You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

24/05/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XIV

Prévias/Prensa
A pr√©via que apontar√° os nomes que representar√£o a regi√£o rural na disputa √† C√Ęmara de Vereadores, prevista para 15 de abril, est√° "bombando" e com boa aceita√ß√£o na Roda d'√Āgua e seu entorno. Aqui em Nobres, sob influ√™ncia de algumas pessoas, j√° cogitaram at√© a interfer√™ncia do prefeito para que esta n√£o se realize. Seria por medo de que ou de quem? √Č louv√°vel a atitude do candidat√°vel Nem, de colocar seu nome na disputa. O vereador Silvestre (PR) aceitou participar da pr√©via, Acendino tamb√©m. Ent√£o, a comiss√£o que organiza a pr√©via est√° come√ßando uma coisa nova no PA Coqueiral/Queb√≥ e como tudo o que √© novo, por vezes assusta ou √© mal compreendido.
- Essa comissão está de parabéns e não foge da raia. Aliás, quem foge da raia e por quê? Quem tem 1 tem 1.000; quem tem 10 pode ter 100.

Hoje
Se o DEM quer quatro secretarias em caso de uma vitória do virtual candidato Zé Carlos, com que secretarias ficariam os outros aliados? Diz-se que o DEM quer Obras, Ação Social, Turismo e Agricultura, isso equivale dizer que o atual secretário de Turismo "vai pular" em caso de uma vitória do Zé. Devair diz que na zona rural o que ele disser vira lei e vai transferir votos ao candidato à reeleição José Carlos, o homem que gastava R$ 40.000.000,00/ano sem nenhuma obra visível. Já o prefeito Zé, vinha dizendo que uma aliança com Devair seria o mesmo que ganhar 100 e perder 1.000. E Devair cercou e parou o colega ex-prefeito Flávio Dalmolin em uma de suas caminhadas matinais para dizer: "Flávio, o Zé Carlos é mesmo muito mais ruim que nós dois juntos".
- Ser√° que o 'mestre' vai dar aulas ao aluno ruim?√Č Nobres no laborat√≥rio do prof. Pardal, com suas inven√ß√Ķes, e o povo como cobaias. Tamo fu...

Entre Tit√£s
Como seria uma reunião entre Devair Valim e Valdinei para discutir prioridades. Seria como um encontro entre Galileu Galilei e Albert Einstein. E Valdinei perguntaria a Devair, logo de cara, para evitar blá-blá-blá: "Uma harpa com 13 cordas a maior mede 1,8m a menor 0,6m determine os elementos dessa p.a?". Só aí, já ficaria evidente a teoria de que dois bicudos não se beijam, segundo o linguajar popular. E o futuro será o maior aliado do povo quando for aberta a Caixa de Pandora.
- Não há lugar para dois corpos (tais) num mesmo espaço.


Na Mira
O secretário de Obras, Ademir Messias, já estaria na alça de mira de alguns prováveis candidatos, pela vantagem que estaria propiciando a um pupilo seu, o que despertaria uma certa incompreensão da concorrência. Na hora em que a onça começar a descer para beber água, aí sim, o que é ruim sempre pode piorar.
- √Č mesmo assim, sempre.

Os Opostos
Espalhou como um rastilho de p√≥lvora, o boato de que estaria selada a uni√£o entre PP e DEM em encontro pascal e dominical. Enfim, a tese de que os opostos se atraem seria validada, colocando ainda o PSC no mesmo pacote. Pegaria mal a consolida√ß√£o dessa uni√£o quando todos se rejeitavam aos olhos do povo. O prefeito disse que n√£o daria secretaria ao DEM desde j√°, s√≥ no ano que vem. Devair s√≥ queria as pastas de Sa√ļde e Educa√ß√£o, mas estaria "engessado" ou apenas enfeitando o pres√©pio, considerando-se que, financeiramente, quem administra tudo √© o secret√°rio de Finan√ßas e a sua super-secretaria. √Č a P√°scoa, tempo de benevol√™ncias e um per√≠odo de aceita√ß√Ķes entre os gentios.
- Após a ressurreição, eis que um novo presépio está sendo montado, com novas figuras de adorno.

Economistas
Legisladores e pertencentes a melhor escola de economia do pa√≠s, alguns vereadores agora trabalham com n√ļmeros e com percentuais para avaliar como o governo investe bem. O √ļnico vereador que tem trabalhado com dados corretos, h√° tempos, √© Silvestre Campos (PR), que vem questionando por reiteradas vezes o montante da d√≠vida p√ļblica, mas vem sendo ignorado pelo governo e pelos colegas. Uma pista do que deseja Silvestre est√° no hospital conveniado, que n√£o v√™ a cor do dinheiro desde mar√ßo, seria mesmo esse o m√™s? Outra pista... se perde a elei√ß√£o, o prefeito Jos√© Carlos da Silva ter√° problemas, muitos problemas para fechar a conta. As d√≠vidas se acumulam e tudo vem sendo maquiado, mas tem muita gente sem receber.
- Nem tudo são flores no governo e isso até as borboletas sabem. Insista, persista, mas não desista Silvestre. Esse é o canal.

Economistas II
Avaliar economicamente o governo por seus investimentos em percentuais, com n√ļmeros frios, nos remete aos questionamentos feitos entre 2009 e 2010, quando se perguntava "cad√™ os milh√Ķes do povo?". Quando o vereador perguntava onde estavam os milh√Ķes, o p√ļblico respondia com a presen√ßa nas reuni√Ķes da C√Ęmara de Vereadores, mas quando se abandonou o milh√£o e ficou com os tost√Ķes, o povo sumiu. Que fim ser√° que levou aquela den√ļncia sobre obras em execu√ß√£o e licita√ß√£o depois? A verdade √© que a sede da Prefeitura foi mesmo reformada e a catraca fez com que o prefeito ficasse cada vez mais longe do povo. Longe da prefeitura e da C√Ęmara Municipal, o povo parece n√£o querer acreditar no que v√™... essa miscigena√ß√£o de interesses.
- E quem est√° por cima da carne seca nem desconfia que todo poder vem do povo. Ao menos esse √© o entendimento daqueles que n√£o mercantilizam inten√ß√Ķes.

Resta-nos a Esperança
Desde o casamento de 05 de outubro de 2008, que Nobres viu aberta a caixa dos presentes recebidos dessa uni√£o. A Caixa de Pandora foi aberta, mesmo, em 01 de janeiro de 2009, e de l√° para c√° nos vimos em meio aos turbilh√Ķes de incertezas, com demiss√Ķes em busca de melhorias que ainda n√£o chegaram; quebra-molas feitos e desfeitos, outros em estado de decomposi√ß√£o; asfaltos de qualidade duvidosa; postos de sa√ļde sem rem√©dios; ruas esburacadas; shows musicais em que predominam apenas o canto da sereia como atrativo; crian√ßas sem estudar por falta de estradas rurais; bomba d'√°gua e cultivo de citronela com desvio de recursos p√ļblicos; gastos abusivos com combust√≠veis; e concurso p√ļblico √†s pressas. S√≥ restou ao povo a esperan√ßa, que est√° na contagem regressiva.
- A eleição, que dela se esperava uma solução acabou numa versão sub-reptícia da Caixa de Pandora.

Asfalto Nota Zero
O prefeito investiu al√©m do normal nisto e naquilo em 2010. Infelizmente, estamos sem fiscaliza√ß√£o, sem fiscais e o povo desprotegido, e quem duvidar disso, v√° ver ali na rua Maur√≠cio Sampaio, nas proximidades da metal√ļrgica do Marcos Ferlin, buracos na pista de um asfalto que foi feito e refeito. O caso n√£o √© mais de fiscaliza√ß√£o e passa a ser de pol√≠cia e se o secret√°rio Ademir for l√° tapar os buracos existentes estar√° abrindo oportunidade para que o prefeito seja denunciado, por mau uso do dinheiro p√ļblico ao Tribunal de Contas ou ao Minist√©rio P√ļblico. Quem fez √© que tem recuperar, como e quando √© que ningu√©m sabe, porque tem 'truta' na parada.
- Denunciem a empreiteira, mas denunciem mesmo, só pra ver no que vai dar. Um secretário prometeu denunciar, mas quando? Faça isso.

Fiscalização Zero
O prefeito investiu altos percentuais nisso e naquilo, fato que demonstra despreparo ou coniv√™ncia de quem deveria fiscalizar. Investir qualquer um investe desde que seja em servi√ßos de qualidade. V√° ver a quantas andam as crian√ßas na zona rural, h√° pelo menos 30 dias sem estudar, por falta de estradas na Lagoa Salgada. Ah! Mas o prefeito investiu 60, 70 e at√© 80% em educa√ß√£o. Pobres fiscais do povo, isso √© lament√°vel, estar ao lado do governo e fingir que est√° tudo bem. Gastar dinheiro a rodo n√£o quer dizer que se esteja investindo em pol√≠ticas p√ļblicas de sa√ļde, de educa√ß√£o, no setor vi√°rio. Olhem, em cada esquina da cidade, as pistas n√£o se juntam, n√£o se encontram e s√£o separadas por buracos e valas. De que adianta investir 99,9% em obras sem qualidade?
- Enganem-se sozinhos, mas n√£o tentem enganar ao povo.

