação criminosa.

Leite lembrou de outras missões que a Rotam assumiu junto à sociedade no campo da prevenção e de incentivo à prática esportiva. Essas tarefas são desempenhadas, por exemplo, por meio dos projetos Jiu Jitsu e Rotam Extreme.  

O coronel Marcos Vieira da Cunha, comandante geral da PMMT, destacou a importância da Rotam dentro do sistema de Segurança Pública e disse que o aniversário é uma oportunidade de parabenizar e reconhecer publicamente “a dedicação e esforço desses incansáveis e empenhados defensores da paz social”. Cunha lembrou que a semente que gerou a Rotam foi plantada em 1972, com a criação do Sara(Serviço de Apoio e Repressão Armada), formada por um pequeno grupo de policiais. “Hoje é essa unidade forte, referência em confiança e credibilidade”, completou.

MEDALHA

O ato do aniversário teve também a imposição de ‘Mérito Tático Policial’, criada em 2016, como forma de homenagear policiais militares que desempenharam funções ou atividades que, de alguma maneira, contribuíram com a doutrina do Batalhão Rotam.

E ainda, a entregue de moção de aplausos ao sargento Adilson Francisco Leão, que este ano entrou para a reserva remunerada depois de mais de 30 anos de carreira militar, dos quais 12 dedicados ao Batalhão Rotam. Leão recebeu a homenagem das mãos do vereador Elizeu Nascimento, também sargento da Rotam.

Entre militares e civis que prestigiaram a solenidade estão o secretário da Casa Militar, coronel PM Wesney Sodré; coronel PM Jonildo José de Assis, secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp; coronel Alexander Maia, comandante adjunto da PM; subchefe de Estado Maior, Sebastião Cruz, entre outros.  

RTM 2

 

 

TRINCHEIRA LIV

Mudar É Preciso Quem será que terá a coragem e a boa vontade para propor alteração na lei, garantindo nova denominação aos residenciais André Maggi e Daury Riva, cujos nomes ali inseridos já não refletem mais o interesse político e não tem nada a ver com a comunidade municipal. Tanta gent

A ponte governista

O Legislativo é a ponte entre os pleitos populares e o Executivo, ao menos deveria ser assim nos municípios, onde o vereador é pago para atuar em favor das causas populares. É o vereador que tem a obrigação de fazer esse meio de campo entre o que o povo quer e o que governo pode atender. Não h