You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

24/05/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XXIX

Estudo Matem√°tico
A ordem dos fatores não altera o produto. Preocupado com essa propriedade matemática, em tese, o vereador Manoel Fermino Pinho (DEM) não demonstrou preocupação com o IPCA, mas com o tamanho da montanha, digamos, da dívida herdada e a ser paga pelo atual governo em relação ao sistema Previdenciário. Se Maomé não vai à montanha... ele preferiu apontar que os cálculos do IPCA ficará a cargo da Bolsa, mas só se for da BMF (Bolsa de Mercadoria e Futuro). Fermino disse que deu uma olhadela no projeto em toda a sua circunferência, de baixo para cima e de cima para baixo, correndo em círculo e dando uma volta sobre seu próprio eixo.
- Faltou ternura ao vereador quando resolveu endurecer o jogo, contra a tese do nobre revolucionário que libertou a América, Ernesto Che Guevara. Política é isso, uma aula de bons conhecimentos, segundo um ex-vereador.

Líder do Governo
Para ser l√≠der do governo, o vereador tem que aguentar o tranco e seguir o estilo do comandante Antonio Jo√£o que, com 10 soldados enfrentou e botou pra correr a tropa paraguaia. J√° o inesquec√≠vel Marechal C√Ęndido Rondon, dizia-se dele que para erguer um tronco de √°rvore, se 10 n√£o conseguissem, tirava-se um; e se 09 n√£o conseguissem, tirava-se mais um...
- Difícil, né professor? Não por acaso, segundo a leitura de uma indicação, o nome de uma escola apareceu como sendo "Escola Municipal Dalci Candido Rondon".

Cogitando Correção

Ao cobrar apura√ß√£o nos desvios de recursos p√ļblicos praticados pela administra√ß√£o anterior, o jovem vereador Fl√°vio Rondon (PR), demonstra que est√° antenado com a realidade pol√≠tica e que sabe o quanto √© prejudicial ao munic√≠pio essa situa√ß√£o herdada. Tem gente que faz que n√£o viu e at√© n√£o gosta desse tipo de abordagem, mas, fa√ßa isso consigo mesmo, em sua casa, gastando com festas, e veja o que acontece. Tire o dinheiro do seu or√ßamento dom√©stico e invista errado, s√≥ para fazer um teste.
- E gastar o que nem é seu... apurar, é preciso.

Cogitando Correção II
Outro vereador republicano com assento na Casa de Leis, Silvestre Campos, depois de muito lutar pelos recursos para a implanta√ß√£o de √°gua na Vila Roda d'√Āgua, v√™ os recursos desviados para outras finalidades e deu o grito. Ali√°s, falou sobre isso ainda em 2.012 e nos anos anteriores, mas foi voto vencido. De 700 mil reais, 280 mil reais foram desviados, segundo relat√≥rio apresentado aos vereadores, da√≠ o vereador Silvestre reclamar da tribuna da Casa de Leis. Enquanto isso, pessoas continuam sendo obrigadas a fazer uso da √°gua de m√° qualidade e causadora de problemas renais ser√≠ssimos.
- Isso ainda vai render.

Pleonasmo
O vereador Joel J√ļnior (PP), ao fazer uso da fala durante a primeira sess√£o do ano de 2.013, ao garantir √™nfase √†s suas palavras, tascou: "os dias vindouros que vir√£o" e falou sobre "barreiras em forma de obst√°culos". Entretanto, o vereador Joel J√ļnior tem usado da forma de tratamento correta entre autoridades, referindo-se ao chefe de governo como se deve, com a forma de tratamento habitual ou seja, V. Excia. O tratamento informal entre as pessoas fica restrito a conversas tamb√©m informais. Parab√©ns, parlamentar.
- Dias vir√£o em que todos o seguir√£o a forma correta de tratamento entre autoridades, nobre parlamentar.

Problemas

Ainda vai render, o objeto do Termo de Compromisso TC/PAC 975/09, que destinou recursos da ordem de R$ 280.000,00 para o sistema de abastecimento de √°gua em Nobres. O dinheiro teria tomado outro rumo, segundo levantamento feito por uma autoridade pol√≠tica local. Como s√£o recursos do PAC/2009 (Programa de Acelera√ß√£o do Crescimento), a presta√ß√£o de contas dever√° ser minuciosa. Da√≠, a previs√£o tenebrosa de que ser√£o necess√°rias muitas explica√ß√Ķes. Prefeito e secret√°rio da gest√£o 2.009/2.012 j√° foram notificados.
- Vem fumo por aí, será mesmo?

Arruma, Desarruma, Arruma
O estádio municipal Balizão já foi arrumado, depois foi desarrumado por quem arrumou e agora será rearrumado pela atual administração. De praça esportiva passou a palco de shows artísticos e agora deverá voltar à sua característica normal. O secretário municipal de Administração, Roberto Rogério Dias, por determinação do prefeito Sebastião Gilmar (PSD), vistoriou o local na tarde de 19 de fevereiro e agora depende da vistoria de um engenheiro para que a revitalização ao menos parcial da praça aconteça brevemente.
- Isso até parece coro de... tamborim, obviamente.

Inquilina
Com os muros derrubados desde maio de 2012, o estádio virou local preferido para encontros noturnos; e, de quebra, ainda ganhou uma inquilina, uma senhora que apresenta visíveis sinais de não estar no pleno exercício das suas faculdades mentais. Dorme nas arquibancadas e "lava roupa todo dia, que agonia... na quebrada da soleira...". Ela ainda sonharia com aquela letra musical: "Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal; Você tenta provar que tudo em nós morreu; Borboletas sempre voltam; E o seu jardim sou eu...".
- E agora, Juzé?

Convênio
A rua Miranda deveria contar com sistema de drenagem de √°guas pluviais, conforme o Conv√™nio n¬ļ 142/2010, firmado entre a Septu (Secretaria de Estado de Transporte e Pavimenta√ß√£o Urbana) e a Prefeitura Municipal de Nobres, com aporte de recursos da ordem de exatos meio milh√£o de reais. A√≠, vemos a casa do DJ Globo, que tanto torcia pelo Z√© da Loteria, mergulhada na √°gua da drenagem que n√£o saiu do papel. Al√©m desta, figuram no projeto a implanta√ß√£o de meio fio e sarjetas para as ruas Alagoas, Projetada 03, Corumb√°, M√°rio Abra√£o, Tancredo Neves, Par√° e Sergipe.
- Meio milhão de reais foram parar na sarjeta que nunca saiu do papel. Vai dar samba com essa dupla, Zé da Loteria e Cara de Pandeiro.

N√£o d√° Certo
Na campanha pol√≠tica, um terrorismo de deixar os governos ditatoriais boquiabertos diante de tanta press√£o. Nem Hugo Chavez age assim em campanha... era exig√™ncia de funcion√°rio p√ļblico em com√≠cios, carreatas; era press√£o para a coloca√ß√£o de placas √† porta das casas, numa a√ß√£o ilusionista. Nos bastidores, os conv√™nios eram tratados com desd√©m, tanto que n√£o houve presta√ß√£o de contas de nenhum deles, segundo a Coordenadoria de Controle Interno. N√£o por acaso, a explica√ß√£o sobre Cara de Pandeiro vem porque o sujeito tem levado uma surra por semana, segundo dizem por a√≠. E ainda teria pedido uma vaguinha no atual no governo que √© para ironizar e tirar uma onda de S√£o Francisco de Assis. Mas isso n√£o ter√° sido tudo, vem mais surpresas por a√≠. Se segura a√≠, meu povo.
- A propósito, quem bancou as despesas de campanha do candidato José Carlos da Silva? A Justiça Eleitoral também é cega? Será que não houve Cx.-2?

