You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

10/12/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XV

No Ar
O canal dom√©stico TV Cidade est√° no ar desde o dia 27 de abril (ontem) e neste dia 28 deve ter o tradicional S√°bado Especial, a partir do meio do dia. √Č bacana e vamos l√°, nos ligar no Canal 3, assistir o Cadeia Neles e ver a programa√ß√£o loca, daqui a pouco. Sucesso na volta ao Makoto, ao Kall Maia e equipe.
- Inté, meninos.

Missa Dominical
Na missa de domingo, √© tempo de pedir que uma legi√£o de anjos venha para resgatar a esperan√ßa do povo de Nobres. O que mal come√ßa, bem n√£o termina. O an√ļncio do show da Banda Anjos de Resgate foi feito apressada e equivocadamente sem l√≥gica e o l√≠der religioso Padre Alex bradou, o prefeito tentou corrigir e mudou a data, divulgando-a corretamente. E agora, me acontece um vexame desses. Este simples mortal sugere que a hom√≠lia de domingo seja no que est√° em Galatas, 5:1.: "Estais pois firmes na liberdade com que o Cristo nos libertou e n√£o vos submetais de novo ao jugo da escravid√£o." ‚Äď Paulo.
- Definitivamente: "Desistamos de alegar trope√ßos e culpas, inibi√ß√Ķes e defeitos para a fuga das responsabilidades que nos competem", diz um ensinamento evang√©lico. At√© quando esse prefeito que a√≠ est√° vai atirar todas as culpas pelos erros que acontecem no interior de seu "para√≠so" em outrem?

Cagada Homérica
A não realização do show com a Banda Anjos de Resgate, dia 27 de abril, pode desencadear uma onda de descontentamento sem precedentes na história recente de Nobres. A atual administração parece fadada a se relacionar só com amadores, mas seria por conveniência de alguns poucos. Depois que o prefeito José Carlos descobrir na barca em que está, terá sido tarde demais. "Tarde demais!", já isso escrito em algum lugar. Nessa embrulhada toda, onde será que estaria Pedro Paulo, o que postou comentário no site Olhar Direto sobre a festa?
- Vou (euzinho da silva) abrir uma empresa de com√©rcio e representa√ß√£o para vender papel higi√™nico por aqui. S√£o tantas as cagadas..., mas deveria ser tantas emo√ß√Ķes.

Cagada Homérica II
√Č como diria vov√≥, "al√©m de xixi e n√£o limpar o fiof√≥", ainda deixam os refletores do est√°dio "Baliz√£o" acesos, a noite inteira e ainda pela manh√£. Ah! Milton Nascimento, todo artista tem que estar onde o povo est√°; em Nobres, todo povo tem que estar onde o governo n√£o estiver, sob risco de respingos de cagada. Lamenta-se, muito pelo que se diz em p√ļblico e o prefeito assumiu esse risco ao dizer: "Mudamos e mudamos pra melhor". Ser√° mesmo?
- Cadê Pedro Paulo? Agora é hora de ouvir Kitaro Tamayura, pra relaxar, porque o fumo vai entrar. A isso se dá o nome de incompetência.

Conex√£o Manaus
O prefeito Jos√© Carlos da Silva parece que n√£o tem receio de nada. A revela√ß√£o √© a seguinte, uma empresa presta servi√ßo para a Prefeitura de Nobres, mas quem paga a despesa √© uma empresa estabelecida em Manaus. Durma com um barulho desses. O papo √© s√©rio e algu√©m precisa investigar a veracidade dessa informa√ß√£o, sendo isso um caso de pol√≠cia, se realmente estiver acontecendo. √Č assunto de extrema relev√Ęncia e todos precisam estar atentos para esse fato, j√° que a informa√ß√£o caracteriza-se como grave.
- Mas, Manaus? Tão longe assim? Kitaro o pagamento das bicicletas do IPTU, mas o sorteio, até ontem. Será que vem de Manaus?

Conex√£o Sem-Terra
A Prefeitura de Nobres está metida em mais um balaio de gato e desta vez seria com um grupo de sem-terras que se instalou na Bom Jardim, mas o ponto de invasão seria em Rosário Oeste, no Marzagão. Tem uma pessoa encarregada de adquirir e comprar canos e outros equipamentos para os sem-terra, assentados na Bom Jardim. A manobra é política e visa desestabilizar o turismo nestes dias de muita visitação. A Prefeitura de Nobres estaria financiando o movimento, de alguma forma, mas a invasão é em Rosário Oeste, reiteramos. Isso está cheirando a armação contra alguém. No Assentamento Bonanza, quantos não seriam sem-terra de outros assentamentos?
- Pedro Paulo, tu tá nessa parada, é menino? Olha, os discursos em favor do Turismo foram atirados dentro de um saco e amarraram a boca dele, não?

Estranho
O que levaria uma servidora p√ļblica municipal que ocupa cargo de alta relev√Ęncia na estrutura administrativa a manter conversas reservadas com um sujeito, nos fundos da Prefeitura de Nobres? Seria algu√©m ligado a oferta de P√£o e Circo? √Č feio para uma dama, esses segredinhos de fundo de quintal. N√£o seria uma combina√ß√£o de pre√ßos, n√©? A prop√≥sito, onde foram gastos o 1 milh√£o de reais de ISSQN de uma grande empresa que est√° em Nobres? E se haver atraso nos sal√°rios do funcionalismo? Por que os "paparazzos" n√£o registraram essa cena dantesca, da servidora de uma reparti√ß√£o que exige discri√ß√£o e sigilo conversando com estranho nos fundos da prefeitura?
- Seria o amigo do amigo daquela nossa amiga? Vi, vi, a n... n... n√£o, n√£o vi nada.

Coisas dos Bastidores
√Č t√£o tr√°gica como c√īmica a arma√ß√£o que cerca os bastidores dessa prefer√™ncia expl√≠cita a uma pessoa na contrata√ß√£o dos servi√ßos terceirizados dos shows art√≠sticos para o anivers√°rio de Nobres. J√° est√° "bombando" a onda de falat√≥rios sobre a contrata√ß√£o a base da amizade. Ora, bolas, que mal h√° em contratar um amigo e dar-lhe um pouquinho mais de meio milh√£o para ele fazer a alegria do povo? Uma a√ß√£o entre amigos para a oferta de P√£o e Circo, isso √© o fim do nosso reino e do reinado do rei Pedro Paulo I.
- Ah! Pedro Paulo, por que não trouxestes Kitaro Tamayura, que ficaria bem mais barato? Você gosta desse gênero musical, que eu sei. Kitaro quantas parcelas ao camundonguinho? "Bola Sete" na caçapa.

Coisa Chique
Quem viver ver√° coisa melhor, mas, por enquanto prevalece a ideia prim√°ria, muito chique, que at√© d√≥i. Vem por a√≠, um caminh√£o carregado de banheiros qu√≠micos, de Mato Grosso do Sul para Nobres. Isso sim √© privil√©gio, os visitantes de Nobres e os abor√≠genes, fazerem xixi em banheiros interestaduais. Realmente, a equipe do prefeito Jos√© Carlos da Silva se supera na forma de gastar o dinheiro do povo de Nobres. Desde aquele Caso da Bomba d'√Āgua que n√£o se v√™ uma presepada t√£o inusitada assim. Se desta vez o prefeito n√£o demitir ningu√©m, o risco de perder o mandato ser√° dele.
- A festa do 47¬ļ anivers√°rio de Nobres vai "bombar" na boca do povo... √© uma cagada atr√°s da outra. Sorte ou Azar? Dizem que onde h√° um ratinho pelo meio, o sinal √© de m√° sorte.

Cadê o PP?
Onde estará o Pedro Paulo, aquele respondão em forma de comentários no site Olhar Direto? Pedro Paulo, como nos velhos tempos, no início de cada carta, ia assim: "Escrevo-te estas mal traçadas linhas para lembra-te que já sabemos quem é o atravessador e de quem ele é amigo aí dentro da Prefeitura que tu defendestes naqueles comentários odientos". Bem Pedro Paulo, só pra te orientar, no imposto de renda, já dizia Raul Seixas, tem uma parada esquisita aí com um atravessador de codinome Mickey Mouse amigo daquela uma. Isso vai parar no MPE, viu? De Mato Grosso do Sul para Goiás, de lá para Cuiabá e as despesas pagas adiantadamente e até agora o caminhão não chegou com os equipamentos. O que está acontecendo Pedro Paulo?
- Tem caroço nesse angu e se tu, PP, não demitir a dona desta vez, o teu barraco vai cair. A conexão já tem pista, viu? Tamo aguardando o caminhão, viu? Kitaro quantas parcelas ao "nadador" que atravessou o Canal da Mancha? Pedro Paulo, você está brincando com coisa séria, garotão.

As √Āguas Est√£o Rolando
"Bombou" um show do cantor Latino, realizado em Araputanga dia desses e o "hit" mais executado por lá foi este: "Hoje é festa lá no meu apê; Pode aparecer; Vai rolar bundalelê; Hoje é festa lá no meu apê; Tem birita; Até amanhecer...". O cantor é tão famoso que a galera ainda o espera sob o lema: "Ele virá. Aguardem!". Compre uma boa cadeira de balanço e espere pela chegada do cara. Por enquanto, quem anda 'latino', e muito, é nós aqui, a espera dos banheiros que virão de Campo Grande, com uma mega estrutura, feito "aquela colcha de retalho que tu me deste...". O evento em Nobres terá um pedacinho de cada parte do Centro Oeste, banheiros de lá, estrutura do Pequi do Goiás, misturada com cabeça de pacu de Cuiabá.
- Essa vai ser a maior festa e o maior presente que um povo pode receber. Vai dar o que falar, porém, a estrutura mega ainda não chegou. Vi, vi, aaaaa... casa caindo? Que é isso gago, nunca viu um camundongo de laboratório?

Recontando a História
D. João VI, então Príncipe Regente do Brasil, ali por volta de 1798, já casado com Carlota Joaquina Caetana e os cambaus de nome comprido e feio, suava gorduras com as aprontadas da esposa. Ela dava palpites no governo, invadia o palácio do governo para bater em funcionárias, era intromissão pura nos negócios do governo. Já naquela época, contava um colunista social que rondava o governo do Príncipe Regente, que dona Carlota deixava D. João VI preso no quarto da sua moradia. Dona Carlota era mesmo danada e até inventou de criar um partido político para concorrer com o esposo. Dona Carlota gostava muito de sapatos chiquérrimos. Tem cada uma dela, segundo contavam no Rio de Janeiro. Foi dali que Raul Seixas tirou aquela letra, "Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais...".
- V√īte, ainda bem que foi no passado, no Brasil Colonial. J√° pensou, uma r√©plica de Carlota Joaquina em Nobres?