Fiscalização Zero II

Osa quebra-molas feitos ontem j√° est√£o esfarinhando. Veja ali, em frente a uma drogaria, √† avenida JK, como est√° aquele quebra-molas. √Ä rua Niva Matos, logo ap√≥s a Marechal Rondon, o asfalto est√° esburacado e o quebra-molas refeito j√° est√° com a arma√ß√£o de ferro exposta. De que adianta investir alto, se os servi√ßos s√£o uma porcaria. A denominada capital do cimento e da mo√ßa bonita vai virar capital da boemia, com investimentos p√ļblicos na riqueza de duplas sertanejas milion√°rias, que vem aqui e passam no m√°ximo tr√™s horas, tiram fotos, cantam pouco e v√£o embora com a conta banc√°ria mais gorda que aquela novilha que foi prometida para a associa√ß√£o comunit√°ria do Jardim Petr√≥polis, em 2011. E quem tem prioridade na hora das fotos? A fam√≠lia real primeiro, depois o pessoal que s√≥ come picanha mineira e carne de sol com molho de algas marinhas.
- A vida aqui em Nobres é uma festança só. Mas tem um radialista que sabe que tem muita gente passando fome por aí.

Muita Grana
No anivers√°rio de Nobres, com n√ļmeros imprecisos, ser√£o gastos mais de R$ 700.000,00. Em 2011, anunciamos que foram gastos cerca de meio milh√£o de reais e o prefeito desmentiu ou tentou, sem convencer sobre os n√ļmeros finais. E ele que leia a nossa coluna e v√° √° emissora de r√°dio desmentir ou arme lona e picadeiro em frente ao Legislativo para desmentir. A cidade de Nobres vai bombar, com muita gente vindo de fora, o com√©rcio vai lucrar, mas a grana maior j√° vai estar na conta dos cantores e n√≥s ficaremos aqui com os bairros sem infraestrutura a espera da pr√≥xima chuva. O povo de Nobres ainda vai demorar a saber o tamanho do poder que tem e quando souber, n√£o vai permitir que uma meia d√ļzia o que ao povo pertence. Tem muita gente importante por a√≠ que n√£o fala e n√£o age, mas quando o prefeito sai, a√≠ rufa o pau.
- Tem que reclamar √© agora. Passe pela rua Maur√≠cio Sampaio e veja, como o asfalto, feito e refeito est√°, em menos de dois anos. O poder vem do povo e o prefeito √© apenas um mero gerente do dinheiro p√ļblico. Onde est√£o os fiscais do povo?

R$ 500.000,00
A C√Ęmara de Vereadores foi palco de audi√™ncia para destina√ß√£o de emenda de iniciativa popular no valor de meio milh√£o de reais. Aplausos, documentos assinados, profissionais da sa√ļde presentes e a escolha recaiu no bairro Jardim Carolina. Agora, j√° mudaram de ideia e v√£o mandar o PSF do Jardim Carolina para a rua Filinto Muller, anexo ao Procon. As pessoas investidas em cargos p√ļblicos de relev√Ęncia parecem querer zombar com a cara do povo e at√© com os profissionais do sistema p√ļblico de sa√ļde. Com os vereadores eles j√° "brincam" faz tempo e tem gente que gosta da brincadeira.
- Onde está a transparência, divulguem nota de esclarecimento mostrando onde, quando e como serão investidos os 500 mil reais. Chega de brincar com a cara do povo. Nunca mais ninguém tocou no assunto.

Vai Feder
A TV Cidade voltou ao ar com aquelas pol√™micas desanimadoras, mas que agrada aos telespectadores. Repetiu a mat√©ria daquela ambul√Ęncia, esculhambada, em uma via de Cuiab√° e os passageiros, digo, pacientes, sem um vint√©m para chupar picol√©, derretendo ao sol, enquanto esperava chegar pneu de estepe, que foi daqui de Nobres. No outro dia, ap√≥s a reportagem, tiraram a lata velha de circula√ß√£o. O pior da empreitada √© saber que os governistas estariam por tr√°s para tirar a tev√™ do ar. Realmente, √© chato pra cacete, ver a popula√ß√£o reclamando dos buracos, da escurid√£o, da lama, do dinheiro do asfalto que escafedeu-se.
- Tira, tira, num guento; aí, aí... assim você me mata. Té Lóóóó...go.

Zé Confusão

De repente, o governo do Zé passou a demonstrar amor incontido pelo povo e "ferrar" com os piscicultores locais. E quem ele foi buscar como parceiro, a mesma associação de quem reclamara por pagar pelo consórcio e não ter máquinas para arrumar as estradas. O milagre da multiplicação dos peixes chegou a Nobres e falta só distribuir ovos de Páscoa no domingo, de casa em casa, com embalagem escrita assim: "Se for para o bem de todos, diga ao povo que fico...". Agora que já desenvolvemos, vamos crescer mais que milho de pipoca, ou seria milho de canjica?
- E acaba de armar mais uma confusão com o comércio local que já não anda lá muito satisfeito com o prefeito, que virou as costas para tudo que é daqui.

Reconhecimento P√ļblico
Olha, o comunicado sobre a abertura de novas inscri√ß√Ķes ao concurso p√ļblico, fica claro, nem o locutor √© daqui. Mas faltou o locutor dizer que o concurso foi adiado por n√£o atender "aos princ√≠pios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e efici√™ncia". E o que √© isso tudo? √Č uma sequ√™ncia de pleonasmos que soam como desrespeito ao que est√° contido na Constitui√ß√£o Municipal. Na linguagem vulgar, vai desaguar nos fundilhos de uma cueca. Bem, traduzindo na linguagem utilizada pela minha av√≥, quando eu era nen√©m, ela dizia assim: "Meu neto, voc√™ 'xixiu', mas esqueceu de limpar a bunda".
- Aí ficou claro, foi mais uma cagada.

Ano Político
Após passar um mês com as portas fechadas em 2011, sem nem dar satisfação ao contribuinte e sem nunca ter os PSF's abertos em três anos (2009, 2010 e 2011), em ano político, milagres acontecem. Os PSF's estão atendendo, mas será que estão receitando medicamentos que contenham fósforo, que é para melhorar o desempenho da memória? Não façam isso, o povo vai lembrar-se que nos anos anteriores os PSF's nunca estiveram abertos na quinta-feira santa.
- A quem eles pensam que est√£o enganando? Os funcion√°rios p√ļblicos achariam isso uma maravilha.

Ano Político II
Peixe é bom para a memória, dizem os especialistas. Até isso o prefeito criou em ano político, uma versão piorada do milagre da multiplicação dos peixes. Faltaria coentro e cheiro verde no pacote, milho, creme de leite, leite condensado, canela em casca, cravo e "cositas mas". O pacote, em parceria, está sendo anunciado pela rádio, a preços módicos. Quanta bondade em ano eleitoral? Mas isso não prejudicaria o comércio local?
- S√£o milagres que acontecem e depois do peixe, uma banana para todos.

Discurso
Um √°udio gravado na sede da AMM, cujo acesso foi ap√≥s a reuni√£o da C√Ęmara de Vereadores da noite de 30 de mar√ßo, aponta que o vereador Ad√£o acertou na mosca ao relembrar fatos ocorridos durante a aprova√ß√£o das contas de governo, em agosto do ano passado pelo TCE-MT. No √°udio, o prefeito diz que foi um advogado que o salvou dos problemas com combust√≠veis e ainda garantiu que ele fosse candidato √† reelei√ß√£o. J√° se disse candidato. Mas, antes das conven√ß√Ķes, pode isso? Isso vai dar problema, n√£o?
- Olha o discurso fora da lógica e da data.

Prévia
A realiza√ß√£o de pr√©vias n√£o √© ilegal, n√£o √© imoral e n√£o fere nenhum princ√≠pio constitucional, √© isso? Na verdade, o fen√īmeno at√© corrige certas situa√ß√Ķes vexat√≥rias, em que o candidato se julga pr√©-eleito e vai ver, n√£o tem nem 50 votos. As pr√©vias a vereador no setor rural est√£o previstas para 15 de abril, das 08:00 as 17:00 horas, na Escola Marechal Rondon. Tem gente torcendo para nem acontecer, que √© para evitar o vexame de nem largar do "grid" e ficar no Box, com o "carro" apagado.
- As luzes v√£o se acender e quando todas as vermelhas se apagarem, os motores v√£o roncar... vai Rubinho, vai Rubinho.

Efeito Cachoeira
O ex-PFL, que mudou o nome para DEM, está se encolhendo politicamente. Depois do envolvimento do senador Demóstenes Torres, uma espécie de ícone da moralidade, com o contraventor Carlinhos Cachoeira, a imagem da nova sigla ficou muito arranhada. As coisas não ficar bem ao partido em nível nacional. Ainda no DEM, Gilmar Fabris obteve boa votação em Nobres, município que deverá ficar órfão deste representante, que nem havia mandado ao menos uma agulha para cá. Aliás, é possível contar nos dedos das mãos para se relacionar o nome dos políticos que direcionaram emendas para Nobres. Mas os que conseguiram alocar recursos para Nobres, se decepcionaram, casos de Carlos Abicalil e Thelma de Oliveira, já que os recursos foram mal aplicados em obras de asfaltamento que apodrecem, feito folhas caídas.
- Realmente, tem coisas que decepcionam ao mais desligado dos mortais. Esse, n√£o nos valeu 'S√£o Valim'.