Rastreado

De acordo com informa√ß√Ķes atrav√©s de sat√©lite (CVO-11 ‚Äď Cuidando da Vida Alheia), uma ex-alta patente pol√≠tica de Nobres pode ser vista em novo endere√ßo, √† antiga Fazenda Alian√ßa, h√° 15 kms do trevo de Manso, em uma fazenda rec√©m adquirida. Trata-se da antiga Fazenda Alian√ßa, cujo ex-propriet√°rio, sup√Ķe-se, seria um tamb√©m um ex-prefeito da Vaj√ļ. Como se v√™, algumas situa√ß√Ķes s√£o bem melhores que investir em loteria.

- Acertastes na loteria?

Cirurgia Redutiva

A julgar pela quantidade de notifica√ß√Ķes sobre conv√™nios n√£o executados, mal cumpridos ou coisa semelhante, o munic√≠pio de Nobres passou mesmo foi por uma cirurgia de redu√ß√£o de atividades decentes. S√£o 15 as notifica√ß√Ķes e que mais parecem com uma luz no fundo do t√ļnel, indo em dire√ß√£o ao absurd√≠ssimo slogan de campanha que era "Para Nobres Continuar Crescendo"; s√≥ se for feito raiz de eucalipto, para baixo, sempre, a grande profundidade. Um show de incompet√™ncia levantado pelo Coordenador de Controle Interno, Alysson Oliveira, que tratou de tirar o seu da menor dist√Ęncia entre dois pontos...

- Mereceria uma Moção de Anátema, ao melhor estilo da igreja ao tempo dos Cavaleiros Templários, mas quem vai votar?

De Olho na Boutique

O ex participante do BBB, Jean Rural, digo, Willis, arrumou a vida e é deputado federal, com tamanha habilidade para legislar que agora quer criar imposto sobre prostituição ou sobre essa atividade mais que milenar. Legislar sobre as "pererecas" em uso... é o fim da privacidade. E como seria a metodologia usada para medir os "acessos" à perereca alheia? Francamente, na falta do que fazer, cuidar do bocó dos outros, digo, das outras, é qualquer coisa absurda.

- Ele está de olho é na boutique dela...


Aposentadoria Precoce

Em pleno vigor da idade, √°gil e desenvolta, a jovem Raquel foi aposentada pelo Parlamento. Raquel foi substitu√≠da pelo primeiro secret√°rio da Casa, vereador Odison Ara√ļjo, que teve que gastar as cordas vocais para ler, em p√©, a ordem do dia, coisa que Raquel tirava de letra e ainda n√£o suprimia palavras do texto. Que tal revogar a portaria de aposentadoria de Raquel e ainda, de quebra, livrar Odison Ara√ļjo do desgaste, f√≠sico e mental?

- Fica a dica.

Descaso

Enfim, a atual administra√ß√£o municipal de Nobres descobriu que o ex-secret√°rio municipal de Finan√ßas estava mesmo √© enrolando e n√£o ia conseguir o ‚Äún√≥‚ÄĚ que ele mesmo deu no governo do Z√© que tamb√©m era seu (dele). Passou de 15 de fevereiro e a sonega√ß√£o de informa√ß√Ķes continuou e o ex-secret√°rio jogou a toalha, enfim. Agora, o caso passa a ser de pol√≠cia e um e outro ter√£o que prestar esclarecimentos ao setor competente. Nenhum vereador se dignou a apresentar documento ao MPE assinalando a necessidade de acompanhamento da evolu√ß√£o patrimonial do ex-prefeito e do ex-secret√°rio de Finan√ßas pelos pr√≥ximos cinco anos.

- Após dois anos (2011/2012), sabe-se que a coisa correu frouxa e quem deveria fiscalizar, de fato e por direito, não o fez. 

Viajando

O vereador Manoel Fermino Pinho (DEM) quer que o governo municipal crie um setor dedicado ao exercício da futurologia, que é para saber em quanto vai estar à valoração da taxa do INPC em 15 de fevereiro de 2.036. Viu inconstitucionalidade nisso e acabou por evitar uma cestinha que um correligionário seu faria, do meio da quadra. Entre um milhão aqui e outros acolá, quem deixou o governo bastante híbrido, foi... foi, quem mesmo? Muitos vereadores tiveram dois anos (2.011/2.012) para ver o que deviam de fato ver, mas tiveram as vistas ofuscadas pelas brumas que costumam se abater sobre Avalon.

- Saber de quanto vai ser o INPC numa data qualquer de 2.036, faz parte das Lendas do Rei Artur e sus cabaleros. Daqui até lá, será possível encontrar alguns fios de cabelos em casca de ovo.

Professor

O ex-vereador Ranulfo Lopes de Andrade, apanhado de improviso para falar durante a sess√£o de abertura dos trabalhos legislativos, em 15 de fevereiro, abriu o leque de grandes biografias mundiais para garantir √™nfase √† sua fala. Se de improviso foi assim, imagine mais preparado, poder√≠amos ter Sir William Sheakespeare e Carlos Drumond de Andrade sustentando a sua ret√≥rica. Os mais cultos gostam dessas passagens em forma de frases, pensamentos ou cita√ß√Ķes.

- Ouvimos algumas cita√ß√Ķes de aprova√ß√£o.

Dicção Aprovada

Algumas pessoas t√™m gostado do que tem falado o vereador Acendino Mendes, de forma concatenada, com come√ßo, meio e fim as suas pontua√ß√Ķes. Isso √© importante para que a mensagem do vereador n√£o caia no lugar comum. Junte-se ao discurso coerente a boa dic√ß√£o, o que o colocaria como um bom apresentador televisivo, podendo substituir o Cal Maia no seu extinto Cidade Aflita, agora, Cidade em Conflito, j√° que as autoridades pol√≠ticas e administrativas voltaram √† busca do elo perdido entre uma gest√£o ao menos razo√°vel e aquela bacafusada toda de fim de governo, com sumi√ßo de tudo que √© documento.

- Sendo assim, aprove-se e cumpra-se a aplicação do discurso coerente.

Dicção Aprovada II

Outro vereador que tem surpreendido com o seu estilo pr√≥prio de falar √© o vereador Joa Costa, que fala pouco e dentro do que se pede, evitando aquelas cantigas de grilo enfadonhas. A opini√£o n√£o √© √ļnica, mas de alguns ouvintes, interna e externamente em rela√ß√£o √† sede do Parlamento. Tem que fazer sentido, o trov√£o e o seu ecoar.

- Oh! Yes!


Casa Rosada
Seria ofensa perguntar: "em nome de quem estaria o imóvel no bairro Jardim Paraná, transformado em zoológico, que pertenceria ao ex-prefeito José Carlos da Silva?". A Prefeitura de Nobres precisa checar a situação do imóvel, a sua regularização como foi feita e conhecer o seu verdadeiro proprietário. Não é por nada não, mas sabe-se que o ex-secretário de Finanças estaria tentando regularizar a situação do imóvel, segundo uma fonte informativa e isso precisa ser checado, com rapidez e com o rigor que a lei disponibilizar.
- Algum Centro-Avante aí para marcar esse gol de letra?

Casa Rosada II

Ser√° que foi levantada a quest√£o de riscos de impacto ambiental em rela√ß√£o ao bairro Jardim Paran√° e o novo loteamento? Ocorre que a parte baixa do futuro bairro pode receber volume de √°gua al√©m do normal e se n√£o h√° sistema de drenagem das √°guas, futuramente os problemas podem ser maiores e n√£o haver√° "centro avante" perto da √°rea para conferir a jogada. Como tudo naquele governo foi realizado √†s pressas, √© bom checar tudo para que n√£o haja problemas futuros. O direito da d√ļvida √© conferido a todos os cidad√£os, inclusive os leigos em engenharia. Bem a prop√≥sito, por que o setor ambiental da Prefeitura de Nobres n√£o convoca a dire√ß√£o da empresa que criou o loteamento? Seria apenas para conhecer os seus diretores e avaliar mais detalhadamente o projeto?
- Que tal a dica?

