You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

05/12/2020
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Política Estado Silval Barbosa, Blairo Maggi, Zé Domingos e dr. Valtenir são os mais votados em Nobres

Silval Barbosa, Blairo Maggi, Zé Domingos e dr. Valtenir são os mais votados em Nobres

E-mail Print PDF
kk_34_640x427ATUALIZADA
O candidato a reeleição, governador Silval Barbosa (PMDB), obteve 4.092 votos no município de Nobres, enquanto Mauro Mendes ficou com 2.051 votos, e o terceiro colocado, Wilson Santos, obteve 1.592 votos contra apenas 11 do candidato Marcos Magno, do PSOL. (Foto: Blairo Maggi ladeado pelos prefeitos Joemil e Zé Carlos).
Para o Senado Federal, Blairo Maggi atingiu 6.485 votos contra 3.351 de Pedrofoto_16_640x427 Taques, com Carlos Abicalil na terceira posição com 2.605 sufrágios, e Antero de Barros com 2.417 votos. (Foto: prefeito Zé Carlos entre Riva e Silval Barbosa).
O candidato a reeleição, deputado federal Valtenir Pereira (PSB), foi o mais votado pelos eleitores nobrenses, com 781 votos, fruto das casas populares que trouxe para o município através dos programas do governo federal.  São mais de 200 casas, sendo 65 pelo PSH (Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social). O ex-Conselheiro do Tribunal de Contas, Júlio Campos, de volta à política, obteve 700 votos, ficando como o segundo mais votado; em escala decrescente a ordem é a seguinte: Homero Pereira (664); Carlos Bezerra (537); Eliene (423); Thelma (440); Wellington Fagundes (390) e Nilson Leitão (367).
Mas, vale ressaltar, o federal mais votado em Nobres é Pedro Henry embora não tenhamos o número total de votoa, que pode ser perto de 1.000 ou mais que isso. A sua candidatura está "sub judici" e os seus mais de 81 mil votos só aparecerão se ele resolver a pendência judicial ou se o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) julgar legal a sua situação.
dep_z_dom_418x480Para deputado estadual, conforme este jornal já anunciara, ocorria uma disputa particular entre os deputados Zé Domingos e José Riva e o candidato do Democrata superou Riva com 1.120 votos, ficando o progressista com 943 votos. O deputado Mauro Savi, atual presidente da Assembléia Legislativa obteve 785 votos e foi o terceiro mais votado em Nobres. Deucimar (568); Maksuês Leite (329); Luiz Marinho (285); Amarildo Constard (270); Avalone (240); Sebastião Rezende (216); dr. Walace (184) e Sergio Ricardo (173), obtiveram essas respectivas votações em Nobres. O candidato Juarez Fiel conseguiu 89 votos em Nobres, obra de alguns verdadeiros amigos que resistiram diante do abandono da parte daqueles que Fiel ajudou na campanha de 2008.
Com a prefeitura de Nobres em mãos do Partido Progressista, com a maior bancada de vereadores (04), a votação ao candidato Riva só chegou a esse total pelo fato do ex-vice-prefeito Gilmarzinho da Ecoplan ter assumido a coordenação da campanha de Riva. No que dependesse da administração do prefeito José Carlos da Silva, talvez essa votação fosse menos expressiva ainda. O governo acumula desgastes e houve uma debandada de interesses e de prioridades, com secretários divididos entre a disputa a federal e estadual.
Alguns secretários só compareceram na última carreata, assim mesmo, para marcar presença à frente do 'cacique' Riva. Na verdade, o Partido Progressista chegou ao poder em Nobres a reboque, apoiado na popularidade que ostenta Gilmarzinho da Ecoplan. Se foi difícil chegar ao poder, se perder no labirinto do poder foi mais rápido que se pensava, com muita gente indo com sede ao pote e hoje o partido está esfacelado e muitos dos que estão no poder, mal se aturam, mal se falam e esse mal estar se espraia pelo Legislativo, demonstrado no cotidiano da Casa.
Juntar os cacos não será tarefa fácil e apesar da votação conseguida ao deputado Riva, ficou aquele sentimento de que o PP, em Nobres, está dividido, ao extremo. Há um paralelo entre a votação ao deputado Riva em relação ao que conseguiu o deputado Valtenir, revelando claramente que há interesses difusos no centro do poder e que isso só enfraquece um governo que não faz política, que administra mal o dinheiro público e ainda tem dado muito trabalho ao Ministério Público Estadual, ao Ministério Público de Contas e a quem mais quiser a partir das denúncias que surgem e que vão desde o uso de maquinário público em propriedade particular, passando por suposto superfaturamento de uma bomba d'água, que segue sob investigação, até o descalabro de enfrentar uma quase greve e os riscos de uma CPI (Comissão Parlamentar de Investigação).
Enfim, parece que chegou a hora de rever conceitos, de analisar confiança traída, de moralizar a coisa pública e de tentar rearrumar a casa, antes que ela caia sobre a cabeça daqueles que estão sob o mesmo tempo embora enfrentem as velhas problemáticas da apostasia e da incompatibilidade de gênios.
Não ia dar mesmo certo, o prefeito e seus secretários querem uma coisa, também conhecida por farra com dinheiro público, e a população e o contribuinte, ambos, a mesma pessoa no singular, querem resultados práticos, logo.
Abandono de crença, ao menos na forma de fazer política e de ver a cidade como um todo e o mau gerenciamento do erário, com a festança do nepotismo, do privilégio a parentes nas transações comerciais com o poder, a prefeitura se tornou praticamente um empreendimento de família e isso seguramente, não dá votos a ninguém.
Assim sendo, deu a lógica nas urnas.
Last Updated ( Tuesday, 05 October 2010 12:00 )  

TRINCHEIRA LVIII

Tempos Reflexivos No ano 2.000, vi e ouvi vereadores reclamarem que ajudaram em batizados, casamentos, velórios e festas familiares para receberem ingratidão nas urnas. Foi em mesma época que os eleitos daquele ano reclamavam da negativa nas urnas. E o que é pior, sem nem os repasses constitucion

Opostos em desencontro

Se alguém se propuser a analisar o momento político em Nobres, pode não encontrar parâmetro para o que se vê e está colocado ao eleitorado e a toda comunidade municipal, sem distinção, neste ano de 2.020. Em um município de grandes contendas políticas, com até quatro nomes na disputa, nest