Volta Por Cima
Em 16 de julho de 2.009, no Mineir√£o, Neko, Evandro e o prefeito Z√© Carlos torciam para o Cruzeiro contra o argentino Estudiantes, quando Ramires foi uma decep√ß√£o no meio campo do time mineiro, que perdeu a Libertadores em casa. Ontem, 24 de abril, Ramires brilhou e deu a volta por cima no jogo entre Chelsea (Inglaterra) e Barcelona (Espanha) ao fazer o segundo gol, o do empate, quando o Bar√ßa vencia por 2 a 1. Ent√£o, o Trio Parada Dura, Evandro/Z√© Carlos/Neko est√° separado e cada qual com seu par de p√© frio. Foram levados pelo dono de uma construtora, √© mesmo? Eles eram agentes p√ļblicos √† √©poca e com o chefe-mor.
- Al√ī, Pedro Paulo, esse trio entrou para a hist√≥ria de Nobres e s√£o insepar√°veis os seus membros, porque entraram juntos e agora s√≥ ficou s√≥ o Z√©, O Vingador.

Motivacional
Os tristes que me desculpem, mas alegria √© fundamental. A palestra ministrada aos servidores municipais pelo palestrante Nildo, assegurada como sendo motivacional, parece n√£o ter motivado muito. Em todos os √Ęngulos das fotos, s√£o raros os risos e tudo parecia de uma tens√£o em ambiente meio mec√Ęnico, com script a ser cumprido. Excuse-me, mas motiva√ß√£o se v√™ no rosto, na satisfa√ß√£o pessoal. Salvo se a rainha Carlota estava presente, o que desmotiva qualquer tropa de elite.
- Fui um bom aluno de História do Brasil e o estudo do passado me motivava muito. Quantos sapatos tens, Carlota?

Campo das Inutilidades
Seria ofensa perguntar, a que serve a JARI? Um cunhado de uma pessoa influente politicamente em Nobres recebeu uma multa, injusta e indevida, recorreu e at√© hoje n√£o obteve resposta. A junta realmente "junta" interesses pessoais e pol√≠ticos e nomeia a quem sua alteza quer. A junta s√≥ n√£o "junta" dinamismo e resultados pr√°ticos numa mesma dire√ß√£o. Tamb√©m, com a alta patente pol√≠tica visitando as masmorras do castelo para ver o arrastar das correntes e depois entrar na web para discordar dos seus s√ļditos, alguns deles, chatos pra cacete.
- Pedro Paulo, n√£o tenha pressa... as uvas ainda est√£o verdes, n√£o se d√™ ao esfor√ßo de desdenhar. Gosto das m√ļsicas da Maria Creuza, e tu, Pedro Paulo? Kitaro as d√≠vidas onde acontece a pajelan√ßa oficial?

De Dit√£o para Pedro Paulo
Conversando com Dit√£o (via email), ele manda dizer a Pedro Paulo que n√£o nutre desejo de ser prefeito de Nobres, por n√£o ter nenhuma voca√ß√£o para vaca de pres√©pio. Dit√£o ainda diz a Pedro Paulo que respeita princ√≠pios √©ticos e morais e n√£o sai por a√≠, falando mal das pessoas na aus√™ncia delas, mas que costuma dizer na cara. Diz ainda que respeita fam√≠lias e n√£o deturpa a pr√≥pria profiss√£o que exerce ao fazer abordagens sobre procedimentos profissionais. Imagine se Dit√£o vai se esconder no anonimato para atacar um vereador que o incomoda tanto. Consta que Dit√£o n√£o quer ser prefeito para evitar de passar vergonha e ter que ouvir deputado chamando-o de fofoqueiro ao falar mal dele em supermercados. T√° certo o Dit√£o ao dizer para Pedro Paulo que n√£o leva jeito para adorno de pres√©pio, num governo que era de meia d√ļzia, depois passou a ser de tr√™s e agora √© s√≥ de um, em que Pedro Paulo s√≥ diz am√©m.
- Quem nega a Jesus, como tu Pedro, o que faria com aqueles que o ajudaram na subida? Mas, e a Lei da Física? Tudo o que sobe um dia descerá. Perderá a graça o presépio sem aquele burrinho que acorda dando coices ao vento.

Baixando o Nível
Desde cedo e de forma sorrateira o tal Pedro Paulo come√ßa a baixar o n√≠vel da futura campanha. O anonimato do Pedro Paulo demonstra o desespero que toma conta do candidato √† reelei√ß√£o em Nobres que agora deu para atirar pedras, n√£o em √°rvores secas, mas naquelas que est√£o com frutos. O tal Pedro Paulo n√£o seria o que gosta de se vangloriar em rodinhas com o assunto que mais usa para atrair ouvintes, a pornografia? Pois √© Pedro Paulo, como voc√™ gosta de uma boa m√ļsica, n√£o poder√≠amos deixar de lhe recomendar uma boa leitura; j√° lestes, por acaso, "Os Segredos de Polyana?". √Č um "best sellers" capaz de dobrar o campe√£o Dan Brown com seu C√≥digo da Vinci.
- Leia, Pedro Paulo, e se deleite com essa leitura. Ah! Pedro Paulo, sabemos tanto desse livro que nem ainda foi lançado.

Inveja de PP
De acordo com Pedro Paulo, h√° quem o inveje por ele ter trazido um pacota√ßo de cantores para cantar em Nobres e mandou espalhar out door's at√© em Taiwan, na terra de Kitaro Tamayura, em Ros√°rio Oeste e na Ilha da Madeira. Caro Pedro Paulo, antes invejar uma Saracura que invejar aquele que gasta o dinheiro p√ļblico com shows musicais e deixam as pessoas perecerem sem salas de aula no Jardim Petr√≥polis. Voc√™ deu a resposta certa para a pessoa certa, Pedro Paulo, mas n√£o se esque√ßa que ningu√©m inveja quem vai para a cadeia por gastar dinheiro p√ļblico como se fosse uma propriedade particular. Pedro Paulo, voc√™ j√° comeu melado? N√£o! Ent√£o n√£o sabes o que est√°s perdendo.
- Kitaro as dívidas de campanha? Pagou aquele que ensina papagaio 'véio' a falar? Tu, Pedro Paulo, pagou o empréstimo que tanto prejudica aos seus avalistas? Mas você é muito pretensioso, né Pedro Paulo? Quer a inauguração do viaduto para se vangloriar. Tadinho de Pedro Paulo. Ou seria Zé Pequeno?Ao descer a níveis tão rasteiros, dizem que qualquer figura impoluta se encolhe.

Bom Gosto
O prefeito de Nobres, Pedro Paulo, tem bom gosto musical e a sua prefer√™ncia vai de Amado Batista ao som maneiro de Kitaro Tamayura, para relaxar. Bom gosto musical, esse √© o maior presente que um povo pode receber. Pedro Paulo escorrega ao atacar Gilmarzinho, Fl√°vio Dalmolin e Ad√£o em coment√°rio no site Olhar Direto, no dia 22 de abril, entre 18:04 e 18:18, levando 14 minutos at√© concatenar suas ideias e postar mais um coment√°rio. Pedro Paulo lembra que nunca na hist√≥ria de Nobres se repassou tanto dinheiro ao hospital conveniado, principalmente, quando Pedro Paulo fazia cirurgias ali. Depois que o Conselho Municipal de Sa√ļde descobriu, o dinheiro foi raleando no hospital conveniado. Por que Pedro Paulo ataca Fl√°vio Dalmolin com a espada do samurai Kitaro?
- 'Kitaro' a taxa de condomínio de um apê em Cuiabá com uma nota fiscal vinda da Sibéria. Pergunte ao vilão Neko para onde foi parar o envelope com o dinheiro. Tu sabe disso, Pedro Paulo?

Kitaro Amigo
Além de Kitaro Tamayura, Pedro Paulo facilitou uma série de cartas convites a um empresa em que um parente próximo seu atua, cuja facilidade no processo licitatório começou em fevereiro de 2009 e perdura até hoje. Hoje, esse rapaz, empresário da construção civil, anda apurado na cidade, dizendo que ele tem que "rachar" os lucros com algumas pessoas. Você tem como desmentir isso, Pedro Paulo? Temos um vídeo em que Pedro Paulo quase implora para que Gilmarzinho o ajude e não o abandone, justamente na casa do vereador que hoje Pedro Paulo tanto crítica. O vídeo é daquele dia, Pedro Paulo, em que você se preocupava em "doar" em plena campanha política, a quantia de R$ 600,00 para compra de refrigerantes em um casamento. Foi no dia 28 de agosto de 2.008, por volta das 22:00 horas.
- Kitaro a despesa da festa de casamento, Pedro Paulo? Pedro Paulo ainda ironiza e chama Adão de "promotor". Zé, essa conta é sua e vê se Kitaro ela.

Escorreg√£o na Web
O prefeito Jos√© Carlos da Silva foi apanhado em pleno escorreg√£o, ao sair em defesa do seu pr√≥prio governo, conforme alertou um internauta. Na mat√©ria postada no dia 21 de abril de 2012, no site Olhar Direto, em cujo t√≠tulo diz-se que um prefeito contratou a dupla Victor e Leo para cantar, e seria o de Paranatinga, o prefeito daqui teria postado coment√°rios utilizando-se do codinome "Pedro Paulo", supostamente. O prefeito assume autoria do coment√°rio odioso e ofensivo ao deixar escapar nas entrelinhas a sua prefer√™ncia expl√≠cita pelo m√ļsico Kitaro Tamayura, num segundo coment√°rio, postado no dia 22 de abril, as 18:18 horas. Escorregou tamb√©m ao citar as palavras "presente a todo povo de nossa cidade". Quem costuma dar "presente" ao povo com dinheiro do pr√≥prio povo √© s√≥ o atual prefeito de Nobres.
- E por falar nisso: "Kitaro a d√≠vida do Caso Bomba d'√Āgua?". Escorregou feio e ainda atacou pessoas.

Escorreg√£o na Web II
Para quem conhece o prefeito de Nobres desde os primeiros dias de campanha, quando come√ßou a falar em "projeto vencedor" e nos seus discursos com a mesma cantilena de sempre, notadamente, quando diz: "este √© o maior presente que um povo ganhar...". Ficar√° conhecido como o prefeito "presenteador", mas com dinheiro do povo. Quando diz que foi a administra√ß√£o que mais repassou recursos ao hospital Laura de Vicu√Īa, novamente o tal Pedro Paulo ou Jos√© Carlos da Silva "escorrega". E como escorrega. A atual administra√ß√£o municipal √© a que mais repassou dinheiro ao hospital conveniado, mas, resolveu o problema? √Č de se acreditar que n√£o a partir do momento em que se sabe que o vereador Joel J√ļnior tem muito mais aceita√ß√£o que o prefeito Jos√© Carlos da Silva junto ao eleitorado, exatamente porque pratica o assistencialismo na √°rea da sa√ļde, levando pessoas para Cuiab√° j√° que aqui elas n√£o encontram respostas.
- O Pedro Paulo que aparece nos comentários no Olhar Direto se aproveita do anonimato (nem tanto) para atacar pessoas, mas o Kitaro Tamayura o traiu, assim como os valores precisos de quanto custa o show da dupla e da preocupação em tratar os buracos nas ruas como fato normal em qualquer cidade. Esse "escorregão", Pedro Paulo, vai lhe custar algumas inimizades, pelas ofensas que faz.

