You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

10/12/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira V

Medo da Chuva
Plagiar Raul Seixas até que é fácil; difícil é plagiar 'Warter', o Cipó, quando ele se lança como Raul e o seu Medo da Chuva; "Eu prefiro meu medo, meu medo da chuva...". Mas quem tem medo da chuva somos todos nós, enquanto não chega àquela empresa que vai quebrar tudo e fazer tudo de novo... não semelhante, obviamente. Se na estiagem não vêm, na chuva tudo ficará mais difícil, salvo se ocorrer um aditivo e mais um e outro em seguida, para ficar por aqui até "Quando a Chuva Passar", segundo a espetacular(íssima) Paula Fernandes.
- "Me valoriza, meu São José". Parece até propaganda de loja... vai quebrar tudo. E o bairro São José espera, espera e nunca alcança.

Terreno √ćngreme
Depois dessa "debulhada" no Minist√©rio dos Transportes e de tudo o quem falando um tal senador M√°rio Couto, o Partido da Rep√ļblica (PR) vai estar feio na foto e aquela badala√ß√£o toda do deputado federal Wellington Fagundes (PR) para candidato ao governo do Estado parece que vai miar. E nessa "guerra" entre VLT e BRT (tipos diferentes de transporte urbano e n√£o siglas partid√°rias), o PR corre o risco de ser o partido a ser atropelado, inclusive nos munic√≠pios.
- Orai e vigiai, senhores vereadores republicanos, porque o terreno est√° escorregadio.

Alvoroço
O encontro para lançamento oficial do PSD na sede da AMM, dia 01 de agosto, à noite, deixou o pessoal da mídia naquele alvoroço todo e os holofotes eram para o prefeito Gilberto Kassab e ora se voltavam todos para o deputado Riva que foi elogiado pela coordenação da nova sigla em tempo considerado rápido. Já somariam mais de 20.000 adeptos em Mato Grosso e na AMM tudo parecia pequeno para tanta gente. Enquanto isso, os partidos que encolheram até agora fazem pressão por uma tal de fidelidade que não anda muito na moda... nem nas melhores famílias dos mais renomados vikings.
- Infidelidade na política ou trairagem, o manual recomenda que ninguém saia por aí com essa de atirar a primeira pedra.

Escola "Dalci"
Dia 28 de abril, pela manh√£, durante a inaugura√ß√£o da primeira etapa de reformas na Escola Municipal "Dalci C√Ęndida de Souza", o prefeito Jos√© Carlos da Silva disse: "saio daqui j√° pensando na segunda etapa desse trabalho que come√ßamos". J√° n√£o seria tempo de o prefeito ter dado ao menos um lance, movendo ao menos uma pedra do tabuleiro? Um enxadrista determinado n√£o levaria tanto tempo assim para estudar uma jogada que o livrasse do xeque (xeque com X, mesmo).
- A segunda etapa é para quando, mesmo?

Gesto Solid√°rio
O prof¬ļ Durval Maciel n√£o se intimidou com uma amea√ßa que n√£o existia e foi participar da conven√ß√£o do PSD na resid√™ncia de Gilmarzinho da Ecoplan e ainda deu seu depoimento em favor do presidente provis√≥rio da sigla, numa demonstra√ß√£o de respeito e de amizade. Para Gilmarzinho, esse tipo de manifesta√ß√£o renova as esperan√ßas e ao mesmo tempo d√° a certeza de que a democracia parece querer existir nos meios sociais, apesar de algumas propostas retr√≥gradas de revanchismo. O prof¬ļ Durval Maciel foi aplaudido, e a contadora Maria de Lourdes tamb√©m.
- √Č como diria o enigm√°tico Paulo Coelho acerca de o universo conspirar em favor de pessoas que querem algo, que desejam algo.

Tiradas
O técnico da Empaer e provável nome à sucessão municipal em 2012, Elias Queiroz, tem sacado do seu vocabulário algumas bem oxigenadas frases em momentos oportunos e uma delas fala sobre uma tal figura política com "cabeça de baleia e rabo de lambari". Em outra oportunidade, Elias, quando quer chamar a atenção de algum interlocutor, diz: "me valoriza, companheiro". Vai precisar dessa frase pelos próximos meses quando chegar 2012 ao manter esse seu projeto político. Tem pegado firme no projeto de recuperação ambiental sob o direcionamento do Rotary Club e sabe como ninguém valorizar o lazer e a brincadeira sadia, além de bom intérprete de algumas baladas dos anos 60, apesar do "coração de estudante" que preserva.
- Sentados à Beira do Caminho, no Recanto do Irmão Zé, ali na ponte do Xaxim.

Enfim, o Respeito
Ainda n√£o aconteceu, mas essa lebre n√≥s √© que levantamos, de que faltaria mais respeito ao com√©rcio local por parte da atual administra√ß√£o municipal e parece que provid√™ncias est√£o sendo tomadas para que o compromisso financeiro seja cumprido. Tamb√©m, depois do que est√° sendo alardeado, de que andaria bem perto de faltar a "b√≥ia" nas casas sociais atendidas pelo governo, cujos recursos para essa finalidade s√£o de origem federal. Afinal, se os recursos n√£o s√£o pr√≥prios, o que √© feito com as receitas p√ļblicas origin√°rias do governo federal? Algu√©m precisa fiscalizar o que √© feito do dinheiro p√ļblico, resta saber quem, quando e de que forma?
- Nunca se viu tanta empresa de assessoria contratada para assessorar o assessor do assessor daquele assessor que assessora o assessor. O nome que se dá a isso é incompetência e falta de vontade em desocupar a moita.

Quem és?
Uma pessoa, at√© bem informada, procurou atendimento de sa√ļde em um PSF e n√£o conseguiu ser atendida, ao menos enquanto n√£o informaram sobre onde esta trabalharia. Depois que foi anunciado que seria o gerente de uma certa loja da nossa City, a√≠ o tratamento foi diferenciado e o mo√ßo "quase" foi atendido. A coisa √© por "cara" e por fun√ß√£o dentro do tecido social e o "quase" ficou por conta da recusa do gerente que n√£o buscou atendimento na condi√ß√£o de gerente, mas de cidad√£o pagador de seus impostos. E como sabemos que o secret√°rio de Sa√ļde tem tomado provid√™ncias a determinadas situa√ß√Ķes...
- ... essa é de doer e traumática, além de discriminatória.

Velha Tradição
O bairro S√£o Jos√©, em Nobres, ainda conserva aspectos de cidade antiga, com a preserva√ß√£o de fatos pitorescos e irreais em rela√ß√£o a localidades semelhantes e mais desenvolvidas. √Č comum (ainda) no bairro citadino, as pessoas juntarem o cisco (folhas secas, galhos e pap√©is) do quintal e atear fogo, de onde se ergue pequena cortina de fuma√ßa; pela manh√£, galinhas, pintos e frangos circulam por algumas ruas do bairro, quando n√£o s√£o perseguidos pelo elevado n√ļmero de c√£es. A palavra meio ambiente n√£o faz parte do vocabul√°rio de muitas pessoas no bairro, onde algumas delas, de consider√°vel conhecimento, jogam a sujeira do quintal em frente √† pr√≥pria casa, do outro lado da rua.
- Onde a prefeitura fecha as portas por um mês, esperar o que de quem?

√Č Falar...
...e acontecer. Falamos de um buraco existente no cruzamento da Valdon Varjão com a rua Pará e foram lá tapar o buraco no asfalto numa forma inovadora... o que era feito com argila, agora é com cascalho. Infelizmente, com a Polícia Civil em greve, não dá nem para dizer, mas o caso é de polícia, ver tapar buraco no asfalto com cascalho. O que mais falta acontecer em Nobres onde a prefeitura fecha as portas e o comércio não recebe, nem os recursos de origem federal não são vistos mais.
- Um jogo imagin√°rio entre os times A (1997/2000) e B (2009/2011), o jogo terminaria 1 a 0 para o time A, ap√≥s 2012 s√©ries de penalidades chutadas para fora, com um √ļnico aproveitamento.

Babado Forte
O s√≠tio de not√≠cias rec√©m lan√ßado, o Nobres Not√≠cias, est√° com uma mat√©ria interessante e envolve o nome do vereador Beto Valandro acerca de investiga√ß√Ķes sobre a cria√ß√£o de uma ag√™ncia de publicidade. O teor da mat√©ria √© insinuante e apontaria a extens√£o do problema em que se meteu o governo atual a partir da contrata√ß√£o de alguns "magos" em gest√£o p√ļblica. Veja parte do texto que est√° no citado site: "Uma delas d√° conta, por exemplo, de que um secret√°rio super-poderoso, com poderes extraordin√°rios, teria feito acordo com uma empresa de comunica√ß√£o da cidade para que a mesma ven√ßa a licita√ß√£o e que em troca o mesmo receba a diferen√ßa do valor repassado √† empresa em materiais de constru√ß√£o que seriam repassados pela loja de material de constru√ß√£o de propriedade da fam√≠lia da empres√°ria".
- √Č nitroglicerina pura e estaria partindo de quem acaba de deixar o governo. Prefeito, provid√™ncias devem ser tomadas antes que a vaca v√° pro brejo.

Babado Forte II
Analisando a cita√ß√£o do ex-secret√°rio de Educa√ß√£o, o prof. Neko, de que apesar dos pesares ele teme pelo governo, o texto do t√≥pico anterior, o que fala do tal super-poderoso, com poderes extraordin√°rios, e seus acordos, nos remete a um √ļnico nome e nem precisa de exame de retrato falado para saber quem √©. Partindo desse pressuposto, a temeridade √© muito maior e o prefeito vai ter que tomar medidas dr√°sticas diante de um problema que ele j√° conhece e s√≥ n√£o agiu at√© agora n√£o se sabe por qu√™. Faltaria ao prefeito um gesto de humildade ao dar um passo atr√°s e convocar antigos aliados para sentar √† mesa e buscar uma sa√≠da honrosa ao governo que pode ser prejudicial a todos, indistintamente. Se o nocaute √© iminente, por que n√£o jogar a toalha? Demite o sujeito (ainda oculto), antes que ele se torne vistoso e todos saiam num cambur√£o. E o "cara" (sim, ele √© o "cara") ainda diz que quem manda l√° √© ele.
- O 'carpinteiro' José clama por sua Maria, seja das Dores, de Guadalupe ou de Lourdes.