Observação
Perguntem por a√≠ ou ao Roberto Dias sobre quem viu o erro e solicitou para que se corrigisse. No Edital Complementar n¬ļ 04/2012, o primeiro publicado, √†s pressas, consta que o TAC j√° teria sido assinado h√° um m√™s, em 02 de mar√ßo de 2012, quando, em verdade vos digo, foi corretamente assinado em 02 de abril de 2012. Chato ter que dizer, mas foi o indesej√°vel, o fora de prop√≥sito... mas, tudo bem, fica o Dito pelo n√£o dito. Lisonjeia-me, consertar mais uma cagada governista.
- Soy jo, hombre; me gustan tanta jente que san de verdad.

Reinventando a Roda
Servi√ßo p√ļblico operando com dinheiro (cash!), eis uma coisa nova desde a inven√ß√£o da roda e da ida do homem a Lua. Um sujeito que construiu uma ponte teria recebido em dinheiro por parte dos servi√ßos prestados. Depois disseram que combust√≠vel ao munic√≠pio √© adquirido √† vista e em dinheiro. H√° quem j√° tenha visto mula sem cabe√ßa; ja√ļ com cabelo e barba; botoado cantando √≥pera; e galo pegando urubu (f√™mea, obviamente); mas servi√ßo p√ļblico operando com dinheiro, essa √© de arrepiar.
- E o contribuinte segue pedalando em sua bicicleta, com rodas quadradas, ali√°s, quadras quadradas.

Polemizando
Por telefone, dia 03 de mar√ßo, o controvertido ex-prefeito Devair Valim avaliou que ao DEM restariam no m√°ximo tr√™s op√ß√Ķes em 2012. Sonda para ver se a candidata Suzete Masson decola e passa dos 25%, o que o animaria. Uma segunda chance seria o chamado apoio "branco" (sem a necessidade de coliga√ß√£o) ao futuro candidato Gilmarzinho da Ecoplan; e a terceira e a mais pol√™mica possibilidade, seria o "aborto" de qualquer campanha √†s duas elei√ß√Ķes, a prefeito e vice e a vereador. Esta √ļltima op√ß√£o seria o caos e colocaria muita gente em palpos de aranha.
- E ainda mandou um recado: "p√Ķe a√≠, que eu assino em baixo". Seria um teste de fogo ao vereador Fermino para ver de que lado est√°, conforme Valim.

Bonito "Pra Cha Cara"
Tinha um secret√°rio de governo em Nobres que andou dizendo por a√≠ que o "jornal" estaria espalhando que o concurso seria anulado. Depois falaram que seria o vereador Ad√£o que anularia o concurso. Que concurso? Se n√£o h√° concurso, n√£o h√° o que anular, figura. O que se dizia √© que o concurso estaria sob investiga√ß√£o e quem investigaria seria o MPE (Minist√©rio P√ļblico Estadual). Ainda em fase de inscri√ß√£o, o concurso p√ļblico em Nobres, sofreu restri√ß√Ķes por parte do MPE, que fez redigir um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) e deu ao prefeito para ele assinar, conjuntamente, devendo promover altera√ß√Ķes, publicar novo edital com as mudan√ßas e realizar novas inscri√ß√Ķes, e parar√°, parar√°.
- Ficou com cara de 'tátcho' pela mentira que tentava espalhar. "Taí, bonito pra cha cara...".

Eita Dó
√ďia, tenho at√© d√≥ de cumpade Vardinei... t√° na ro√ßa, assoviando e chupando cana a um s√≥ tempo. A sua equipe(sic) n√£o ajuda e ele toca e dan√ßa a um s√≥ tempo. E que equipe, ele e o prefeito, j√° que o resto n√£o anda l√° muito comprometido com o futuro e vivem apenas os regalos do presente. √Č o pre√ßo que se paga pela centraliza√ß√£o de poder. Cinco meses que n√£o vai um √ļnico balancete da Prefeitura para a C√Ęmara e at√© quem nasceu semana passada j√° sabia que faltava transpar√™ncia ao concurso p√ļblico. Se isso √© proposital, a√≠ a conversa j√° √© outra. Valdinei teria dito que faltaria ajuda e compet√™ncia a quem queira contribuir. Temos a solu√ß√£o, r√°pida que nem efeitos do Doril...
- ...ra, ré, ri... rua e a seta indicativa para a PQP (calma, é só uma sigla de "Por Que Parou?) para quem não quer trabalhar.

Novo Eldorado
Tem um tal jornalista, incapaz de escrever meia d√ļzia de linhas concatenadas, que esteve aqui por algumas vezes e percebeu que √© neste peda√ßo de ch√£o que est√° o fim do arco √≠ris e o pote de ouro; tanto, que j√° est√° encomendando mat√©ria em nome da prefeitura local para faturar em cima. Em fim de governo √© assim mesmo, o elogio f√°cil √© reconhecido com um cheque ou alguns trocados do pr√≥prio bolso e satisfazem essas reencarna√ß√Ķes de Paulo Francis.
- No território do arrojado, além do pão e circo, tem a falsa impressão, ao custo de 30 moedas.

Exorcizar...
...√© preciso. A sede da Associa√ß√£o de Moradores do Bairro Jardim Petr√≥polis precisa de benzi√ß√£o, rapidinho. O local parece que t√° com praga, desde que prometeram uma novilha para a festa do Dias das M√£es, em 2011. A novilha at√© hoje n√£o chegou l√°, o que deixou o presidente da associa√ß√£o comunit√°ria em maus len√ß√≥is. Agora, em 31 de mar√ßo, novo fen√īmeno paranormal aconteceu ali, no mesmo lugar. Algu√©m prometeu patroc√≠nio de modestos R$ 200,00 para a premia√ß√£o do primeiro lugar e n√£o deu. O patrono do evento n√£o quis denunciar quem foi que deu o "drible da vaca" na premia√ß√£o, mas teve uma piadista que revelou: "√© aquele um, da caminhonete preta", e a gurizada foi √†s gargalhadas.
- Como se vê, já vai longe essa fama. Joa, chama o 'apóstolo' Valdemiro para fazer uma "limpeza" ali, tem "olho gordo" na parada. Novilha invisível, qualquer um oferece.

Comemoração
Em uma partida de futsal, válida pela Copa Polo Centro, no final de março, agora, um jogador marcou um gol e foi comemorar fazendo aquele sinal característico do coração, mas o sinal não ficou assim tão próximo do exigido e houve quem entendesse que seria outra coisa, além do coração. Aí sim, a galera ficou na maior saia justa com aquele coração partido.
- Amo voc√™ ou gesto obsceno? Muita calma nessa hora... de expressar o amor por gestos. √Č ruim de repetir esse cora√ß√£o sem treino... abre par√™ntesis, fecha par√™ntesis.

Penetra
Sexta-feira, 30 de março, à noite, no Cisne Branco, a pajelança teria sido por conta do Poder Executivo, é? Também, depois de um jogo duro, com placar apertado (8 a 1), nada como boa farra. E quem parecia muito à vontade naquele "baile" era o ex-prefeito Devair Valim, extrovertido e contando histórias sobre o apoio recebido do PMDB, exibindo até uma foto. Até para ser "penetra", tem que ter "cacthguria" e ele brilhou na festa do adversário, contando piadas, digo, falando de pesquisa eleitoral, onde quem pede tem a preferência.
- Foi mesmo uma goleada, só vista igual no jogo entre Argentina e Peru, pela Copa do Mundo de 1978. Se eu preciso do placar eu faço o placar.

Mote de Campanha
As obras no √ļltimo ano de mandato ser√° o mote de campanha do governo do prefeito Jos√© Carlos da Silva, tanto, que a capa do carn√™ do IPTU foi utilizada como "vitrine" para exibir as maquetes das obras. Embutido nesse "salame" est√£o algumas perguntas: "Onde foi impressa a capa do carn√™ de IPTU?". Em que cidade? Na gr√°fica do parente de quem? O servi√ßo foi todo entregue? O cliente gostou? A certeza √ļnica √© a de que j√° foi pago pela Prefeitura de Nobres, para mais tarde o S. Excia. alegar que n√£o sabia de nada.
- Gest√£o p√ļblica √© a arte de privilegiar parentes, n√£o √© mesmo? Algu√©m para responder?

Mocinho e Vil√Ķes
Como em todo filme de faroeste da antiga, o mocinho sempre vence, mas os vil√Ķes d√£o muito trabalho. Este, em 3D, mostra que uma nota fria teria sido utilizada para dar suporte financeiro ao pagamento de taxa de condom√≠nio em Cuiab√°, cujo valor foi entregue em um envelope a pessoa interessada, segundo nos contou um vil√£o da hist√≥ria, que foi suspeito de estar agindo em interesse pr√≥prio. Como cr√≠tico de cinema j√° havia assistido o filme, bem antes do seu lan√ßamento.
- Em mãos de quem o dinheiro foi parar?No que dá o mocinho cutucar um vilão com vara curta. E ninguém fiscalizou e as Contas foram aprovadas.

Mocinho e Vil√Ķes II
Em um desses anos, dentre os tr√™s passados, o dinheiro estava reservado para o mocinho viajar, mas houve um imprevisto, o pagamento de custas advocat√≠cias. Como o mocinho arrumou o dinheiro, em cima da hora? De onde a proced√™ncia do money? A viagem foi suspensa e o pagamento foi em dinheiro (cash!), segundo o vil√£o. Passados alguns dias dessas cenas, veio-nos √† lembran√ßa, sobre uma tal hist√≥ria contada por aqui, de que a soma total dos votos v√°lidos n√£o ultrapassou aos 50% mais um voto dos votos exigidos. S√£o est√≥rias complexas contadas desse filme em 3D, rodado nos est√ļdios da Metro Tombador.
- √Č um longa metragem apaixonante, em que o vil√£o tem mais enredo e muni√ß√£o que o mocinho. Esta poder√° ser a primeira vez em que o sargento Garcia prender√° o Zorro, com a "grife" famosa, o "Z". Se tudo der certo, o jacar√© engolir√° o Tarz√£ e os "The End's" da vida nunca mais ser√£o os mesmos.

