You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

12/07/2020
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home

Trincheira

Ut leo condimentum Donec felis vitae Nullam et volutpat tortor Cras. Nec ornare id pellentesque adipiscing dui Nam nonummy Vestibulum id quis. Et semper Nam ipsum Sed hendrerit Nunc justo Nulla mus laoreet.

Trincheira XVI

Dia de F√ļria
√Ā tarde de 15 de maio n√£o foi aquela que se poderia dizer calma, ao menos para o vereador Joel J√ļnior, autor de dois requerimentos e de uma Mo√ß√£o de Aplauso. Ao descobrir que a Mo√ß√£o de Aplauso poderia ser sabotada, JJ buscou saber de quem partiu a iniciativa e teria chutado o pau da barraca ao telefone, dizendo ao seu interlocutor que n√£o precisaria do prefeito e nem dos seus seguidores para se eleger vereador novamente. "Farei a minha campanha sozinho...", teria dito JJ. Dizem os analistas pol√≠ticos que isso √© apenas o come√ßo do fim da Era Z√©, a partir da falta de dinheiro para tocar outros projetos e fazendo m√°gica com o dinheiro dos encargos sociais.
- Essa compulsão por gastar o dinheiro do povo com obras meia boca e com projetos originais adulterados, segundo disseram, é que vai fazer com que o governo tenha a popularidade (sic) abalada.

Dias Passados
H√° pouco mais de 15 anos, em um dia qualquer de janeiro, a Previ Nobres foi "estuprada" em cerca de R$ 282.000,00, coisa que vem sendo paga at√© hoje, pelos contribuintes e pelo funcionalismo p√ļblico. Agora, ap√≥s a divulga√ß√£o de um relat√≥rio pela dire√ß√£o do Previ Nobres, a Prefeitura ainda "deve" R$ 253.582,82, relativos aos meses de novembro e dezembro de 2011, fora outra parcela que se encerra ap√≥s o dia 20 de maio. Qual a diferen√ßa entre o que ocorreu h√° 15 anos atr√°s e agora? Bem, aquilo l√° foi um empr√©stimo n√£o pago; e a situa√ß√£o atual √© vista como apropria√ß√£o do que n√£o pertence ao prefeito e nem ao governo.
- Quem banca essa farra somos todos n√≥s, os dois filhos de Francisco; Serafim e seus filhos, um dos quais virou lobisomem... Man√©, Jo√£o, Quindim e Maria; Branca de Neve e os sete an√Ķes; o capit√£o Jack Sparrow e seu papagaio; Dad√°, Ded√© e Dudu; Amazonina; a Revista Sexy; os hackers que furtaram a nudez de Carolina; Pedro Paulo, o postador de coment√°rios; Kitaro Tamayura; El Mercedita; Tonto, Zorro; a cantora Chayene; a pistoleira do Brooklin e o Ca√ßador de Pipas, entre outros.

Dias Passados II
Por causa desse causo (e da redund√Ęncia, tamb√©m), da Previ Nobres, que Serafim e seus filhos pagam essa conta, "Serafim jurou vingan√ßa; Filho meu n√£o dan√ßa, conforme a dan√ßa; s√£o tr√™s machos e uma f√™mea, por sinal Maria... Bandoleros de los campos verdes; Dom Quixotes de nuestro desierto". Realmente, como Tonto tem se apresentado em nuestro desierto, hay que empezar-se, pero no mucho... tudo aqui anda t√£o esquisito nos √ļltimos dias, o dinheiro desapareceu de nuestra ciudad e bateu at√© desanimo em quem andava acreditando que o cio sempre vence cansa√ßo. Pois √©: "Serafim depois que viu o filho Lobisomem; Perdeu o ju√≠zo; √ä A √Ē; E morreu sete vezes; At√© abrir caminho pro para√≠so...".
- "Todos de olhar esperto para ver de perto; Quem de muito longe é que vinha; Filhos de dois juramentos, todos dois sangrentos; Em noite clarinha...". Linda essa história, não? Nunca houve acordo político no passado, é? Então tá. Hasta La vista, Mercedita.

Ebulição Pura
J√° que o assunto √© mesmo a qu√≠mica e a ci√™ncia, nos bastidores pol√≠ticos o clima anda em estado de ebuli√ß√£o. Um requerimento, dois, ali√°s, apresentado pelo vereador Joel J√ļnior morreram na praia deserta. Em meio ao clima de muita efervesc√™ncia, um relat√≥rio apresentado pela dire√ß√£o do Fundo de Previd√™ncia (PreviNobres), segundo o vereador Silvestre Campos, apresenta uma situa√ß√£o que pode levar o governo municipal ao buraco. Seria a reten√ß√£o dos encargos sociais do trabalhador atrav√©s da folha salarial e o n√£o repasse ao Fundo Previdenci√°rio e j√° passariam de 300 mil pilas essa apropria√ß√£o, que segundo o linguajar dos jurisconsultos seria indevida.
- O processo político em Nobres está realmente como num laboratório de alquimia, onde o sonho ou a vontade absoluta é transformar ferro enferrujado em ouro e a fórmula ou um dos ingredientes seria a "mentira".