Empresas & Empresas

Muito se ouve falar de empresas contratadas na administra√ß√£o anterior, cujos servi√ßos prestados eram executados por servidores p√ļblicos municipais, internamente, e depois o empres√°rio s√≥ passava para receber. Seria poss√≠vel isso? Ent√£o, pode ter havido omiss√£o e algu√©m tem que prestar esclarecimentos sobre isso. A C√Ęmara de Vereadores (ah!), que pecado, deixou passar fatos relevantes, como saber sobre a empresa que veio para fazer um "mega" recapeamento asf√°ltico e s√≥ fez um modesto tapa buracos e acabou se tornando a legalizadora de im√≥veis. V√° entender esses fatos. Ou seriam apenas boatos?
- Há controvérsias.

Empresas & Empresas II

Considerando-se que a tal empresa foi contratada para realizar um "mega" recapeamento asfáltico, como explicar os comunicados internos que solicitavam pagamentos iguais de R$ 4.000,00 a três pessoas diferentes? Um pagamento seria serviços de treinamento de servidores na produção de material para a operação tapa buracos; um segundo pagamento a quem prestaria serviço de análise laboratorial de produtos utilizados na massa asfáltica; e um terceiro CI, assinalava pagamento de mesmo valor para mesmo serviço, de análise laboratorial. Todos com a mesma assinatura de pedido, do então secretário de Finanças. Alguém consegue entender a bacafusada? Ou o serviço é completo ou nada de contratação.
- Com tanto centro avante assim, haja goleiro bom.

Beijos e Tapas
A Anca realizou reunião para que a diretoria esclarecesse sobre o projeto de parceria com a Votorantim para que a comercialização de artesanato ganhe maior projeção. Tudo beleza no encontro e os devidos esclarecimentos aos participantes do encontro. Mas, quando o assunto girou em torno de duas vagas diretivas remuneradas, aí, a diplomacia foi "pros quiabos" e o negócio virou disputa, mesmo. Menos mal que foi após a reunião, quando o tema principal já havia sido discutido.
- Ah! Cargos remunerados, quem n√£o os quer.

Buracos Nas Ruas

Muita pressão para que os buracos sejam tapados, mesmo chovendo seguidamente. Muitas pessoas tem razão em reclamar e outras tantas, ao menos aquelas que tinham discernimento maior e empunhavam bandeiras nos comícios e que andavam coladas com o ex-prefeito e eram alcunhadas de "segurança" ou quase isso, se mantiveram com as vistas turvas durante quatro anos. Será por quê?
- Faz-me rir, ex-vereador?

Sombras do Passado
Entre o dia da elei√ß√£o e o final do mandato de vereador, no ano de 2.000, os que n√£o conseguiram a reelei√ß√£o lamentavam da tribuna de Casa que tinha ajudado em vel√≥rios, batizados e casamentos, mas, enfim soube que "o eleitor √© ingrato". Alegava-se que foram R$ 48.000,00 jogados fora. Foram dias de agonia, de outubro a dezembro; uns reclamando das tais coliga√ß√Ķes, outros, por acreditar no clientelismo pol√≠tico como forma de se perpetuar no perder. Tem gente que n√£o aprende, mesmo, e basta um conhecido ex-prefeito estalar os dedos que j√° encontra seguidores.
- Será que não foi suficiente a lição? Ou se é vereador ou se é construtor, os dois num mesmo município não dá. E assim se sucedeu... lembrete ao memória curta.

Discurso/Taques
Muitos dos colegas ouviram de p√© o pronunciamento do senador Pedro Taques (PDT/MT), feito no dia 1¬ļ de fevereiro. Consta que a ansiedade fez com que o senador mato-grossense dormisse pouco tempo na madrugada do mesmo dia, preparando um discurso que foi uma verdadeira bordoada na "tchurma" do Renan Calheiros. Taques citou a derrota dos Inconfidentes, dedurados por um "muy amigo", e que hoje representa uma das maiores conquistas do Brasil, a independ√™ncia em rela√ß√£o ao governo portugu√™s.
- Esse foi o tal cacete florido sobre os "perpétuos" poderosos deste Brasil dos esquemas.

Discurso/Taques 2
"Chega de Senado perdigueiro. Chega do Senado sabujo...", apontou o senador em seu discurso, dizendo que a Casa não pode funcionar como "leva e trazes" do Poder Executivo. Pedro Taques atacou as medidas provisórias editadas pelo governo federal e defendeu a isenção e a imparcialidade do Senado, tarefa de que fogem os senadores da mesma forma com que o diabo foge da cruz. Taques, em seu pronunciamento, apontou ainda que junto às famigeradas MP's (Medidas Provisórias) costumam ir embutidas emendas de interesses duvidosos, não republicanos.
- Isso é romper com a centenária e contumaz liturgia legislativa que se espraia pelo resto do País. O senador Zé Pedrinho deixou muita gente boquiaberta com esse pronunciamento. Madre de Dios.

Discurso/Taques 3
A cada folha consumida do seu discurso, Pedro Taques seguia jogando as folhas debaixo da tribuna, verdadeiros mísseis "teleguiados", prontos a buscar os seus alvos, de acordo com o "calor" das palavras proferidas. Preocupa-nos, nas arquibancadas deste País, a citação do nome do senador Collor por ao menos duas vezes, logo após o disparo de um desses mísseis de longo alcance, conforme a personalidade de um alvo incerto. Folha lida era controle de míssil acionado e descartada aos pés do ilustre orador.
- Ao fim, Taques sugeriu um silêncio, com novas alfinetadas para, após, anunciar seus respeitos pessoais ao presidente da Casa. A expressão do senador Pedro Simon (PMDB/RS) era de aprovação, apesar de carrancuda.

Canal de Comunicação
A not√≠cia, bastante desastrosa, ganhou o mundo, via internet, e d√° conta de que "Um prisioneiro do Sri Lanka que tentou esconder seu telefone celular durante uma inspe√ß√£o em sua cela foi descoberto quando os guardas ouviram toques vindos de suas n√°degas, informou um funcion√°rio dos servi√ßos m√©dicos nesta sexta-feira (8). O condenado de 58 anos de idade precisou ser internado no hospital nacional em Colombo, onde os m√©dicos mais tarde retiraram o aparelho de seu reto." Um rabo falante, realmente, √© motivo de not√≠cia, mas celulares e drogas j√° foram localizados em vagina e √Ęnus aqui no Brasil.
- De fato, esse é um canal de comunicação reto e direto, mas a ligação foi em hora errada. Um bate-papo informal com as bactérias que não se conectou.

Marchinha Carnavalesca
Ficou em segundo lugar uma marchinha de carnaval que diz que pai-de-santo, pra baixar, só através de download. A primeira colocada, com letra de duplo sentido, diz que um cara fez sucesso no Egito como "ampulheteiro", palavra que no refrão soa igual aquela prática muito utilizada na adolescência pelos meninos, fazendo justiça com as próprias mãos... enforcando o passarinho e pensando nela. São os ampulheteiros reais.
- Alunos de Roberto Carlos e sua Cavalgada... por toda noite, por uma estrada colorida, usando beijos como açoites e mãos atrevidas. Uaaaauuuuuuuuuu....