Pane Seca
Dizem que em caso de pane seca numa aeronave, jogar as malas √© uma sa√≠da de emerg√™ncia. O prefeito Jos√© Carlos da Silva parece ter assimilado bem essa informa√ß√£o e come√ßa a atirar pela janela os velhos companheiros que embarcaram junto com ele nessa aventura. Criou tr√™s vil√Ķes de sua gest√£o e jogaria sobre eles todas as responsabilidades de 2009 e 2010, um deles, inclusive, seria avalista de algu√©m dentro do governo. Voc√™ chamaria um inimigo seu para ser avalista em transa√ß√£o comercial? Ent√£o, os parceiros de ontem n√£o podem ser t√£o culpados assim, n√£o √© mesmo?
- Olha..., o correto agora é não buscar bodes expiatórios, mas usar dois paraquedas, o titular e o reserva.

Pane Seca II
Viajar, voar junto, esses vil√Ķes que o prefeito cria agora, foram companheiros de jornadas, inclusive para levar "gelo" para por nos p√©s dos jogadores do Cruzeiro, em julho de 2009. Com os p√©s frios, o Cruzeiro perdeu a Libertadores, em casa, em pleno Mineir√£o, e quem estava l√°? Mocinhos e vil√Ķes antes de entrarem em cena. O prefeito Jos√© Carlos da Silva n√£o tem como desfazer-se de seus velhos amigos agora, s√≥ porque arrumou amigos novos. N√£o doutor, vai chegar o dia em que os vil√Ķes v√£o abrir o bico e todos se tornar√£o vil√Ķes. Muito cuidado nessa hora, ao falar das pessoas quando elas est√£o ausentes. Convoque-os e assumam junto os problemas, se houveram e sobre os quais V. Excia. tem falado por a√≠, em reuni√Ķes suprapartid√°rias.
- Em campanha política, se não houve decolagem, não tem como arremeter. Rezar é um bom negócio, se der tempo. Tens fé?

O Retorno
O assunto que voltou aos setores de boatos √© a obra do Centro Comunit√°rio e a pergunta √©: "Como dizer que est√° construindo o que j√° encontrou pela metade?". Tem muita gente estranhando o uso da palavra "Constru√ß√£o" que n√£o come√ßa do zero, mas j√° parte de uma metade que se encontrou pronta. O entendimento √© o de que "Constru√ß√£o" √© mais atrativo que reforma ou recupera√ß√£o, que n√£o justificaria os mais de 600 mil reais ali investidos. Nada como o MPE para tirar d√ļvidas entre "construir" e "reformar", pre√ßo de mercado e se descuidarem, aditivo ao aditivo.
- Vem chumbo grosso por aí.

Musa
O Minist√©rio P√ļblico Estadual est√° encontrando inspira√ß√£o para investigar como as tais musas, menores de idade, foram parar em trajes menores num portal de not√≠cias que fala em Copa do Pantanal e Secopa. Ali√°s, os organizadores do evento cheio de musa j√° teriam sido alertados quanto ao uso da palavra Copa e Secopa. O uso de imagem de menor de idade em trajes menores √© lado da faca que corta os legumes. Sendo a nudez de adolescentes uma faca de dois legumes, boa coisa n√£o vem por a√≠.
- Vem cá morena... vem... vem dançar a dança do kuduro.


A Ressureição
Um ex-tesoureiro da gestão que governou Nobres entre 1997 a 2000 se arvora agora de comentarista político e anda alardeando que Devair não será candidato e que o dr. Zé Carlos é o "cara". Anos atrás, um certo camarada recebia diária em seu próprio nome e a repassava para esse comentarista político de hoje, segundo o tal camarada. E quem o tal comentarista está malhando? Exatamente aquele parceiro que recebia as diárias em seu nome e as repassava ao tal "cientista" político que um dia foi embora, mas voltou ao velho "garimpo" de antanho para tentar a sorte de novo.
- Como se vê, nem tudo que reluz é ouro.

Como nos Velhos Tempos
Do fio do bigode às velhas medidas de armazém, entre litro, meio litro e metro (de fumo), quartio (350 ml). Chamou a atenção, uma estrela de primeira grandeza do governo do Zé, dia 28, pela manhã, às margens da avenida, próxima ao Posto Xaxim, além da ponte, medindo uma futura calçada ou posteamento através de passos, uma velha medida de antanho, quando ainda não existia a trena. Será que o "chefe" esqueceu o instrumento (trena) ou ainda não trabalha com GPS? Tão chique e ainda se utilizando de um modelo bem convencional de medida.
- Os aborígenes já usam a trena, chefia.

Campo Grande
E por falar em 'forasteiro', at√© o futuro vice do Z√© ser√° 'importado'. Veio de Mato Grosso do Sul e j√° estaria batendo de porta em porta testando o velho prest√≠gio pol√≠tico deixado para tr√°s, l√° na d√©cada passada. O √ļnico detalhe √© que para ser vice, algu√©m precisa de um partido pol√≠tico e quem foi ao vento, perdeu o assento. E l√° vem aquele vendaval de nepotismo por a√≠, do qual o ex-prefeito Fl√°vio Dalmolin suou para se livrar. A denomina√ß√£o correta seria a mesma de um velho colega de futebol, um ponta-esquerda com quem joguei, marrento e que at√© atendida pela alcunha de "Z√© Confus√£o". O prefeito atual, o Z√© daqui, parece habilidoso em lidar com confus√£o e anda desafiando as leis da f√≠sica, digo, lei do nepotismo, que diz n√£o caber dois parentes em uma mesma reparti√ß√£o p√ļblica, salvo se for por concurso...
- ...aquele concurso. Aquele. Aquele, uai. Não se lembra? O que ocorreu após o teste seletivo. E que teste seletivo: Quem foi o primeiro prefeito de Nobres?: JK ( ); Castelo Branco ( ); Luiz Carlos Prestes ( ); Francisco Nonato ( ). O 'cara' botou que foi JK.

BBB Nobres
"N√£o nos 'engessem', por favor, pela pergunta": Qual a utilidade daquela catraca ali na Prefeitura de Nobres? Outra: Aquele espelho no corredor, com dinheiro do povo, na imita√ß√£o barata de um motel, n√£o seria gasto desnecess√°rio? E por que n√£o, ao inv√©s do espelho, um painel com motivo tur√≠stico, retratando as belezas de Nobres? Bem as catracas parecem ser mais uma forma de se gastar dinheiro do povo, desnecessariamente, j√° que pessoas continuam sofrendo amea√ßas ali. Agora, s√≥ falta mandar instalar c√Ęmeras pelos corredores e nas salas, e se sobrar dinheiro, nos banheiros. Mas, nas reparti√ß√Ķes p√ļblicas o Facebook continua na moda, o Orkut em menor escala e o tradicional jogo de cartas (paci√™ncia) pelo computador, idem.
- Caros amigos servidores p√ļblicos, paci√™ncia, mesmo, falta pouco, estamos em contagem regressiva para a gente colocar essa galera na barca que vai descer o rio abaixo, em 31 de dezembro. Ficamos n√≥s aqui, os burros, enquanto os inteligentes v√£o continuar seus estudos em Harvard. Int√©.

Burros?
Somos burros, mas com aqueles √≥culos de couro, lentes laterais, enxergamos bem, muito bem. Por exemplo, a pra√ßa da Cohab Jardim Paran√°, sem vesti√°rios, sem sanit√°rios e como um ambiente sem vida, feito uma paisagem siberiana. A creche nova, constru√≠da em √°rea alagadi√ßa e que nunca termina, n√£o contempla uma vis√£o de futuro com aus√™ncia de estacionamento para professores, servidores administrativos e alunos. √Č uma edifica√ß√£o apenas para hoje, sem se levar em conta a cidade daqui para a futura d√©cada. E depois os abor√≠genes √© que n√£o sabem nada. Agora, o "cirurgi√£o" entende que √© preciso gastar para 'engessar' a tev√™ local, que mostra um governo que s√≥ sabe colocar placas e contratar servi√ßos de terceira "cathiguria". O asfalto feito ano passado est√° esfarelando tudo, ali, pouco adiante da C√Ęmara Municipal.
- Isso √© brincar com o dinheiro do povo em um governo onde o cultivo de citronella de mais de R$ 100.000,00 virou mato na Roda d'√Āgua. 'Mea culpa", nossa m√°xima culpa, ter feito essa escolha, mas ainda est√° em tempo de corrigir, em 07 de outubro.