Saindo do Casulo
"Tantos planos; tantos sonhos; tantos erros; era cedo. Foi t√£o simples, me pergunto. Nesse jogo, quem saiu perdendo...", de Victor e L√©o. Bem! Vendo pelo lado pol√≠tico e administrativo da coisa, quem perdeu e quem perder√° √© s√≥ a popula√ß√£o de Nobres, ao ver seu patrim√īnio dilapidado com gastos abusivos que remontar√£o aos 750 mil reais no anivers√°rio de Nobres, enquanto o hospital conveniado n√£o consegue receber, os buracos nas ruas continuam e os meios-fios s√£o pintados de branco, contrastando com as panelas nas ruas. "Tantos planos, tantos sonhos" em 06 de outubro de 2.008, no "day after" da vit√≥ria, para mais tarde descobrir que n√£o foi t√£o simples e quem conduziu esse mo√ßo ao poder, hoje, √© tratado como vil√£o.
- Mas, como vilão se estavam juntos no Mineirão em 16 de julho de 2.009? E quantas vezes desembarcaram e embarcaram juntos no Aeroporto JK, em Brasília?Até as borboletas sabem disso.

Muquirana
Em 2.008, ap√≥s uma reuni√£o na Roda d'√Āgua, o candidato Jos√© Carlos da Silva deu carona a um ex-candidato a vereador no trajeto entre a vila rural e a cidade de Nobres. No caminho, o sujeito eu obteve tr√™s votos em 2.004, al√©m da carona, pediu-lhe R$ 20,00, a√≠ sim, foi uma verdadeira agress√£o ao ent√£o candidato, tido como muquirana. Numa quinta-feira, 28 de agosto de 2.008, antes das 22:00 horas, o ent√£o candidato Z√© Carlos, "choramingava" por ter que bancar uma despesa de quase R$ 600,00 em refrigerantes a um casamento entre evang√©licos. Nova demonstra√ß√£o de que o seu dinheiro n√£o lhe era tirado facilmente. Mais de tr√™s anos depois, o hoje prefeito Jos√© Carlos da Silva "torra" dinheiro com eventos art√≠sticos e com distribui√ß√£o de carros a cabos eleitorais futuros como se tivesse abandonado completamente aquele seu estilo muquirana de ser. Ser√° que ele, enfim, conseguiu ganhar na loteria? √Č apostador compulsivo, segundo os seus amigos e quem o conhece diz isso.
- Entre passado e presente, desde aquele encontro com o tal Ratazana (o caroneiro), em 2008, o que mudou no Zé em relação ao dinheiro? De onde vem esse dinheiro que ele tanto gasta?

Muquirana II
Ah! Tem aquela perguntinha básica: "Será que ele patrocinou os refrigerantes ao casamento?" Well! Isso é como aquela história do papagaio: "ou dá ou desce". Para não desagradar os futuros eleitores casamenteiros, dizem que deu. Não sei e não vi nada além da "choradeira" pelos exatos R$ 560,00, ou seriam R$ 600,00? Mas, será que ele poderia ter bancado aquela despesa? Olha, tirando do próprio bolso, é mesmo doído. Dói mesmo é saber que em pouco mais de três anos essa mesma pessoa passou a "rasgar" dinheiro, num dos casos mais sui generis de transformação comportamental em relação ao tal bereré; os irmãos lá da terra do Tio Sam dizem "Money"; los hermanos platinos hablam que esto es la plata; já naquela frescura afrancesada, eles dizem "le argent". Já aqui, no Jardim Petrópolis, o dinheiro é conhecido como "o desaparecido", sobre ele, ninguém sabe e ninguém viu.
- E o Tio Patinhas, aquele personagem dos quadrinhos, agora virou Gast√£o, o primo rico do Donald (n√£o confundir com Donald Trump e nem com Bill Gattes ou Eike Batista, viu?).

D√≠vida P√ļblica
O governo acaba de conseguir um feito interessante, o de prorrogar o conv√™nio por mais um tempo. Falamos do conv√™nio para o cultivo da citronella, que acabou gerando problemas graves ao governo no denominado "Caso Bomba d'√Āgua", em que, supostamente, houve gente que se beneficiou dos recursos de R$ 56.000,00 utilizados de um total de 100 mil reais. A verdade √© que em lugar da citronella h√° muito mato e compras de equipamentos, terra preta e a tal bomba d'√°gua jogaram o governo numa sujeira, que teria apenas sido empurrada para debaixo do tapete. A prorroga√ß√£o d√° um g√°s ao governo para "negociar", mais uma vez, adiantamento da folha salarial com o banco, aumentando a d√≠vida p√ļblica.
- Na verdade, a t√£o cobrada informa√ß√£o sobre a d√≠vida p√ļblica √© sonegada em seu inteiro teor porque se for aparecer nos balancetes tudo o que a Prefeitura de Nobres deve de gest√Ķes passadas, o munic√≠pio estaria inviabilizado e quebrado. Por menos que isso, uma multinacional denominada Enron foi execrada publicamente.

Entenda o Caso Enron
Os dados s√£o da Folha de S√£o Paulo, de 27/05/2003, que relata o caso: "A Enron, gigante americana do setor de energia, pediu concordata em dezembro de 2001, ap√≥s ter sido alvo de uma s√©rie den√ļncias de fraudes cont√°beis e fiscais. Com uma d√≠vida de US$ 13 bilh√Ķes, o grupo arrastou consigo a Arthur Andersen, que fazia a sua auditoria. Segundo investigadores federais, a Enron criara parcerias com empresas e bancos que permitiram manipular o balan√ßo financeiro e esconder d√©bitos de at√© US$ 25 bilh√Ķes nos √ļltimos dois anos. O lucro e os contratos da Enron foram inflados artificialmente. A investiga√ß√£o indicou que ex-executivos, contadores, institui√ß√Ķes financeiras e escrit√≥rios de advocacia foram respons√°veis direta ou indiretamente pelo colapso da empresa.". Vale ressaltar, o Caso Enron n√£o √© semelhante ao das prefeituras, mas o montante da d√≠vida p√ļblica que n√£o aparece nos balancetes das prefeituras √© estratosf√©rico.
- Um exemplo: o dinheiro do FGTS de muitos funcion√°rios sumiu, num passado n√£o muito distante, quem vai pagar essa conta? O asfalto mal executado entre 2010 e 2011 no bairro S√£o Jos√© vai figurar no montante da d√≠vida p√ļblica l√° na frente se ningu√©m denunciar.

Revolvendo
Um dos casos mais pol√™micos em Nobres em todos os tempos, capaz de se sobrepor a uma "guerra" que sempre marcou no munic√≠pio, os conflitos agr√°rios, parece estar se reerguendo das cinzas, replicando a lenda da F√™nix. O ocorrido h√° 12 anos, o Caso das Drogas parece estar ressurgindo, da mesma forma em que se coloca na linguagem trivial de que "quem bate esquece, quem apanha se lembra". A um bom cineasta, ao menos um curta metragem renderia boa bilheteria, nem tanto quanto "Tropa de Elite", mas √© uma trama interessante da pol√≠tica local com tent√°culos em setores p√ļblicos de v√°rias esferas, segundo o que j√° se viu por a√≠.
- Ser√° mesmo? H√° quem diga espere pra ver.

The Spirit's
Alguém consegue dormir com um barulho desses? Uma espécie de "guerra" dos Agitos e a troca de identidades entre um e outro. Repare bem, o Agitos Rosário resolveu ser de Nobres, já que aquele site de lá, que dizem, teria algo a ver com o prefeito de lá, resolveu prestigiar o prefeito de cá. Já o Agitos daqui (Agitos Nobres) parece ser o mais original e mostra o que é daqui e não mostra o que é de lá. Na verdade, não é uma troca de identidade, mas uma questão de originalidade e uma alegada questão de parceria entre o de lá sob o manto de que em Rosário não aconteceria nada de novo.
- Qual dos Agitos est√° no lugar certo?

Poderoso
Quem diria, uma figura teoricamente estranha ao governo, mas de bom tr√Ęnsito pol√≠tico, acaba de salvar a administra√ß√£o de Nobres ao conseguir a prorroga√ß√£o do conv√™nio da citronella, de R$ 100.000,00 e apenas 56 mil reais utilizados. O que aquele rapaz do P√°lio Weekend verde n√£o conseguiu em 555 idas, Josias Benedito de Almeida, o Colibri, conseguiu em apenas uma √ļnica tacada. S√£o os paralelos de um governo que sonha com o bi... assim como a luz no fundo do t√ļnel pode ser a solu√ß√£o, por vezes, pode ser um bi-trem ou um treminh√£o na dire√ß√£o do governo.
- √Č de se acreditar que agora d√™ para "vender" a folha de pagamento ao BB e ver a d√≠vida p√ļblica municipal de Nobres aumentada. E tome farra com "as borboletas".

Cavaleiro do Apocalipse
Digamos que essa tsunami denominada Delta atinja algum político de Mato Grosso e a reação seja em cadeia, obras federais em andamento não seriam paralisadas? Vai que o governo federal edite um decreto anunciando que não se fará medição nenhuma até que tudo se esclareça. O olho gordo sobre o ISSQN iria rodar, cachoeira abaixo, não? Gente, per Dio, não façam isso, per favore...
- ... o show tem que continuar. Uma d√ļvida geogr√°fica: seria delta do Parna√≠ba ou delta da Para√≠ba? A pergunta vem l√° da Lagoa Salgada, onde os alunos est√£o sem estudar por falta de estradas.

Cavaleiro do Apocalipse II
Sem sorteio de motos, sem taxa√ß√£o dupla do contribuinte, que paga o show e ainda tem que levar alimento n√£o perec√≠vel como ingresso, da√≠, as toneladas de alimentos s√£o distribu√≠das pelos aliados do prefeito, ficaremos sem ver isso, √© mesmo? E agora, Jos√©? Qual o plano B de "marketing"? Que tal, mulher samambaia, mulher melancia, mulher mandioca, mulher quiabo, todas em trajes min√ļsculos na portaria para recepcionar o populacho? Se n√£o gosta, n√£o √© obrigado a olhar. Por causa dessas "coisas" que Nero incendiou Roma. "Deteeeeeesto piriquitas", dizia Nero.
- Posso ir ao show montado em meu alaz√£o, chamado Incitatus? N√£o irei sem um banho de cachoeira... t√° bombando e t√° na moda.

