You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

07/04/2020
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home

Trincheira

Ut leo condimentum Donec felis vitae Nullam et volutpat tortor Cras. Nec ornare id pellentesque adipiscing dui Nam nonummy Vestibulum id quis. Et semper Nam ipsum Sed hendrerit Nunc justo Nulla mus laoreet.

Trincheira XXVI

Mídia Televisiva
Come√ßa a circular boatos de quem uma figura do governo seria o cabe√ßa da implanta√ß√£o de um canal televisivo em Nobres, cuja sede j√° est√° em obras. Ser√° mesmo? Mas vem algumas novidades por a√≠ que v√£o abalar tamb√©m. √Č s√≥ uma quest√£o de tempo. D√° um tiquinho de tempo para a pessoa se situar, j√° que vem coisa por a√≠. Assim sendo, bota a coisa no ar e deixe acontecer.
- Mídias em profusão em Nobres, bom pra todo mundo. A prefeitura na situação de pedinte e gente esbanjando dinheiro... tem pai que é cego; digo, contribuinte.

Verbos Rasgados

Durante uma assembleia realizada pelos servidores p√ļblicos municipais, dia 28 de novembro, pela manh√£, no Legislativo, teve gente que n√£o poupou cr√≠ticas a esse desastroso fim de governo. O que n√£o se entende √© o fato de ter gente que assumiu na Prefeitura de Nobres junto com o prefeito e tinha uma situa√ß√£o financeira normal e agora, quando a m√°quina p√ļblica est√° sucateada, determinadas pessoas est√£o muito melhor, mas muito mesmo que quando entraram. J√° a situa√ß√£o da prefeitura, √© a mesma de um pedinte, com nossas autoridades tendo que ouvir esculachos.
- Dr. Sigmund... não "fróid", explica aí pra nós.

Verbos Rasgados II
Muito se falou em falta de medicamentos e material de laborat√≥rio, o que impossibilita a realiza√ß√£o de exames. Isso nos remete aos gastos abusivos com festan√ßas e cantores renomados, para tudo se acabar nessa pinda√≠ba irrevers√≠vel. √Č preciso temer a rea√ß√£o de algumas pessoas, mais revoltas que √°gua do mar em mar√© alta. Enquanto isso, no para√≠so, algumas casas paradis√≠acas; no purgat√≥rio, d√≠vidas e falta de cr√©dito na pra√ßa. H√° quem diga que, quando for adulta, vai imitar uns e outros e colocar pedras na sua casa iguaiszinhas (feito cara de chin√™s) as que t√™m em alguns pr√©dios da prefeitura.
- Já a miséria da prefeitura, ninguém gosta de imitar.

Verbos Rasgados III
Fico imaginando como foi √† m√£o de obra para o entalhador Geppetto criar Pin√≥quio, essa figura lend√°ria das verdades √†s avessas. Mas, logo a realidade nos resgata e fico a pensar o "terrorismo" que foi a tal opera√ß√£o "Placas nas Portas", que visava demonstrar poder e popularidade a quem passava. Isso, Duda Mendon√ßa deveria copiar para as suas a√ß√Ķes de marketing pol√≠tico. E, "viajando na maionese", me ponho a matutar, a quem ser√° que eles pensam que enganariam? A quem eles pensam que enganam com essa alegada falta de dinheiro, enquanto esse mesmo governo produziu alguns indisfar√ß√°veis novos classes m√©dias em meio a falta de medicamentos b√°sicos na √°rea da sa√ļde no setor de aten√ß√£o b√°sica.
- Rasgo, rasga, rasgais, rasgam todos... as sedas e os salamaleques. Mas, e a LC 101, a Lei de Responsabilidade Fiscal? Ah! Só daqui a oito ou dez anos, quando todos já estiverem longe, é?

Bola Cheia
Para a decisão da Copa Verão Rural, além das anunciadas presenças do prefeito eleito Gilmarzinho da Ecoplan, do galinho Wilson Santos, de Nilmon Santos, da CBN/Gazeta, o meia Fernando Neves, do Nova Geração, anda prometendo fazer um gol para uma certa Ludmila, sua musa inspiradora. Para o gol prometido há duas hipóteses, a primeira é a de que os zagueiros do time da casa vão "fungar" no cangote de Fernando e Ludmila ficar sem a sua homenagem; a outra, é a do sucesso na promessa, com direito a camiseta por baixo com os dizeres: "Ludmila, esse cara sou eu...".
- Vai bombar essa decis√£o, s√°bado, dia 01 de dezembro. Boa sorte, Ludmila! Ou, boa noite, cinderelo. Quem ser√° essa?