Era Uma Vez...
...em uma cidade com ruas esburacadas, onde um menino, "Xoxinho" de marr√©-marr√©, contava piadas, t√£o sem gra√ßa, que acabou ficando sozinho. Dizia o piadista que um dia iria submeter o s√°bio a uma grande trapalhada p√ļblica, perguntando acerca de um passarinho, preso entre os dedos: "Se voc√™ √© muito s√°bio, mesmo, diga se esse passarinho que tenho na m√£o est√° vivo ou morto?". Como j√° disse o prof. Wilson Santos: "est√° em suas m√£os". Ent√£o, Xoxinho, se voc√™ tem a solu√ß√£o de como tapar os buracos das ruas de Nobres em dias chuvosos, sem que os servi√ßos fiquem comprometidos, n√£o perca tempo.
- E todos foram felizes para sempre com os palpites do piadista e suas histórias, de efeito retardado. Não deixe para ontem o que você pode falar amanhã.

Buracos nas Ruas

O empres√°rio do ramo de sonoriza√ß√£o, de codinome Toquinho, cogita que se tirem fotos dos buracos √† av. Marechal Rondon. Sempre fizemos isso, sem sermos vereadores. Como cr√≠tico do atual governo, ele tem todo o direito de reclamar embora, mesmo reclame n√£o tenha sido feito at√© dezembro do ano passado. Uma forma bastante eficaz de se reclamar seria por escrito, apondo assinatura e texto elaborado, com c√≥pia √† C√Ęmara Municipal de Nobres, aos 11 vereadores, e √† chefia de Gabinete da Prefeitura Municipal de Nobres, ainda que ele n√£o conhe√ßa a atual chefe do gabinete institucional do governo, a missiva ser√° entregue ao prefeito.
- N√£o seriam os buracos que incomodariam tanto a determinadas pessoas, mas sim os 5.753 votos depositados nas urnas ao vencedor nas elei√ß√Ķes majorit√°rias.Chama o Valdinei para tapar os buracos e algu√©m espalhar pela cidade a boa nova.

Buracos nos Cofres
Nem os buracos das ruas ser√£o tapados imediatamente e menos ainda os buracos nos cofres p√ļblicos, deixados pelo atual governo, que s√≥ ser√£o quantificados ap√≥s auditoria a ser realizada. O "rombo" √© grande e s√≥ em apropria√ß√£o ind√©bita (se √© que o reclamante entende) seria em torno de 3 milh√Ķes de reais ou mais e n√£o seria com qualquer "OB" que se taparia esse buraco. Sendo assim, paci√™ncia e caldo de galinha ainda √© um bom rem√©dio para quem tem pressa em ver resultado de heran√ßa maldita. Assim como muitos que foram privilegiados pelo governo passado, acredita-se que o melhor governo √© aquele que √© praticado a nosso favor, para os interesses da nossa individualidade. √Č como diria um bord√£o de um velho apresentador televisivo derrotado nas urnas √† Prefeitura de S√£o Paulo: "Estando bom para ambas as partes...".
- Em outros casos, se é bom pra mim, á cidade é que se dane. Se não me atende, a pressa urge. Esta é uma cidade em que muitos se fingem de cegos, por pura conveniência.

Buracos nos Cofres II
Determinadas pessoas n√£o demonstram a m√≠nima preocupa√ß√£o com a cidade e algumas at√© pensam que prefeitura seja f√°brica de dinheiro, mas poucas s√£o aquelas que se prestam ao papel de ajudar administrar. Quem ajudou a gastar precisa tamb√©m dar a sua contribui√ß√£o para tirar a m√°quina p√ļblica do atoleiro, mas n√£o, preferia ver como a gest√£o p√ļblica se apresentava, maquiada, literalmente e metida num balaio de gato que, mesmo aquele que desenhou o mapa financeiro da administra√ß√£o p√ļblica entre janeiro de 2011 a 31 de dezembro de 2.012, ainda hoje e at√© hoje n√£o consegue sair do labirinto que criou. A√≠, vem aquela ironia de botequim... e agora?
- Espere para ver o "rombo" nos cofres p√ļblicos e depois reclame de outros buracos. Para quem tem parente no governo, o bom mesmo √© ficar na moita.

Chuva Torrencial

Ao menos dois imóveis sofreram a ação natural após a forte chuva que se abateu em Nobres na tarde de 05 de fevereiro de 2.013. Os dois imóveis, um ao lado do outro, sofreram com a ação do tempo, ocasionando invasão de água através do quintal, e um deles sofreu danos significativos, apresentando rachaduras consideráveis e risco de desabamento. A proprietária do imóvel teve que mudar às pressas para evitar problemas mais graves ocasionados pela infiltração da água pelo subsolo. Ambos os imóveis estão localizados à av. "Prefeito Mário Abraão Nassarden", após o cruzamento com a Filinto Muller.
- A coisa tá feia e os desastres naturais trazem problemas sérios.

Plano Diretor
A cidade de Nobres sem um plano diretor enfrenta problemas estruturais s√©rios, com alagamentos e inunda√ß√Ķes em face da geografia do solo, com muitos declives e sem um ordenamento para a ocupa√ß√£o do solo. H√° normas para tudo, menos para as edifica√ß√Ķes, considerando-se o tipo de solo e os riscos de acidentes naturais, sem se considerar a falta de infraestrutura b√°sica, entre rede de esgotos e galerias pluviais. Algu√©m, em algum dia, ir√° come√ßar algo nesse sentido e que v√° muito al√©m dos meros palpites quando os problemas j√° ocorreram.
- Qual a diferença entre uma chuva forte e a Tati Quebra Barraco"?

Segredo de Caserna
√Č bom o prefeito Gilmarzinho da Ecoplan tirar as suas conclus√Ķes em rela√ß√£o ao que diz um ex-assessor do Z√©, que d√° conta de que o governo se perdeu, muito mais em fun√ß√£o das mudan√ßas bruscas ocorridas em 2.011 e com acentuado significado ap√≥s a transforma√ß√£o daquele governo em cabide de emprego, em aten√ß√£o a pedidos mil de algumas emin√™ncias pardas que hoje atiram pedra sobre o telhado do mesmo Z√© da Loteria. Como se v√™, para governar n√£o se encontra parceiros, mas gente de interesses ocultos.
- Nesse caso, as li√ß√Ķes de ontem servem para hoje, levando-se em conta que o governo precisa de parceiros e n√£o de coveiros. N√£o por acaso, o governo anterior jaz, em cova rasa.

Coment√°rio
Um coment√°rio do jur√°ssico jornalista Onofre Ribeiro destaca a import√Ęncia de um pol√≠tico como observador e catalisador das vontades sociais, permitindo-se que "apanhe" as mensagens do povo, articule-se e transforme isso em realiza√ß√Ķes. "Foi-se o tempo em que placa de inaugura√ß√£o credenciava gest√Ķes p√ļblicas. Hoje qualquer obra precisa nascer de um prop√≥sito (ideia), ser trabalhada como prop√≥sito (articula√ß√£o) e ser realizada como prop√≥sito transformador", diz o articulista. Em Nobres, recentemente, ainda antes das elei√ß√Ķes municipais, assistimos a espet√°culo ilus√≥rio, das placas de obras, feitas as pressas e conforme o interesse do gestor. Fim de governo e um retrato negativo de tudo o que fez, sem respaldo pol√≠tico e nem social.
- Olhai, observai e vigiai, prefeito atual.

Em D√ļvida
Quando mesmo que o ex-secret√°rio de Finan√ßas da gest√£o anterior deixar√° em definitivo a sede do governo? Quanta complac√™ncia para com esse cidad√£o, respons√°vel pelas finan√ßas p√ļblicas do munic√≠pio. Segundo um t√©cnico em gest√£o p√ļblica, numa prefeitura bem ruim, tudo terminaria em 15 de janeiro. Na gest√£o do Z√©, restou o ex-secret√°rio de Finan√ßas e seus lan√ßamentos, que j√° ultrapassaram o dia 31 de janeiro do ano de 2.013, do que se depreende que seja incompet√™ncia ou ato falho naquilo que se prop√īs a realizar. At√© quando a presen√ßa de fantasmas do passado arrastando correntes pelos corredores palacianos? Ou se √© um novo governo ou nada de novo acontece.
- √Č como diria Abelardo Barbosa: "T√° na hora, t√° na hora...", e chega de chacrinhas na casa dos outros. De quem os buracos nas ruas e nas contas p√ļblicas?