Dia "D"
Amanh√£, 29 de mar√ßo, a TV Cidade pode voltar ao ar com o seu Cidade Aflita, mas n√£o pensem que est√° sendo f√°cil. A press√£o √© grande e o risco de ser abortado o seu retorno ainda n√£o est√° descartado e se isso acontecer, ser√° por interven√ß√£o de interesse pol√≠tico como ocorreu da primeira vez, considerando-se que ningu√©m seja "man√©" por aqui. Pela en√©sima vez refor√ßamos que o Cidade Aflita vinha incomodando, mesmo, e houve arma√ß√Ķes de bastidores para tirar a tev√™ do ar, por mais que se queira desmentir. Tanto que a conex√£o Ros√°rio Oeste/Nobres j√° cogita at√© solicita√ß√£o de tirar mat√©ria do s√≠tio de not√≠cias, nosso de cada dia, porque estaria interferindo nas rela√ß√Ķes entre l√° e c√°. Mas, o que teria a ver a jaca com os p√©s de algu√©m? Salvo o risco de se meter os p√©s na fruta, mais nada. 50 mil pilas v√£o pro espa√ßo de um suposto adiantamento para a parada, mal sucedida.
- At√© as jacas que est√£o prestes a cair do p√© sabem que concess√£o de r√°dio e tev√™ pertencem ao governo e, consequentemente, √© coisa p√ļblica.

Capítulos Intrigantes
No octógono imaginário ainda vem muitos "round's" de uma luta envolvendo os empresários televisivos de Nobres e de Rosário Oeste. As cenas que estão sendo gravadas para os próximos capítulos ainda vão dar muito o que falar sobre uma "guerra" que se desenha nos bastidores e tem tudo a ver com política. Gravação feita por celular revelaria a presença do pessoal do lado de lá na sede da prefeitura daqui, sábado (24/03), pela manhã. Será mesmo? Ainda vai render capítulos intrigantes essa situação que não há como esconder, é política. Há quem garanta que há um adiantamento de R$ 50.000,00 embora não se fale quem deu a quem.
- Al√ī! √Č de Santa Catarina?Aqui, quem vos fala √© Inc√≥gnito Desconhecido de Pseud√īnimo Invis√≠vel, seguinte seu menino, tudo no ar, mas o ar est√° irrespir√°vel por estas bandas. A sua paci√™ncia em nos ouvir est√° batendo Record em pleno s√©culo XXI. Fui!!!!

Fatos e Argumentos
Tem um "tonto" que anda dizendo por a√≠ que o jornal de Nobres vai anular o concurso. Desinformado e fazendo campanha pol√≠tica antecipada, essa figura anda perdidamente apaixonada pelo governo atual que at√© se esquece de que um pedido de anula√ß√£o com essa finalidade parte do MPE (Minist√©rio P√ļblico Estadual) ao juiz da Comarca e cabe a este a decis√£o, de anular, ali√°s, n√£o se anula o que ainda n√£o ocorreu. Est√° em curso uma tentativa de se sobrestar o poss√≠vel certame por √≥bices presum√≠veis, a√ß√£o que √© da compet√™ncia do ilustr√≠ssimo representante do MPE. E o jornal se limitou a anunciar com base na "Portaria de Instaura√ß√£o de Procedimento Preparat√≥rio n¬ļ 002/2012", afixada no mural do pr√©dio do MPE na cidade de Nobres.
- O comportamento de certos arautos, agregados do poder, demonstra a inc√ļria na an√°lise de alguns escritos, impr√≥prios a elementos que s√≥ acreditam no poder eterno e na perpetua√ß√£o das benesses. Entendeu?

Fatos e Argumentos II
Mesmo argumento para um fato inver√≠dico foi utilizado quando este mesmo elemento, por absoluta inc√ļria no muito falar, saiu alardeando inverdades sobre a pessoa do vice-prefeito, "emprenhado" pelo ouvido que foi por aqueles que um dia necessitaram do vice-prefeito para atingir as cumeadas do poder. Lamentavelmente, em qualquer governo que haja, habitam nos por√Ķes do poder essas emin√™ncias pardas, que se apegam as benesses e, feito almas perdidas, vagam de governo em governo, apenas com uma √ļnica men√ß√£o no "curr√≠culo", a de experi√™ncia profissional em bajula√ß√£o. E n√≥s aqui, feito um estilista de grife para ot√°rio, nos atemos a disserta√ß√Ķes de como se veste um elemento assim.
- Qual será a carapuça que mais lhe convirá?

Ismael/Recado
Essa o vice-prefeito Ismael Baraviera (PSB) precisa saber. A ex-candidata a deputada estadual pelo PSB, Dinor√°, ligada ao deputado federal Valtenir Pereira, esteve no gabinete do prefeito Z√© Carlos, dia 27, e foi com cartilha na m√£o para exigir que o prefeito nomeasse todos os ACS's e Agentes de Endemias, sem embargos e sem restri√ß√Ķes. Tomou uma "chinelada" jur√≠dica com a sua tese derrubada, deixou o gabinete do prefeito defendendo a reelei√ß√£o de Z√© Carlos, como apoio dela (Dinor√°). Falou at√© em pedir votos ao futuro candidato sem conhecer a realidade pol√≠tica local e sem saber que o vice-prefeito foi marginalizado pelo governante em apre√ßo.
- Ora, Dinorá, faça-nos um favor, atenha-se ao seu papel de líder classista e só. Cabo eleitoral? Ele acreeeeeeditoooooou!

Agradecimento
No gabinete do prefeito, após percorrer os corredores estilosos do governo, cheio de encantos mil e de peripécias internas, deparei-me, sobre a mesa de S. Excia, à esquerda da távola (quase redonda), um exemplar do Tribuna de Nobres. Seria por acaso uma leitura de cabeceira? Não chega a ser igual "A Lenda do Rei Arthur", mas enseja algumas brumas, dessas que escondem os segredos de Avalon. Deve ser chato pra cacete, uma leitura contraditória ao que reza a cartilha, feito quem não gosta de quiabo, mas está na condição de visita e força a citação do Mário... Jorge Lobo, o Zagalo:
- "Voc√™s v√£o ter que me engolir". Com Dinor√°... jo me voy, hasta la ma√Īana.

Prefeit√£o Arrojado
Vamos e venhamos, o prefeito anda cheio de estilo e deve estar vestindo Versace, com todo o direito, afinal, at√© o diabo veste Prada. Est√° com uma m√°quina (computador) branca, vistosa, e mais um "tablet", demonstrando que est√° antenado com o tempo digital e atrav√©s destes pode acessar at√© essa coisa indesejada de endere√ßo seguinte: www.tribunadenobres.com.br. A modernidade do pal√°cio governista, com a catraca do "apartheid" e aquele espelho sublime e c√ļmplice dos ninhos de amor, representam um contraponto com as estradas rurais e os tr√™s meses em atraso no pagamento da empresa que recolhe o lixo na Roda d'√Āgua. √Č uma irrealidade e um contra senso diante dos mais de 30 dias em que algumas crian√ßas do Vale da Lagoa Salgada est√£o sem estudar.
- √Č como diria Roberto, o Carlos Braga, s√£o o c√īncavo e o convexo; o come√ßo, o meio e o fim, segundo Raulzito. A n√≥s, que o enviamos a t√£o alto pedestal, "a mosca que pousou na nossa sopa".

Acertos
Algumas pessoas nos causam os denominados "encarecimentos mudos da admiração". A assessora de imprensa, senhora Aline, a "xará" Aline Secchi, de quem eu já era fã; a doutora Suzy, são algumas das novas e gratas acertivas do atual governo. E mais ainda quando ela "tirou" a líder classista Dinorá, numa boa, com argumentos plausíveis, persuadindo sem retóricas e com exemplos, ao estilo do Padre Manuel Bernardes, aí sim, notamos a diferença entre umas e aquele um, o do renitente Pálio a lá Palmeiras.
- Parabéns por esse contraponto, entre o muito e o Prá Nada, my doctor!!!

Encontro Tardio
Em 2.009, ainda no in√≠cio do seu governo, buscamos o prefeito Z√© Carlos em seu gabinete e apontamos a ele a necessidade de se dialogar com a sociedade civil e receber em seu gabinete as pessoas mais experientes em Nobres. O prefeito nunca deu ouvidos √†s nossas sugest√Ķes e agora, quando o seu governo est√° pela hora da morte, resolve conversar com os presidentes de bairros para ouvir as reivindica√ß√Ķes destes. Foi ontem (26/03), nas depend√™ncias da prefeitura. Passou tr√™s anos fazendo o que bem quisesse e s√≥ agora, na hora crepuscular de uma gest√£o mal sucedida, que s√≥ resolve dialogar com os seus s√ļditos.
- Me engana que eu 'gooooostio'. As pessoas sabem definir quando é teatro e quando são cenas da vida real.

Amigo Locutor
√Č como diria a banda "Blitz" em um sucesso velho/novo, esse governo atual est√° "A dois passos do para√≠so", veja: -A R√°dio Atividade leva at√© voc√™s Mais um programa da s√©ria s√©rie "Dedique uma can√ß√£o a quem voc√™ ama" Eu tenho aqui em minhas m√£os uma carta Uma carta d'uma ouvinte que nos escreve E assina com o singelo pseud√īnimo de "Mariposa Apaixonada de Guadalupe" Ela nos conta que no dia que seria O dia do dia mais feliz de sua vida Arlindo Orlando, seu noivo Um caminhoneiro conhecido da pequena e Pacata cidade de Miracema do Norte Fugiu, desapareceu, escafedeu-se Oh! Arlindo Orlando volte Onde quer que voc√™ se encontre Volte para o seio de sua amada Ela espera ver aquele caminh√£o voltando De far√≥is baixos e p√°ra-choque duro Agora uma can√ß√£o canta pra mim". Quanto ao p√°ra-choque duro, h√° controv√©rsias. E n√£o √© que na segunda-feira (26/03), um locutor dom√©stico dizia sobre uma certa primeira-dama em seu programa matutino e algu√©m deve ter ligado para a r√°dio e dito para ele corrigir o que disse. E n√£o √© que ele corrigiu, mas j√° era tarde e "denunciou", mesmo sem querer, que h√° nepotismo no governo do Z√©.
- Realmente, tiros saem pela culatra. √Č como diria aquela m√°xima, "o mal n√£o √© o que entra, mas o que sai...". E denunciar nepotismo, inadvertidamente, realmente, faz mal.