Sem √ďleo

Alunos sem estudar por falta de transporte coletivo e ningu√©m fala nada. S√≥ em Nobres acontece isso sem que provid√™ncias sejam tomadas. Recebemos essa informa√ß√£o no dia 26 de novembro, pela manh√£, sobre a falta de √≥leo diesel para abastecer o √īnibus que serve uma das comunidades da zona rural. No centro da cidade isso tamb√©m ocorreria segundo se informou. Enquanto isso, aqui no nosso eldorado, o chefe da "grana" cumpria o seu "meeting" no final da tarde daquele mesmo dia, pleiteando entrar no medida certa.
- Nobres é mesmo o paraíso, viver aqui é bom demais; com dinheiro, melhor ainda.

Zona Tórrida

As elei√ß√Ķes √† dire√ß√£o da Escola "Maria Honorata de Campos" est√° mesmo tropicaliente e cheia de lances compar√°veis aos das elei√ß√Ķes majorit√°rias em Nobres. Obviamente, aquelas mais quentes j√° ocorridas, a mais recente foi razoavelmente f√°cil, apesar das press√Ķes psicol√≥gicas e de um lastim√°vel fim de governo. Por l√°, a disputa estaria acirrada e a campanha seguiria em ritmo fren√©tico. Quem leva essa √© a pergunta mais ouvida.
- Responsáveis pelo futuro, nessa disputa eles darão bons exemplos no presente, não é mesmo professores?

Fim de Baile
Em Nobres, tudo √© festa neste fim de governo, e o sujeito pega a "caranga" (p√ļblica, √© bom que se diga) e vai a um flerte no s√°bado pela manh√£. Um trator de esteira, supostamente, quebrado, √© para essa m√°quina que levariam √≥leo diesel? Tem um olheiro que passou essa bola, mas ser√° mesmo? Essa do P√°lio Weekend, aquele, verde (estilo camisa do Parmeiras), o carro √© mesmo p√ļblico ou seria particular? Gastou-se uma nota preta, digamos, muitas verdes, para se buscar esse carro e um barco (imagin√°rio), mais outro carro e duas motos l√° em Foz do Igua√ßu e o melhor(zinho) deles ganhou um dono, como se fosse uma capitania; n√£o por acaso, √© visto pelas curvas da estrada de Santos, ali√°s, do Palmeiras... circulando por a√≠ em "s√≥ love, s√≥ love".
- Ex my love, ex my love... esse cara não é você, não sou eu, adios e hasta la segunda division.

Sem Comando

Essa deve ter sido a d√©cima vez que avistamos o ve√≠culo P√°lio Weekend, placas final 99, cor verde, garrafa (pode ser de aguardente), estacionado √† porta de um im√≥vel, √† rua Almerinda, logo ap√≥s a travessia da Mato Grosso, e ainda na contram√£o. Foi hoje (s√°bado, 24 de novembro de 2012, pela manh√£). O mesmo ve√≠culo ficou por dias parados √† frente da sede do governo porque o seu condutor (ou posseiro, como queiram) teria perdido as chaves das portas e da igni√ß√£o. Nunca se viu tanto apego assim por algo que √© do povo. Num governo sem comando, a festa acontece todos os dias, notadamente com viaturas p√ļblicas em uma cidade, ao que tudo indica, sem lei; ao menos aquelas que tratam de combater desregramentos de subalternos.
- Vai um trabalhador (mas trabalhador, mesmo!) estacionar na contramão pra ver o que acontece. Esqueça, se ela na te quer... é de Roberto Carlos essa letra? Esse Cara, com certeza não é você.

Mesas e Cadeiras

A Prefeitura de Nobres adquiriu (com dinheiro do povo, obviamente) 100 jogos de mesas com as cadeiras, o que significa que s√£o 100 mesas e 400 cadeiras, e tem gente s√≥ esperando para ver se n√£o vai faltar nenhuma a ser entregue ao futuro governo na lista de patrim√īnio. Caso n√£o ocorra a entrega, o caso pode ir parar no Minist√©rio P√ļblico Estadual. √Č s√≥ uma quest√£o de tempo e a√≠ de quem n√£o relacionar na lista patrimonial os 100 jogos. At√© agora, ningu√©m duvida que seja entregue e n√£o h√° bois a ser nominados; mas √© s√≥ at√© agora, enquanto n√£o for entregue a meeeeer... cadoria.
- Flores ou espinhos... a preferência é por qual?