Paralelas
Em um munic√≠pio governado por um m√©dico, quem apresenta maior densidade eleitoral que o prefeito √© um vereador que atua exatamente com o assistencialismo na √°rea da sa√ļde. Do que se depreende que estamos mal de prefeito aqui em Nobres. A palavra √© assistencialismo, mesmo, e √© bem diferente de assist√™ncia, esta que deveria partir do governo municipal em forma de presta√ß√£o de servi√ßo p√ļblico a quem paga impostos. Infelizmente, vivemos um modelo de gest√£o totalit√°rio, em que o prefeito e mais um decidem como gastar o dinheiro do povo e todos se calam.
- O assistencialismo est√° conseguindo derrotar a presta√ß√£o de servi√ßo na √°rea da sa√ļde p√ļblica. Mas que presta√ß√£o de servi√ßo?

Plagiando Chico
√Č como diria Chico Buarque: "A mesma pra√ßa, o mesmo banco, / As mesmas flores, o mesmo jardim. Tudo √© igual mas estou triste..." . Hospital conveniado sem receber, empresa de coleta de lixo sem receber; lixo esperando 15 dias para ser coletado; ambul√Ęncia com pneus carecas; pontes em estado de decomposi√ß√£o e finan√ßas aos frangalhos e o pessoal dando festa com 'glamour' para engordar conta banc√°ria de gente famosa. Mas ser√° que ningu√©m vai acompanhar os investimentos em obras que est√£o sendo realizadas na Pra√ßa Josino Serra, cujo busto custou 14 mil reais?
- "O guarda ainda é o mesmo que um dia me pegou; Roubando uma rosa amarela pra você...".

Milagre da Transformação
Mais um posto de sa√ļde vai ser reformado, agora, o PSF do S√£o Jos√©. Por aqui tudo funciona como uma enxurrada, n√£o manda recado e salve-se quem puder. Mas √© assim mesmo, a tarefa de iludir o povo, agora, na hora da nossa morte, am√©m. Enquanto isso, uma ambul√Ęncia "surfa" no barro da estrada rural com os pneus 'calvos', carecas ou sem cabelos. Se for pra fazer cagadas hom√©ricas, j√° avisei l√° em casa...
- ... "mamãe eu não quero ser prefeito...", já dizia Raul Santos Seixas. Até quem nasceu há 10 mil anos atrás sabia que isso um dia terminaria; soubemos ao começar. A reeleição será um fracasso ao povo desta terra.

D√ļvida
Eis aqui um registro vivo da d√ļvida, a curiosidade nua e crua, doa a quem doer, com ou sem vaselina. A d√ļvida atroz que consome os perus de fora √© a seguinte: "ser√° que n√£o est√£o contando muito com o ovo no fiof√≥ da galinha?". As pessoas que est√£o no governo andam num estresse de fazer d√≥, seria falta de dinheiro? O contribuinte deu uma pisada no freio? O que houve com a receita? Ser√° que j√° est√£o abrindo a Caixa de Pandora? Ocioso dizer que aos simples mortais s√≥ restar√° √° esperan√ßa. Teremos mais um fechamento de prefeitura este ano? Se fechar, ser√° que a CGU n√£o manda aquele cambur√£o chique, preto com letras douradas? A todas as perguntas uma √ļnica resposta, a palavra chave chama-se "planejamento" e sem este, os diques de qualquer fortaleza se rompem. Essa p√°lida estrutura administrativa de que disp√Ķe Nobres, ent√£o, parece j√° querer fazer √°gua.
- E soam as campainhas de alerta: "Homens ao mar, salve-se quem puder". √Č como diria o florentino (de Floren√ßa, obviamente) Nicolau Maquiavel: "As disputas de poder entre esses territ√≥rios era constante, a ponto de os governantes contratarem os servi√ßos do condottieri (mercen√°rios) com o intuito de obter conquistas territoriais". "Fai√ī!", diria o cuiabano de tchapa e cruz.

Cartilha Florentina I
Pensando bem, de tanto ler Maquiavel, n√£o √© dif√≠cil tirar uma onda de italiano em "terra nostra", com nostros 'paparazzi'. Esse florentino (n√£o aquele que conhecemos) era danado, mesmo. Veja a impress√£o que ele tinha em O Pr√≠ncipe: "Maquiavel argumenta que o governante deve ser dissimulado quando √© necess√°rio, por√©m nunca deixando transparecer sua dissimula√ß√£o. N√£o √© necess√°rio, a um pr√≠ncipe, possuir todas as qualidades, mas √© preciso parecer ser piedoso, fiel, humano, √≠ntegro e religioso j√° que √†s vezes √© necess√°rio agir em contr√°rio a essas virtudes, por√©m √© necess√°rio que esteja disposto a modelar-se de acordo com o tempo e a necessidade". Nos √ļltimos cap√≠tulos explica como tomar a It√°lia e como se manter na linha entre a fortuna e Deus dizendo que os l√≠deres devem adaptar-se ao tempo em que vivem, para manter-se no poder por mais tempo", diz a b√≠blia dos internautas, o Wikip√©dia.
- Madre de Dios, eles fazem tudo errado... estão na contramão dos enunciados do Nicolau. Corta, corta, corta, manda para o Vídeo Show.

Cartilha Florentina III
T√° tudo errado X√īmano, veja o que est√° na cartilha do Nicolau: "No cap√≠tulo 16 √© explicado ao pr√≠ncipe como cuidar de suas finan√ßas, para n√£o ser visto como gastador, e levar o povo √† pobreza, cobrando muitos impostos para manter-se rico. O autor diz que o melhor √© ser visto como miser√°vel, pois com este julgamento ele poder√° ser generoso quando bem entender, e o povo ir√° se acostumar com isso". Ta√≠, siminino, n√£o seria bem melhor Nico e Lau e seguir a cartilha do Nicolau? Pra que abund√Ęncia quando falta reentr√Ęncia? Seguramente, em nenhum momento Maquiavel recomenda P√£o e Circo, ent√£o, por que seguir a cartilha de quem deixou pegadas na areia em outras terras?
- Resultado, muito estresse e ningu√©m a comparecer para bater o ponto na hora da chinelada na barata. O Minist√©rio da Sa√ļde recomenda, evite o estresse que √© para n√£o abrir precedente ao Ricard√£o. Ao persistirem os sintomas, procure um bem dotado... conhecedor de assuntos do cansa√ßo mental.

Tráfico de Influência
Eis as palavras m√°gicas que abrem as portas do poder e v√£o se tornar rimas e versos nos balancetes da Prefeitura de Nobres. Quem det√©m poder, tem tudo dentro da Prefeitura de Nobres. Um dia denuncia e em outro volta √†s boas e as rimas e versos v√£o e vem do porto solid√£o dos n√ļmeros existentes nos nossos balancetes. Al√©m do tr√°fico de influ√™ncia, outras estrofes de um mesmo verso s√£o as a√ß√Ķes de nepotismo escancaradas e entremeadas com o tr√°fico de influ√™ncia, bem abaixo dos narizes de quem deveria fiscalizar e n√£o o faz.
- Se um veleiro repousasse na palma da minha mão... botaria todos num mesmo barco e os enviaria para um lugar de segurança máxima.

E Naquela Embaixada...
Quem visitar a Prefeitura de Nobres, vai notar a boa recep√ß√£o atrav√©s do embaixador de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, que est√° recebendo e dando consulta na Prefeitura. Ex-vereador e ex-vice-prefeito, com aquela sutileza conservada e estilosa, Ney Campos estaria recepcionando quem vai √† sede do governo, livre, provavelmente, das catracas segregadoras que faziam as pessoas preferirem entrar pela porta do fundo. Uma boa receptividade sempre foi um bom neg√≥cio, entretanto, faltaria "evangelizar" o gestor p√ļblico no sentido de que se evite, ao m√°ximo, que subalternos utilizem carros p√ļblicos nos finais de semana, trajando bermuda e indo flertar com cora√ß√Ķes divididos.
- Realmente, a tese do cobertor de pobre, só quem é do ramo sabe o que é, cobrir a cabeça e ver os pés descobertos e vice versa. Salamaleques à entrada, mas uma gestão desestruturada e uma zona rural jogada às cobras. Vai pra lá, mano, porque aqui tá tudo dominado e só por Deus para encontrar a salvação.

Caiu na Rede...
...e da rede aquele "Concerto de Viola de Cocho" do maestrino Benones. Foi hil√°rio, ele chamar a aten√ß√£o do seu m√ļsico: "toca a√≠ p√īrra...". T√° bombando no Face aquela parada e pra livrar o velho lateral direito, s√≥ mesmo mais uma feijoada, sem gastar lenha, √© claro. J√° imaginou, o concertista franc√™s Paul Mauriat, falecido em 2006, dizendo a um dos seus m√ļsicos, em franc√™s: "Toca a√≠, p√īrra!".
- √Č de Paul Mauriat a "Chanson d'Amour"; √© de Benone: "Eu vim, eu vim de l√° pra c√°...". D√° f√©rias para ele, Alan.

Tomando Fósforos
Dizem que medicamentos com o princ√≠pio ativo que contenha f√≥sforo (n√£o os palitos, obviamente!) seriam bons √† mem√≥ria. Mas o bom, mesmo, √© comer cabe√ßa de pacu, e os seus √īmegas, sem sair por ai arrotando salm√£o. De mem√≥ria ativada, lembramos que no dia 28 de abril de 2011, por volta das 10:00 horas, no p√°tio da Escola "Dalci", o prefeito Jos√© Carlos da Silva descerrou a placa da reforma da primeira etapa ali e disse, "ipsis litteris": "saio daqui pensando na segunda etapa da reforma dessa escola...". Vai fazer anivers√°rio e nada da reforma, lamentavelmente.
- Nessa promessa n√£o cumprida, quem perde s√£o os moradores daquele bairro.

Promessa Feita
O diretor da Escola "Dalci C√Ęndida de Souza", prof. Magal, se antecipou aos fatos e pediu a constru√ß√£o de mais tr√™s salas de aula na Escola "Dalci", pensando nos moradores dos novos n√ļcleos habitacionais (Daury Riva e Andr√© Maggi) e o prefeito acatou a ideia. Mas s√≥ acatou e nem a reforma da segunda etapa ele se prontificou a fazer, do que se depreende que a amplia√ß√£o ficar√° para a posteridade. Agora, o alcaide (o que √© isso?) est√° mais preocupado com as pra√ßas em reforma e com o milagre da transforma√ß√£o, de meio centro comunit√°rio em um inteiro, pelo pre√ßo de uma obra completa.
- Investir em educação pra quê? O bom é gastar com aquilo que dá voto e garante o financiamento de campanha. E viva os "paparazzos".