Homília
Muito sem tem ouvido falar do Padre Alex e suas interven√ß√Ķes enquanto autoridade eclesi√°stica contra os desmandos administrativos e as mazelas pol√≠ticas. H√° quem diga que o nosso respeitado P√°roco tenha citado que haveria um lugar reservado aos hip√≥critas nas primeiras cadeiras do Templo. A bom entendedor, um pingo pode representar uma frase inteira, sen√£o vejamos: "Meus irm√£os, que aproveita se algu√©m disser que tem f√© e n√£o tiver obras? Porventura, a f√© pode salv√°-lo?". O Z√© da f√©, mas as suas obras suscitam a cria√ß√£o de uma Arca que embora n√£o seja de No√©, pode salvar o centro da cidade das inunda√ß√Ķes, que n√£o chegam a ser um dil√ļvio.
- Ainda que não seja uma arca, mas galerias de águas pluviais decentes, evitando de se gastar R$ 65.000,00 para desentupir algumas manilhas para tudo terminar no mesmo problema. "O Senhor esteja convosco, líder católico".

Nota de (pouco) Esclarecimento
Quem publicaria releases da Prefeitura de Nobres de graça, para enaltecer um governo que até agora patina em baixos índices de popularidade? Enaltecer um governo que não consegue se estabelecer e que costuma "abraçar" exatamente aqueles que há um certo tempo atrás o classificava de "desocupado"? "Brigar" por um governo que só sabe privilegiar parentes e amigos e que costuma avaliar bem quem não mata a cobra, mas gosta de mostrar o pau? Ora, faça-nos um favor, cidadão, vista roupa e prove realmente quem andava nu por aí.
- Não nos obrigue a "emprestar" de alguém aquelas fotos e a mostrar quem bancou os R$ 4.800,00 exatos para botar um certo sítio no ar.

Novelas do Tombador
Em Nobres, segundo quem j√° foi e n√£o voltou, tem um tal "Cadeirudo"; tem o Garrincha que veio da web cam e n√£o de Pau Grande (RJ); tem o Don Juan do P√°lio; tem El solit√°rio seresteiro de las Merceditas; tem o Lobisomem da web, muito parecido com o ator de Crep√ļsculo no cemit√©rio; j√° tivemos a pomba gira, aquela que bastava tomar um √ļnico gole de cerveja e j√° "baixava" nela o 'pai do mato', um caboclo(a) muito risonho, de gargalhadas bisonhas; enfim, s√≥ ator de primeira linha nas novelas da vida.
- Das novelas mexicanas, temos El Peludon de La web cam. Cenas tr√°gicas que foram ao ar mostrando a p..ca do Veloso, digo, Caetano.

Vida Dura
Seria Kall Maia quem atrapalhava a Prefeitura de Nobres a ponto de passar tr√™s meses sem cumprir financeiramente com o contrato firmado com aqueles que coletam o lixo rural? Viver na zona rural √© padecer no para√≠so, com crian√ßas sem poder estudar na Lagoa Salgada por conta das estradas que est√£o uma porcaria s√≥ e por conta de total abandono, sem m√°quinas, tiradas para "maquiar" a cidade para mais um festival de p√£o e circo ao custo de mais de 503 mil reais. A empresa que faz a coleta de res√≠duos na Roda d'√Āgua j√° vai para tr√™s meses que n√£o v√™ nem a cor e nem o pr√≥prio dinheiro, segundo corre de boca em boca na zona rural.
- Com certeza, a partir desta publicação, vão chamar los hermanos para uma conversa.

Lagoa Salgada
Mais de 30 dias sem frequentar a escola, segundo um morador da Lagoa Salgada, e assim os filhos do Baiano v√£o ficar at√© que se termine por aqui a "maquiagem" na cidade para receber visitantes ilustres, entre V√≠tor e L√©o, Z√© e sua Banda para cantar uma √ļnica m√ļsica, a "Mercedita". Quem eu quero n√£o me quer, quem me quer eu menosprezo... A vida na zona rural t√° uma farra s√≥, enquanto isso, na zona rural, lama, valetas nas estradas, raios, rel√Ęmpagos e o risco de cruzar com uma on√ßa na estrada. Mas h√° cobras, ratos, baratas e escorpi√Ķes.. pelo menos nos cofres da prefeitura, j√° que ningu√©m quer por a m√£o para pegar o dinheiro e pagar a empresa que coleta lixo na Roda d'√Āgua. Que vergonha!
- Não é só a Cidade que está Aflita, na zona rural é o caos e cross.

Coisa Boa
Quatro anos depois e a reedição da água potável para a zona rural é o novo farol que se acende. O líder rural Acendino lembra que tem gente perdida com esse negócio da água e pouca água pode passar por debaixo da ponte daqui até outubro. A então vereadora Sebastiana, por volta de 2008, dizia que estava por vir aquele dia em que lavaria roupa com água mineral. Quase quatro anos depois, nem o mel e nem a cera.
- √Āgua mineral, n√£o, mas pode nevar na Roda d'√Āgua e nos cocos pode ter, ao inv√©s de √°gua, bons goles de Coca Cola, acredite se quiser. E aqueles 50 mil pilas para o po√ßo?

Sem Surpresas
Para prefeito, quem teria boa aceita√ß√£o na zona rural, bem mais que o pr√≥prio atual prefeito √© o vereador Joel J√ļnior. A pol√≠tica √© mesmo din√Ęmica e complexa, um vereador em alta cota√ß√£o e o prefeito com a popularidade no sub-solo. Hoje, se se lan√ßasse Joel J√ļnior a prefeito e o Z√© a vereador, JJ teria muito mais chances de se eleger e o Z√© poderia terminar na terceira supl√™ncia de algu√©m do PP.
- Que tal um adesivo para carro, assim: "Sou + JJ"?.

Visita
Apesar de n√£o ser o local apropriado, a "Tropa de Elite" que abiscoitar√° a TV Cidade esteve na casa do redator deste peri√≥dico para conversar acerca das negocia√ß√Ķes de bastidores para tirar Makoto da jogada. Vereador Valdo, Fernandes "Juruna", Josias e Gigio estiveram s√°bado (24/03), por volta das 13:30 horas na resid√™ncia do redator para informar e isentar o prefeito Jos√© Carlos da Silva de qualquer participa√ß√£o no neg√≥cio. E n√≥s, que nascemos ontem, acreditamos piamente na conversa. P√īxa! Quanta seriedade e quanto interesse em abocanhar um canal televisivo que s√≥ d√° preju√≠zo. As pessoas entram para a vida p√ļblica e passam a menosprezar a intelig√™ncia dos outros.
- Fingimos que acreditamos e o grupo foi embora pensando que a "Operação Melzinho na Chupeta" funcionou.

Verdade?
Nem o grupo de pol√≠ticos e de pseudos jornalistas s√£o donos da verdade e nem as pessoas deste jornal det√©m a verdade absoluta, mas a tarefa de pretender menosprezar a intelig√™ncia das pessoas √© que tornam as coisas mais complicadas. √Č interessante que cada um ocupe o seu espa√ßo sem tentativa de interfer√™ncia, at√© porque, a nossa muni√ß√£o √© farta, e como √© farta. Para exemplificar, vamos citar aqui, o nosso mais profundo respeito a Josias Benedito de Souza, trabalhador e pessoa que realmente pega no chifre do boi. Pois bem, em nenhum outro governo Josias teve tanto trabalho como agora, da√≠, o entendimento que como diretor da tev√™ ele n√£o v√° praticar jornalismo com isen√ß√£o merda nenhuma. Aqui, as pessoas parecem bobas, mas n√£o s√£o.
- O projeto é de vocês e nós não temos nada a ver com isso. A "briga" é entre vocês e Makoto.

"Subtração"
A verdade √© que o programa "Cidade Aflita" foi tirado do ar, sumariamente, e quem tinha interesse nisso? Inventaram que tinha gente querendo dinheiro, agora dizem que tem gente por tr√°s disso por interesse pol√≠tico. Ali√°s, de tev√™ a sala de cirurgia, o que n√£o √© pol√≠tica aqui e l√°, em Ros√°rio Oeste. Como um empres√°rio que fatura cerca de 150 mil reais por dia vai se interessar por uma concess√£o que pertence ao governo? Kall Maia foi "subtra√≠do" do ar por interesses menores de quem est√° desesperado, e quem seria? Mas essas pessoas s√≥ conhecem a realidade da cidade. V√° filmar como √© a vida na zona rural, onde n√£o h√° estradas e crian√ßas est√£o h√° mais de 30 dias sem poderem ir √† escola. √Č c√īmoda a vida na cidade, com os cofres p√ļblicos "jorrando", melhor ainda.
- Na zona rural, o nome do "Zé do 11" é qualquer coisa inaceitável.