Hospital/Paralisação
O Hospital S√£o Jo√£o Batista, da cidade de Diamantino, fechar√° as portas por 180 dias por conta da falta de pagamento pelo estado. Os repasses t√™m sido irregulares e de 350 mil reais n√£o chegam a 100 mil reais e as despesas s√£o bem maiores. A sa√≠da vai ser mesmo fechar as portas, sendo assim, os conveniados municipais, entre Alto Paraguai, Nobres, Nortel√Ęndia, S√£o Jos√© do Rio Claro e Diamantino ter√£o que aguardar. Como se v√™, o governo do estado anda mal das pernas, digamos, financeiramente e quem vai parar na UTI s√£o aqueles que pagam os seus impostos... melhor dizendo, t√™m os impostos embutidos no ato da compra.
- Silval Barbosa n√£o tem mais como "garimpar" popularidade ao seu governo e a coisa t√° ficando meio "Black Friday".

Faixa de Gaza
Engra√ßado, a batalha eterna entre os grupos religiosos na conflitante regi√£o do Mediterr√Ęneo, na Faixa de Gaza, entre Egito e Israel, por l√° o cessar fogo se comemora com tiros para o alto. Tamb√©m, com essa chuva de balas vindas do Paraguai, nada como gast√°-las na nossa faixa, por aqui. Aqui, c√° entre n√≥s, dizem que tem gente trabalhando armado at√© os dentes. Sabe como √©, as d√≠vidas est√£o amontoadas e quem cobra, anda meio perturbado das ideias. Certa vez, numa reparti√ß√£o p√ļblica, em Cuiab√°, uma figura p√ļblica indignada, come√ßou a andar armada; at√© a√≠, nada de anormal, n√£o fosse um "pit stop" para uma cagadazinha, b√°sica. O rev√≥lver, pequeno, caiu do bolso da cal√ßa, ao lado do vaso e foi aquela correria... roubaram meu rev√≥lver.
- Por pouco o trabuquinho n√£o vai para o vaso junto com a merda. Defesa Zero. Cagada 10.

Leitura Recomendada
Dez entre dez professores n√£o podem deixar de ler o artigo assinado pelo economista Gustavo Ioschpe para Revista Veja desta semana (edi√ß√£o n¬ļ 2 296 ‚Äď 21.11.12), sob o t√≠tulo: "Quem s√£o os professores brasileiros?". √Č uma verdadeira radiografia da educa√ß√£o brasileira em dados e n√ļmeros porcentuais, com abordagens sobre os profissionais da educa√ß√£o, seus desejos e aspira√ß√Ķes. Mas, nem tudo √© elogio e h√° apontamentos claros sobre educadores que apenas empurram a educa√ß√£o com a barriga e se portam como "intoc√°veis" e inquestion√°veis. √Č um baita artigo e merece ser deglutido, at√© mesmo para os professores que mais veem televis√£o e que n√£o leem.
- A alguns, um verdadeiro chute na canela. A todos, motivo para cópias afixadas em mural ou para distribuição aos profissionais da educação em Nobres.

Supersti√ß√Ķes
Dia 22 de novembro, √† tarde, uma dupla fazia a sua fezinha na loteria e um deles lembrou que joga as dezenas do t√ļmulo de um fara√≥ e reclamava: "Mas o fdp n√£o ajuda para eu ganhar". O reclamante se fazia acompanhar de um conhecido pol√≠tico mato-grossense do final dos 70. Entre os cariocas, a supersti√ß√£o √© a de jogar no bicho a centena que est√° no t√ļmulo do ex homem de ouro da pol√≠cia carioca, Mariel Mariscot. A danada da sorte n√£o avisa quando vai chegar, mas bem que ela poderia dar uma forcinha para um apostador que t√° precisado e agora nem quer mais ir √† lot√©rica, com raiva do povo.
- Dezenas recomendadas para a Mega acumulada 5753 e 3534. Lembram-se desses n√ļmeros? Est√£o nos resultados das elei√ß√Ķes municipais deste ano em Nobres.

P√°gina Anti Social
O segmento "teen" de Nobres convive com ataques em uma p√°gina criada no Face com perfil an√īnimo que ataca mo√ßas e rapazes bastante populares em Nobres. A abordagem √© pessoal, ao estilo de fofocas, pesad√≠ssimas do ponto de vista moral e o caso parece que vai causar... no m√≠nimo um BO para quem for apanhado nessa parada. Tempos atr√°s foi um tal "Destaque Nobres" que agia com ousadia e causava constrangimentos e agora a p√°gina "Nobres Ta Assim" segue uma linha de ataques contra o segmento jovem, provavelmente, essa seja a constru√ß√£o de algu√©m do pr√≥prio meio, j√° que vem cheia de detalhes √≠ntimos. Depois daquele tal Jaime Gui, apanhado na pr√≥pria rede, que depois desapareceu, mas todos sabem de quem se tratava... a rocha partiu.
- Agora, mais essa, que é nitroglicerina pura. Vai abalar.

