You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

04/12/2020
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Política Estado Em Nobres, Silval reúne diversidade de tendências. Trégua política ou olhar voltado para o amanhã?

Em Nobres, Silval reúne diversidade de tendências. Trégua política ou olhar voltado para o amanhã?

E-mail Print PDF
comcio_Silval_606x480Atrás de Blairo Maggi e de Silval Barbosa, só não vai quem já morreu, com direito a plágio de refrão carnavalesco e tudo, as eleições deste ano vão se definindo a partir do que se vê em Nobres, com a adesão de todas as correntes adversas em torno dos dois nomes que simbolizariam um novo estilo de governar. Salvo um acidente de percurso, os rumos políticos parecem se definir em favor do governador Silval Barbosa. (Foto: Calito Otacílio - Foto Silva)

Entre os nossos 'pecadores' daqui e os "news" beatificados Silval Barbosa e Blairo Maggi a distância é quilométrica e há muito de oportunismo no ar. O palanque armado em Nobres, apesar do bom momento político que vivem os gestores Silval e Blairo, fruto de uma união política que parece estar dando certo, é realmente o que há de mais divergente em termos políticos locais. Junto com Silval Barbosa veio uma comitiva ávida pelo voto do nobrense, na noite de 22 de agosto de 2012, à Praça da Feira. Os que sonham com a Prefeitura Municipal de Nobres nas eleições de 2012, estavam lá, no mesmo palanque, onde cada qual defende um nome para deputado estadual e é aí que residem as diferenças.

Além de Silval Barbosa, o ex-prefeito de Nova Marilândia, José Aparecido Santos, o Cidinho, representou Blairo Maggi, que se recupera de enfermidade, Carlos Abicalil mandou representante e entre os federais, Pedro Henry e Eliene Lima são os nomes mais populares em Nobres, com ampla vantagem na preferência por Henry já que Eliene parece desgastado por aqui. A senadora Serys Marli, que é candidata a deputada federal tem eleitores em Nobres, onde divide popularidade com Carlos Bezerra, Nery Geller e dr. Valtenir.
Entre os nomes que disputam uma vaga à AL/MT, o deputado José Riva dividiu palanque e militância com os candidatos Deucimar, Teté Bezerra, Emanuel Pinheiro, dr. Wallace e outros. O ex-vice-prefeito de Nobres, Gilmarzinho da Ecoplan, abraça a candidatura do deputado José Riva e ainda tenta apagar focos de incêndio dentro do partido por conta do abandono de crença do presidente do PP local, prof. Neko, que anda se esquivando de contatos e de compromissos públicos, não subindo no palanque montado na noite de 22 de agosto deste ano, à Praça da Feira.
Outro que assumiu literalmente a campanha em favor de Riva é o prefeito José Carlos da Silva, que ainda tenta incutir entre o funcionalismo público o nome do deputado progressista que permanece com mandato cassado. O deputado Riva tem expectativa de atingir os 100.000 votos, mas para isso, cobra daqueles com quem tem vínculo político. E como cobra. No palanque, Riva parece propenso a dividir apoio com outros progressistas, mas nos bastidores, bate duro pela própria hegemonia.

Gilmarzinho de um lado, dr. Zé Carlos do mesmo lado e que sonharia com a reeleição, no mesmo palanque com Devair Valim (DEM) que defende o candidato Gilmar Fabris. É inegável que o ex-prefeito Flávio Dalmolin também sonha com uma volta triunfal ao poder e tem conversado com o candidato a deputado estadual Juarez Fiel, mas defende mesmo é o nome de Welinton Fagundes a federal.
O vereador Silvestre Campos (PR) abre caminho e não fecha as portas a nenhum candidato a deputado estadual. Está livre e articula muito em favor de projetos políticos futuros. Muitos negam a sua habilidade política e acham que ele faz muito jogo de cena, e desde que não se pague pra ver, ele segue adiante.

Estão todos com Silval e Blairo Maggi, os santos mais requisitados do momento para as causas impossíveis que virão à tona a partir de 2012, em um cenário bastante conhecido por todos, onde muitos serão chamados (ou virão por conta própria) e poucos os escolhidos. Aliás, só há uma vaga para muitos pretendentes à mão da moça mais bela, aliás, uma donzela de 45 anos e até o próximo casamento já terá 47 aninhos... a Prefeitura de Nobres.
Tadinha dessa donzela, já foi desonrada, mal amada, traída pelos que só querem os seus dotes, mas continua sendo o objeto dos desejos de cinco entre cinco candidatos, sendo que a "enxurrada" depende da ocasião. A querem (a donzela em apreço), acadêmicos, mal formados, prevaricadores, alunos de primário, empresários, doutores, professores com pós-graduação, uma certa turma da 'panelinha', os sem panela, a galera dos cheques 'iô-iôs", enfim, candidatos de todos os naipes, mas poucos foram os que souberam respeitar e bem administrar até hoje o patrimônio que ela oferece. E que patrimônio, apesar de dilapidado, ano após ano.

E olha que para chegar até ela, muitos lançam mão de amigos bastante influentes, entre deputados, sábios, bons oradores, jornalistas, músicos, repentistas, professores, intelectuais, agricultores, líderes comunitários e outros, que mais tarde são jogados pelo caminho, quando se consegue entrar na casa dela (a donzela).

Vem aí, uma nova temporada de candidatos ao poder, com todos sonhando com o que dá certo lá fora, mas não nunca é aplicado aqui: a seriedade com dinheiro público. Certamente que nem Blairo Maggi e nem Silval Barbosa concordariam com a gestão administrativa que hoje é praticada em Nobres, sob o velho estigma da incompetência. Um aval futuro, só se haver mudanças radicais no trato com a coisa pública. O que dá certo no governo estadual, por aqui acontece inversamente proporcional.

 

TRINCHEIRA LVIII

Tempos Reflexivos No ano 2.000, vi e ouvi vereadores reclamarem que ajudaram em batizados, casamentos, velórios e festas familiares para receberem ingratidão nas urnas. Foi em mesma época que os eleitos daquele ano reclamavam da negativa nas urnas. E o que é pior, sem nem os repasses constitucion

Opostos em desencontro

Se alguém se propuser a analisar o momento político em Nobres, pode não encontrar parâmetro para o que se vê e está colocado ao eleitorado e a toda comunidade municipal, sem distinção, neste ano de 2.020. Em um município de grandes contendas políticas, com até quatro nomes na disputa, nest