Ato Contínuo
O carro, tipo P√°lio Weekend, placas final 99, foi visto agora a pouco entrando nos fundos de um endere√ßo localizado no bairro S√£o Jos√©, com o motorista trajando bermuda. Por essas e outras raz√Ķes que a popula√ß√£o de Nobres est√° aborrecida com o governante atual, que n√£o demonstra atitude diante dos seus subalternos, e depois quer jogar a culpa no programa Cidade Aflita. Esta √© a trig√©sima vez que alertamos sobre o uso indevido de carro p√ļblico, e ainda para paqueras, √© lament√°vel, profundamente lament√°vel.
- Seria culpa do Kall Maia, também?

Ciudad del Leste
Sair daqui at√© o estado do Paran√°, na fronteira com o Paraguai, para trazer dois ve√≠culos, duas motos e um barco. Quanto se gastou pelo transporte? Para tudo acabar em festan√ßas com o bem p√ļblico, para o qual, obviamente, a Receita Federal repassou sem constar no documento que um ve√≠culo fosse destinado a um √ļnico cidad√£o e ainda para utilizar em paqueras. Pela for√ßa que tem dentro do governo, o jeito √© apelar ao bom senso do secret√°rio Valdinei que deve fazer esse carro p√ļblico ficar estacionado no p√°tio da Secretaria de Obras como os demais. Doravante, vai ser fotografado, at√© para provar o quanto esse cidad√£o acredita ser dono do poder.
- Ao inv√©s de tirar Kall Maia do ar, por que n√£o tira esse cidad√£o de circula√ß√£o?√Č com voc√™, secret√°rio de Finan√ßas.

Fama Repentina
Venderam carros, bois e terras só para ver Makoto fora da jogada, não é uma maravilha? Essa é a história que está sendo contada por aí, mas não se entende como essas pessoas davam plantão na prefeitura de Nobres nesse espaço de tempo. O Caso TV Cidade ainda vai render muitos boatos, mas já é motivo de comemoração, ver Kall Maia fora do ar. O prefeito reclamava que a TV Cidade só apresentava uma versão, justamente a de quem mais tem interesse em Nobres, o povo, que paga os seus impostos e não vê resultado. Tirar a vez e a voz do povo, a quem interessaria?
- Agora, √© s√≥ comemorar, vem a√≠, o substituto do Cidade Aflita, ser√° o Cidade Felic√≠ssima. √Č m√°gica? √Č ilusionismo? √Č prestidigita√ß√£o? √Č adivinha√ß√£o? E o P√°lio Weekend rodando com gasolina paga pelo povo.

Desmentido
O prefeito Jos√© Carlos da Silva, de Nobres, desmentiu que tenha algo a ver com o fechamento da TV Cidade. E onde ele foi dar essa informa√ß√£o? Num site criado, supostamente, com recursos p√ļblicos, segundo levantamentos que est√£o sendo feitos, cujo valor se aproxima de R$ 5.000,00, tamb√©m, tendencioso e de um √ļnico lado, o do governo. Segundo uma fonte de Ros√°rio Oeste, o prefeito n√£o teria nada a ver com a TV Cidade fora do ar, entretanto, assumiu que estaria perto de fechar uma sociedade entre um vereador de Ros√°rio Oeste e Josias para comandar a tev√™ local. E onde essas pessoas s√£o vistas com frequ√™ncia?
- Entrando e saindo da Prefeitura de Nobres para, supostamente, arredondar o negócio e descartar Makoto.

Desmentido II
Quem desmentiu as informa√ß√Ķes? Em qual site? Ah! Aquele site que n√£o era colocado no ar enquanto n√£o se pagasse o valor exigido pela empresa de manuten√ß√£o, mas assim que foi pago, entrou em a√ß√£o. Temos o pre√ßo exato e at√© a autoriza√ß√£o de dep√≥sito, fornecida por algu√©m que conhece o esquema. Mas isso √© papo para os pr√≥ximos dias, o que conta mesmo √© que a prefeitura estaria sendo a conex√£o para o neg√≥cio e trabalharia praticando um jornalismo s√©rio. √Č mesmo? Como pode um funcion√°rio p√ļblico de primeiro escal√£o usar a tev√™ para mostrar as verdades que ocorrem no governo?
- Em Rosário Oeste aconteceria isso, mas isso é problema deles. A questão aqui é que o Centro Comunitário é uma obra com mais de 50% pronta, mas o preço total é altíssimo e a população já está de olhos abertos.

Cidade Aflita
O que Kall Maia dizia? Absolutamente nada, os reclames eram do povo. Mostrar o Centro Comunit√°rio em reforma, n√£o teria sido melhor ir a um sal√£o de beleza e mostrar como uma pessoa, de apar√™ncia razo√°vel, pode ficar bela com maquiagem? O Centro Comunit√°rio, as suas paredes e funda√ß√Ķes j√° foram encontradas em p√©, o resto √© melhoria, mas o prefeito queria que a TV Cidade mostrasse como Steven Spielberg faz para criar seus efeitos especiais. O que vai substituir o Cidade Aflita? Ser√° o Cidade Fel√≠cissima? Bator√© disse que foi sondado por um vereador de Ros√°rio Oeste para fazer um "piloto", digo, programa teste.
- Vamos plagiar aquele ex-prefeito: "Sem Kall Maia na parada, Nobres voltar√° a sorrir". Que tal, ficou bom? Fala, Devair.

Cidade Aflita II
Ao menos 6 entre 10 pessoas desconfiam do que ocorreria nos bastidores das obras realizadas em Nobres. Ainda hoje, cedinho, na hora de comprar o pão, alguém comentava, numa birosca do bairro São José: "O centro comunitário será folheado a ouro?". Mais de 600 mil por aquilo ali? Olha, isso ainda vai dar muito o que falar na cidade e vai parar no MPE o que ainda está só bochicho. O povo de Nobres não é besta e ainda sabe de umas estórias contadas sobre a construção das arquibancadas e só quem esteve no poder (prefeitura) sabe disso. A coisa é feia. Sobre os asfaltos construídos no bairro São José e aquelas trocas de emails. Tá tudo camuflado e alguém diz que vai botar pra fora, segundo comentários, pra lá de brabos, que correm, de boca em boca.
- Quem n√£o deve n√£o teme, diz um ditado popular.

Empréstimo
E aquele empréstimo, cujos avalistas estão com o nome sujo na praça, quem vai pagar e quando? Não seria hora de se livrar dessa encrenca? Mas além dessa, ainda tem a questão do Conselho Municipal de Habitação, que estaria tendo documentos sonegados por quem de direito. A situação é grave e vai causar constrangimento ao governo. Mas isso ainda é café pequeno, mas o que está pegando mesmo é o "cala boca" no programa Cidade Aflita, que ainda vai render fatos e fatos, principalmente quando entrar no ar a nova programação com o "Cidade Felicíssima", cujo futuro apresentador já foi sondado.
- Por que n√£o te calas?

Avaliação
O secretário de Finanças e tutor do governo, Valdinei Sergio Muniz Albertoni, de inquestionável capacidade de negociação, não deve estar por trás dessa armação ilimitada. Se estiver, pode-se contar, o governo está perdido. Como pode o governo descer a nível tão rasteiro ao, supostamente, querer bancar uma empreitada dessas? Mas a verdade logo virá à tona, considerando-se as fontes dentro do governo e os contatos que temos. De Rosário Oeste, a fonte nos adiantou que seria mesmo o vereador e seu concunhado que estariam acertando com o governo os detalhes da coisa.
- Mas o problema não está na TV Cidade, é o povo que não quer mais o prefeito atual. Já não é mais a cidade que está aflita, é o começo do fim que aflige quem está no poder.

Vers√£o Desencontrada
De Ros√°rio Oeste, vem uma outra vers√£o ao pol√™mico caso da TV Cidade, daqui de Nobres. Dizem que Makoto n√£o seria t√£o v√≠tima assim, mas posaria de v√≠tima e "vai ter" que aceitar o que est√£o lhe propondo e ainda disseram que a Prefeitura de Nobres n√£o teria nada a ver com a coisa. √Č mesmo? Resta saber por que os futuros s√≥cios do novo empreendimento televisivo n√£o saem da Prefeitura de Nobres. Quarta-feira, 21 de mar√ßo, esses s√≥cios entraram em um certo gabinete da Prefeitura de Nobres por volta das 17:00 horas e l√° ficaram por mais de meia hora.
- Valdo e Josias negociariam a saída de Makoto do negócio.

Vers√£o Desencontrada II
Se a Prefeitura de Nobres n√£o tem nada a ver com as negocia√ß√Ķes da tev√™ local, por que o vereador Valdo est√° mais aqui que l√°? A programa√ß√£o da tev√™ em Nobres n√£o teria compromisso com a Prefeitura e ficaria nos mesmos moldes que a de Ros√°rio Oeste, que bateria de frente com o prefeito Joemil. √Č mesmo? Como o prefeito vai nomear um secret√°rio para bater nele e na sua administra√ß√£o? E como aparecem nomes de pessoas que integram um site de Ros√°rio Oeste na conta da C√Ęmara na gest√£o de Paulo Augusto? E tem outras coisas mais que temos aqui, no ba√ļ de antiguidades daquela gest√£o.
- Circos voadores, s√≥ com trapezistas que manjam de espa√ßo vazio. "N√≥is √© do mato, mas n√≥is num √© besta, x√īmano". The Money is very good".