Veto Português
Em um certo site, um coment√°rio postado foi abortado com o alerta de que foi vetado por conter "palavras de baixo escal√£o". Por acaso, seriam os coment√°rios postados por algu√©m que ainda n√£o foi nomeado para as faixas superiores e melhores remuneradas da administra√ß√£o p√ļblica? Ou seria por algum pra√ßa (antiga nomenclatura utilizada para denominar os soldados)? Aur√©lio, por acaso voc√™ √© parente do Chico... o Buarque de Hollanda?
- Então, diz aí.

Fineza?
Olha, ficamos sabendo que uma dama da comunica√ß√£o teria descido do salto ao tentar receber da Prefeitura de Nobres, dia desses. Como se v√™, o tar do dim-dim causa isso no motor de arranque, que vai de 0 a 100 em 30 segundos. Ch√° de cadeira e enrola√ß√£o gera dedo em riste na dire√ß√£o do enrolador. Como se v√™, at√© as mais fin√©rrimas pessoas, quando o assunto √© dinheiro, partem para o ataque, feito jiripoca enrolada no camalote, descendo o pantanal abaixo. √Č sempre assim, na hora da publicidade, √© s√≥ gente mostrando os dentes, at√© mais que jacar√© exibindo para turista no pantanal. Na hora de pagar, hoje/amanh√£, hoje/amanh√£ e nada.
- Chá de folha de camalote, ninguém quer.

Dia Sim, Dia N√£o
Três figuras expressivas do governo que antes frequentavam a esquina mais badalada da city foram parar do outro lado, em uma casa de "bóia", digamos, um pouco menos requintada. Foram vistas por lá no dia 21 de novembro, à tarde. Falta de poder aquisitivo talvez não seja; sandálias da humildade não calçaram; birra com o peixe na telha não é; che succedere con questos ragazzos? Desceram dos saltos, também?
- √ďi, l√° vai um camalote, rio abaixo.

T√°tica Suicida

O governo municipal de Nobres est√° adotando a t√°tica de 'sufocar' qualquer proposta de greve fazendo pagar aos profissionais que trabalham na √°rea da educa√ß√£o e da sa√ļde, cujos recursos s√£o de origem federal. Deixa, por√©m, outros a perecer como √© o caso de alguns guardas que est√° h√° dois meses sem receber e com f√©rias vencidas. Segundo mat√©ria no portal 24horasnews "A recomenda√ß√£o do MPF manda que os prefeitos mantenham em dia o pagamento da folha de pessoal, atentando, especialmente, para o pagamento, a tempo e a modo, dos sal√°rios e proventos, incluindo o 13¬ļ sal√°rio.Tamb√©m que mantenham a alimenta√ß√£o regular e tempestiva dos sistemas de informa√ß√Ķes federais correlatos".
- Se existe alguém que vai sair chamuscado nessa história, esse é o prefeito atual. A autonomia é só a nível federal?

Arrecadação

Em outubro de 2012, a Prefeitura de Nobres arrecadou R$ 2.803.136,82, j√° em novembro, at√© agora, ou seja, 21 de novembro do ano em curso, inclusos os valores do Fex (R$ 506.926,03) que ca√≠ram na conta em 16.11.12, o caixa foi refor√ßado com R$ 2.081.907,52. Primeiro, paga-se os fornecedores amigos e s√≥ depois √© que se paga (com as sobras) os servidores p√ļblicos municipais, seria assim a ordem? Quem n√£o tem "pedigree", aguarda na fila e...
- ...deixa o home trabai√°.

Secret√°rios Ao Vento
Para 2013, j√° escalaram um "mont√£o" de secret√°rios de governo, de tal forma, que o prefeito eleito ser√° o √ļltimo √° saber. Assessores, ent√£o, brotam mais que batata doce, sem que o prefeito eleito saiba disso. Tamb√©m, com tantos boateiros espalhados pela cidade e espalhando pela cidade o que ningu√©m sabe. Tem gente dizendo que gostaria de ocupar uma cadeira no Executivo. Algu√©m pode com isso? O cargo de fulano vai ser meu, diz-se de um ou outro. E tem aquele (ou aquela) que diz que o pr√≥prio reinado vai continuar... mas, no reino dos outros? Em pol√≠tica, mente-se antes, durante e depois.
- Vou ali e volto já... é tempo de buscar umas balinhas.