Reticências...
"No Egito, as bibliotecas eram chamadas 'tesouro dos rem√©dios da alma'. De fato, nelas curava-se a ignor√Ęncia, a mais perigosa das enfermidades e origem de todas as outras.", frase de Jacques-Benign√© Bossuet/1627-1704, Orador sacro e escritor franc√™s. Em Nobres, de um tempo a este, a Biblioteca P√ļblica Municipal d√° origem a muitas infiltra√ß√Ķes nas suas paredes e nem de longe chega a ser aquela que foi "dizimada" do centro da cidade para ser constru√≠da mais tarde, num futuro distante. Se um m√©dico abandona uma biblioteca, logo... a preserva√ß√£o da ignor√Ęncia tornar√° as pessoas cada vez mais enfermas.
- Dito isso h√° 309 anos atr√°s, como n√£o preservar uma biblioteca?

Incentivo
A m√≠dia tem colocado lenha na fogueira numa poss√≠vel disputa pol√≠tica entre o deputado Riva e o senador Pedro Taques. O placar apontaria vit√≥ria de Riva na disputa √† AMM (Associa√ß√£o Mato-grossense de Munic√≠pios); vit√≥ria de Riva nas articula√ß√Ķes √† Mesa Diretora da C√Ęmara de Vereadores; e o placar foi aumentado com a indica√ß√£o de Carlos Brito a Secretaria de Esportes e Cidadania, prometida por Taques ao ex-candidato a vereador, o ex-judoca Pedro Shinohara. N√£o contabilizaram a vit√≥ria de Renan Calheiros, que n√£o tem muito a ver com MT embora as articula√ß√Ķes fossem pr√≥-Calheiros. √Č como dizia um velho botafoguense: "Eu nunca apanhei, mas tamb√©m nunca brigou".
- Mais matreiro, Riva tem sido o rei das articula√ß√Ķes pol√≠ticas h√° anos em MT. E assim segue a luta no oct√≥gono pol√≠tico.

Apropriação
A apropria√ß√£o indevida dos valores que seriam dos servidores p√ļblicos, descontados em folha salarial, para pagamento de empr√©stimos passaria dos R$ 300.000,00, num dos fatos mais marcantes da hist√≥ria pol√≠tica e administrativa de Nobres. E ainda assim, tem gente com saudades do governo anterior. Aquele que chamou para si toda a gest√£o financeira da Prefeitura de Nobres responder√° por isso? Mas, ser√° que o prefeito Jos√© Carlos da Silva n√£o sabia disso? Ah! Isso seria s√≥ de um banco, segundo se comenta por a√≠. E para onde foi parar o dinheiro dessa apropria√ß√£o?
- √Č assunto para a Pol√≠cia Fazend√°ria e tema para verifica√ß√£o da evolu√ß√£o patrimonial de algumas pessoas.

Buraqueira
Tem gente clamando at√© por rejeito para sanar parcialmente os problemas existentes nas ruas de Nobres. √Ä avenida Get√ļlio Vargas, nas proximidades do PSF do Jardim Gl√≥ria, os buracos preocupariam por poss√≠veis acidentes naquele trecho onde outros fatos dessa natureza j√° ocorreram. Como as chuvas n√£o d√£o tr√©gua, na falta de arroz, vai quirera; ou seja, at√© rejeito serve para amenizar os problemas. Enquanto isso, tem gente com bolsos cheios, provavelmente, e gastando aqui mesmo em Nobres. As contas da Prefeitura zeradas em 31 de dezembro de 2.012 e gente esbanjando melhorias financeiras. O poder √© um pico, onde alpinistas sociais praticam subida, quase sempre, nas costas da popula√ß√£o mais pobre.
- Quem vende o seu voto n√£o tem direito a reclamar. Psssiiiu!!!!!!!!!!!!!!! Nem um pio. Vendeu barato, agora aguenta.

D√ļvidas
Deitado no divã do psicanalista, perguntaria: "My doctor, se as contas da Prefeitura de Nobres estavam bloqueadas judicialmente até 31 de dezembro de 2012, como foi possível fazer saque em companhia de agiotas?" Será que dr. Sigmund Freud diria o óbvio, ou seja: "O bloqueio não era total". "Mas, saque em conta, dr. Sigmund?" Sem se irritar tanto, dr. Sigmund diria: "Ora, não seja Impaciente...
- ...e não "Fróid" mais a minha paciência, cacete!". Fui!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mas volto.

Mania de Você
Isso n√£o √© m√ļsica, mas √© tema de um 'cara' que faz carreira solo, "rufando" o pau no governo atual, sem querer reconhecer a derrota. Em campanha, dizia que o candidato advers√°rio n√£o chegaria nunca ao poder. Passadas as elei√ß√Ķes e com o resultado das urnas, n√£o perdoa os governantes e tem buscado locais p√ļblicos para expressar a opini√£o contr√°ria, o que √© um direito de qualquer cidad√£o, desde que assuma pelas palavras pronunciadas, algumas, impr√≥prias e dissociadas da pol√≠tica, perdida ou ganha a batalha. O melhor prefeito √© aquele que vende pirulitos e deixa os cofres p√ļblicos que nem t√°bua de pirulitos, com muitos "furos". O camarada n√£o perdoa nem mesmo os vereadores. Que tal se dirigir at√© a sede do governo e olhar naquele espelho dos narcisistas de ontem?
- Que coisa mais chique aquilo ali, t√£o √ļtil quanto as catracas do "apartheid", pelo menos se v√™ atrav√©s dele os gl√ļteos ou se est√° cadeirudo ou n√£o.

Contrastes Sociais
Mesmo não conhecendo, mas sabendo através de pesquisas geográficas e estudos demográficos e por noticiário internacional, as Filipinas é um país pobre e foi governado pelo casal Imelda/Ferdinand Marcos, provavelmente, falecidos. A patroa, madame Imelda Marcos, quando viva e à época do poder, tinha nada menos que 5.000 pares de sapatos e umas 5.000 calcinhas, enquanto isso, o povão passava a pão e água naquelas bandas. Conta á história de bastidores que, mesmo sem ter Viagra naqueles idos anos, Ferdinand nunca deixou Imelda na mão. Se broxou, abaixa a cabeça e sai de fininho, essa não é a sua praia. Taí uma coisa que muito dinheiro não compra, manter a cabeça ereta e bater continência na hora certa.
- Como diria o mineirim: "Num querdito nisso, uai!".

Carnaval/2013
Dos 141 munic√≠pios mato-grossenses, cerca de 76 deles n√£o v√£o ter despesas de carnaval custeadas pelas respectivas prefeituras, onde o pr√≥prio governo do estado est√° com problemas de caixa. Em Nobres, as ruas est√£o tomadas pelos buracos, e uma galerinha querendo que a prefeitura banque despesas com carnaval. Encabe√ßa a lista um conhecido especialista em vazamentos em telhados, que deixa baldes pl√°sticos para aparar o resultado da sua obra de arte, como se ainda estiv√©ssemos no tempo dos "mamutes". At√© as pedras sabem que na Prefeitura de Nobres o "rombo" a ser apurado vai ser de assustar, at√© √† filhos que n√£o s√£o de pais assombrados. Sem o seu "pier√ī"...
- ...a colombina quer cair na folia. Bailam corujas e pirilampos... uuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiiii.