Em Forma
A vida de "paparazzo" requer agilidade f√≠sica e bom desempenho nas corridas atr√°s do objetivo e sem deixar cair √† teleobjetiva. N√£o por acaso, um "paparazzo" est√° atacando de academia, que √© para tirar as protuber√Ęncias abdominais e permitir aquela correria atr√°s das celebridades... masssss logo na Roda d'√Āgua; xiiiiiaaa, se ao menos fosse na Riviera Francesa, "en Monaco, je dirais tr√®s bien". Nem sabia que tinha "paparazzo" da pobreza.
- Ser√° que v√£o sondar Victor e L√©o tomando banho antes do show? √Č como diria aquela deslumbrada, mais para a cor p√ļrpura que para rosa choque: "Que hooooomensss!!! Que sinos. Que badalos. Valha-nos, San Justin Bieber!".

O Salvador
Agora, quando se anuncia o fim do mundo, est√° cada vez mais sustentada a tese bi milenar e at√© mais, de que "Leocir Vir√°". O ponto controverso dessa vinda cria uma especula√ß√£o, a de que Das Neves seria ent√£o um Messias passageiro, ser√°? Um ex-secret√°rio de gest√Ķes passadas aguardaria a chegada desse que um dia vir√° para ent√£o apresentar-lhe um cart√£o de visitas (√†s avessas), de arrepiar. No ano de 2.000, a tese sustentada de candidatura majorit√°ria por Dena, ent√£o no PSB, foi uma jogada para que ele preservasse a vaga de vereador e deu certo. 12 anos depois, ser√° que Das Neves repristinar√° essa coisa?
- A ressurreição é sempre assunto complexo, mas entendível na medida em que se sabe que só voltará aquele que um dia foi; assim mesmo, por vezes, se vai e não se sabe se voltará. Algum "paparazzo" aí para registrar a volta?

Cabeção
Dizem que em cabe√ßa grande cabem muito mais neur√īnios, mas e quem tem a bunda grande, ser√° que os neur√īnios tamb√©m s√£o armazenados ali, naquela regi√£o? Os neurocientistas daqui n√£o definem como correta a tese de que neur√īnios na regi√£o gl√ļtea funcionem adequadamente. A oferta de cinco motos para serem sorteadas nos dias de shows na semana de anivers√°rio de Nobres foi barrada pelo MPE (Minist√©rio P√ļblico Estadual). Em ano eleitoral, √© quase certo que os neur√īnios da bondade s√£o ativados, estejam eles no c√©rebro ou na cauda retal. Mas, a pergunta vem de quem tem poucos neur√īnios, n√£o mais que meia d√ļzia: "de onde vem tanto dinheiro?". Ah! Da doa√ß√£o de amigos, de parceiros comerciais para os quais damos as cartas marcadas de um baralho em que s√≥ n√≥s batemos, nas mesas redondas e de panos verdes dos 'p√īquer's' da vida, n√©?
- O jogo de cartas √© contraven√ß√£o, com cartas marcadas, seria o qu√™? Al√ī, "paparazzos", tem celebridades querendo entrar de penetra no baile.

Quem é Quem?
Muita gente nem notou que foi proposital, n√£o citar o nome do "paparazzo" amador que andou tirando "retrato" de pessoas na Roda d'√Āgua. V√°rias pessoas que nos encontraram ou nos ligaram mataram a charada. √Č hom√īnimo daquele que acaba de sair do Cor√≠nthians, aquele grandalh√£o, que jogava com a 9? Outra a√ß√£o proposital foi a n√£o cita√ß√£o do nome do acompanhante, que estava na Silverado, circulando pela zona rural.
- Los hermanos, unidos por uma mesma causa, a preservação do novo eldorado.

Quem é Quem? II
Essas pessoas acreditam que aqui seja terra de ningu√©m, que possam ditar regras de comportamento em Nobres e que tudo possa fazer em nome do poder, at√© agredir fisicamente as pessoas e nada lhes aconte√ßam. O prefeito Jos√© Carlos da Silva, infelizmente, n√£o tem agido com o rigor necess√°rio para coibir abusos com dinheiro p√ļblico. Est√£o sendo levantados, compras para propriedades particulares em nome do er√°rio; computadores sendo adquiridos com pre√ßos superfaturados; reforma de carro particular com dinheiro do povo; carro p√ļblico sendo utilizado para fins particulares, estacionados em quintais onde se realizam churrasquinhos; e utilizados at√© para flertes; para buscar crian√ßa na escola.
- Podem usar e abusar, esquecendo-se de que ambul√Ęncias transportam pacientes com pneus carecas, enquanto muitos se recostam em confort√°veis poltronas em salas com moderno sistema de refrigera√ß√£o, que custa muito al√©m de quatro pneus e at√© mais que duas ambul√Ęncias novas.

Fardo Pesado
H√° um erro de comunica√ß√£o interna no governo que precisa ser corrigido, imediatamente. O m√©dico que virou prefeito √© cria do ex-vereador Neko, que foi busc√°-lo na sala de cirurgia. Mais tarde, j√° como prefeito, ap√≥s dizer que Neko √© pessoa "altamente qualificada", Jos√© Carlos da Silva diz que o seu governo se divide em duas fases: o antes e o agora, quando a cria rejeitou o seu criador. De "altamente qualificado", Neko est√° sendo tratado como vil√£o pelo prefeito Z√© Carlos, mas o l√≠der do governo, vereador Joel J√ļnior, enalteceu o nome de Neko na sess√£o de 15 de abril, como o criador da tal avenida das Torres em Nobres. Que diabos √© isso, no para√≠so, onde n√£o se fala a mesma l√≠ngua? Ou √© vil√£o ou √© mocinho, o Neko.
- O prefeito, nem precisa dizer, será beatificado em breve tempo, após a contratação de alquimista, capaz de transformar um cordão de bijuteria e ouro 18 quilates.

O Agora
No P√≥s-Neko, investe-se 750 mil reais em eventos festivos enquanto o hospital conveniado est√° sem receber desde fevereiro; ambul√Ęncia percorrem quil√īmetros com pneus carecas; e uma m√°quina pesada est√° deixada a beira do caminho na zona rural, nas proximidades do campo do Clementino; a ponte sobre o C√≥rrego Queb√≥, no n√ļcleo urbano da Roda d'√Āgua, est√° caindo aos peda√ßos; a estrada que liga as vilas de Roda d'√Āgua e Bom Jardim est√° com a estrada em estado prec√°rio, cheio de valetas.
- Cadê o Dudu, para transformar, no Adobe Photoshop, pontes velhas em travessias decentes e valetas em leito trafegável? Única pessoa altamente qualificada por aqui é um tal contribuinte, que sustenta essa esbórnia através do erário.

O Agora II
O vereador Bacalhau, em fase de ressurrei√ß√£o e de olho em 7 de outubro, parece ter descoberto que carreira solo √© bem melhor que se mostrar de bra√ßos abertos sobre a proa do Titanic em dire√ß√£o a um iceberg gigante. Bacalhau disse n√£o ver diferen√ßa nenhuma entre 2009, 2010, 2011 e agora, quando 2012 caminha para a sua metade. E tem mais, Fermino voltou a fazer abordagens sobre os milh√Ķes que desaparecem em Nobres todos os anos sem resultado nenhum. Por um certo per√≠odo, Fermino parece ter perdido o foco e deixado passar a oportunidade de se tornar um pol√≠tico emergente atrav√©s da coer√™ncia em seus discursos que a muitos seduzia.
- N√£o vi a indica√ß√£o feita por um certo peri√≥dico, por uma √ļnica vez, e que levou o prefeito a reforma da pra√ßa do bairro S√£o Jos√©. Pede pro prefeito pagar o hospital e comprar pneus para a ambul√Ęncia, poderoso.

Chut√īmetro
Dissemos, certa vez, que o vereador Joel J√ļnior teria densidade eleitoral bem acima do prefeito Jos√© Carlos da Silva. Isso sim, √© ter conhecimento de causa e uma sondagem eleitoral para consumo interno aponta que Joel J√ļnior estaria estratosfericamente melhor que o prefeito atual, que √© candidato a reelei√ß√£o desde 2009. A rejei√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva √© consider√°vel e ele tenta mudar, cumprimentando a todos. Dia desses, cumprimentou, por for√ßa dessa nova fachada, o seu maior desafeto pol√≠tico e inimigo criado pelo fato deste ter estendido-lhe as m√£os para atingir as cumeadas do poder ‚Äď deu a m√£o direita a Gilmarzinho na C√Ęmara de Vereadores. Vai para a reelei√ß√£o motivado pelo desejo de derrotar aquele √° quem um dia rogou pelo seu apoio, na noite de 28 de agosto de 2008, por volta das 21:30 horas, em um endere√ßo do bairro S√£o Jos√©.
- Vale reiterar, Joel J√ļnior tem, hoje, maior cacife eleitoral que o prefeito embora n√£o tenha a m√°quina p√ļblica nas m√£os.

Viejas Recordaciones
Em um certo período da vida, costumava ouvir rádio e hoje lembrei-me de um locutor das manhãs, pelo velho prefixo da Rádio A Voz D'Oeste, de Cuiabá, o Nho Boró, funcionário da então empresa aérea Vasp e que fazia a alvorada dos cuiabanos. Esse locutor mandava bom dia aos seus rádio ouvintes em toda a Cuiabá, longe de ser esse aglomerado urbano que é hoje, e falava de umas tais curitibanas do Capão do Pequi, Capela do Piçarrão, Limpo Grande, Praia Grande, Bonsucesso e Pai André, em Várzea Grande. O bom do locutor é que ele tinha dons premonitórios, era uma espécie de Leonardo da Vinci da época, e já previa que uma empresa italiana iria construir carros no Brasil. Mais realista que ele, só mesmo o rei, quando dizia, vem por aí um modelo, tipo Pálio, vermelho, trazendo em seu interior, uma mulher inteligente e revolucionária, acompanhada de uma loira espetacular, de fechar quarteirão.
- Dito isso, nos anos 60, pois não é que é verdade? Quase acertou o final da placa, agora que as placas dos carros estão na moda. Esse Leonardo Da Vinci era mesmo danado.

Recado
Bom avisar, est√° de volta o velho Fermino, e isso foi demonstrado quando foi a tribuna e se pronunciou contra uma manobra esp√ļria do governo de tratar o dinheiro com desfa√ßatez ao convocar uma audi√™ncia p√ļblica em apenas uma hora, para tratar de tema altamente s√©rio, o or√ßamento para 2013. Fermino disse que vai acionar a assessoria jur√≠dica do Legislativo para fazer anular esse evento de brincadeirinha com assunto s√©rio. A administra√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva nunca esteve bem, em momento nenhum dos √ļltimos tr√™s anos, e n√£o h√° governo que de certo com um comandante perdidinho em seus afazeres e muito mais preocupado em disseminar pornografia em meio aos seus convivas.
- Com um exército sem comando, todo soldado pensa que é major e até coronel.