Ruas Estragadas
Al√©m do bairro Jardim Petr√≥polis, quem for ao bairro Jardim Carolina, vai ver as ruas pavimentadas sem meio-fio e guias de sarjeta j√° com processo erosivo. No que d√° querer fazer obra eleitoreira e executar obra meia-boca. Infelizmente, o resultado das urnas √© o que mais tem influ√≠do para essa vingan√ßa contra o povo de Nobres. Quem conseguiria tocar dezenas de obras em menos de um ano e com qualidade, ali√°s, com a qualidade correspondente ao valor da obra? A administra√ß√£o municipal come√ßou mal, fazendo realizar uma obra de asfaltamento bem pertinho da Prefeitura, F√≥rum e Minist√©rio P√ļblico e o asfalto mais parecia chiclete. Depois vieram os asfaltamentos no bairro S√£o Jos√©, hoje, s√≥ buracos e ningu√©m diz nada.
- Espere pr√° ver o que vai sobrar ao futuro governante.

Ruas Estragadas II
O trecho de rua que leva a um conhecido mercado (Boi Bom), sentido São José Carolina, saindo em frente ao citado estabelecimento, onde eram para ser guias de sarjeta, virou buracos e o pavimento vai ceder. E a empresa não é acionada, certamente porque não consegue receber; o TCE-MT, será que vai aprovar as contas de 2012 com a complacência de sempre? Escandaloso o estado das obras em suas laterais pavimentadas, nos bairros Jardim Petrópolis e Jardim Carolina e ninguém vai lá ver e ao menos tentar encerrar o mandato de forma condizente com o papel e com o ganho como representante popular.
- √Č como diria vov√≥: "chegamos ao fim da picada". Que vergonha!

Craque da Rodada
Na Secretaria Municipal de Sa√ļde de Nobres, um funcion√°rio de uma empresa "expert" em manuten√ß√£o de aparelhos de ar condicionado prestou servi√ßos e deixou o telhado de qualquer jeito e a √°gua da chuva danificou o forro, que √© de gesso. Uma impressora, nova e moderna da SMS recebeu √°gua de goteira e estaria danificada. √Č incalcul√°vel o preju√≠zo que a atual administra√ß√£o est√° causando ao contribuinte, para n√£o se falar no aspecto moral da causa ap√≥s os incidentes que viraram not√≠cia no in√≠cio da semana (de 12 a 16 de novembro de 2012).
- E todos aqui calados, assistindo a tudo na maior impassividade.

Sal√°rios Atrasados
√Č impressionante a calma com que todos assistem em Nobres, o dinheiro caindo no caixa da Prefeitura local e os sal√°rios dos servidores em atraso, fornecedores em atraso e ningu√©m para esclarecer os fatos. Isso dep√Ķe contra as institui√ß√Ķes, ditas democr√°ticas. Daqui a pouco, v√£o pagar nota fiscal de uniformes para jogos escolares em Tangar√° da Serra quando nem o √īnibus foi cedido. At√© quando esse estado de coisas? O sil√™ncio dos bons √© que causa estupefa√ß√£o.
- O jeito é botar um bazar para vender balinhas... de 22, 38, 380 e calibre 36, com para caçar animais silvestres.

Magérrimo
Com tanta gordurinha localizada... nas ancas, no abd√īmen, nas batatas das pernas, o jeito √© adquirir na loja de inconveni√™ncias um frasco de Lipo 6 Black, recomendado a pias entupidas e gorduras na caixa de gorduras do seu sistema de pias; √© a tal "bomba paraguaia" para quem quer ficar musculoso sem mover uma √ļnica palha, e ainda com o cora√ß√£o ardente. A Anvisa n√£o gosta nem de ouvir falar em Sibutramina, recomendado a pregui√ßosos, que adoram chocolates, feijoadas com orelha de porco, costelinha de porco e lingui√ßa; X-Tudo e mais um pouco.
- Vai uma cartela aí? Ninguém ainda não inventou remédio para chifre, sem mosca, obviamente.

Vetado?

O secretário de Finanças de Nobres, Valdinei, cotado, supostamente, para assumir uma pasta em Rosário Oeste, após "reluzente" trabalho por aqui, parece que foi vetado pelo deputado federal Valtenir Pereira que teria ligado para o prefeito eleito João Balbino e cantado a pedra. Olha, no que depender de "cartas recomendatórias", não vão faltar parentes do dr. Valtenir para informar sobre os feitos ocorridos em Nobres. Há uma ponte "on line" entre esses municípios e o deputado Valtenir costuma ouvir as suas bases. A ficha do secretário teria sido entregue, de bandeja, ao federal do PSB.
- Vai ficar só no escritório, montado perto do BB, em Rosário Oeste.