Ebulição Pura II
E nesse clima, bastante tenso, a solução negociada veio da experiência da vereadora Paula, aquela que todos acham que deveria continuar por mais dois mandatos como vereadora. Bem, isso tudo aconteceu em meio à sessão ordinária da noite de 15 de maio, quando os dois requerimentos foram trocados por uma Moção de Aplauso, graças à intervenção da vereadora Paula. Entre mortos e feridos salvaram-se todos, restando ao governo do Zé mais um tiquinho de desconfiança a partir dos gastos absurdos com a festa do aniversário de Nobres, que teve lá seus fiascos e agora o dinheiro sumiu; reaparecendo um velho fantasma que já rondou Nobres, há anos, a apropriação indébita e o dinheiro, que se tornou invisível.
- Os órgãos de fiscalização, entre TCE, MPE e outros, são os que têm a técnica e o poder de afugentar esses fantasmas.

Ebulição Pura III
E para complementar a fervura, o vereador Manoel Fermino Pinho, presidente do Legislativo, subiu a tribuna da Casa e convidou o colega Joel J√ļnior a cumprir o juramento feito e come√ßar a fiscalizar o Executivo, que est√° a merecer. Well! Depois desse relat√≥rio do Fundo de Previd√™ncia, se algu√©m n√£o denunciar o governo municipal, o jeito √© apelar para a bacia, sab√£o cr√©-cr√©u e a toalhinha, numa imita√ß√£o barata do Pilatos, que lavava as m√£os a toda hora. Essa atitude de Pilatos era mais por frescura, por medo de bact√©ria e de apanhar, inadvertidamente, o v√≠rus da vaca louca.
- Já imaginou, Pilatos no sambódromo gritando "eu sou louca, eu sou louca, me dê uma gaiola para entrar...". Seria o fim, o mesmo fim dos governos com gastadores compulsivos de um dinheiro que não lhes pertencem.

Orgias Noturnas
Cerca de 750 mil reais gastos em festa de anivers√°rio, movida a u√≠sque e cerveja para um camarote de estrelas cadentes. √Č que ao descer daquele local, algumas figuras sinistras teriam se esborrachado no ch√£o. Passados alguns dias, outros faltam ao trabalho e fica rondando o local de servi√ßo, ainda meio "borrachos" ao chegar de uma noitada fora de casa, segundo dizem quem est√° no epicentro do furac√£o, a sede do governo. Ent√£o, reeditamos a velha Roma e as orgias com √°lcool, uvas (maduras, obviamente!) e aquele desejo incontido de incendiar Roma com aqueles homens cuspidores de fogo.
- Um horror, "noooofa, ifo √© um orgasmo foga de √©poca", diria Cauby Peixoto quando est√° naqueles dias. Se o deputado Clodovil Hernandes visse isso, diria: "Raz√£o por que abomino a plebe e seus barracos. Que mau gosto suced√Ęneo". Cruuuuuzzzzzes!!!

Amalgama
O ex-prefeito Devair Valim parece estar na √ļltima esta√ß√£o da sua via crucis e tanto pode levar ao calv√°rio bem como pode se safar nessa √ļltima tenta√ß√£o antes da ceia com os amigos ou disc√≠pulos, como queiram. Teria ido ao deputado Riva, em Cuiab√°, para negociar uma aproxima√ß√£o com o PSD em Nobres. Menos mal que a c√ļpula regional social democrata n√£o tenha nenhuma inten√ß√£o de interferir nas negocia√ß√Ķes paroquiais, o que equivale dizer que ele ter√° que voltar ao marco zero em sua coordenada geogr√°fica e se situar ap√≥s ter perambulado por outras agremia√ß√Ķes, recentemente. Ent√£o, a situa√ß√£o do DEM, ao menos no laborat√≥rio do Valim, ainda est√° em estado l√≠quido e a fus√£o com outros "metais" s√≥lidos depende (e muito) da qualidade do que se possa apresentar o "cacique", que ainda habita a aldeia pefelista.
- √Č preciso saber fazer a hora e n√£o esperar acontecer... pra n√£o dizer que n√£o falamos das flores.

Amalgama II
Com o laboratório hermeticamente fechado para evitar que vazem materiais altamente radioativos, outras siglas já se alinharam e sem a contra senha com o 'holograma' da humildade, dificilmente o ex-prefeito Devair Valim conseguirá furar o bloqueio de segurança. Sugere-se que ele passe o seu passe de acesso a Fermino ou a Bacalhau para que tudo comece a apresentar sinais de que a amalgama será completada sem maiores percalços no tubo de ensaio.
- A senha é "pegar ou largar" e a contra senha, já anunciamos, são as sandálias da humildade... tem para todos os pés e gostos.