Ruas Esburacadas
Tem gente que at√© 31 de dezembro permaneceu no governo e que sabe a situa√ß√£o econ√īmica em que o munic√≠pio foi atirado e reclama dos buracos nas ruas, sem um m√≠nimo de auto cr√≠tica, dizendo que o passado √© passado. Mas tem fatos bem atuais, por exemplo, a presen√ßa do ex-secret√°rio de Finan√ßas na Prefeitura, a t√≠tulo de fechamento de contas. Ao que disse um ex-colega do ex-secret√°rio: "Foda-se ele, que causou tudo isso". Como se v√™, o slogan "Que √© para Nobres Continuar Crescendo" fez bem a poucas hortas, j√° para as ruas de Nobres, s√≥ cupim, os mesmos que atacaram as contas p√ļblicas.
- Ainda ninguém deu início a erguer o tapete para ver o que há debaixo dele; é para ali que foram empurradas as mazelas do governo do Zé da Loteria.

Ruas Esburacadas II
Esse neg√≥cio de ser "amigo" do prefeito, √© s√≥ uma quest√£o de conveni√™ncia, sem o poder, os amigos fogem. V√° ver quem s√£o os verdadeiros amigos do ent√£o todo poderoso secret√°rio de Finan√ßas, o √ļnico que se muniu de √≥leo peroba para enfrentar o governo atual e circula pela prefeitura como se nada tivesse acontecido. Paredes de todos os pr√©dios p√ļblicos passam por infiltra√ß√Ķes, obras inacabadas e outras mal acabadas, equipamentos p√ļblicos que est√£o desaparecidos e o pior, ningu√©m sabe para onde foi parar tanto dinheiro. Para a Assessoria de Imprensa foram adquiridos diversos equipamentos e os que foram apresentados, se apresentam obsoletos ou avariados; outros ainda n√£o foram vistos. Muito se fala de um note book que foi levado por um mago que passou por Nobres, cujo papel principal era o de pisar em quem √© daqui e mudar a imagem do governo, √† √©poca. √Č como dizia vov√≥: "nem o mel e nem a cera...".
- E tome ruas esburacadas e gente reclamando, até aquelas que eram coniventes com o governo e até aplaudiam a gastança do Zé.

Detalhes

O Centro Comunitário após a reforma, virou troféu de campanha política, exibido como símbolo de um governo obreiro. Passados alguns meses, vá ver como está á obra; uma churrasqueira, erguida aos fundos do centro comunitário, sem cobertura, onde é pra colocar carvão, virou tanque de água. Tiraram vidro inteiro de janelas por causa de falta de ventilação. Não bastasse a água empossada à margem direita dos fundos do centro comunitário. E tome dinheiro para remediar.
- Ver ou não ver é uma questão de conveniência. Quem quis ver, era visto como inimigo; quem fazia vistas grossas, era sempre o parceiro ideal.

Est√°dio "Baliz√£o"
O estádio "Balizão" está impraticável para o futebol e o estádio ficou pior do que foi encontrado, em 2.009, quando, em janeiro de 2.009, o então prefeito José Carlos da Silva participou da final do Peladão Cuiabano e usufruiu do futebol para ter a imagem do seu governo melhorada. Depois que deixou o governo, tudo ficou claro e corroborou com aquilo que o jornal local dizia do seu governo, de andar na contramão e não cumprir compromissos assumidos, nem financeiros e nem pela palavra empenhada.
- Triste legado de um governo festivo que engordou a uns e deixou as contas p√ļblicas magrinhas ou esquel√©ticas.

Comentaristas An√īnimos
Indiv√≠duos que at√© hoje se portam como se estivessem de luto pela derrota nas urnas em 07 de outubro, se utilizam do anonimato para postar coment√°rios em s√≠tios noticiosos aparentando uma ineg√°vel "viuvez" de um p√°lido governo, encerrado em 31 de dezembro de 2.012. Primeiro o anonimato e depois os pseud√īnimos caricatos, para demonstrar insatisfa√ß√£o com o atual governo, de pouco mais de 30 dias, e que ainda nem sabe quanto herdou de d√≠vida.
- "Consolo" para vi√ļvas deserdadas e an√īnimas de um governo nefasto se vende por cent√≠metro... ligue para o disque Bengala.

Nem T√£o Seguro
Algumas viagens, tidas como para "refrescar" a mem√≥ria, terminam por derrubar alguns 'barracos'. A ida a Porto Seguro, na Bahia de Caetano e Bet√Ęnia, terminou em Porto Solid√£o para uns e outros. √Č... tem f√©rias que √© melhor nem tir√°-las, sob risco de ver o 'barraco cair'. √Č como dizia o saudoso Jess√©: "Se um veleiro repousasse na palma da minha m√£o, sopraria com sentimentos e deixaria seguir sempre rumo ao seu cora√ß√£o...".
- Uau... hasta la vista baby. Jo no comprendo.

Velhas Complacências

Muita gente se calou ou foi conivente com a realidade administrativa que se apresentava desde janeiro de 2.011 at√© dezembro de 2.012. Ser√° por qu√™? De Santa Rita do Trivelato vieram v√°rios alertas sobre fatos reais que ocorreram l√°, com informa√ß√Ķes fornecidas por um secret√°rio de governo de l√°. Por quest√Ķes de conveni√™ncia, muitos se calaram diante dos fatos claros de m√° gest√£o dos recursos p√ļblicos e hoje s√£o muitos os que n√£o aguentaram mais que um m√™s do novo e j√° esqueceram todas as mazelas ocorridas entre 2.011 e 2.012, cujos efeitos se refletir√£o no futuro, que come√ßa agora. Aparelhos de ar condicionado, para cujas manuten√ß√Ķes, os valores permitiriam comprar outros, segundo o Tribunal de Contas.
- Conivência rima com complacência.

Velhas Complacências II
Hoje, com o ex-prefeito Jos√© Carlos longe do poder e desaparecido de Nobres, muitos dos que foram seus amigos no poder o apedrejam. Restaram algumas "vi√ļvas" daquele governo que ainda choram pelo passado e mal conseguem se estabelecer no presente, pregando par√°bolas de que ontem foi melhor que hoje. Mas, se foi, √© bom saber que nada dura para sempre e para os que acham que o atual governo vai mal, esperem um pouquinho mais, porque este tamb√©m vai passar. Passam os governantes e a cidade e sua gente permanecem, ainda que seja com a sede do governo com energia cortada, com o ar f√©tido por conta do lixo espalhado pela cidade, com luz e telefone utilizados pelo governo e que n√£o foram pagos e um desfalque de cerca de R$ 2.000.000,00 nas contas da Previnobres, segundo a atual diretora executiva do √≥rg√£o.
- O hábito de atirar pedras e esconder as mãos é velho por aqui. Poucos são os que encaram e admitem falar, como fizemos.

Erros e Cobranças
Noticiários sobre a tragédia ocorrida em Santa Maria (RS) revelam como as coisas funcionam aqui no Brasil, só depois que a casa é arrombada que se colocam trancas. Depois da tragédia, não dimensionada no todo, porque pode haver outras vítimas, a discussão é sobre a legalidade na realização do evento. O apresentador do Bom Dia Brasil, Chico Pinheiro, tentou colocar na parede um major do Corpo de Bombeiros, em entrevista, hoje (29/01), pela manhã. A abordagem televisiva foi sobre a permissão do evento e as saídas de pessoal, se estavam dentro das normas, ao que o major entrevistado respondeu que sim, conforme a legislação existente e vigente.
- Ninguém foi ver nada na boate durante o evento e só depois da tragédia é que se buscam culpados. Coisas do Brasil das maracutaias.