"Exportação"
Nobres tem essa capacidade, de "exportar" m√£o-de-obra especializada, j√° faz algum tempo. O "mago" em economia e gest√£o financeira p√ļblica estaria com um p√© l√° em RosarioWood City, onde, provavelmente, classificaria os contribuintes de "ot√°rios", como fez em Nobres. Ele chegou at√© a proibir (isso mesmo) pessoas de conversarem com algu√©m deste jornal, para tudo se acabar nesse estado de coisas que vemos agora, com as finan√ßas p√ļblicas atiradas √† merc√™ da pr√≥pria sorte e a boa vontade do contribuinte. E nem adianta atirar a culpa sobre o prefeito porque ambos sempre estiveram juntos e o dinheiro sempre foi p√ļblico e n√£o uma propriedade particular deste ou daquele.
- Tanto, que tem gente armada adentrando aos corredores palacianos municipais para receber pelo que forneceu. Mas, se Ros√°rio Oeste quiser e o federal Valtenir deixar, podem levar.

Discreta

A participa√ß√£o da Comiss√£o de Transi√ß√£o parece ter sido discreta e nos moldes que recomenda o TCE-MT. Entretanto, o que est√° feito, continuar√° no papel e mais cedo ou mais tarde vai aflorar. Infelizmente, √© dessa forma e buscaremos levantar o n√ļmero de pagamentos 'on line' realizados em dezembro de 2011, cujas contas foram aprovadas pela Egr√©gia Corte de Contas de MT. √Č a tal da vigil√Ęncia por telepatia, j√° que a C√Ęmara de Vereadores n√£o faz tanta quest√£o assim de fiscalizar a quem devia. A Prefeitura de Nobres, financeiramente est√° "f..dida" e um ou outro secret√°rio bem, financeiramente e, supostamente, adquirindo im√≥veis.
- V√° entender isso.

Enxurrada
A avenida Marechal Rondon est√° tomada pela √°gua neste momento, √†s 08:20 do dia 13 de novembro de 2012. D√° pra imaginar o quadro no bairro Ponte de Ferro, onde se realiza obras eleitoreiras, sem galeria de √°guas pluviais, dentro da proposta "Para Nobres Continuar Crescendo", encerrada em 07 de outubro de 2012 desde as 18:00 horas, quando as primeiras urnas foram apuradas. Infelizmente, esse √© o quadro da pressa, divorciada da perfei√ß√£o e longe da regularidade administrativa exigida. Enquanto isso, a d√≠vida a ser repassada ao sucessor vai ser astron√īmica, em que pese a LC 101.
- E todos foram felizes para sempre...

Poderoso
Com três meses de atraso e indo para o quarto em atraso nos repasses dos valores devidos ao fundo sindical, a Prefeitura de Nobres, através do secretário de Finanças, ainda se acha no direito de propor a formação de uma chapa para concorrer ao comando sindical só pelo prazer de "destronar" a atual líder sindical. Tudo porque ela tem as despesas sindicais e cobra o que é devido ao sindicato. Como se vê, a ideia principal é mesmo "atacar" quem não serviu ao governo na campanha.
- Tragic√īmica essa iniciativa.

Poderoso II
Com tamanha d√≠vida a pagar, com o funcionalismo p√ļblico municipal com sal√°rios em atraso e o "mago" em economia p√ļblica pensando em revanchismo contra sindicalistas. "Financiar" advers√°rio para conter as cobran√ßas do que √© de direito do atual comando sindical, o que representa isso? Ora, pois, pois, se houve a reten√ß√£o dos valores, porque n√£o repassar a quem de direito? J√° n√£o basta ver nomes estranhos nos balancetes de julho e agosto como prestadores de servi√ßo a municipalidade? Pessoas que trabalharam na campanha pol√≠tica viraram prestadoras de servi√ßo ao munic√≠pio, segundo est√° nos balancetes de julho e agosto e quem sabe de setembro, quando for enviado ao Legislativo.
- E por que não repassar ao sindicato o que é do sindicato, ao invés de se propor revanchismos? Sair de fininho já terá sido lucro, caro poderoso. Atenda o telefone, viu?!

Poderoso III
O que se viu nas elei√ß√Ķes municipais durante a campanha em Nobres √© qualquer coisa inaceit√°vel em termos de democracia. A press√£o sobre as pessoas para colocar placas √† frente das casas s√≥ fez com que muitas se revoltassem e votassem contra. Outro absurdo foi √† proibi√ß√£o a determinadas pessoas para que nem ao menos cumprimentassem algu√©m do jornal impresso local. N√£o por acaso, o resultado das urnas espelhou bem o que foram os bastidores pol√≠ticos l√° pelos lados da situa√ß√£o. Proibir as pessoas de se relacionarem, umas com as outras, s√≥ sendo produto da imagina√ß√£o de algu√©m que ainda esteja com a cabe√ßa no Brasil col√īnia. Pudera, em um governo onde quem n√£o tem n√≠vel superior e exige que todos os seus funcion√°rios sejam melhores qualificados que o pr√≥prio, o resultado n√£o poderia ser outro.
- Por aqui, todo mundo é 11... vezes atentos à regimes pretensamente totalitários.