Aborto Provocado
Tomara que esta citação aqui tenha o mesmo princípio ativo que o de um remédio abortivo, lembrando que a reforma das dependências do Procon já consumiram nove meses regulamentares e nada até agora. O que era para ser um parto prematuro, já passa da hora, e o jeito é uma receita de sumo de melão de São Caetano com algumas gotas de vinagre para ver se a obra sai ou se alguém desocupa a moita. O "rei" de Wall Street já havia programado que o custo da reforma ficaria em 40 mil reais, bem mais caro que o próprio imóvel, mas, em se tratando da Casa da Moeda em que Nobres se transformou, o valor é mixaria. Tanto, que não sai do papel.
- Em terra onde falta Q.Boa, gato toma em banheira com sais aromatizantes e rato come queijo Provolone.

"Tomorrowland"
Aquele sitio(zinho), de propriedade do falecido cantor Michael Jackson, denominado de Neverland (Terra do Nunca) já está sendo plagiado e Nobres está se transformando na "Terra do Amanhã" ou Tomorrowland. Tudo aqui tem ficado pra amanhã e vemos alguns exemplos bem explícitos, por exemplo, a mini moratória decretada pela prefeitura, o seu fim ficou para amanhã; a reforma do prédio do Procon, ficou para amanhã; a chegada dos maquinários e da empresa que iria "quebrar" tudo e fazer asfalto novo ficou para "tomorrow"; o pagamento do funcionalismo 'fugiu' do calendário e também ficou para "tomorrow".
- Em outubro do ano que vem o voto à reeleição ficará para "tomorrow". Enquanto isso, o povo "tomorrow" na tarraqueta. Nem Jó teve tanta paciência, assim.

Mal Frequentada
A reforma da Pra√ßa do Bairro Serragem, se j√° aconteceu, √© abstrata ou feito rastro de lobisomem... ningu√©m v√™. Com sinais de abandono, caracter√≠sticas e DNA, mesmo, de abandono, a pra√ßa do S√£o Jos√©, √† noite, vem sendo mal freq√ľentada e se tornou ambiente prop√≠cio ao uso de, como diria a linguagem policial, subst√Ęncia an√°loga a "farinha" que vem da terra de Evo Morales. Ali perto, lixo √© atirado √† margem da rua e tudo parece normal. Na divis√£o da responsabilidade, meio a meio, sendo que cabe aos mun√≠cipes ali o papel de acondicionar o lixo e aguardar a sua regular coleta. O dif√≠cil √© encontrar embalagem para acondicionar colch√£o velho.
- Mas tudo bem, os executivos de Wall Street n√£o passam por aquelas bandas, f...dam-se aqueles que moram por ali. Valha-nos, S√£o Sebasti√£o do Rio Nobres Abaixo.

Mal Frequentada II
Meio fora de moda a sativa cannabis por aqui, qualquer dia desses, pode partir dali da Pra√ßa do Bairro S√£o Jos√©, √† noite, a marcha da maconha ou da pedra da morte, como queiram. Vai que a galera que freq√ľenta o local nas altas horas n√£o resolve fazer um manifesto pela libera√ß√£o da pedra? E se isso acontecer, podem aguardar por uma onda de desemprego; √© que tem muita gente que faz a festa com a distribui√ß√£o da pedra da morte. Mas, voltando a realidade, a pra√ßa do S√£o Jos√© t√° com uma panor√Ęmica de doer.
- Atrás de Amy Winehouse só não vai quem já partiu dessa para uma melhor.

Fen√īmeno Estranho
A contadora Maria de Lourdes Fernandes chegou a ser cogitada para compor a administra√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva e foi preterida. Quando voltou a ser cotada para compor o mesmo governo, numa segunda ou terceira investida, Maria de Lourdes teria declinado do convite, o √ļltimo, feito recentemente. Conseguiu o feito de contribuir para que a administra√ß√£o do prefeito Joemil Ara√ļjo tivesse duas contas aprovadas (2009/2010). Se algo der errado nas contas de Nobres, relativas ao ano de 2010, ela vai ter que rir, ainda que seja da escorregada alheia. Intriga saber que longe do atual governo tudo d√° certo. Mesmo sem querer ser o portador de m√°s not√≠cias, algo preocupa sobre o que vem por a√≠.
- Samborepemba, folha de jurema..., se essa passar, vai ser por um triz ou por duas "cuiéradas" de picanha ao molho champignon.

Fen√īmeno Estranho II
Depois que deixou o governo ou foi deixado por este, as coisas para o prof. Neko mudaram, e pra melhor. J√° l√°, tudo continua naquela maresia, feriado para o p√ļblico, feito quem est√° com a chamada "cefal√©ia" p√≥s-insucessos e com nojo na cara das pessoas da cidade; da√≠, quanto mais longe o povo for mantido, melhor. N√£o por acaso, em recente entrevista ao jornal local, o ex-secret√°rio Neko chutou o pau da barraca e contou fatos at√© ent√£o desconhecidos da popula√ß√£o. Que diabos teria l√°, que quando a pessoa sa√≠ ou n√£o quer ir parar l√°, tudo termina com um "happy end?" "Porventura sou eu, Senhor?". Deve ser porque a gente √© meio burrinho e l√° no Castelo de Serafia anda cheio de gente que veio de Wall Street.
- Aguarda a√≠, um tiquinho s√≥, vou atender a porta, deve ser o entregador de pizza:¬† "Ah! √Č o senhor, seu Bab√°... √© Ali, sobre aquela mesa".

Encrenca Pura
No cruzamento das ruas Pará e Valdon Varjão perdura um buraco que já deu o que falar e motivou até painel em parede sobre a cratera, além, é claro de motivar candidatura ao cargo majoritário em 2008. Foi tapado, e eis que ressurge o danado do buraco, de novo, mais 'belo' e de boca aberta; como ainda não veio à chuva, ele permanece "invisível", já que ninguém o vê, só quem resolve passar pela rua e tem a necessidade de se desviar daquele pedaço de solo lunar. Será que o "mago", vindo de Wall Street, passa por aquela rua?
- Nesse caso (da rua, obviamente), o procedimento cir√ļrgico seria invasivo e com a necessidade de anestesia geral e "sutura" ap√≥s. "Bamo rapaz, o buraco √© mais embaixo".

Encrenca Pura II
Depois que um ex-prefeito passou aquela vergonha danada, vendo duas senhoras "desfazendo" uma operação tapa-buraco realizada ali pertinho da agência do Correio, é bom evitar vexames. Também, tapar braço com argila, só em Nobres. Se bem que muita gente, já cansada de esperar, começou a tapar buracos das ruas com brita, ali, próximo ao PSF do São José. Mas isso foi em 2010 e ficou no passado, agora a coisa "tá uma belezura", não tem mais poeira e todos estão felizes para sempre.
- Enquanto isso, no bairro São José, aguarda-se pela empreiteira de mesmo nome.

Poluição Sonora
Est√° fazendo o maior sucesso, ao menos entre aqueles que s√£o surdos e n√£o est√£o nem "tchum" para a barulheira, as motos com escapamento barulhento e ainda aqueles babacas que gostam de aparecer e empinam motos. A barulheira na cidade √© qualquer coisa fora do normal, j√° a babaquice de empinar motos, quando um ot√°rio vai ao ch√£o e sofre les√Ķes e √© levado a um hospital, a sua not√≥ria burrice envolve profissionais da sa√ļde, entre t√©cnicos de enfermagem, enfermeiros, m√©dicos, motoristas, gastos com medicamentos, com combust√≠vel, com leito hospitalar, lavanderia para lavar as cagadas dos "man√©'s", enfim, altos gastos e desnecess√°rios. Em caso de les√£o por conta de manobras com empinamento de motos, o tratamento vai ser mudado...
- ...banana da terra (descascada e bem verdinha) e um tubo de vaselina... a m√©dia de acidente vai cair para um acidente por √Ęnus.

Farra em Assentamentos
Depois da den√ļncia feita pelo Fant√°stico, dia 24 de julho, √† noite, descobrimos que a revista eletr√īnica s√≥ fez reportagem em ambiente "chiqu√©rrimo", mas venham ver o que acontece em Nobres, em Ros√°rio Oeste e o que est√° por vir nesses assentamentos que se desenham no Distrito da Guia e no munic√≠pio de Jangada, onde, aos domingos, as barracas est√£o tomadas de carros populares e at√© alguns utilit√°rios. Essas pessoas seriam descamisadas e sem-terra? Na Coqueiral (Nobres) e na Forquilha do Rio Manso (Ros√°rio Oeste), os atuais ocupantes dos im√≥veis da reforma agr√°ria s√£o pol√≠ticos, ex-pol√≠ticos, servidores p√ļblicos (estaduais, municipais e federais), policiais (civis e militares); estes teriam perfil de assentados rurais?
- O "produto" que mais se vê nesses assentamentos são "laranjas", produzidos em grande escala, para segurar a vaga de algum granfino. Há quem plante e há quem colha (e muito) os dividendos da reforma agrária.

Sujeito Bacana
Quando era menino, me entusiasmava com as fitas cinematogr√°ficas e vi alguns filmes com o ator ingl√™s naturalizado norte-americano, Stewart Granger (nascido James Lablanche Stewart), nos padr√Ķes do super astro Errol Flynn, dos idos anos 50. Anos depois, o Fant√°stico mostra um filho do astro Stewart Granger, o fot√≥grafo Jamie Stewart, ocupando √°rea de assentamento do Incra. Na Coqueiral embora n√£o tenhamos nem um filho de ator ingl√™s, temos bons atores tupiniquins, que fazem o papel de protagonistas em "Terras dos Outros".
- Cadê a PF?

