You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

14/11/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Política Local Clima político está cada vez mais tenso

Clima político está cada vez mais tenso

E-mail Print PDF
Audi_P_3_640x480Quem ouviu a sessão legislativa do último dia 28 de fevereiro através do rádio, tomou conhecimento de que nuvens negras pairam no ar sobre o céu do Legislativo. Já tivemos a oportunidade de enfatizar a questão das denúncias e dos denuncismos em relação aos integrantes do Parlamento. O vereador José Dias Filho, o Bacalhau, disse que o momento era oportuno para a discussão de temas internos e durante a sua fala alfinetou, ainda que indiretamente, o ex-presidente Beto Valandro (PSDB). (Foto: líder do governo Joel Júnior, em pé, e o secretário de Finanças em primeiro plano).

Já Beto Valandro, lembrou que teria sido alvo de algo em torno de 18 denúncias na sua gestão, entre 2009 e 2010. Ambos concordaram que isso seja "democracia". Mas, "lavar roupa suja" através das ondas sonoras do rádio, se é bom e democraticamente correto, falta consultar e combinar com a opinião pública.
O vereador e presidente do Legislativo, Manoel Fermino Pinho (DEM), tem enfatizado aos colegas parlamentares que a discussão precisa ser em torno do tema dominante no momento. E por que não, a pré-reunião interna para a lavagem de roupa suja?
As denúncias, feitas à Egrégia Corte de Contas, tem dominado nos bastidores políticos e se isso é realmente benéfico, o papel do vereador está na linha correta. Vale observar, é vereador fiscalizando vereador, enquanto o dever de ofício, que é acompanhar as ações do Poder Executivo, parece perder importância diante das intensas "batalhas" que travam os vereadores, entre si.
Mas isso é só o começo e a tendência é a de que o termômetro político continue em alta. A sucessão já começou.
Enquanto isso, lá nas cercanias do palácio governista, o prefeito José Carlos da Silva (PP) resolveu dar total autonomia ao secretário de Finanças, Valdinei Muniz Albertoni, que se apresenta como alguém com plenos poderes. Discussões infrutíferas sobre competência do governo para aquisição de ambulância foi colocada pelo vereador Adão Valdinei Pereira (PP). Quem pediu, quem comprou, quem é o 'bam bam bam' dentre os vereadores tem dominado as conversações no Parlamento municipal.
Entretanto, um dos focos dos coadjuvantes administrativos, exatamente os vereadores, está sendo perdido, que é poderes demais a um, a ponto de providenciar a aquisição de uma viatura para si, isto é, para servir exclusivamente ao setor de Finanças. Em outras palavras, na linguagem vulgar, o atual secretário de Finanças é o 'cara' e todos se fingem de cegos diante da extensão do poder a um único secretário.
Menos mal, que o prefeito José Carlos da Silva tenha dito que assume sucessos e insucessos futuros nessa segunda fase do governo. A 'carta branca' ao secretário de Finanças é um desses riscos que corre o chefe de governo. O secretário de Finanças, Valdinei Albertoni, será que tem noção exata da realidade de Nobres? Será que conhece as ruas da cidade. Sim, porque não basta a frieza dos números da receita e da despesa, mas há que se cuidar das pessoas, da saúde, da educação, das ruas, das estradas e de todo um planejamento que possa contribuir para que o governo do prefeito José Carlos da Silva receba a certificação de um mínimo de qualidade.
Não bastarão as farpas trocadas entre os vereadores e nem a avaliação de competência positiva do poderoso secretário quando tudo ainda continua como dantes... sem tirar nem por.
Seria pela exigüidade do tempo?
 

Trincheira LVI

Sem Rumo Tem gente dando pulos por conta do mais absoluto repensamento de objetivos. Não sabe se vai ou se fica, mas a verdade é que a Lei Eleitoral mexe com muita coisa na política paroquial e alguns partidos serão meramente figurantes nas próximas eleições municipais. Se não houver uma reav

Rumos e Definições

A política municipal em Nobres parece que converge para um rumo que difere completamente do sistema político nacional. Longe da crise de confiança estabelecida no cenário nacional a partir da corrupção que ainda é marca nacional e a política exercida sorrateiramente por antigas cobras de um
Banner
Banner
Banner
Banner