M√°s Compara√ß√Ķes
Em 2.012, por ocasi√£o do anivers√°rio de Nobres, quando setores respons√°veis pela seguran√ßa coletiva exigiram atitudes da administra√ß√£o municipal de Nobres e barraram tecnicamente o show da Banda Anjos de Resgate, o que fizeram? A primeira atitude foi produzir, dentro da sede do governo, um panfleto atirando a culpa nos advers√°rios pol√≠ticos. Hoje, sabe-se quem produziu o texto, quem xerocou e quem distribuiu aquela papelada. O show em Santa Maria do Rio Grande do Sul, que reunia s√≥ jovens, terminou em trag√©dia e os respons√°veis por seguran√ßa p√ļblica permitiram a realiza√ß√£o e buscam, no p√≥s-trag√©dia, os culpados pelas mortes. Uma ing√™nua festa entre adolescentes terminou num dos quadros mais tr√°gicos do pa√≠s.
- Que situação indecifrável para o setor que cuida da segurança dos que pagam impostos, não?

A Candinha
Como dizia Roberto Carlos nos dias perfumados da jovem guarda: "A Candinha vive a falar de todo mundo...". Pois é, mas naqueles idos anos não tinha dengue e ao invés de ficar falando mal do vizinho, porque não se unirem no combate aos focos do mosquito? Entra ano e sai ano, muita gente sabe o que o vizinho come, desde o cardápio de pacu-peva com mandioca e na falta de arroz, vai quirera, mesmo. Mas limpar o quintal que é bom, ninguém se aventura.
- Ela espera ver aquele mosquito chegando, com a sua pica...dura... é assim mesmo, rapadura é doce mas não é mole não.

Rapadura de Leite
Pode ganhar uma rapadura de leite, quem adivinhar quando √© que o ex-secret√°rio de Finan√ßas do Z√© da Loteria vai deixar definitivamente a sede do governo. Tem um setor da Prefeitura que mais parece o Cabo Canaveral, √© s√≥ lan√ßamento disto e daquilo e n√£o se caga e nem se desocupa a moita. O governo anda complacente demais com esse mo√ßo, respons√°vel por tudo o que se v√™ a√≠ e o que se ver√° daqui mais alguns dias. Tem algo que n√£o combina com essa presen√ßa dentro do governo, que j√° n√£o mais pertence ao passado. √Č como diria as leis dos s√°bios: "Nosso futuro depende do modo com que vivemos o presente".
- "No tocante √† Justi√ßa Eterna, colhe sem semear". √Č como diria vov√≥: Tudo acaba quando termina...".

E o Seo Zé?
Ao final de dezembro de 2.012, o ent√£o prefeito desapareceu de Nobres e com ele foram aqueles discursos √≥bvios, de amor sublime ao munic√≠pio. O seu candidato √† vice, visto despachando past√©is na feira, tamb√©m sumiu. Restou o articulista mor daqueles dias, na "casa de vidro", lan√ßando seus petardos ao c√©u, anunciador de nuvens negras. Realmente, essa tal de "urna eletr√īnica" √© mesmo desafiadora e capaz de desfazer mitos instant√Ęneos. Como vai ser para o Z√© quando o seu ros√°rio de penas come√ßarem a ser desfiados? Ter√° a contribui√ß√£o do seu fiel escudeiro?
- Votem pela saída imediata ou pela continuação desse personagem na Casa de Vidro. Acordai, governistas atuais.

Situação: Doída
A av. Castelo Branco est√° de doer os quartos de qualquer um; a p√©, de moto ou de carro, por conta dos buracos na pista. Sair de Ros√°rio Oeste para Nobres pela lateral da travessia urbana tamb√©m √© uma aventura em meio √†s valetas na pista. O momento √© de paci√™ncia e de dar tempo ao tempo, considerando-se que nem foram 30 dias √ļteis de trabalho do novo governo. Mas que tem buraco, isso, nas ruas tem. Se buraco fosse repasse do governo federal, Ros√°rio j√° estaria com ao menos um dez milh√Ķes em caixa.
- Mas não é... e os buracos ficaram como lembranças do passado.

Stand By
Esse Acácio é mesmo um vereador protegido pelos orixás. Quando Tito da Forquilha já engomava o terno para a posse, eis que deram um "passe" no titular e ele voltou à titularidade, frustrando o reserva de assumir em seu lugar. No futebol profissional, "disqui" o reserva torce para o titular se dar bem. Será mesmo? E na política, será que é assim também?
- Então tá, em pouquinho menos de 12 meses Papai Noel vai descer na sua chaminé. Aguarde... e torça muito.

Susto
"Descanse em Paz", est√° em algumas l√°pides. Mas como, se √°rvores tombam sobre t√ļmulos? O cemit√©rio local, segundo registro do jornalista Manoel Netto, est√° de assombrar. Mas vai ser limpo nas pr√≥ximas horas. Menos mal. Uma vez, em Nobres, um vereador, votou contra um projeto de lei que era para iluminar a parte interna do cemit√©rio. Alegava o mo√ßo que a luz projetada sobre os t√ļmulos atrapalharia a vis√£o de quem estaria dormindo.
- O projeto n√£o passou e todos viveram em paz no campo santo.

Susto II
Uma briga generalizada em um certo bairro da cidade de Cáceres, anos atrás, acabou em morte e um sujeito prometeu que voltaria para o revide. Durante o velório, em um salão com teto de zinco, rezava-se em torno do falecido, morto na briga, quando o padre falava dos homens de pouca fé. Justamente nesse momento, um abacate, de ao menos uns 500 gramas, desabou do abacateiro e caiu sobre o telhado de zinco. Bem, o padre foi o primeiro a se lembrar da ameaça e também o primeiro a deixar o local, sem nem concluir o tema em apreço. Na correria, derrubaram o defunto e foi gente trombando com gente. Demorou um pouco até se restabelecer a ordem e todos descobrirem que foi só um abacate que se desprendeu do talo. E o padre, já refeito do susto, inquiriu: "Sobre o que falávamos, mesmo?". "Sobre os homens de pouca fé padre...", disse um interlocutor.
- Como se vê...

Financiamentos
O total de empr√©stimos para aquisi√ß√£o de m√°quinas agr√≠colas, equipamentos de irriga√ß√£o e estruturas de armazenagem alcan√ßou R$ 4,7 bilh√Ķes entre julho e dezembro de 2012, alta de 41% em rela√ß√£o ao mesmos meses de 2011. Os valores s√£o referentes aos financiamentos adquiridos por meio do Programa de Sustenta√ß√£o do Investimento (PSI-BK).
- Resultado representa 78,4% dos recursos disponíveis para a safra 2012/13.

Financiamentos II
No ano passado, a taxa de juros dessa modalidade reduziu de 5,5% para 2,5% ao ano, o que influiu no resultado positivo dos √ļltimos meses. A expectativa para 2013 √© que os financiamentos continuem em alta. A taxa entre janeiro e junho ser√° de 3%, aumentando para 3,5% ao ano entre julho e dezembro deste ano. A medida surtiu efeito direto no setor de m√°quinas agr√≠colas, que cresceu 6,2% no ano passado em rela√ß√£o a 2011. Ao todo, foram vendidas quase 70 mil unidades, n√ļmero que n√£o era alcan√ßando desde a d√©cada de 1970, de acordo com a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea). A expectativa para 2013 √© de novas altas, entre 4% e 5%.A valia√ß√£o atualizada mensalmente das contrata√ß√Ķes do cr√©dito agr√≠cola √© realizada pelo Grupo de Acompanhamento do Cr√©dito Rural, coordenado pela Secretaria de Pol√≠tica Agr√≠cola do Mapa.
- As informa√ß√Ķes vem de Bras√≠lia.