Efeito Amy
A cantora pop inglesa, morta aos 27 anos, repete a s√≠ndrome do ano 27, que j√° levou alguns nomes famosos como Bob Marley e Janis Joplin, e agora amea√ßa o Cor√≠nthians, com 28 pontos no Campeonato Brasileiro. A s√≠ndrome do 27 pode levar o Cor√≠nthians, com 28 pontos, a sofrer os efeitos de Amy Winehouse e sucumbir por overdose de craque, mas craque, mesmo, chamado Wallysson... aquele que chutou a 40 metros de dist√Ęncia e o "guapo comeu a lebre", inteirinha.
- Vai que (não) é sua Renan.

Batendo o Martelo
Foi a leilão neste domingo, à tarde, a invencibilidade do Corínthians, de dez  jogos. O martelo foi batido e o timão caiu por um Cruzeiro. Quem diria que uma invencibilidade custasse tão barato, 1 Cruzeiro. E vendo o goleiro Fábio, do Cruzeiro, em boa forma, o técnico Mano Menezes será que vai insistir em levar aquele "frango", adivinhador de canto?
- Quem dá mais, dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três, vendida a invencibilidade para aquele senhor, ali, do meio campo, o Walysson.

Coisas de Vizinho
Nas comunidades solid√°rias, quando falta a√ß√ļcar, caf√© ou qualquer outra coisa em casa, o vizinho costuma emprestar de outro. Ainda n√£o tinha ouvido falar que um vizinho pedisse sab√£o e √°gua sanit√°ria emprestado de outro. Em reparti√ß√Ķes p√ļblicas, menos ainda. E quem comemorou a compra pelo governo se enganou, foi apenas um "empr√©stimo" de outra pasta. Tamb√©m, depois que a prefeitura fecha as portas por 15 dias, o que mais faltaria acontecer nesse governo?
- Cumadre, a sinhora tem um sabão em pó pra me emprestá? Quando Juzé recebê nóis paga.

Curiosidade Exagerada
Qual ter√° sido o motivo da convoca√ß√£o de dois membros do governo para deslocamento at√© a sede do TCE-MT? A curiosidade √© de muitos e n√£o ter√° sido para apenas um "breakfest". As pessoas pr√≥ximas ao prefeito, aquelas que fazem parte do seu seleto grupo de amigos de verdade, o tem alertado acerca dos riscos que ele corre enquanto gestor p√ļblico e sobre os ocupantes da ilha em que se encontra o gestor. O alerta vem precedido de sinal vermelho, mas Jos√© Carlos da Silva n√£o daria ouvidos, nem mesmo aos amigos reais. Batalhas se ganham e batalhas se perdem, Napole√£o Bonaparte que o diga; quando ganhou, Bonaparte fez distribuir a Europa em m√£os de amigos e familiares; quando perdeu a sua segunda batalha, foi exilado e terminou seus dias sozinho.
- Já aqui em Waterloo Nobres City, a batalha já está chegando ao fim. E Napoleão virou contador de histórias na ilha de Santa Helena.

Falência Lá
Ganhar√° um quilo de 'trair√£o' seco (pescado no Arinos) quem adivinhar qual o secret√°rio de Nobres que j√° foi dono de um PA (n√£o confundir com Projeto de Assentamento) em Nova Mutum e o empreendimento faliu. Em Nobres, essa figura veio para tentar "derrubar" o hospital conveniado e montar aqui um PA (Pronto Atendimento em sa√ļde). O projeto n√£o vingou por aqui (para sorte dos nobrenses) e a figura, de muita sorte, foi parar em lugar muito melhor. A fal√™ncia mudou de endere√ßo.
- Nada como respirar outros ares. Em terra de "burros", quem tem um camelo... é Marquês de Pombal.

Além Paraíso
Ser√° como que o vereador Ad√£o Valdinei vem "desnudando" o atual governo? Ele acaba de revelar a quem ainda n√£o sabia que no Centro Preventivo (nome bonito) faltaria at√© √°gua sanit√°ria, a tal QBoa (propaganda de gra√ßa). Entre passar frio e esperar por Amado Batista at√© a meia noite e tarar√°, seria prefer√≠vel comprar o fus√≠vel (car√≠ssimo?) de R$ 0,50. Se arrependimento matasse... seriam 3.328 mortos nesta terra, num desastre bastante lucrativo para as funer√°rias. Surpreende alguns estilos de administrar, sem planejamento, sem estrat√©gia e como se o dinheiro n√£o fosse p√ļblico.
- Troca-se... vírus causador da hepatite B por um fusível estragado. Vai um aí, dr. Dráuzio Varela?

Adivinh√£o
Depois daquele polvo (j√° falecido) que adivinhou quem seria a sele√ß√£o campe√£ mundial de 2010, eis que no Brasil temos um "frango" adivinhador, que atende pelo nome de J√ļlio C√©sar. Al√©m de engolir frangos do tal de Felipe Caicedo, do Equador, J√ļlio C√©sar tirou uma onda de adivinho de cantos onde o advers√°rio bateria os p√™naltis. Contra o Paraguai, domingo, dia 17 de julho, os jogadores do Paraguai chutavam no meio do gol e o nosso frango adivinhador caia para a sua esquerda.
- E ainda dizem que Baiano (o da Sa√ļde) √© ruim para bater p√™nalti. Perto de Elano, o nosso craque Baiano √© comparado ao aposentado Zico. Menos, Batista, bem menos. Sou mais Bacalhau no gol.

Sobre o Veto
Na sess√£o legislativa da noite de 15 de julho, a derrubada do veto do prefeito representou uma vit√≥ria do vereador Silvestre Campos e de todos os demais vereadores sobre o governo. Com rela√ß√£o √° derrubada do veto, vale a met√°fora sobre o fato quando o vereador Silvestre Campos (PR), no dia seguinte (16 de julho) j√° estava na sede da C√Ęmara de Vereadores para prestigiar a conven√ß√£o do DEM; isso equivale dizer que Silvestre voltou ao local "do crime". N√£o satisfeito, foi verificar os trabalhos no im√≥vel onde seria lan√ßada a pedra fundamental da sede da associa√ß√£o, no bairro Ponte de Ferro.
- Seria como o goleiro do Uruguai (Fernando Muslera) voltar hoje pela manhã para visitar o estádio "Parque dos Elefantes", onde pegou um pênalti de Tevez e derrotou a Argentina de Messi. Dá-lhe, hermano, Silvestre!

Sobre o Veto II
No epis√≥dio de derrubada do veto do prefeito, o vereador Manoel Fermino Pinho (DEM) bem que merecia aplausos do p√ļblico. Foi convincente ao alertar o colega l√≠der do governo sobre o que √© p√ļblico e o que √© privado. Mesmo n√£o sendo 'cirurgi√£o', n√£o sendo bacharel em Direito e nem t√©cnico em contabilidade, Manoel Fermino fez disserta√ß√Ķes sobre o caso de uma entidade de direito privado ser tornada de interesse p√ļblico. Na condi√ß√£o de assistente, o ex-prefeito Devair Valim saiu convencido de que o Democratas faz um bom papel no Parlamento e pode melhorar ainda mais.
- Nesse caso, o gol contra foi do governo e os vereadores comemoraram a vitória e os 9 a 0 no placar. E o garoto do placar naquela noite, fazendo ecoar no rádio o resultado, aliás, com bastante satisfação, foi Devair.

Solução Caseira
Os vereadores de Nobres, √† sua totalidade, que compareceram na sess√£o ordin√°ria de encerramento das atividades semestrais de 2011 na noite de 15 de julho, se renderam a uma solu√ß√£o caseira que acalmou todos os √Ęnimos, o ex-vereador Ademir Messias da Silva, atual e secret√°rio municipal de Obras. Bastante elogiado, Messias foi prestar contas dos seus trabalhos durante os meses em que est√° √† frente da pasta e a vereadora Zilmai (PP) entende que se o prefeito der maior respaldo ao seu secret√°rio as coisas fluir√£o com maior intensidade.
- Como se vê, os nossos japoneses daqui não são muito diferentes dos japoneses de acolá.

Solução Caseira II
Ao insistir em manter a sua administra√ß√£o com a presen√ßa de um super-secret√°rio, o prefeito Jos√© Carlos da Silva (PP) pode ir para o isolamento e perder apoio da C√Ęmara de Vereadores e o que j√° est√° ruim sempre tem um jeito de piorar. Enquanto ele n√£o promover mudan√ßas radicais na sua administra√ß√£o, vai padecer no para√≠so. A perman√™ncia de Valdinei Albertoni no comando financeiro de toda a estrutura administrativa soa como a um desafio a todos os setores da sociedade e a convoca√ß√£o do secret√°rio pelo vereador Silvestre Campos (PR) √© apenas parte dos sintomas, que n√£o se curam com 'panac√©ias financeiras'.
- O elo entre Legislativo e Executivo est√° prestes a se romper e n√£o h√° Notre Dame de Lourdes que reencontre o elo perdido.

Solução Caseira III
Sugest√£o n√£o √© palpite, mas seria vi√°vel e traria novo √Ęnimo, a transfer√™ncia da pasta de Finan√ßas (e todas as demais desse contexto) para o contador Jos√© Pereira de Sousa, passando Valdinei para a Administra√ß√£o em lugar de Cl√°udio Vitalino e a contrata√ß√£o de um contador experiente, al√©m da suspens√£o de v√°rios contratos com empresas de assessoria que est√£o levando as finan√ßas municipais para o buraco. A Prefeitura de Nobres n√£o pode jamais dar calote no com√©rcio local e se paga em doses homeop√°ticas, isso tamb√©m atrapalha. Da√≠ o entendimento, "para que a presen√ßa de um super-secret√°rio se as finan√ßas do governo v√£o mal e caminhando para o pior?".
- O prefeito corre risco de afastamento, é bom que se alerte. Ria quem quiser.