"Marquetingue"
Agora que a Prefeitura de Nobres contratou um marqueteiro, vem a√≠ uma perguntinha b√°sica: "Quem vai pagar essa conta de publicidade oficial?". O 'Duda Mendon√ßa' pantaneiro buscar√° melhorar a imagem do candidato ou do governo? Se for do prefeito candidato, h√° controv√©rsias e a C√Ęmara de Vereadores vai ter que verificar isso. √Č bom n√£o confundir "marketing" oficial com marketing pol√≠tico, aquele tipo de publicidade que √© propriamente um ramo da alquimia, capaz de transformar calvos em cabeludos; traira em apetitoso salm√£o; e capaz de fazer com que algu√©m que comeu um bagre ensopado, saia por a√≠ arrotando sopa de barbatanas de tubar√£o. Na verdade, at√© as borboletas (n√£o aquelas da dupla de cantores famosos) sabem que, caso o prefeito perca as elei√ß√Ķes, o risco de uma opera√ß√£o federal por aqui √© muito grande.
- √Č como diria o pessoal da tev√™, essas s√£o as "Cr√īnicas de Nobreyork City".

Vers√Ķes Controversas
Primeiro falou-se que na quinta-feira (12/04) o prefeito Z√© Carlos estaria em Cuiab√°, acompanhado de Devair Valim, para falar com o deputado Sergio Ricardo sobre as rodovias estaduais MT-240 e MT-241. No dia seguinte (13/04), esquisito para os gestores p√ļblicos supersticiosos, falou-se, a tardezinha, que uma reuni√£o que consumiu toda a manh√£, foi para tratar da "separa√ß√£o" consensual (entre todos os secret√°rios) entre o Z√© e Devair, que mal selaram alian√ßa. Alguma coisa n√£o est√° batendo nessas vers√Ķes, at√© porque, Devair pediu votos para Gilmar Fabris e agora vai atr√°s de Sergio Ricardo.
- Conheço um 'cara' que só dá mancadas e não cumpre acordos, nem com os seus avalistas em empréstimos bancários.

Vers√£o Complexa
Ainda n√£o se viu um fato t√£o estranho quanto esse por aqui, a realiza√ß√£o de audi√™ncia p√ļblica para tratar de uma realidade que influir√° decisivamente no futuro do munic√≠pio no que se refere aos investimentos financeiros para 2013 ocorrer na Prefeitura. E quem foi? Nem o l√≠der do governo compareceu e como ser√° feita essa ata? Quando se fala em gest√£o p√ļblica, por aqui, a coisa √© tratada conforme os interesses dos governantes de plant√£o. Em todos os anos anteriores foi realizada no Plen√°rio da C√Ęmara de Vereadores e desta vez, foi marcada para as 08:00 horas, na Prefeitura, e os convites entregues as 07:00 horas do mesmo dia 13/04. Um tal Nilton, que mal conhece Nobres, deve estar de brincadeira com coisa s√©ria.
- E onde est√£o os vereadores que n√£o impugnam essa coisa? Sim, isso √© uma 'coisa' e n√£o uma audi√™ncia p√ļblica. Mas, se houve reuni√£o com o secretariado para descartar Valim, quando foi √† audi√™ncia p√ļblica?

Vers√£o Complexa II
Se n√£o for mentira essa reuni√£o durante toda a manh√£ do dia 13, qual foi o vereador do partido que participou? Ou vereador est√° descartado? Sorte ou Azar? Ao se relacionar a uma pr√©-alian√ßa desfeita, o DEM acaba de tirar a sorte grande e evitar se afundar ainda mais ap√≥s ser derrotado em tr√™s elei√ß√Ķes consecutivas e estar de fora do poder por durante 12 anos. Azar do PP, que trata e destrata como se experimentasse roupa no provador, mas isso √© pr√≥prio de quem n√£o conhece a realidade local e n√£o tem compromisso com Nobres. Sorte e azar a um s√≥ tempo, pessoas de g√™nios completamente diferentes se unirem para comandar Nobres quando o caos ronda o munic√≠pio.
- E ainda fazer um destrato pelas costas, numa sexta-feira 13, isso só vai atrair aquelas quatro letrinhas para o lado do governo. Anote aí, vai atrair AZAR aos governistas.

Vers√£o Complexa III
Veja a numerologia a partir das coincidências numéricas somando 11+25=36, após, some 3+6=9. Essa casa decimal corresponde ao Grupo da Cobra no jogo do bicho, e a dezena 36 é exatamente da cobra e quando se fala em cobra, pensa-se logo na possibilidade do bote. Sorte ou azar esse rompimento? Do ponto de vista governista, o Zé pode ter se livrado de um bote futuro, o que equivale dizer que a sorte o livrou de, num dia 4 qualquer, tomar uma picadura, levando em conta que 13 somado a partir de 1+3 é igual a 4.
- Desse bote, nem a rainha Cle√≥patra n√£o se livrou. √Č melhor "morrer" sozinho que abra√ßado em 07 de outubro. Preste aten√ß√£o na data, o n√ļmero 7 n√£o √© recomend√°vel ao 11 naquele dia, o Dia "D".

Bomba, Bomba, Bomba!!!
Tem um pessoal levantando uma quest√£o que vai abalar, revelando o quanto a administra√ß√£o municipal s√≥ se preocupa com o projeto de reelei√ß√£o e deixou tudo o mais relegado a planos secund√°rios. Asfalto, obras eleitoreiras e uma f√°brica de ilus√£o que visa somente o 7 de Outubro. O hospital conveniado at√© agora n√£o viu a cor do dinheiro e nos postos de sa√ļde o atendimento √© prec√°rio, onde est√° atendendo, obviamente. Os 500 mil reais oriundos de emenda de iniciativa popular, destinados a constru√ß√£o de um PSF no Jardim Carolina, quando sair√°?
- E tome aguaceiro no Posto de Sa√ļde do centro da cidade. No Jardim Petr√≥polis a popula√ß√£o segue sem atendimento no PSF.

Concurso Seguir√°
A publica√ß√£o da nova comiss√£o para realiza√ß√£o do concurso p√ļblico j√° est√° no Di√°rio Oficial e l√° diz que a Chefe da Vigil√Ęncia Sanit√°ria, Camila Maciel, ser√° a presidente, sendo Dulcelina Mara de Almeida a secret√°ria e o enfermeiro L√°zaro Alves Dias membro. Entretanto, tem muita gente com a pretens√£o de solicitar o dinheiro da inscri√ß√£o de volta e √© legal a exig√™ncia. Com a nova comiss√£o, nova correria para o cumprimento de prazo, o que prova que o Minist√©rio P√ļblico estava certo ao cobrar princ√≠pios de legalidade, moralidade, impessoalidade e publicidade ao evento.
- Corrida contra o relógio.

Caos Total
A chuva de ontem (12/04) revelou que a pressa √© mesmo a inimiga da perfei√ß√£o. A administra√ß√£o municipal teve tr√™s anos para mostrar servi√ßo e resolveu trabalhar um pouquinho em ano eleitoral e o resultado de tudo isso n√£o √© nada edificante. No Posto de Sa√ļde central, choveu mais dentro que fora e mobilizou o pessoal dos servi√ßos gerais com rodo e pano para tirar √°gua eu veio das nuvens. Dois anos de premedita√ß√£o do projeto de reelei√ß√£o, demiss√£o dos companheiros que o elegeram e a edifica√ß√£o do mundo em apenas sete dias, esse √© o planejamento do Z√© da Loteria que causa caos e constrangimento a tudo e a todos.
- Mas isso tem data para acabar e vai até 31 de dezembro de 2012.

Bezerra X J√ļlio Campos
"Juntos por Mato Grosso", foi o nome da alian√ßa entre PFL e PMDB, reunindo Bezerra e J√ļlio Campos, em 1.998. A aproxima√ß√£o entre Jos√© Carlos da Silva e Devair Valim de Melo, agora, depois de cr√≠ticas √°cidas do ex-prefeito contra o atual, eles poder√£o se aliar para 2012. Seria uma esp√©cie de reedi√ß√£o do que deu errado com o slogan "Juntos por Nobres?". A alian√ßa entre Z√© Carlos e Devair caiu como uma bomba nos meios pol√≠ticos locais e se foi apenas para fazer barulho, o objetivo foi alcan√ßado com meros 11 decib√©is. Mas Devair √© esperto e pode estar testando a quantas anda a sua popularidade e se n√£o h√° conven√ß√£o, ainda n√£o h√° alian√ßa.
- N√£o caiam na √°gua sem os seus coletes, o risco de afogamento √© grande. Carlos Bezerra e J√ļlio Campos conseguiram se safar dessa alian√ßa e hoje s√£o deputados federais, e o Z√©? Vai voltar para a sala de cirurgia, carregando as cicatrizes das multas.

Leitor Assíduo
Soubemos que já temos mais um leitor assíduo de "Trincheira". Exatamente o deputado estadual José Riva, presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Em Nobres, tem um que gosta de ler, mas diz que não tempo, por ser uma pessoa muito ocupada. Entretanto, alguém do calibre de Riva, que faz política 25 horas por dia, encontra um tempinho, pelo agradecemos. Já anda longe a notícia do mais complexo, complicado e incompreensível 'casamento político' que Nobres já viu, melhor dizendo, pode ver, entre crítico e criticado ou Zé e Valim. Como ainda não houve convenção...
- ...alguém ainda corre o risco de ficar esperando no altar. Isso não é incompatibilidade de gênios, mas um mariticídio.

Alijado?
O vereador Waner Rondon parece que foi alijado da disputa ao não ter a sua filiação partidária feita em tempo hábil. Esse é o boato que se espalhou pela cidade e se for fato, com certeza vai causar estranheza pelo fato de discordar de qualquer aliança entre DEM e PP. Waner dizia que deixou o PP por causa do atual prefeito e não veria com bons olhos uma aliança entre DEM e PP. Teria sido deixado de lado por causa disso? O prefeito José Carlos da Silva é quem deve estar vibrando com isso, a não filiação de Waner.
- Devair que se segure, porque Waner n√£o vai deixar barato isso.

Me Engana...
...que eu 'g√≥stio'. Segundo um peri√≥dico, 'amarelinho da silva', o prefeito de Nobres fechou as torneiras do governo. √Č como vender algod√£o doce com valor nutritivo de feijoada, arroz e bife. Um governo que vai gastar cerca de 700 mil reais em uma festa de anivers√°rio do munic√≠pio, se isso √© conten√ß√£o de despesas, o que seria uma farra com dinheiro p√ļblico? Seria conten√ß√£o de gastos, investir 650 mil reais para reformar uma estrutura j√° existente e ainda gastar mais 10 mil reais com "out door" e placas para anunciar o que ser√° feito? E ainda paga-se pela mentira ao dizer que "reforma" seja "constru√ß√£o".
- E quem paga para que esse "correio" só traga boas notícias?

