You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

17/07/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Baixa no governo: secretária de Saúde deve deixar a pasta

Baixa no governo: secretária de Saúde deve deixar a pasta

E-mail Print PDF

CLESApós estabelecer-se como uma secretária eficiente e de ações técnicas e planejadas, Aparecida Clestiane da Costa Souza (foto, em pé) deve deixar a Secretaria Municipal de Saúde.

A informação vazou e já houve entendimentos preliminares com o prefeito Leocir Hanel para que ela prossiga atuando ao lado do ex-prefeito de Nova Marilândia, Wener Santos, que fará parte da equipe de Mauro Mendes junto ao Governo do Estado.

Durante a sua permanência à frente da Pasta da Saúde, Clestiane, como é popularmente conhecida, implementou um ritmo de trabalho que mudou conceitos, até então arraigados no setor, melhorando consideravelmente a relação com o público.

Até porque, a administração municipal se propôs a uma forma de atendimento um pouco mais humanizada e se os objetivos não foram totalmente atingidos, em parte, o que se viu foram mudanças pontuais, onde a secretária se posicionava como aquela que, para cobrar havia a necessidade de melhorar a estrutura física da Secretaria de Saúde como um todo.

Através do prefeito Loecir Hanel, essa proposta avançou e os prédios públicos, de alguma forma, mudaram no aspecto físico ao mesmo tempo em que as alterações comportamentais eram implementadas.

O diálogo sempre pautou o trabalho de Clestiane, aliado ao conceito de se estar tecnicamente antenada com os avanços da saúde em nível estadual e nacional, enquanto participante ativa de congressos e encontros regionais, interestaduais e nacionais, onde quer que se exigisse a sua participação/inscrição.

A saída da secretária Clestiane representa uma baixa no Governo, sem dúvida, por essa capacidade de aproximação com os setores técnicos da área da saúde integrada ao Sistema Único de Saúde.

Vamos ver e conhecer quem a substituirá, que deve ser uma solução caseira com perfil social e político, de modo a não causar alterações naquilo que vinha sendo uma gestão modelar do ponto de vista dos avanços experimentados nos últimos 24 meses de uma administração de considerável regularidade e com capacidade para avançar mais.

Será uma questão de tempo essa mudança para se saber como se comportará a administração com a substituição a ser promovida.

 

Trincheira LV

Garimpo As administrações municipais que adquiriram imóveis de políticos e até de então conselheiros do TCE-MT, teriam sido de uma inabilidade a toda prova. Um antigo imóvel, adquirido na gestão da então prefeita Lídia Barbosa, especificamente para ser o Lar dos Idosos, com aval da Câmara

Economia ou oportunismo?

Apesar do clima de desconfiança que ronda o interesse dos políticos pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que trata da prorrogação do mandato de prefeito e vereadores até o ano de 2.022, há uma forte de tendência de que o objetivo possa ser alcançado. A proposta, de autoria do deput