Prato da Semana
Virou assunto na cidade em termos de gastronomia o prato que vem servido aos contribuintes de Nobres: "Picanha ao molho com milho". Nos jogos estudantis, os visitantes reclamavam de batatinha com carne moída, mas o cardápio agora mudou e a picanha entrou na moda. E pensar que na Grécia a carne de pescoço tá nas alturas; na Espanha a carne de touro velho (aposentado das touradas) está o olho da cara; na Itália de Berlusconi, o Pato ao molho madeira tá mais caro que sopa de asas de morcegos que habitam as cavernas da cidade misteriosa chamada Nobres, a futura Atlantis... vai afundar.
- Crááááááás... o barco rachou e lá foi a embarcação para o fundo do mar, carregada de picanha.

Em Terra de Burros...
...sabido faz obra e s√≥ depois √© que vem a licita√ß√£o. Ainda vai levar um tempo para o pessoar da 'burrol√Ęndia' assimilar tanta sabedoria e entender o que √© ser "tr√°sparente". Na campanha, os amigos d√£o dinheiro, outros dan√ßam o flamenco para animar o com√≠cio; uns outros d√£o aula, ensinando papagaio v√©io a falar; outros abrem as casas para almo√ßo de gra√ßa, mas na hora de comer o doce, v√£o buscar a parentaiada l√° longe. Da√≠, o atestado de burrice entregue a muitos; mas sabido, mesmo, √© aquele toca a obra e faz a licita√ß√£o depois, acreditando que al√©m de burros somos cegos tamb√©m. Vamos escrever uma carta para um tal Nilsinho da Farm√°cia...
- ... quem sabe ele nos informa como sairmos desse labirinto. Acorda, Maria; acorda, Mané; acorda, Bastião; acorda, José.

Grana nos Cofres
A prefeitura Municipal de Nobres arrecadou até o mês de julho deste ano a bagatela de R$ 349.000,00 através do CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) na extração de minério para produção de cal, cimento e gesso em Nobres. São os chamados royalties da mineração. Os recursos arrecadados através do CFEM são destinados a recuperação de áreas degradadas e a investimentos sociais e nenhum dos atuais vereadores faz esse acompanhamento em Nobres.
- Ou será que tem alguém que acompanha?

Caça aos Pombos
Se cobrasse royalties sobre fezes de pombos, a arrecada√ß√£o de Nobres estaria bem avolumada. S√≥ no gin√°sio de esportes "Josefa Fialho" seria poss√≠vel arrecadar bem sobre as fezes de pombos que ali s√£o geradas. A Confer√™ncia Municipal de Sa√ļde realizada naquele gin√°sio pareceu inadequada ante o "cag√≥dromo" dos pombos, tamb√©m considerados como ratos de asas. A infec√ß√£o com as part√≠culas de fezes de pombos s√£o de dif√≠cil descoberta e podem levar pacientes a morte.
- Seria o I√öFP (Imposto √önico Sobre Fezes de Pombo).

Caça aos Pombos II
Coment√°rios de rua d√£o conta de que a dupla de humorista Nico & Lau faria piada sobre as fezes de pombo durante recente show realizado naquele gin√°sio, o boato foi o bastante para afastar do ambiente qualquer autoridade de grosso calibre. Alguma penit√™ncia n√£o cumprida? "√ďia Lau, istrudia, s√≥ proc√™ v√™ como anda mea sorte, ia andando na rua e n√£o √© que um passarinho sort√ī um barro sobre meu chap√©u! Oiei pra cima e vi que era um urubu. E pensei: menos mar, podia ce um pombo l√° de Nobres. Cruz credo!".
- Ecologicamente correto é deixar que morra um atleta por infecção de fezes de pombo e alguém dizer: "Esse sim, morreu na merda!".

Rondonópolis I
Nos anos 70, a cidade de Rondon√≥polis era como uma ilha, cercada de pistoleiros e os crimes de execu√ß√Ķes se sucediam. Consta, segundo relatos de pessoas adultas, √† √©poca, que a alternativa foi levar para a cidade um certo policial, Adib Massad, para tentar conter o avan√ßo da viol√™ncia; e n√£o √© que deu certo. Foram outros tempos e hoje, em Rondon√≥polis, as execu√ß√Ķes voltaram a ocorrer com certa freq√ľ√™ncia, ali√°s, impressionante. A densidade populacional de Rondon√≥polis aumentou e a coisa parece fora de controle, principalmente quando se sabe que escriv√£es e investigadores est√£o em greve.
- Só não tira férias a cobrança de impostos.

Rondonópolis II
Em menos de uma semana duas empres√°rias foram executadas, n√£o bastasse o √≠ndice de criminalidade ser assustador naquela cidade. O tempo passa e pessoas como Adib Massad e Travassos (ex-secret√°rio da Seguran√ßa P√ļblica em MT) se aposentam, deixando saudades. O problema √© grave em todo o Mato Grosso e ningu√©m mais est√° seguro, em lugar nenhum, nem no local de trabalho, principalmente quando se tratar de banco, n√£o o da pra√ßa, mais de casa credit√≠cia. Lucro f√°cil, imediatismo e menosprezo a vida, a viol√™ncia est√° banalizada e o sujeito p√Ķe um rev√≥lver na cintura e sai para "trabalhar"... mas h√° quem trabalhe com a caneta, atrav√©s do exerc√≠cio da fun√ß√£o p√ļblica, dilapidando o patrim√īnio p√ļblico.
- Casaram-se, recentemente, a sr¬™ corrup√ß√£o e o sr¬ļ Colarinho Branco e ambos partiram em lua de mel para as Ilhas Cayman.

Situação Corriqueira
O hospital conveniado em Nobres continua como sempre, em situa√ß√£o financeira grave, e o tema j√° foi debatido na C√Ęmara de Vereadores, mas depois caiu no esquecimento. De acordo com um m√©dico, os plant√Ķes correspondentes ao m√™s de junho ainda n√£o teriam sido pagos e o quadro de funcion√°rios permanece inalterado e a dire√ß√£o geral do hospital n√£o demonstraria interesse em mudar. Muito cacique e pouco √≠ndio e tudo como dantes, segundo uma outra fonte informativa. O jogo de empurra de sempre √© aquele, em que do posto manda para o hospital e do hospital para o posto, segundo se apurou atrav√©s de um paciente.
- Senhores vereadores e os R$ 85.000,00/mês; e as mudanças administrativas prometidas e o contrato que rege o convênio; e o que faz o prefeito que também é funcionário do hospital?Amém.

Anti Pedagogia

O cargo de assessor pedag√≥gico rendeu muito boato e babados fortes. O ex-Tesoureiro Evandro Queiroz teve o nome rejeitado pelos votantes e obteve muito n√£o e pouco sim num plebiscito. A vac√Ęncia no cargo permaneceu at√© o dia 10 de julho, ap√≥s suposta tentativa do vereador republicano Silvestre Campos querer emplacar um nome. Consta que os "news" pessedistas emplacaram o nome do professor Joaquim Faula desde hoje, dia 11, segundo a nossa fonte informativa.

- Um lance errado e Silvestre teria entrado em xeque.

A Cobra e o Tabaco
Cobras fumam? Espere para ver e conte-me tudo depois. Maldosos diziam que o satélite detectou um foco de incêndio na manhã de hoje na sede do governo, em Nobres. Será mesmo? Tamanha era a correria, só poderia ser incêndio ou cobra dentro de alguma gaveta. E teve um gaiato que dizia se houve mesmo correria e obteve como resposta uma outra pergunta: "E você, esperaria para ver o resultado?".
- Pergunta e resposta embutidas: "Pernas, pra que te quero". Exorcismo ou extrema-unção, qual vai ser o trabalho do reverendo?

Correção
Bastou o ex-Conselheiro do TCE-MT, Ubiratan Spinelli e seu irmão Raul visitarem Nobres e a sede do Parlamento municipal para que aquelas letrinhas que identificam o nome da Casa, onde faltavam algumas delas, fossem repostas na atual gestão. Foi agora a pouco, neste dia 08 de julho de 2011. Isso sim é ratificação do nome já existente, mas que faltavam letras. Ratificado o nome, é torcer para que não sejam novamente surrupiadas e vendidas no ferro-velho. Vizinho sondando vizinho.
- Palácio "Deputado Mário Spinelli", ratificada a denominação, Sr. vice-presidente, o seu voto é favorável ou contra?Ou seria retificação?

Bom de Bola
Ninguém joga futebol sem atleta e sem bola, mesmo que tenha local adequado para a prática. No bairro Jardim Paraná, a quadra inaugurada, com a placa anunciando que foi construída ao invés de reformada e ampliada, tem tudo, atletas, bolas, mas faltaria entrar em quadra um tal de disjuntor. Que jogador é esse? Já vi jogador de bola com apelido de prego, de parafuso, de alicate, de bananinha, mas esse é "sui generis". Faltaria no time o tal de disjuntor... daí que ninguém joga sem ele. Deve ser craque.
- Chama ele x√īmano Menezes, o cara √© iluminado.

Bola de Bola II
O vereador Ad√£o (aquele, que pega corda, segundo os governistas) diz que j√° n√£o ag√ľenta mais ouvir os atletas reclamando de que a quadra da Cohab √© apenas uma paisagem ac√©fala ou um adorno no bairro j√° que n√£o se pode jogar ali. Sem o craque do time, o tal de disjuntor, ningu√©m entra na quadra. Nem fala que esse √© bom de bola, que o "Parmeiras" t√° comprando tudo. N√£o seria o caso de se trazer um bom exorcista para Nobres? A coisa aqui parece que pegou aquela tal de "peste encaibrada", que faz o cara delirar e andar nu pelos corredores, arrastando correntes.
- Libera a quadra para a gurizada, gente.