Sonhos
H√° os mais variados tipos de sonhos, entre os er√≥ticos ou aqueles em que o sujeito sonha em ganhar na loteria ou ficar rico. Tem algu√©m em Nobres que sonharia em poder inaugurar o viaduto em 1¬ļ de Maio. A√≠ tamb√©m j√° √© pedir demais; nem o g√™nio da l√Ęmpada n√£o concederia um desejo desses. Primeiro porque o sonhador n√£o tem nada a ver com o sonho, a obra √© do governo federal e quem conseguiu foi o deputado federal Wellinton Fagundes (PR), l√° atr√°s, ainda na gest√£o de Fl√°vio Dalmolin. Depois, quando era para ir procurar o engenheiro da Ecoplan para pedir a execu√ß√£o de um pr√©-projeto, o prefeito n√£o quis ir, talvez, por n√£o acreditar na sua viabiliza√ß√£o.
- N√£o √© melhor sonhar com os p√©s no ch√£o, pedindo para que a sa√ļde do povo seja tratada um pouco melhor? Sonhe coletivamente, ao inv√©s de pensar s√≥ em si.

Premiação
Ganhar√° o pr√™mio de um pirulito, quem adivinhar o nome daquele que denunciou ao Tribunal de Contas o "Caso Bomba d'√Āgua". A den√ļncia, supostamente an√īnima, foi acompanhada com duas c√≥pias de cheques e todo o teor das investiga√ß√Ķes. O secret√°rio de Finan√ßas sabe quem √©; o prefeito sabe quem foi.
- Posso falar? Es-cla-le-ce-lei, foi... foi... foi... Diz aí, secretário.

Mudança
Um nome que muito se ouve falar √© o do arquiteto R√°llide Andrade para a disputa de uma das vagas ao Parlamento municipal. Cauteloso, segundo um grande amigo seu, R√°llide prefere aguardar a chegada das conven√ß√Ķes municipais para realmente consolidar a candidatura embora n√£o esconda a sua condi√ß√£o de pr√©-candidato. Inegavelmente, o Parlamento municipal passar√° por mudan√ßas na sua composi√ß√£o a partir do ano que vem, at√© porque, as mudan√ßas fazem parte do processo democr√°tico e quatro anos √© tempo razo√°vel para que as pessoas dissessem a que foram chamadas nas elei√ß√Ķes municipais passadas.
- Ao menos cinco cadeiras ser√£o renovadas e se somar√£o √†s duas novas, estabelecidas pelo n√ļmero de habitantes.

Praça Central
Dizem que os recursos que est√£o sendo utilizados na meia constru√ß√£o da Pra√ßa Josino Serra seria oriundo de emenda da ent√£o senadora Serys Marli. Se o recurso for do governo federal, com a den√ļncia em curso, de uso de equipamento da Prefeitura de Nobres ali, a cobra vai fumar. Ainda que fosse com recursos pr√≥prios, mas √© estranha a participa√ß√£o de um equipamento p√ļblico em obra licitada e vencida por empresa privada. Al√©m da m√°quina ali utilizada, o poder p√ļblico ter√° que se explicar sobre o valor da obra de um local que j√° existia com ao menos 20% estruturado.
- O poder em Nobres parece estar sendo exercido sobre um grande salão de beleza, onde a maquiagem é o que de melhor tem.

Centro Comunit√°rio
O ex-vereador Wanderlei de Almeida, o Dena, entrou para a posteridade ao fazer retornar ao munic√≠pio a quantia de R$ 500.000,00, fruto de a√ß√£o civil p√ļblica que moveu contra a constru√ß√£o do trevo de entrada para Nobres. Esse dinheiro que foi estornado atrav√©s de a√ß√£o na justi√ßa √© o que est√° servindo as obras de recupera√ß√£o do centro comunit√°rio. Mesmo sem ser vereador, Dena est√° de olho bem aberto no andamento da obra e qualquer vacilo ainda pode render problemas ao atual prefeito, aliado de primeira hora do ex-Devair Valim.
- Será que passaria no Parlamento nobrense uma Moção de Aplauso a Dena de Almeida?

Centro Comunit√°rio II
√Č como diria Lula, nunca na hist√≥ria de Nobres ou de qualquer outro munic√≠pio do Vale do Rio Cuiab√°, um munic√≠pio teve dinheiro devolvido por fiscaliza√ß√£o de um vereador. 500 mil reais, agora utilizados na constru√ß√£o de outra metade do centro comunit√°rio. Mas, Dena, como pode a Escola "Maria Honorata", erguida por inteiro e daquele tamanho, custar 710 mil reais, e o centro comunit√°rio, com metade pronta, custar 650 mil reais? Dena, assunta com n√≥s essa diferen√ßa quilom√©trica.
- Seria absurdo dizer que já existia uns 60% de estrutura pronta do centro comunitário? O pavão é uma ave bonita, mas enfeitar os seus pés... custa caro, não?

Emergente
Pode até parecer absurdo, mas é verdade, um ex-jogador de futebol profissional foi passar uma temporada na casa de um 'convidante'; bebeu todas e foi tomar banho de piscina. Pois não é que o danado 'cagou' na piscina do anfitrião? Só merda subindo, por uma questão de densidade... coisas da física. Olha, a comparação é meio marota, mas vem merda por aí. A "ressurreição" daquele velho probleminha ocorrido naquele fatídico mês de agosto de 1.998 parece que está a caminho. Dizem os mais antigos que há dois tipos de justiça, aquela que é baseada no Direito Romano e uma outra, um pouco mais implacável, que vem das alturas.
- Descartem qualquer possibilidade de concomit√Ęncia entre uma e outra, seria o caos.

Arquivo Aberto
O ex-vereador e ex-secretário municipal prof. Neko, ajudou a eleger quem a prefeito? Andam dizendo que Neko e Evandro atrapalharam enormemente a administração do prefeito José Carlos entre 2009 e 2010. Entretanto, Neko estaria cavando uma boquinha para assumir mandato de vereador em ao menos um mês para mostrar a sua versão, e dizem que ela é cabeluda. O pagamento de uma tal taxa de condomínio ainda pode gerar problemas ao prefeito. Mas o então avalista do imóvel, Juarez Fiel, disse que quer vir a Nobres, na campanha, para contar umas verdades ao povo.
- O que est√° ruim sempre tem a chance de piorar.

Moradia
O Conselho Municipal de Habita√ß√£o est√° longe de ser a equipe dos sonhos. Os residenciais "Daury Riva" e "Andr√© Maggi" tem alguns nomes que andam longe de ser de pessoas carentes, n√£o bastassem as cita√ß√Ķes de que teria gente com terras em assentamento rural que teria casa num desses residenciais. E cad√™ o asfalto para as ruas dos dois novos bairros? Asfalto √© obriga√ß√£o contratual e cascalhamento √© coisa de estrada rural. Onde deveria estar encascalhado, na zona rural, o povo s√≥ v√™ lama. Onde √© para asfaltar, o poder p√ļblico joga cascalho. E onde estaria a √°rea de lazer dos bairros cont√≠guos?
- Sorte ou azar? Sorte a de Silvestre, que quer mini estádio para aquele bairro. Azar o do prefeito, que só constrói o que já encontra pela metade.

Sal√°rio em Dia
H√° uns anos atr√°s, um governante deixou o poder com tr√™s folhas salariais em atraso. Hoje, se haver atraso no pagamento do funcionalismo p√ļblico, imediatamente, alguns canais s√£o acionados e o risco de perda de mandato se torna iminente. As receitas p√ļblicas municipais oriundas do governo federal caem na conta da Prefeitura de Nobres conforme calend√°rio estabelecido, sem atraso, e s√≥ atrasa sal√°rio quem quiser ou por quest√Ķes de m√° gest√£o financeira. Pagar em dia n√£o √© mais que obriga√ß√£o e um dever do gestor que tenha receio e n√£o goste de andar no cambur√£o.
- Eu quero meu sal√°rio em dia; eu quero garantia; sen√£o eu boto pra f...der. Uai! Trocaram o refr√£o?

Pol√≠tica/Negocia√ß√Ķes
Vejam como funcionam as coisas na pol√≠tica, segundo nos informaram. Consta que o professor Magal teria sido sondado para assumir o Departamento de Esportes. E vejam ainda as armadilhas a um diretor de escola municipal, que assumiria um outro cargo na mesma administra√ß√£o, abdicando ainda da futura candidatura a vereador. E para culminar, caso Magal viesse a aceitar, o prof. Lucinei Pinho seria a √ļnica v√≠tima, ao perder o cargo para o qual o chamaram, recentemente. √Č o que dizem, mas, ser√° mesmo?
- Alguém entende isso? Quanta insegurança?

Super Mico
Depois de 55 indica√ß√Ķes de vereadores, inclusive com fotos, mostrando o estado de abandono da √ļnica pra√ßa do maior bairro de Nobres, eis que a Prefeitura de Nobres mandou recuperar a pra√ßa. O mico fica por conta de uma suposta sugest√£o de um "vereador virtual", do bairro Buritis, em Diamantino, que avoca para si a reforma da pra√ßa, com apenas um clique no mouse. Ser√° que o prefeito de Nobres j√° administra por telepatia, atendendo palpites de peru de fora? Quanta pretens√£o do "The Washington Poste' - para demarca√ß√£o de territ√≥rio".
- Tá certo, a cagada é nossa e os peidos perfumados vêm de fora.

Atitude
O vereador Silvestre Campos (PR) tem pontuado a sua participa√ß√£o pol√≠tica com atitudes. Telefonemas √† nossa reda√ß√£o apontam que moradores dos novos n√ļcleos habitacionais (Daury Riva e Andr√© Maggi) estariam satisfeitos com a atitude do vereador ao cogitar a implanta√ß√£o de um mini-est√°dio para servir aos moradores daquele bairro. De acordo com uma moradora, enquanto Silvestre demonstra atitude, outros frequentariam o bairro na calada da noite na inten√ß√£o de fomentar a "ind√ļstria" do voto. J√° que s√£o os moradores que nos dizem isso, a satisfa√ß√£o √© redobrada por ter este ve√≠culo como um canal de informa√ß√£o aos clamores populares.
- Vale lembrar que asfalto, luz e √°gua s√£o melhorias obrigat√≥rias da Prefeitura de Nobres como contrapartida √† infraestrutura b√°sica nos n√ļcleos habitacionais.

Cirurgias/Problemas
Até que ponto compensaria continuar a ser prefeito tendo que arcar com prejuízos financeiros por conta de despesas com pagamento de multas ao TCE-MT de mais de 120 mil reais? Compensaria pagar advogado para defender a causa das tais cirurgias feitas no hospital conveniado, que chegariam a perto de 100 mil reais? Quem vai pagar essa conta? São conversas atiradas ao ar e que comprometeriam o futuro político do representante governista. Se, porventura, tiver um caso de laqueadura, aí sim, não haverá defesa para o futuro candidato a recandidatura em Nobres. Realmente, o prefeito José Carlos da Silva pode ter um milhão de amigos novos, mas a sua situação política é grave.
- Mas não há nada tão ruim que não possa piorar, ventos que sopram de dentro do governo apontariam que haveria um dossiê pronto a ser jogado ao ar.