Tarefa Difícil
O atual governo de Nobres ter√° a miss√£o de fazer o que os seus antecessores n√£o fizeram, que √© encontrar um caminho para as √°guas que passam pelas ruas do bairro Ponte de Ferro. O ex-prefeito Z√© da Loteria, al√©m de asfaltar ruas sem galerias pluviais, ergueu o leito daquelas que foram pavimentadas e muitas casas ficam inundadas quando chove. Tentou fazer uma interven√ß√£o eleitoreira nas ruas do bairro Ponte de Ferro e a emenda saiu bem pior que o soneto. E por falar no ex-prefeito Z√© da Reelei√ß√£o, por onde andar√° o sujeito? N√£o se encontra o mo√ßo nem para ser citado numa das primeiras a√ß√Ķes de uma s√©rie que vem por a√≠.
- Aquela colcha de retalhos que tu me destes...

T√° no Midia News
"Dados da Corregedoria da Pol√≠cia Militar mostram que 103 policiais foram exclu√≠dos dos quadros da institui√ß√£o nos √ļltimos tr√™s anos. A corregedoria tamb√©m analisa outros 36 processos disciplinares, que podem resultar na exclus√£o, puni√ß√£o ou advert√™ncia aos militares investigados. Entre os exclu√≠dos, 31 foram em 2012; 59 em 2011; e 13 em 2010. As exclus√Ķes foram causadas por condutas consideradas inadequadas para a fun√ß√£o de policial", aponta a not√≠cia veiculada no site. Entre as faltas, consideradas graves, consta envolvimento com o tr√°fico de drogas e homic√≠dio.
- √Č um duro recado aos que est√£o na corpora√ß√£o, feita de bons e maus exemplos, punidos e em vias de puni√ß√£o.

Cabeceira/Ponte
O prefeito Gilmarzinho da Ecoplan postou fotos na sua página de relacionamento social (Facebook) e umas apontam para a possibilidade de queda da cabeceira da ponte sobre o rio Nobres, após a agência do Banco do Brasil, do lado de lá. Toda a cabeceira ameaça ruir e urge reparos naquele setor, antes que piore o que se apresenta ruim.
- Mãos à obra setor de Infraestrutura Urbana.

Dinheiro na M√£o
Vereadores de Mato Grosso ter√£o direito a f√©rias e 13¬ļ sal√°rio, segundo consulta feita ao TCE-MT, que liberou as c√Ęmaras legislativas a legislarem sobre essa possibilidade real. O assunto √© pol√™mico e vai gerar muitas discuss√Ķes, restando saber se os Legislativos ter√£o f√īlego financeiro para administrar mais essa quantia em dobro. Compreens√≠veis e desprendidos do materialismo, √© certo que os parlamentares municipais declinar√£o de mais essa vantagem.
- Acredite se quiser e puder.

Borrachudos
Consta que estariam em m√£os de terceiros, dois cheques, sendo um deles de 112 mil reais e outro de 345 mil reais, supostamente, trocados para fazer dinheiro. Seriam do munic√≠pio, nominais a uma empreiteira e a uma empresa de condicionadores de ar. Espera-se que sejam apenas boatos essas informa√ß√Ķes, mas se for fato, algu√©m precisa checar esse disparate.
- E o município com muitas dificuldades financeiras embora o atual gestor não tenha nada a ver com as cagadas praticadas pelo seu antecessor.

Bastidores
A verdade nua e crua é debatida nos bastidores da notícia. Vai para o livro dos recordes a equipe de produção do Cidade Aflita, aqui da nossa TV Cidade, bastante notado quando o apresentador chama a "produção" e pergunta: "Qual a matéria que vem por aí, produção?". Mas que produção? Ah! Um cara assoviando e chupando cana a um só tempo?
- Ser√° o Harry?

Tocando "De Prima"
Amadurece a cada dia e constaria do Plano de Governo para os pr√≥ximos quatro anos, a proposta de cria√ß√£o de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) funcionando 24 horas na cidade de Nobres. Seria uma forma de se desvencilhar do sistema privado, pouco a pouco. A informa√ß√£o n√£o √© oficial, mas cabe na cabe√ßa de muita gente que precisa dos servi√ßos de sa√ļde na cidade e na zona rural. √Č um caso a pensar, ao menos em m√©dio prazo.
- Sonho sonhado.

Impostos e Sa√ļde
A empresa Sanches Tripoloni abasteceu os cofres p√ļblicos de ISSQN no ano passado, al√©m de contar com in√ļmeros empregados morando em Nobres e produzindo renda ao munic√≠pio de alguma forma. Entretanto, quando algum funcion√°rio da empresa necessitava dos servi√ßos de sa√ļde, a√≠ a coisa ficava meio esquisita e s√≥ funcionava no tranco. Acredita-se que a pol√≠tica da boa vizinhan√ßa seja implementada agora, nessa nova gest√£o, onde o relacionamento administrativo e social deva ser melhorado consideravelmente. O acesso ao sistema p√ļblico de sa√ļde √© aberto a todos, sem distin√ß√£o de classe social.
- Logo... um pingo é letra, seja em hebraico ou javanês.

Em Viagem
Segundo uma fonte informativa baseada em Cuiabá, o ex-prefeito Zé da Loteria, estaria na cidade de Catolé do Rocha, na Paraíba, visitando algum tipo de empreendimento e amigos. A nossa fonte não informou se o empreendimento seria próprio ou de amigos. Mas já é um sinal do aparecimento do ex gestor, que sumiu de Nobres desde o final de dezembro de 2.012 e nem mesmo entregou a faixa, que também fizeram um favor de sumir com ela. Entrou para os anais da história como aquele que abandonou o barco, literalmente.
- Percebia-se, desde 1¬į de janeiro de 2.009, que n√£o sabia nadar.

Last Updated ( Wednesday, 20 February 2013 21:54 )

 

Trincheira XXVIII

Situação Complicada
Deu no blog do Manoel Neto: "Três homens armados renderam o gerente da cooperativa de crédito Sicredi, em Nobres (146 km a médio-norte de Cuiabá) na manhã desta quarta-feira (16), roubaram o dinheiro da agência e fugiram. S








































































































































Last Updated ( Thursday, 17 January 2013 09:52 )

Trincheira XXVII

Dia Impag√°vel

Esse pessoal do governo ou o que restou dele, √© mesmo complicado. Deixou para pagar o funcionalismo no dia em que o mundo vai acabar. Ningu√©m vai usufruir do sal√°rio de novembro e nem do 13¬ļ porque at√© l√°, em 21 de dezembro, o mun
















































































































































Last Updated ( Tuesday, 18 December 2012 16:32 )

Trincheira XXVI

Mídia Televisiva
Come√ßa a circular boatos de quem uma figura do governo seria o cabe√ßa da implanta√ß√£o de um canal televisivo em Nobres, cuja sede j√° est√° em obras. Ser√° mesmo? Mas vem algumas novidades por a√≠ que v√£o abalar tamb√©m. √Č s√≥ u



























































































































































Last Updated ( Thursday, 29 November 2012 13:53 )

Trincheira XXV

Na Forquilha
O estado da ponte sobre o rio Cuiabazinho, ligando Nobres a Forquilha do Rio Manso, é crítico e a travessia sobre motos é das mais arriscadas. Enquanto isso, o Governo de Mato Grosso diz que não tem dinheiro para pagar à empreiteira




















































































































































































































Last Updated ( Monday, 05 November 2012 21:07 )

Page 6 of 11

Trincheira LV

Palpite A√≠? Acusado de vender senten√ßa, o juiz de MT, Evandro St√°bile, al√©m da tornozeleira eletr√īnica, est√° proibido de frequentar qualquer ZBM, boteco ou arriscar jogar uma caixeta, pif-paf ou truco. Nem arriscar fazer uma fezinha no Le√£o ele est√° podendo, dar palpites para o milhar, menos

Economia ou oportunismo?

Apesar do clima de desconfiança que ronda o interesse dos políticos pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que trata da prorrogação do mandato de prefeito e vereadores até o ano de 2.022, há uma forte de tendência de que o objetivo possa ser alcançado. A proposta, de autoria do deput
Banner
Banner
Banner
Banner