Mercado Imobili√°rio
De acordo com uma fonte informativa, um vereador de Nobres acaba de fechar um negócio de R$ 25.000,00 (em dinheiro, cash) ao adquirir um imóvel nesta cidade. Uma outra autoridade política local foi vista em Porto Velho, segundo uma outra fonte informativa, digna de crédito. Foi sondar uma área de terras para comprar naquele estado, que está em franco crescimento. Como se vê, o garimpo daqui ainda rende algumas pepitas sem precisar usar muito a bateia.
- Melhor que uma Nobres, só duas Nobres.

Pornografia no Governo
Se fosse F√≠sica Qu√Ęntica, ningu√©m aprenderia com tanta facilidade, mas onde rola muito papo sobre pornografia, o aprendizado √© r√°pido. Virou coment√°rio nos corredores palacianos a tal foto, com um nu masculino, e aquele bl√°-bl√°-bl√° ou muito ti-ti-ti sobre a pobreza do instrumento de trabalho, ao menos para a necessidade fisiol√≥gica de urinar. √Č grande, outro dizia que era pequeno, uma virgem que teria visto a lan√ßa, nem suspirou e o treco virou piada. Como n√£o poderia deixar de ser, o l√≠der da ditadura, pediu as chaves do biombo e anunciou, daqui pra frente...
- ...Toda Nudez Ser√° Castigada.

Enfim, Sós
Ufa! T√© quemfim! J√° n√£o era sem tempo! O prefeito Jos√© Carlos da Silva, de Nobres, diante de tanto bombardeio da oposi√ß√£o, parece que est√° acordando para uma nova realidade e passou a olhar a pasta de Finan√ßas e o seu titular com olhos de √°guia. N√£o fosse o nosso estado, de pen√ļria, providenciaria uma queima de fogos de artif√≠cios para acordar toda a Brogod√≥ e salientar (efusivamente) que o nosso rei acordou para uma nova realidade.
- P√īxa! Bacana isso, ver a hierarquia em um reino funcionar. Obrigado, Ternurinha, pela informa√ß√£o.

Galhofas
A mat√©ria inserida na capa deste site, que fala sobre a possibilidade de afastamento do prefeito Jos√© Carlos da Silva repercute, tanto quanto virou motivos a galhofas por parte de alguns governistas a cita√ß√£o de que Manoel Fermino Pinho seria um dos eventuais substitutos do prefeito. √Č que o vice prefeito Ismael Baraviera vem sendo fritado pelos pr√≥prios governistas atuais, que falam cobras e lagartos sobre aquele que ajudou a eleger o prefeito. Quem diria, o nome de Fermino servir como motivo a gargalhadas e chacotas. Seria imposs√≠vel isso?
- 'Inclusivemente', nossa terra e nossa gente tem Fermino em boa conta. Eu Acredito.

Palanque Eletr√īnico?
E no seu palanque eletr√īnico, o site institucional do governo, o prefeito tem feito a sua defesa, ou fazem a defesa dele ou pra ele. O n√£o dito pelo que j√° foi dito: "Quero aqui dizer para aquelas pessoas que me criticam que sou prefeito 24 horas, mas tamb√©m antes de eu ser prefeito, eu sou m√©dico e fiz um juramento de salvar vidas e muitas pessoas me criticam por estar realizando cirurgias todas √†s quartas-feiras no Hospital Laura de Vicu√Īa e vou continuar fazendo isso, a n√£o ser que a Lei n√£o nos deixe fazer este trabalho", disse o prefeito. J√° no seu antigo programa semanal pela r√°dio, o prefeito disse que seria prefeito at√© as 13:00 horas e que a partir da√≠ seria livre para fazer o que quisesse. Faria horas extras por 11 horas, diariamente? Mas, o site n√£o teria apenas car√°ter informativo sobre as a√ß√Ķes do governo ou seria para rebater os seus cr√≠ticos? T√° esquisito.
- E o que teria a IV Confer√™ncia Municipal de Sa√ļde a ver com isso?

Velhos Amigos
Na internet se v√™ muita coisa engra√ßada, por exemplo, um amigo reclamando de outro apesar da longa conviv√™ncia. √Č quando o homem olha para o velho amigo p√™nis e diz: "nascemos juntos; brincamos juntos; casamos juntos e n√£o sei por que insistes em morrer primeiro que eu, amigo". Apesar do lamento, o homem acaba privando-se dessa presen√ßa er√©til, que n√£o costumava se curvar e que costumava n√£o ter medo de cara feia, entrava em qualquer buraco, raso ou profundo... mergulhava com tudo. Nesse caso, ao inv√©s de irem os an√©is e ficarem os dedos, vai-se o p√™nis e fica o velho amigo, amargando as lembran√ßas, feito o velho alfaiate jogando damas e a imaginar: "quantas damas j√° n√£o comemos juntos...
- ... eu e tu, seu pinto morto?".

Cabeça de Burro
Não faz parte da nossa história, mas presume-se que aquela histórica cabeça de burro com a qual Sansão abateu milhares de filisteus tenha sido enterrada em Nobres, ali, naquela encruzilhada entre as ruas Cuiabá, Valdon Varjão e Goiás. Entra prefeito e sai prefeito e só se vê paliativos naquele pedaço de chão. Não seria o caso de o setor de Obras promover ali uma "cirurgia" para retirada das pedras, não da vesícula, mas da rua Goiás? Se burro tivesse chifre, quantos pneus não teriam furado ali, naquele cruzamento? Os cobradores de impostos costumam dizer: "a César o que é de César". Já os eleitores, dizem: "ao bisturi, nada como boas mãos para manejá-lo".
- Como prefeito o médico não estaria em desvio de função?".

Sem Entendimento
O político não pode ofertar camiseta, não pode dar chaveiro, nem boné e dinheiro muito menos. De acordo com o então promotor Leandro Volohcko, em Nobres, em 2008, houve caso em que o eleitor teria ganho até "trouxinhas" (de droga, obviamente) em troca de voto, costela para churrasco e não poderia faltar uma boa dentadura para mastigar a carne. Tudo isso ainda é proibido pela legislação eleitoral, menos as cirurgias de laqueadura, supostamente. Como estamos às vésperas de ano eleitoral e alguns vereadores tentam dizer que não estamos em campanha e muito menos em ano de eleição, por isso tudo poderia ser feito às vésperas. Alguém quer experimentar, faça distribuir chaveiros ou qualquer outro brinde agora, considerando-se que não estejamos em ano eleitoral.
- Qual a diferen√ßa entre um chaveiro como brinde e uma cirurgia de laqueadura um ano antes das elei√ß√Ķes? Ainda bem que isso n√£o acontece mais aqui. N√©?

Sem Entendimento II
"A corrup√ß√£o eleitoral, em qualquer de suas modalidades, inclui-se no rol dos crimes formais. Para configur√°-la, 'basta o dano potencial ou o perigo de dano ao interesse jur√≠dico protegido, cuja seguran√ßa fica, destarte, pelo menos, amea√ßada', segundo N√©lson Hungria.", conforme consta de decis√£o judicial ocorrida em um lugar qualquer do Brasil. Ent√£o, em qualquer tempo, qualquer tipo de agrado ao eleitor √© proibido. Esse papo de que √© preciso saber quem denunciou ou quem vai denunciar n√£o importa, o que se precisa levar em conta s√£o as condi√ß√Ķes de igualdade entre os candidatos, o que n√£o tem havido. V√≠tima de muitas goza√ß√Ķes, o ex-candidato a vereador Marcos Lopes obteve 08 votos nas elei√ß√Ķes municipais de 2008 para vereador e essa vota√ß√£o por ele obtida tem muito mais peso que algumas centenas de votos "comprados", mas que carecem de provas. Dizer quem em Nobres n√£o se compra votos √†s candidaturas proporcionais √© como tentar provar que 2 + 2 sejam iguais a 275.
- O curioso √© que aquele que n√£o tem como bancar candidatura pr√≥pria, estranhamente, vira motivo para goza√ß√Ķes e quem compra, vira her√≥i e ganha 'status' de vice rei. "Vai uma laqueadura a√≠ na patroa?".

Sem Entendimento III
Em Nobres, tem uma pessoa que estaria intermediando os procedimentos cir√ļrgicos, segundo sabem alguns vereadores, que j√° ouviram de pessoas quem estaria por tr√°s desse processo de concess√£o de privil√©gios para cirurgias. Curioso foi saber que na portaria do hospital conveniado, dia 01 de julho, por volta das 12:20 horas, a atendente perguntou se era conv√™nio ou SUS. Como era atendimento pelo SUS, vai ter que aguardar at√© as 13:30 horas, o m√©dico est√° cansado por conta da sobrecarga motivada pela realiza√ß√£o da Confer√™ncia Municipal de Sa√ļde. E aqueles R$ 85.000,00/m√™s, repassados por conta de contrato e de um conv√™nio... fl√ī. Os vereadores de Nobres est√£o muito acomodados e s√≥ sabem dizer am√©m. As mudan√ßas pleiteadas pela nova administradora, at√© agora nenhuma delas foi cumprida e tudo como continua como dantes como se o dinheiro do povo fosse para ser utilizado em brincadeiras.
- Ou se cumpre o contrato ou o prefeito que encontre uma outra solução. Porém, como ir contra o seu próprio "palanque" político?