Vingança?

Consta que a atual administra√ß√£o tem se posicionado, nas entrelinhas, pelo n√£o pagamento de todos os servidores p√ļblicos municipais, deixando aberta a possibilidade a quem quiser que entre na Justi√ßa. Se a C√Ęmara Municipal de Nobres e o sindicato classista se unirem, posi√ß√Ķes conjuntas forem adotadas e atitudes coerentes forem tomadas, o pior ser√° evitado. Parece que o governo agora s√≥ paga √†queles que invadem a sede do governo com um "tresoit√£o" na cintura e adotando a Justi√ßa de Mato Grosso de antanho, a Lei do 44. Seria um jeito novo de fazer vingan√ßa contra o resultado das urnas. E pensar que Jo√£o do Ouro Verde, prefeito eleito de Ros√°rio Oeste, estaria propenso a levar para o seu governo um mago das finan√ßas daqui.
- Ter√° sido melhor pedir para que o Furac√£o Sandy passe por l√°.

Vingança? II
Veja ao ponto em que chegamos, a pr√°tica do trabalho escravo em Nobres, que √© o que se assemelha quando se sabe que um subalterno do governo deixa antever que n√£o vai pagar servidores e sugerir que se entre na justi√ßa. Os 2.218 votos de diferen√ßa ou os 5.753 votos conquistados pelo oposicionista √© que estariam levando o governante a esse estado de coisas? Se pagar a todos os servidores p√ļblicos municipais, n√£o far√° mais que a obriga√ß√£o; se n√£o pagar e deixar d√≠vidas como vai deixar, h√° que se invocar a LC 101 (Lei de Responsabilidade Fiscal) apondo ali a participa√ß√£o clara e cristalina do secret√°rio municipal de Finan√ßas, que s√≥ agora ver√° os √īnus que o poder supremo acarreta.
- Os b√īnus j√° est√£o creditados √† conta dos seus conceitos sobre gest√£o financeira plena, instalando-se em uma pasta criada a seu livre arb√≠trio com aval do chefe de governo.

Transição
Reunidos nesta manh√£ de 07 de novembro, a portas fechadas, prefeito, secret√°rio de Finan√ßas e tesoureiro, dali, as decis√Ķes mais coerentes ter√£o que sair. De todos, num cabo-de-guerra, o lado mais fr√°gil √© o do tesoureiro, e se n√£o abrir o jogo, o seu risco ser√° calculado. Trata-se, at√© prova em contr√°rio de um servidor respeitado e zeloso, o qual ter√° que abrir as p√°ginas do livro de hist√≥rias desse governo √† equipe de transi√ß√£o. Qualquer tomada de posi√ß√£o contr√°ria, infelizmente, a equipe de transi√ß√£o ter√° que levar os fatos √†s barras da Justi√ßa ou chamar a pol√≠cia. A quest√£o ser√° a de peitar a quem quer seja para que todo e qualquer pedido de informa√ß√£o seja respeitado.
- Manda o regulamento que a boa f√© seja preservada e que ao menos o funcionalismo p√ļblico municipal n√£o seja a parte lesada nessa hist√≥ria de triste final.

Kamikase
Dizem por a√≠ que Jo√£o do Ouro Verde levar√° para compor a sua equipe de governo um secret√°rio de governo que est√° saindo daqui. A opera√ß√£o √© suicida e se algu√©m tiver alguma d√ļvida, basta questionar um certo presidente da C√Ęmara de Vereadores de Santa Rita do Trivelato ou qualquer vereador de l√°. N√£o somos n√≥s que dizemos isso, mas s√£o as not√≠cias que vem de l√° at√© n√≥s. Se ainda assim houver d√ļvidas, veja como Nobres ficou, financeiramente, de janeiro de 2011 at√© hoje. Se as d√ļvidas persistirem, contatem com ao menos dez servidores p√ļblicos municipais de Nobres e perguntem sobre as finan√ßas municipais.
- Boa sorte, dr. Jo√£o do Ouro Verde.