Listagem Finita
As chamadas transfer√™ncias on line que tantas dores de cabe√ßas causaram e ainda causam aos governantes parece n√£o ter fim. Na administra√ß√£o atual, nos √ļltimos meses, foram muitas as transfer√™ncias e se j√° andaram na velocidade da luz, podem estar pra l√° dos an√©is de Saturno. Essa seria a tal opera√ß√£o rumo ao infinito, feito algu√©m mandar lembran√ßa a quem n√£o se conhece. Do lado de l√° chega um cr√©dito, algu√©m sabe para quem, algu√©m viu? Enquanto isso, nos balancetes mensais da Prefeitura local n√£o aparece o tal montante da d√≠vida p√ļblica, que √© maquiada para esconder as d√≠vidas que, se cobradas judicialmente, ter√£o que ser pagas.
- Um balancete municipal real, constando inclusive as d√≠vidas do dinheiro do FGTS, surrupiado das contas dos servidores p√ļblicos municipais, anos atr√°s, quebraria qualquer bolsa de valores.

FGTS/Sumiço
Durante o per√≠odo em que nas prefeituras municipais mudaram do regime celetista para o regime jur√≠dico √ļnico, consta que as contas do FGTS foram saqueadas (veja bem, saqueadas e n√£o sacadas) e h√° a√ß√Ķes correndo na Justi√ßa para que os servidores possam reaver o que lhes pertence. Quem vai pagar essa conta? Quem saqueou as contas? Em que ano foi? Bem, o contribuinte √© quem sempre pagou o pato e n√£o vai ser desta vez que n√£o pagar√°. Isso n√£o aparece nos balancetes, e o governo atual s√≥ vai empurrar com a barriga. Ningu√©m sabe, por exemplo, que o hospital conveniado n√£o recebe desde fevereiro e que de 85 mil reais j√° foi para 96 mil reais mensais essa conta.
- E o prefeito fazendo acordos pol√≠ticos comprometendo o er√°rio. Ser√° que n√£o tem como fazer uma "laqueadura" nas contas p√ļblicas para evitar essa "pari√ß√£o" de infort√ļnios contra o er√°rio?

Sorte ou Azar?
Os dias futuros na pol√≠tica de Nobres ter√£o duas denomina√ß√Ķes: sorte ou azar? De sorte que muitos eleitores, mas muitos eleitores mesmo, ter√£o compromisso apenas com os candidatos a vereadores, ficando livre para votar em quem quiser para prefeito. Azar √© que aquele que j√° estava desgastado e v√™ a sua popularidade patinando nos escorregadios trilhos deixados no passado e quanto mais se acelera, mais o processo de desacelera√ß√£o ocorre. De sorte e com muito azar a um s√≥ tempo, √© que o Minist√©rio P√ļblico est√° atento √†s manobras furtivas que possam ocorrer em nome do uso da m√°quina p√ļblica para "rebocar" nomes que patinam nessa longa estrada da vida e por mais que se corram, eles nunca chegam.
- Sorte é contar com as redes sociais, frequentadérrimas pelos jovens e pelos formadores de opinião, que sabem que casamentos "arranjados", nem na cultura milenar japonesa não funcionam mais.

Punição?
Se os vereadores Fermino e Bacalhau n√£o deixassem de apoiar o governo do Z√© eles corriam o risco de puni√ß√£o com expuls√£o, segundo o ex-prefeito Devair Valim atrav√©s de informa√ß√Ķes a imprensa. Ele √© quem queria "acertar" com o Z√© e j√° garantiu que est√° tudo certo, rompendo com as pr√≥prias afirmativas. A pressa √© tanta, que faltou liberar os vereadores do Democrata do compromisso de "fugir" para bem longe do Z√©. Como explicar isso ao povo da cidade? Na zona rural nem precisa dizer, porque o povo rural anda mais "ladino" que quem mora em Manhattan, na terra do Tio Sam.
- Tem gente que prefere complicar a ter que explicar.

Complicador
Quem n√£o entende de pol√≠tica, nadinha, n√£o conseguiria mesmo entender como alguns nomes de lideran√ßas rurais do Assentamento Bonanza aparecem nos balancetes da Prefeitura de Nobres. Dif√≠cil de entender, mesmo, √© como as melhorias para aquele assentamento rural come√ßaram a surgir como num passe de m√°gica. Mas tem uma explica√ß√£o, o fen√īmeno s√≥ ocorre porque tem secret√°rio que tem propriedade ali.
- E a nossa modesta participação é votar nas pessoas para nos comandar e fazer o que bem quiser com o nosso dinheiro.

Cinema em Casa
No entender de Devair, ele j√° assumir√° de imediato as a√ß√Ķes de governo para garantir uma din√Ęmica administrativa que permitir√° com que o governo realmente trabalhe. Mas, e o que fez o prefeito em tr√™s anos? Precisava de algu√©m com bastante din√Ęmica para ensinar os governistas a trabalhar? Isso n√£o gerar√° uma crise de relacionamento ou de compet√™ncia, dizer que vai ensinar o prefeito a trabalhar? O governo precisaria de meros coadjuvantes ou de um protagonista? Olha, mais realista que o rei, isso n√£o tiraria o brilho de algu√©m no atual reinado?
- Isso n√£o vai dar certo, entrar no avi√£o agora e j√° pretender a janela. E o Vento Levou...

Paradigmas Quebrados
H√° pelo menos umas duas d√©cadas atr√°s, a tese de que pol√≠tica e futebol n√£o se misturavam era sustentada por muitos. Depois que o clube mais tradicional de Mato Grosso, o Mixto EC, passou a contar com apoio de pol√≠ticos e teve o atual presidente da C√Ęmara Municipal de Cuiab√°, J√ļlio Pinheiro, como presidente, passando por Eder de Moraes, Riva e at√© o dombosquino Jo√£o Dorileo Leal apoiando a tal Afam, que dirigia administrativamente o clube, tudo se transformou. Outra tese que envelheceu, √© a de que pol√≠tica e religi√£o n√£o se misturavam; isso, at√© que n√£o surgissem nomes de pol√≠ticos ligados a determinadas igrejas envolvidos no esc√Ęndalo do mensal√£o.
- Em Nobres, o futuro reserva situa√ß√Ķes que derrubar√£o todas as teses que escandalizavam no passado e que se tornar√£o normais com o tempo.

Nobreyork City
Nem o inquestion√°vel Leonardo Da Vinci acreditaria na tese futurista de que um dia vencedor e derrotado se uniriam para tentar continuar no poder. Depois de desfeita a dupla "O Doutor e Fazendeiro", tudo leva a crer que agora estar√£o unidos no mesmo palanque o doutor e o paciente (derivado de paciencioso, esperan√ßoso) Devair Valim, que espera por uma vit√≥ria h√° exatos 12 anos ou quase isso, depois da primeira derrota, em outubro de 2000, para Fl√°vio Dalmolin. Estar√£o no mesmo palanque, o prefeito Z√© Carlos e Devair Valim, segundo as alian√ßas que se desenham para as elei√ß√Ķes de 07 de outubro, vindouro. Nem o mais ousado dos alquimistas, acreditaria nessa fus√£o de interesses entre os candidat√°veis, j√° que ambos se recusavam publicamente at√© a poucos dias.
- Tudo come√ßar√° quando Devair Valim puxar o tapete do suposto vice Ney Campos. Well! L√° do alto do palanque eles acenar√£o ao p√ļblico, entre Cl√°udio Vitalino; Andr√© Avelino; Devair; Z√© Carlos; Ney Campos e o ex-colega vereador Pedro Gallo e Ademir Messias.

Rosariwood
Depois da atua√ß√£o do MPE (Minist√©rio P√ļblico Estadual) sobre atos e fatos que ocorreriam nos bastidores pol√≠ticos em Ros√°rio Oeste, algumas candidaturas desabar√£o, feito pedras de domin√≥, segundo se desenha. Quando as investiga√ß√Ķes come√ßarem, barbas ser√£o colocadas de molho. Exemplo disso j√° ocorreria com uma vereadora local, que est√° enfrentando s√©rios problemas e pode ter que devolver dinheiro ao er√°rio. Mas h√° outras situa√ß√Ķes, um pouquinho mais complexas, e que estariam no curso das averigua√ß√Ķes daqui pra frente. Seria s√≥ uma quest√£o de tempo para tudo se clarear.
- Vêm novidades por aí.

Last Updated ( Saturday, 28 April 2012 13:44 )

 

Trincheira XIV

Prévias/Prensa
A pr√©via que apontar√° os nomes que representar√£o a regi√£o rural na disputa √† C√Ęmara de Vereadores, prevista para 15 de abril, est√° "bombando" e com boa aceita√ß√£o na Roda d'√Āgua e seu entorno. Aqui em Nobres, sob influ√™ncia d



































































































































































































































































































































Last Updated ( Monday, 09 April 2012 19:12 )

TRINCHEIRA XIII

Marinheiro Sou
Em tempos de "mariner's" por aqui e após a descoberta de um Almirante, o Capitão Jack Sparrow determinou que não se aceitará mais por aqui piadas sobre português a fim de não constranger os torcedores do Vasco e da Portuguesa de D
















































































































































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 21 March 2012 18:00 )

Trincheira XII

P√ļblico ou Privado?
O site institucional da Prefeitura de Nobres está bombando, com a exibição de dezenas de fotos do carnaval, na maioria, exibindo secretários em plena festa, na maior 'pegação' e azaração. Isso, como portal institucional é
























































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 25 February 2012 20:07 )

Trincheira XI

Carreira Solo
Depois de anos de inatividade após estar ativa na gestão anterior, a dupla Sete Placas e Trivelato foi mesmo desfeita e flagramos, sábado, dia 04 de fevereiro, uma apresentação solo do ex-da dupla, o Trivelato, no bairro São José.




























































































































































































































































































































































































Last Updated ( Monday, 06 February 2012 10:19 )

Page 9 of 11

Trincheira LVI

Imaginação Fértil Se você não pensa, há quem pense por você. Tem gente imaginando como seria uma confraternização entre o pessoal da imprensa local nos próximos dias e depois de uma três caixas de cerveja (garrafas). Um dos problemas para esse acontecimento, pra lá de surreal, seria a uni

Rumos e Defini√ß√Ķes

A política municipal em Nobres parece que converge para um rumo que difere completamente do sistema político nacional. Longe da crise de confiança estabelecida no cenário nacional a partir da corrupção que ainda é marca nacional e a política exercida sorrateiramente por antigas cobras de um
Banner
Banner
Banner
Banner