Causas e Efeitos
Uma reportagem estampada no site do jornal "Di√°rio de Cuiab√°" revela como andam, politicamente, alguns munic√≠pios de Mato Grosso, citando os √ļltimos acontecimentos ocorridos em Sorriso, Alto Paraguai e outros munic√≠pios em que Legislativo e Executivo caminham em dire√ß√Ķes opostas ao que deseja a popula√ß√£o local. A reportagem √© de Fernando Duarte e fala de "Corrup√ß√£o, promiscuidade entre os poderes e ignor√Ęncia dos gestores. Esses s√£o os motivos apontados por especialistas para as constantes instabilidades pol√≠ticas que afetam os munic√≠pios no interior de Mato Grosso. Somente este ano, ao menos cinco deles contaram com cria√ß√£o de comiss√Ķes processantes, sa√≠da de gestor por abuso de poder econ√īmico e decis√£o judicial para afastamento do cargo".

- Em Nobres os fatos nos endereçam a esse rol embora algumas realidades só venham à tona mais tarde, quando a conivência der uma trégua. Alguém duvida? Aguarde os capítulos que virão.

Entendimento Obtuso
Entre os governistas, h√° quem ache que o vereador Ad√£o seja manipul√°vel e que aceite "corda", feito brinquedo de crian√ßa. Na verdade, Ad√£o peca pela pressa e por ser jovem, com muita adrenalina, mas tem aprendido com os colegas Paula e Beto, ambos de terceiro mandato; aprende com Fermino, com Bacalhau e com os demais vereadores. Com Bacalhau, por exemplo, resolveu problemas que pareciam insol√ļveis quanto ao pavimento asf√°ltico nas ruas do bairro S√£o Jos√©; ambos fotografaram e cobraram respostas para o alagamento na baixada da avenida "Prefeito M√°rio Abra√£o Nassarden", logo abaixo da antiga Hollywood, e obtiveram respostas positivas. Se medisse mais as palavras, estaria na condi√ß√£o de igualdade com os vereadores mais experientes.
- Essa insinuação do governo, de que Adão aceitaria "corda", atenderia a uma conveniência governista que deseja ver todos os vereadores prostrados aos pés do governo, rezando na cartilha do Executivo. Amém.

Entre Altas Patentes
Uma CR, 'entregue' pessoalmente (ao p√© do ouvido) ao elemento, fez ecoar pelos corredores palacianos um tom de voz en√©rgico e carregado na manh√£ de 29 de junho, dia de S√£o Pedro. Dizem que o ouvinte 'aceitou' a CR, numa boa, a at√© referendou o epis√≥dio. Palavras, por vezes, se abatem contra o ouvinte feito descarga el√©trica e se o elemento n√£o mantiver a compostura, sofre queimaduras. Procuram por essa alta patente para presentear-lhe com um pote de doce de leite pela postura assumida contra o ouvinte calado. Dois dias depois, nada como um bom churrasco no Jardim Paran√° para se refazer da descarga el√©trica. Em tempo, uma CR √© sigla vulgar de comida de rabo, mesmo. "N√≥s, que √© aluno de prim√°rio e que estud√ī s√≥ o premero Ano A, t√° fora desse concurso de doutores".
- Pedir pra sair, nem pensar. Figueirense 1 X 0 Palmeiras.

Neologismos Campestres
Pena que já vai começar o recesso parlamentar e nós vamos ficar sem ouvir o sibilar das pérolas atiradas ao vento. Depois da tal ratificação sobre o que está errado, o vereador Silvestre tascou uma tal de 'empregabilidade', irmã gêmea da palavra "inconstitucionalissimamente fora dos nossos devaneios hortifrutigranjeiros". Isso nos leva a suscitar que o "gargalo" da linguagem pátria esteja mesmo nas garrafas, devido á ação incipiente dos espumantes sobre o palatino, que vai além da vontade dos "baluartes" da agricultura. Diria o colega Fermino: "obviamente, caro colega JJ, o gargalo (comprido) das embalagens  ou dos recipientes receptores dos espumantes nos levam à reflexão de que uma boas férias serão a razoabilidade de um porvir com muitos gases, resultantes da ingestão efusiva das palavras, nossas de cada dia, através das ondas do rádio".
- Fui... ao vel√≥rio do portugu√™s, nosso de cada dia, 'assassinado' por motivos f√ļteis... o afogamento nas inutilidades que a uns desagrada e a outros n√£o. "Eu g√≥stio", diria o nordestino. "Tchupa essa manga, x√īmano!".

Cordeiro...
...tirai os pecados de Nobres. Mas este "cordeiro" √© aquele que d√° a corda e o rel√≥gio s√≥ embala se quiser. Matreiro, o vereador Fermino, ao discursar, disse ao colega vereador Ad√£o que ele nem precisava de comiss√£o de vereadores para "investigar", bastando ao vereador chamar a pol√≠cia e 'mandar' prender quem faz obra de p√©ssima qualidade. O vereador teria poder para embargos em obras, segundo Fermino. Desconfiado, feito gato escaldado diante de √°gua com tarifa aumentada, o vereador Ad√£o n√£o engoliu esse 'gole' d'√°gua e nem disse que dessa √°gua n√£o beberei. √Č melhor ficar na trincheira...
- ... a ter que cair no ridículo e levar chumbo grosso do inimigo, pensaria Adão.

Chamem Ele
Uma peixada para 32 pessoas, desapareceu e não foi como mágica, mas goela abaixo e descobriram os culpado, uns meninos bons de garfo do Jardim Petrópolis, muito dados a fazer 'justiça com as próprias mãos'... apertando o pescoço do peru. Coisas da adolescência. Isso dá um apetite danado e haja peixe. Não podendo afogar o ganso... é preciso dar uma aliviada na tensão nervosa, e tome garfadas. Faltou Ele, para multiplicar os peixes.
- Estão fora da escalação do técnico Casão.
Operação Ganso
O vereador Silvestre Campos (PR), que anda mais governista que nunca, saiu-se com essa durante reunião legislativa, dia 30 de junho, de que a oposição, que um dia já foi situação, estaria realizando a "Operação Afogamento", ou seja, aquele mergulha e tira para respirar até que o indivíduo perca o ar e morra. Isso, em relação ao prefeito, supostamente, vítima da tal operação. Teve outro vereador que se lembrou que o vereador Silvestre já teria afogado o ganso entre 2009 e 2010. Realmente, o governo anda bebendo muita água, e nesse preço que está, conforme autorização do próprio prefeito, não dá nem para fazer uma tempestade(zinha) em copo d'água.
- Voltamos j√°, s√≥ vamos tomar um f√īlego e umas gotas d'√°gua.

Marca Registrada
O novo "point" da n√≥ia seria o morrinho, no Jardim Carolina, onde h√° uns anos atr√°s se cobrava ped√°gio para ir e vir. Com o novo "point", as resid√™ncias localizadas no seu entorno passaram a ser visitadas e aquela pe√ßa existente no centro das antenas parab√≥licas tem desaparecido. N√£o seria hora de um "baculejo" na √°rea? Ali√°s, o bairro Jardim Carolina passou a ser a mais nova v√≠tima dos promesseiros pol√≠ticos e sem infraestrutura, vira mesmo local de freq√ľ√™ncia dos denominados "n√≥ias".
- Nem adianta novena para São José, São Paulo, Corínthians ou Palmeiras, os promesseiros continuam iludindo o povo.

Na Bronca
Dispensado, supostamente, do Departamento de Esportes, o l√≠der comunit√°rio Joa Costa ouviu, do prefeito dias atr√°s, que n√£o deveria abrir espa√ßo nenhum a competi√ß√Ķes que n√£o sejam aquelas do calend√°rio municipal. O vereador Silvestre Campos (PR) sugeriu que se abrisse espa√ßo para uma tal Copa Gilmarzinho e o prefeito Z√© Carlos n√£o teria gostado nadinha da id√©ia. Disse que n√£o era para abrir espa√ßo pra ningu√©m e que n√£o gostaria de ouvir falar o nome de Silvestre √† beira de qualquer campo ou quadra quando a competi√ß√£o fosse patrocinada pela prefeitura.
- Estaria Silvestre na extensa lista de descartáveis do chefe de governo? Silvestre seria apenas mais uma unidade a somar na formação das dezenas de pessoas riscadas do caderninho do prefeito Zé Carlos.

Na Bronca II
Foi Joa Costa quem teria feito a aproximação entre o prefeito Zé Carlos e o vereador Bacalhau que resultou em boas coisas ao governo, inclusive a eleição à Mesa Diretora, mas já foi descartado. Nenhuma novidade nisso, considerando-se que até Gilmarzinho da Ecoplan foi descartado pelo prefeito, sem direito a nem bom dia e nem boa tarde. Estamos organizando uma lista de descartados pelo governo e lá se foram duas folhas de caderno (12 matérias).
- Vende-se... uma f√°brica de usados e descartados.

Requerimento
Vem a√≠, mais um requerimento assinado pelos vereadores Beto Valandro, Paulina Dias e Ad√£o Valdinei e tem o n√ļmero 007/2011, onde se pede c√≥pias de licita√ß√Ķes, contratos e aditivos firmados entre 01 de janeiro de 2010 a 31/12/2010 relativos √† Predial Construtora Ltda EPP e Codep Construtora Civil Ltda. Isso nos traz √† lembran√ßa uma costumeira cita√ß√£o do prefeito Z√© Carlos: "Cad√™ o Leo, onde est√° o L√©o, ligue pra ele". Quem seria esse L√©o e o que tanto o prefeito falava com ele em seu email? Dizem alguns caras, bons de computadores, que de nada adiantaria algu√©m atear fogo no notebook, o email fica gravado para sempre. Vai da√≠ que algu√©m tenha pedido qualquer coisa para o L√©o...
- ... que o asfalto fosse de primeira qualidade, por exemplo. Isso tiraria um peso das costas daqueles que falavam com o Leo através do MSN. "Léo, cadê você...".