Esquema Pesado
Estamos levantando como foi o esquema pesado para tirar do ar a TV Cidade, já que o programa Cidade Aflita andava dando muita moral ao povo, ouvindo muita gente nos bairros. A tarefa envolveu gente de Nobres e de Rosário Oeste e teve grana na parada, conforme nos revelou uma fonte, fidedigna de crédito. O programa "Cadeia Neles" também não vai mais ser exibido por aqui e deve entrar um outro canal na parada.
- O desespero para se perpetuar no poder é tamanho, mas as pessoas esquecem e vão até contra a vontade do povo.

Esquema Pesado II
O diretor da TV Cidade, Makoto Aiko, diz que vai revelar tudo o que passou nos bastidores e a forma tacanha como o canal foi tirado do ar e envolveria pol√≠ticos daqui e de acol√°. Se √© a v√≠tima quem diz, nada como ouvi-la. Na verdade, Kall Maia vinha incomodando muita gente e tirar o seu programa do ar era uma quest√£o de honra e conseguiram. Agora, n√£o falta mais nada para se concretizar o show de 1¬ļ de Maio e o povo √© que v√° reclamar no Iraque, pensariam os governistas.
- Mas há muito mais jogo pesado por aí e que está na estrada.

Dinheiro Farto
Novamente, voltamos a falar do dinheiro arrecadado das barracas do carnaval, para onde foi parar? Em Nobres, as coisas acontecem de uma tal maneira, que muitos chegam a pensar que tudo pode, desde aquele escandaloso problema das picanhas que seriam para os programas sociais do governo e requisi√ß√Ķes de caixas de cerveja para a casa de uma autoridade. Enquanto isso, crian√ßas est√£o impedidas de estudar na zona rural e as estradas vicinais est√£o em p√©ssimas condi√ß√Ķes.
- Cadê a prestação de contas do carnaval, mandem o resultado para o Parlamento, por favor.

Operação "Livrai-Nos"
O servidor p√ļblico J. Reis, da zona rural, estaria na corda bamba e no governo h√° uma torcida tamanha para que ele se candidate a vereador, o que seria a forma mais breve do governo se livrar dele, segundo nos revelou uma fonte que habita os corredores palacianos. A situa√ß√£o de J. Reis seria de extrema delicadeza e muitos o querem pelas costas e at√© ironizariam sobre os tais mil votos que ele teria na √°rea rural, mas o desejo, mesmo, √© que ele pule do barco, o que daria menos trabalho ao governo.
- √Č fato, pode acreditar Jota. S√≥ tem um probleminha a√≠, Jota sabe demais sobre umas coisinhas e sobre umas tais notas.

Requerimento Entrincheirado
Requeiro a mesa (de boteco) ouvido o soberano plen√°rio (de corintianos e de palmeirenses) informa√ß√Ķes sobre o paradeiro do dinheiro das barracas do carnaval deste ano em Nobres. Em que banco foi depositado, qual a quantia exata, deduzidas todas as despesas? Algu√©m para informar? Se n√£o houver informa√ß√£o, a coisa pode ir parar no minist√©rio do ap√≥stolo Valdemiro Santiago. N√£o duvide. Dizem que o dinheiro estaria sendo contabilizado e nenhum Darm foi visto, ainda. O dinheiro √© p√ļblico e algu√©m precisa prestar contas disso, viu?
- Publique-se, cumpra-se e, no ensejo, pede deferimento.

Esquinas Famosas
A cidade de Nobres está querendo imitar a Terra da Garoa e a famosa esquina de Ipiranga e São João. A vantagem de Nobres é que tem outras esquinas mais famosas e uma delas é a mais badalada e "point" noturno. Mas há esquinas mais famosas e que são a 'cara' do atual governo, sendo uma delas a que está entre a antiga Rua Paraná com Niva Matos de Oliveira, nas proximidades da Escola "Inocência". Mostramos em nosso jornal impresso outra esquina "famosa" que é realmente um auto retrato do atual governo, ali no cruzamento da Tancredo Neves com Alagoas, ao lado do Mercado Gutierrez.  Ao menos duas dessas esquinas sugerem falta de vergonha na 'cara' e ausência de decisão administrativa. O sujeito paga com dinheiro do povo por uma porcaria de serviço e se cala diante do mal feito.
- Será por quê? Olha que eu digo.

Bola Fora
Há um suspense no ar, mas é presumível que alguém do governo do Zé tenha tentado "dar a volta" e passar uma pernada na tevê doméstica, que tava incomodando pra cacete. Como essa gente não tem nem cacoete de atirador de elite, o tiro pode ter ido contra o próprio pé. Será isso? Vamos aguardar, mas tá cheirando coisa errada no ar e os conselheiros do governo pisaram na jaca, pode apostar. Vamos saber já-já. "My doctor", não é por aí...
- ... o atalho n√£o √© a menor dist√Ęncia entre dois pontos. Sujou.

Descartada
Vazou a informa√ß√£o de que Neidinha estaria descartada de qualquer comiss√£o que se forme para a organiza√ß√£o e realiza√ß√£o dos festejos do anivers√°rio de Nobres. Sinceramente, tem gente que n√£o consegue atinar por que esse "corte" da secret√°ria municipal de A√ß√£o Social. A falta de articula√ß√£o dentro do governo nos remete a uma realidade, a de que o projeto de reelei√ß√£o tende a minguar na medida em que o comandante desfaz dos soldados que tem. E quando ningu√©m quer compor nesse ex√©rcito, nem como mercen√°rio, ganhando mais que a tropa de elite? Tudo foge dos enunciados de Erasmo de Roterd√£ e seu Institutio Principis Christiani e "as maneiras de conduzir-se nos neg√≥cios p√ļblicos internos e externos, e fundamentalmente, como conquistar e manter um principado".
- Como conquistar, Sua Excia teve ajuda de muitos, já para manter o "principado", tá cada dia mais difícil.

Descartada II
A Maria Sidnei tem santo forte e já se livrou de muitas "coisas ruins". Primeiro foi aquela moça deslumbrada que queria o seu lugar. Depois, foram ofertar o lugar de Neidinha como moeda de troca para apoio na campanha, sem, supostamente, Sua Excia saber de nada. Será mesmo? Olha, do jeito que anda o governo, cheio de caciques, o jeito vai ser chamar o "apóstolo" das fazendas cinematográficas para exorcizar essa galera, metida a boa de voto. "Vem, Valdemiro, vem tirar os espíritos maus que rondam o governo do Zé".
- "Guenta" aí, Mariiiiiinha, nós tá com São Jorge e Oxóssi... a Libertadores é nossa,mas só em 2030. Mas livrando de todo esse mal de agora, amém.

Dados Alarmantes
Na Roda d'√Āgua, a centraliza√ß√£o de estudos em uma √ļnica escola, com o estado das estradas vicinais, em p√©ssima conserva√ß√£o, cria est√≠mulo √† desist√™ncia onde tudo j√° √© dif√≠cil. Consta que tem gente que j√° passaria dos 20 dias sem frequentar a escola e se atingir os 30 dias, pode ser caracterizado como abandono. Se ir para a escola j√° √© dif√≠cil, como esses estudantes vir√£o para assistir aos shows de mais de 503 mil reais no anivers√°rio de Nobres?
- "Entonces yo dare la media vuelta; Y me ire con el sol cuando muera la tarde". Culpa tua José!

Last Updated ( Monday, 09 April 2012 19:12 )

 

TRINCHEIRA XIII

Marinheiro Sou
Em tempos de "mariner's" por aqui e após a descoberta de um Almirante, o Capitão Jack Sparrow determinou que não se aceitará mais por aqui piadas sobre português a fim de não constranger os torcedores do Vasco e da Portuguesa de D
















































































































































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 21 March 2012 18:00 )

Trincheira XII

P√ļblico ou Privado?
O site institucional da Prefeitura de Nobres está bombando, com a exibição de dezenas de fotos do carnaval, na maioria, exibindo secretários em plena festa, na maior 'pegação' e azaração. Isso, como portal institucional é
























































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 25 February 2012 20:07 )

Trincheira XI

Carreira Solo
Depois de anos de inatividade após estar ativa na gestão anterior, a dupla Sete Placas e Trivelato foi mesmo desfeita e flagramos, sábado, dia 04 de fevereiro, uma apresentação solo do ex-da dupla, o Trivelato, no bairro São José.




























































































































































































































































































































































































Last Updated ( Monday, 06 February 2012 10:19 )

Trincheira X

Lazer ou Trabalho?
No domingo, dia 15 de janeiro, o prefeito Jos√© Carlos da Silva, de Nobres, foi visto com o carro oficial em uma peixaria na Bom Jardim, no mais novo "point" tur√≠stico de Mato Grosso, acompanhado de uma funcion√°ria p√ļblica munici













































































































































































































































































































Last Updated ( Tuesday, 17 January 2012 12:49 )

Page 9 of 11

Trincheira LV

Palpite A√≠? Acusado de vender senten√ßa, o juiz de MT, Evandro St√°bile, al√©m da tornozeleira eletr√īnica, est√° proibido de frequentar qualquer ZBM, boteco ou arriscar jogar uma caixeta, pif-paf ou truco. Nem arriscar fazer uma fezinha no Le√£o ele est√° podendo, dar palpites para o milhar, menos

Economia ou oportunismo?

Apesar do clima de desconfiança que ronda o interesse dos políticos pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que trata da prorrogação do mandato de prefeito e vereadores até o ano de 2.022, há uma forte de tendência de que o objetivo possa ser alcançado. A proposta, de autoria do deput
Banner
Banner
Banner
Banner