Uma Constatação

Uma visita do prefeito eleito, Gilmarzinho da Ecoplan, ao INNOVO, ontem (06/11/12), foi o tempo de constatarmos uma realidade real e redundante de um fato que já sabíamos, há tempos, a de que o prefeito José Carlos da Silva até que tinha boa vontade, mas o resto da sua equipe parecia desdenhar da cultura nobrense. Não por acaso, o setor teve que se virar e por vezes representar a Fênix, ressurgindo das cinzas do descaso. Tristeza de uns e alegria de outro(s), já que sempre soube que o prefeito atual sempre andou em más companhias e só ele não queria ver. Resultado: um NÃO em uníssono nas urnas e a repetição em papel pautado por 5.555 vezes a frase: "Não devo andar em más companhias!".
- E a valorosa equipe do INNOVO, sem distinção, segue ensaiando a peça: "Ressurgindo das Cinzas".

USA/Obama
Espia s√≥ quem ligou para Pedro Paulo (aquele comentarista pol√≠tico que defendia shows nacionais em Nobres para gastar dinheiro do povo); foi Barack Obama e dizia: Hell√ī, Mr. Pedro Paulo, preste aten√ß√£o, quem perde elei√ß√£o com a m√°quina p√ļblica nas m√£os tem que ser muito ruim, mesmo. Aqui, vai dar eu", disse Barack. Olha!, vi o sorriso de Pedro Paulo por uma fresta da porta... tava mais amarelo que casca de banana madura.
- Uai, e daí Pedro Paulo, o que ocorreu com você?

Efeito Cascata
O resultado da elei√ß√£o em Nobres fez despencar tudo... bolsa, sutian, calcinha e a boutique toda. Os reflexos foram t√£o devastadores em Wall Street, que at√© a merenda dos programas sociais tiveram os card√°pios alterados na semana passada. Farrof√° de banan√°, nem pensar, s√≥ farinha misturada com ovos fritos e, quem sabe, ch√° de capim cidreira, my breakfast na inf√Ęncia. Como esquisito √© pouco, a outros, servir bolacha de √°gua e sal com algumas doses de H2O, √© coisa tchique, no √ļrtimo. Duas bolachas e um copo d'√°gua, dizem por a√≠. Vejam s√≥ como uma elei√ß√£o √© devastadora, mais ainda para quem, √° dois anos antes das elei√ß√Ķes, diz: "quem perde elei√ß√£o com a m√°quina nas m√£os tem quer ser muito ruim".
- Farrof√° de banan√° avec p√£o co' ch√°, tchique, dem√°s...

Last Updated ( Thursday, 29 November 2012 13:53 )

 

Trincheira XXV

Na Forquilha
O estado da ponte sobre o rio Cuiabazinho, ligando Nobres a Forquilha do Rio Manso, é crítico e a travessia sobre motos é das mais arriscadas. Enquanto isso, o Governo de Mato Grosso diz que não tem dinheiro para pagar à empreiteira




















































































































































































































Last Updated ( Monday, 05 November 2012 21:07 )

Trincheira XXIV

Bate/Rebate
Repercutiu a Carta Aberta do líder sindical Anderson Boaventura e alguns vereadores rechaçaram a iniciativa do educador. A liberdade de expressão é garantia constitucional e gostar ou não gostar é papel que convém a cada um, como te
































































































































Last Updated ( Wednesday, 17 October 2012 10:40 )

Trincheira XXIII

Rua Bahia
Pedir votos na rua Bahia ap√≥s aquelas enchentes, isso √© dif√≠cil, muito dif√≠cil. Arriscar, √© ouvir, ao p√© da letra e do ouvido. Ser√° que tem algu√©m que arriscou? Ter√° que ouvir poucas e boas, aquele que arriscar. Dizem que algu√©m j√





























































































































Last Updated ( Tuesday, 25 September 2012 17:08 )

Trincheira XXII

Impasse Brabo
Os times de futebol que disputam a Copa Rural 2012 estão no impasse por conta de um regulamento que se apresenta equivocado, contra a participação de mais de três atletas "estrangeiros", ou seja, de fora da zona rural ou do municípi
















































































































































Last Updated ( Tuesday, 28 August 2012 18:44 )

Page 7 of 11

TRINCHEIRA LVII

Ajuste e Equilíbrio O prefeito Leocir Hanel vem contando com uma articulação política de muita habilidade, principalmente em momentos como o de agora, quando tudo caminha para dar errado e aí entra o bom senso e o diálogo dentro do governo para que nenhuma problemática seja exposta. Esses dias

O turismo ‚Äėofendido‚Äô

Quando se busca assentar a atividade turística em bases sólidas, com a sedimentação de uma organização que seja o ponto marcante da implantação do turismo no município de Nobres, acontecimentos nefastos empanam o brilho de um trabalho que levou anos para se organizar. O otimismo da administr
Banner
Banner
Banner
Banner