O Teatro da Fênix
N√£o √© nada sobre o famoso Teatro F√™nix, mas um carnaval (fora de √©poca) ou teatro sobre o nome do ex-secret√°rio Neko que, quando saiu, estava na Educa√ß√£o. De repente, o nome de Neko passou a ser cogitado para um nunca improv√°vel retorno ao governo, mas ele diz que n√£o quer. Tamb√©m, depois que a festa est√° acabando, quando o pano est√° caindo e que toda a pe√ßa foi representada, em seus v√°rios atos, quem gostaria de adentrar ao palco? Se Neko quer ou n√£o quer voltar, isso n√£o ter√° tanta import√Ęncia assim em meio as cinzas governistas, mas chama a aten√ß√£o o que teria dito uma importante patente governista: "muda-se Neko e quem mais quiser, mas quem deveria mudar, mesmo, √© o estilo pol√≠tico do prefeito".
- Não diria quem falou isso, nem por três notas de 30 reais, cada, obviamente. Teria sido o Berlusconi do Tombador? "Vou não, minha muié deixa não...".

√Č a M√£e
O agropecuarista Nestor, o do alambique, revelou fato curioso e que faria inveja a muitas mães por aí. Contava ele, na noite de 27 de junho, no lançamento do Abatedouro Boi Nobres, que trouxe um lote de vacas, da Bom Jardim para a sua propriedade, à beira rio, logo após a subestação da Eletronorte, no Jardim Petrópolis, e em apenas 36 horas, duas vacas retornaram para a Bom Jardim, a pé ou sobre quatro patas, percorrendo 65 kms na volta. Soube-se que teria sido saudades dos filhotes deixados que ainda amamentavam. Bem melhor que muitas mães, das que jogam os filhos, sejam no lixo, à porta de alguma casa, no rio ou no mato. Do que se depreende que ninguém deva mais xingar ninguém dizendo: "sua mãe é uma vaca".
- Há vacas muito mais humanas que muitas mães vacas por aí. E não é folclore, mas realidade, confiram com o Cal Maia e seu vozeirão.

Cen√°rio Novelesco
Qualquer semelhan√ßa com a vida real ter√° sido mera coincid√™ncia. O rob√ī ator da novela Morde & Assopra, Zariguim, suscitou di√°logo interessante entre o prefeito e a primeira dama, leia: "√Č mesmo uma maravilha! As contas de um m√™s ele faz em um dia! Eu quero ver o Tribunal de Contas do Munic√≠pio me atacar quando eu apresentar os c√°lculos feitos pelo rob√ī. T√£o transparentes!", vibra o prefeito. Mas eles n√£o esperavam que o menino de lata, como foi chamado por Dulce (Cassia Kiss Magro), fosse descobrir as irregularidades cometidas na prefeitura. "As contas n√£o batem! As contas n√£o batem! O que √© caixa dois? O que √© caixa dois?", pergunta o rob√ī, bastante confuso. Impressionada, Minerva chama Zariguim de atrevido e Isa√≠as (o prefeito), nervoso, dispara: "Pare de gritar, rob√ī inconveniente!". Mas, Zariguim n√£o entende o que √© caixa dois e explica que a d√ļvida o far√° entrar em pane.
- Qual prefeito n√£o queria ter um rob√ī assim, desde que olhasse s√≥ para fatos positivos.

Verdade ou Mentira?
Tem uma coisa intrigando na boataria: "mandaram mesmo procurar o prof. Neko para ele voltar para uma tal pasta de Planejamento Estrat√©gico?". H√° quem desminta, mas h√° um cheiro de verdade no ar a partir da necessidade da libera√ß√£o de recursos para asfalto que passariam pelo crivo do deputado federal Valtenir Pereira, primo de Neko, que se recusou a retornar ao governo. O tema foi inclusive explorado pela assessoria do prefeito e teria fundo de verdade. Mas, o que fazem aqueles que d√£o as cartas e jogam de m√£o dentro do governo, que um dia j√° foi governo de meia d√ļzia, depois de dois e agora s√≥ de um?
- √Č como sugeriu o florentino Nicolau Maquiavel: "Os fins justificam os meios". Ah! Sobre o florentino, citado anteriormente, √© de Floren√ßa, na It√°lia, e n√£o o daqui, viu?

Verdade ou Mentira II?
Entre gatos e sapatos, h√° quem acredite (e isso nos lisonjeia) que a demiss√£o do ex-secret√°rio Neko s√≥ ocorreu por interesse da imprensa local. Se isso fosse verdade e se o prefeito atendesse a pedidos, feito locutor de r√°dio, a m√ļsica mais solicitada na emissora governista seria: "Tira o Vitalino...". Atendendo a pedidos de muitos, de fora e a√≠ da "casa", o "pal√°cio do r√°dio governista", colocaria em segundo lugar no "hit parade" o titular das Finan√ßas. Como isso n√£o passa de mera suposi√ß√£o, de inventiva ou do mais absoluto desconhecimento de como foi √° vida de Neko no planeta governista, o "chefe" vai continuar remando contra a mar√© pra ver no que vai dar.
- De Luan Santana, pedaços de: As Lembranças Vão na Mala: "...Orgulhoso, eu não me ajoelhei..., Imperfeito, sou sim..., Sua consciência não vai te deixar dormir..., As lembranças vão na mala pra te atormentar...

Olho Gordo
Seria, por acaso, no Extrato de Contrato n¬ļ 53-2011, publicado no jornal da AMM que alguns vereadores colocariam "olhos gordos"? Sob o prefeito Jos√© Carlos da Silva, foi publicado contrato, dia 09 de junho, para pavimenta√ß√£o asf√°ltica no Jardim Petr√≥polis, or√ßada em R$ 307.923,30, com prazo de 120 dias, a partir de 02 de junho. A empresa seria a Francisco Mariano Fernandes & Cia Ltda. O vereador Manoel Fermino Pinho falou sobre uma certa tratativa com muita ironia e n√£o se ouviu um √ļnico piado sobre o assunto. Amigos at√© o dia da elei√ß√£o √† Mesa Diretora, a alian√ßa que elegeu Fermino parece se romper com o passar dos dias e naquela mesma data, em 15 de junho, o vereador Joel J√ļnior disse que passaria a acompanhar os valores reais gastos em obras naquela Casa de Leis. Alguma d√ļvida, caro colega JJ? Seria por isso que Fermino pediu desculpas mais tarde ao colega?
- Mas, o que de fato intrigaria Fermino e Beto sobre o asfalto no Petr√≥polis, ora bolas? Ora, bolas, seria isso? N√£o seria hora de tirar d√ļvidas? O lugar certo √© no MPE?

Um Ganhador
A Mega Sena premiou um √ļnico ganhador, da cidade de Santo Andr√©, no ABC Paulista, que leva para casa ou deixa na Caixa os mais de 73 milh√Ķes de reais. Se fosse em S√£o Bernardo do Campo, algu√©m poderia at√© pensar que fosse o Lula, mas n√£o est√° descartada a possibilidade de ser algum metal√ļrgico daquela √°rea. Um √ļnico ganhador em meio a milh√Ķes de apostas, ainda do ABC, vai ter sorte assim l√° em Sampa.
- Que tal uma consultoria(zinha) do escritório do ex-ministro Palocci?

Ch√°vez no Gancho
Internado em Cuba h√° pelo menos duas semanas, ap√≥s cirurgia na pr√≥stata, o presidente venezuelano Hugo Ch√°vez, por seus assessores, tentam desmentir que o seu estado de sa√ļde √© preocupante. Porras e Maduro, sobrenomes sugestivos dos dois assessores, falam da pr√≥stata de Chavez e de que est√° tudo bem. A "guerra" de informa√ß√Ķes √© contra uma consider√°vel torcida da oposi√ß√£o para que Ch√°vez volte para a Venezuela "embalado" em uma bela urna funer√°ria. Temir Porras e Nicol√°s Maduro falam que vai tudo bem com "chefe", mas a galera advers√°ria s√≥ acredita vendo. Um homem duro, renitente e habituado a jogar pesado com os seus opositores, Hugo Ch√°vez se esquivou do dedo de algum profissional m√©dico especializado em urologia.
- Tem gente com mais coragem que o ditador e prefere as "rolas" avantajadas.

Alegria
Durante encontro do secret√°rio da Sedraf, Z√© Domingos, com produtores e propriet√°rios rurais em Nobres, dia 22 de junho, √† tarde, o prefeito de Nobres, Jos√© Carlos da Silva, voltou a abordar um assunto que, no m√≠nimo, coloca o seu l√≠der na C√Ęmara de Vereadores na maior saia justa. Embora n√£o dissesse de quem foi √° id√©ia e nem o pedido feito, o prefeito contou que foi ao munic√≠pio de Sorriso em plena campanha de 2008, pedir ao deputado Z√© Domingos que n√£o viesse a Nobres durante a campanha, sen√£o ele poderia influir em favor do seu advers√°rio, o ent√£o candidato do DEM, Devair Valim.
- Esse assunto √© como m√ļsica (batuque de tambores) aos ouvidos de Devair, e Bacalhau ouviu como se fosse a Nona Sinfonia de Beethoven. Um R√© menor, por favor.

Chateação
E os dois "Z√©'s" foram felizes, j√° o ent√£o candidato Devair, n√£o perde a oportunidade de contar como foi aquela campanha, perdida por alguns fatores negativos, e um deles √© exatamente esse, de que tanto fala o prefeito Jos√© Carlos da Silva. A din√Ęmica da pol√≠tica e o pr√≥prio prefeito baniram os seus parceiros de cena e fizeram entronizar no poder aqueles que lutaram at√© o √ļltimo segundo para n√£o v√™-lo prefeito de Nobres. E hoje, os atuais parceiros do governo ainda tomam conhecimento de parte da estrat√©gia que os derrotaram. O que teria de t√£o atrativo o governo do Z√© do 11, a ponto de fazer os amigos de Devair rirem da pr√≥pria desgra√ßa pol√≠tica e do companheiro e financiador de campanha? As amargas lembran√ßas de ontem podem ferir os brios de ao menos um derrotado, exatamente, o que dele riem muitos, inclusive companheiros de outrora.
- Intrigaria a muitos essa atração exercida pelo governo, que cria um movimento de translação em torno do gabinete do prefeito... ali estaria o rei Sol?

Benesses

O ve√≠culo, tipo P√°lio Weekend, realmente tem feito jus ao sobrenome e nos finais de semana tem sido visto circulando por a√≠, quando n√£o √© utilizado para levar crian√ßa √† escola. Apesar da placa, da cidade de S√£o Paulo (COM 0799), e da caracter√≠stica de particular, pertenceria ao munic√≠pio, que arcaria com o seu abastecimento e manuten√ß√£o. Se as coisas tiverem que ser como manda o figurino, algu√©m estaria destoando da moda. O √© p√ļblico ou √© privado, qual a op√ß√£o correta? E olha que j√° faz tempo que crian√ßa √© levada a escola com carro p√ļblico.

- As normas vigentes servem para todos, desde o gari até o secretário.

Hierarquia?
Quem de fato obteve 3.328 votos nas elei√ß√Ķes municipais de 2.008 para o cargo majorit√°rio em Nobres? Ah! Foi o candidato Jos√© Carlos da Silva, n√©! Nem parece, porque tem secret√°rio de governo se achando e se colocando como algu√©m acima das prerrogativas conferidas ao prefeito. N√£o por acaso, o vereador Beto Valandro tem batido de frente com o governo, documentado e munido de informa√ß√Ķes que podem colocar os tudo "certinhos" em xeque. Encerra hoje o prazo para envio das documenta√ß√Ķes exigidas pelo parlamentar tucano e qualquer negativa redundar√° em maior agravamento das rela√ß√Ķes e novos rumos nas investiga√ß√Ķes.
- Menos mal que o prefeito José Carlos da Silva faça entender, a quem interessar possa que o prefeito ainda é ele.

Entre Tucanos
Curiosamente, o vereador Beto Valandro √© do PSDB, ao qual tamb√©m pertence o secret√°rio da Administra√ß√£o, Cl√°udio Vitalino, do que se chega √† conclus√£o que "dois tucanos" n√£o se beijam. Sob o tucano Beto Valandro foi denunciada a reforma na sede da Prefeitura, cuja documenta√ß√£o tem a chancela do tamb√©m tucano Cl√°udio Vitalino. Isso n√£o vai terminar bem. E por falar em "briga" dentro de casa, no PP nunca houve entendimento. A alguns, o poder faz bem; j√° a outros, causa estragos, feito divis√£o de heran√ßa. H√° um pren√ļncio de que, da "briga" nessas fac√ß√Ķes, em boa coisa n√£o vai resultar. Isso nos reporta ao ano de 1912, supostamente, quando afundou um navio, "tchique, no √ļrtimo", lotado de gente fin√©rrima, em uma m√°quina projetada para n√£o afundar...
- ...mas veio uma praga de um tal de iceberg e foi um 'deus-nos-acuda'. E dizia aquele filósofo de Santa Rita do Trivelato: "em navio afundando, qualquer barranco é porto".

Parodiando
O vereador Beto Valandro (PSDB), anda cheio de ironias e tem sido dado a par√≥dias e uma delas √© sobre ningu√©m menos que Paulo Coelho em "Os Alquimistas Est√£o Chegando". Na verdade, o vereador Beto disse, durante a sess√£o legislativa da noite de 15 de junho que "Os Paraquedistas Est√£o Chegando", e desta vez n√£o insinuou e apontou que um secret√°rio de governo da Prefeitura de Nobres caiu aqui de paraquedas e j√° se acha no direito de esculachar com os comerciantes. Segundo Beto Valandro, ele conseguiu matar dois coelhos com uma s√≥ cajadada, fazendo paralisar duas obras, uma p√ļblica e outra privada.
- √Č como diria o mineirim: "Uai, s√ī! Cadi qu√™?"

Sem Entendimento
Seria ofensa perguntar se n√£o faltou mais clareza do presidente Manoel Fermino na noite de 15 de junho, quando disse: "joguei o arreio nele e ele recusou". O que √© isso? Seria em rela√ß√£o a algum colega? N√£o seria falta de decoro mandar um colega calar a boca diante de dezenas de pessoas e de milhares de r√°dio ouvintes? Essas cita√ß√Ķes n√£o podem faltar nos anais da Casa, que √© para daqui mais alguns anos as pessoas verem como eram "quent√©rrimas" as reuni√Ķes Legislativas. Essa do arreio, sai sem entender e continuo a n√£o compreender. Meu vizinho de bairro, rec√©m chegado de Paris, disse-me, em bom franc√™s de uma semana por l√°: "Je ne compreend pas".
- √Č como diria Sergio Reis em "Saudades da Minha Terra": ...arreio o burr√£o e saio a galopar; que saudade imensa, do campo e do mato; do manso regato... aos domingos ia passear de canoa, pelas lindas lagoas de √°guas cristalinas...".

Queda de Braço
O vereador e atual presidente do Legislativo, Manoel Fermino Pinho (DEM), tem dito que n√£o tem nenhum compromisso com a reelei√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva. J√° o presidente da sigla Democratas, Devair Valim, desconfia desse (des)compromisso e vai lutar para manter a hegemonia a frente do comando partid√°rio, com ele ou com quem ele indicar. Desde as elei√ß√Ķes municipais de 2000 que Fermino discorda de Devair e nova queda de bra√ßo entre ambos j√° est√° em curso. Alguns round's s√£o contabilizados em favor de Devair.
- Ser√° que Fermino vai jogar a toalha mais uma vez.

Queda
O chefe de Departamento do setor de esportes da Prefeitura de Nobres, líder comunitário Joa Costa, deve ser substituído e o governo estaria à procura de um provável substituto, segundo se apurou. Então, gavetas podem ir sendo limpas embora não tenhamos nada contra a pessoa do chefe de Departamento, com quem tivemos uma boa convivência. A pergunta é: "quem substituirá Joa no setor?". Ou Joa é quem pediria para sair? Elias Alves, do bairro Jardim Petrópolis, seria um bom nome, agrega e tem aliados de peso.
- A troca pode acontecer a qualquer momento, segundo se apurou.

Aren√°polis
Vereadores de Aren√°polis estariam com um baita abacaxi nas m√£os a partir de uma proposi√ß√£o de A√ß√£o Civil P√ļblica que est√° sendo movida pelo Minist√©rio P√ļblico Estadual contra o prefeito Farid Ten√≥rio dos Santos e que envolveria o seu secret√°rio de Finan√ßas e o irm√£o do prefeito, segundo o site de not√≠cias Reporter News. O promotor de Justi√ßa, Thiago Scarpellini, na A√ß√£o Civil P√ļblica, diz que o prefeito pode ter cometido ato de improbidade administrativa e o tema central da a√ß√£o seria um cheque da Prefeitura de Aren√°polis, conforme not√≠cia estampada no Reporter News.
- Criar uma CPI ou não criar, eis a questão sobre a qual os vereadores terão que se debruçar. Dizem, por lá, que Farid foi eleito pelo povo e constituído por Deus, mas há nesse meio todo uma tal lei 8.429/92. Daí...

Aren√°polis II
Muita gente compareceu ao Parlamento arenapolitano na noite de 20 de junho. Resta saber se de livre e espont√Ęnea vontade ou atendendo a alguma convoca√ß√£o governista. Por uma faixa exibida, sob a constitui√ß√£o do prefeito por suposta ordem divina, vem a percep√ß√£o de que muitos foram chorar por uma v√≠tima desconhecida. Nessas horas, nada como um apelo ao alto em forma de faixa, mas n√£o faltar√£o bons zagueiros para guarnecer a meta governista; mas, e o MPE, que nada tem a ver com outra constitui√ß√£o, salvo a brasileira? Na encruzilhada, nove vereadores buscam uma seta que aponte para qual dire√ß√£o seguir: "siga adiante ou n√£o fa√ßa nada".
- Se o prefeito Farid seria "Constituido por Deus", segundo uma faixa, há um regimento interno do Legislativo e a visão popular, apuradíssima, que pode prover o fato. Barreira formada, falta a ser cobrada, correu, bateu...

Last Updated ( Wednesday, 03 August 2011 20:23 )

 

Trincheira IV

Decepção Rápida
Um conhecido palmeirense de Nobres assistia ao jogo entre Santos e Pe√Īarol (no Uruguai) pela decis√£o da Libertadores de Am√©rica, dia 15 de junho, √ļltimo, e quando saiu o gol dos uruguaios, correu para apanhar o roj√£o e comemora










































































































































































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Sunday, 19 June 2011 14:10 )

TRINCHEIRA II

Sem Cargo
Depois das negocia√ß√Ķes entre Ronaldinho Ga√ļcho, Flamengo, Gr√™mio e Palmeiras, do assunto da posse que virou not√≠cia, sobre a senhora Marcela Temer, esposa do vice presidente Michel Temer, as demiss√Ķes em Nobres ocuparam espa√ßo na cabe

















































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Tuesday, 11 January 2011 19:19 )

TRINCHEIRA

Esfacelado
O Partido Progressista em Nobres est√° aos cacos e ainda h√° quem fale na reelei√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva. O vereador Joel J√ļnior anda disparando para todos os lados, sem pensar nas feridas que causa a quem j√° t√™m feridas d




































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 16 October 2010 14:35 )

Page 11 of 11

Trincheira LVI

Imaginação Fértil Se você não pensa, há quem pense por você. Tem gente imaginando como seria uma confraternização entre o pessoal da imprensa local nos próximos dias e depois de uma três caixas de cerveja (garrafas). Um dos problemas para esse acontecimento, pra lá de surreal, seria a uni

Rumos e Defini√ß√Ķes

A política municipal em Nobres parece que converge para um rumo que difere completamente do sistema político nacional. Longe da crise de confiança estabelecida no cenário nacional a partir da corrupção que ainda é marca nacional e a política exercida sorrateiramente por antigas cobras de um
Banner
Banner
Banner
Banner