Linha Cruzada
Um di√°logo entre um vereador e o secret√°rio de Finan√ßas caiu na rede... da boataria, obviamente, e dizem que o secret√°rio afirmou que os erros t√©cnicos que n√£o permitiram a realiza√ß√£o do show com a Banda Anjos de Resgate, dia 27 de abril, n√£o foi culpa de Ad√£o e nem de ningu√©m, mas por quest√Ķes de ordem t√©cnica. Consta que o secret√°rio teria dito no di√°logo que Ad√£o foi escolhido para ser a "v√≠tima" do panfleto apenas por falar demais. Mas, ser√° que o secret√°rio admitiu mesmo isso? Com quem teria tido isso tipo de di√°logo confidencial? Se fosse eu, nem as paredes confessaria tamanha trapalhada governista. √Č poss√≠vel entrar com um pedido de beatifica√ß√£o desse secret√°rio, por tamanha transpar√™ncia.
- Tu acredita, companheiro do Zorro? Nem eu, seu Tonto.

Riva Fashion
Na AMM, dia 14 de maio, à noite, o deputado Riva discursou e falou que o PMDB anda meio nos saltos, não parecendo precisar de mais ninguém. Daí, o PSD já vislumbrar uma aproximação com outras siglas. Riva ainda disse que o virtual candidato Gilmarzinho, de Nobres, já está enfrentando a máquina governista 'pilotada' pelo prefeito Zé Carlos. O suplente de deputado, médico Aray Fonseca gostou de Gilmarzinho e disse que quer conhecer Nobres, além da promessa de Juarez Fiel, de vir para dar a sua contribuição na campanha futura.
- Um discurso eloquente é como um cruzado de um bom boxeador e pode levar ao nocaute. Pedro Paulo, tu vai para as cordas e após para a lona, Ki-tar-o...?

Só Com Lupa
Olha, algu√©m tem uma lupa a√≠? √Č pra ceder ao pessoal que vai √† Pra√ßa Josino Serra para ver o busto do homenageado, n√£o vis√≠vel a olho nu. A pressa era tanta, que at√© esqueceram que o busto precisa ser inaugurado e em estado vis√≠vel para que todos vejam. Ahnnnn! Outra parada, o Posto de Sa√ļde Central t√° bonito, mas no pr√©dio remodelado, faltaria uma coisa primordial em ambiente de trabalho, o telhado, para evitar de chover mais fora que dentro.
- Chama Dedé, Dadá ou quem mais para ajudar.

Curiosidade Zero
Passado o dia 1¬ļ de maio, tudo como dantes no qualquer de Abrantes, a Pra√ßa Josino Serra ainda inacabada, o busto do homenageado em estado invis√≠vel e ao lado, as obras de reformas do Centro Preventivo de Sa√ļde paralisadas. Acabou o dinheiro e voltamos √† pasmaceira de sempre, n√≥s c√° ladrando e a caravana governista passando. Voltamos ao be-a-b√° de sempre... Dad√°, Ded√©, Dod√≥, Dudu e Duda Mendon√ßa, o discreto. Ded√©, Dudu ou Dad√°, seja l√° quem for, desconfio que essa "Fubica" n√£o deixar√° o "P√°tio" da boa vontade; ainda n√£o nos pertence o milagre da transforma√ß√£o de √°gua servida em vinho.
- Tonto, Zorro e o Pajé não estão nem aí para esse negócio de imagem do governo... o negócio desse povo é outro.

Curiosidade Zero II
Olha, Dadá, Dedé ou sei lá mais quem, esse negócio de "marketing", para quem só quer saber de emprego para parentes, pega mal demais. Então, você elege o sujeito para depois ele usar das prerrogativas que o poder concede para pedir emprego para a ex esposa, para a atual, para os irmãos, cunhados, para o papagaio, para a paca morta no freezer, para os canários, jabutis, tracajás, tucanos e até para as traíras? Aproveite bem, siminino, porque o empreguismo vai passar. A curiosidade cessa no pós festa. E lá se foi aquela loucura toda para mostrar que é o "cara" e tudo isso ainda encontra seguidores para acreditar que se governa com seriedade.
- Cad√™ a lista de contratados pela AMM?Tonto n√≥is num √©; o mascarado tamb√©m n√£o; Waldick Soriano tamb√©m n√£o... eu n√£o sou cachorro n√£o, pra ficar vendo a caravana passar sem dar nenhum latido. Au, au, auuuuuuuuuuuuuuuu... O Cresp√ļculo est√° chegando.

Porrete Estiloso
No site "Agitos Nobres" um coment√°rio, supostamente, de uma tal Sebastiana, parece bastante abalizado e destaca que tem secret√°rio comendo e bebendo de gra√ßa, levando p√£o pra casa por conta do contribuinte e ainda construindo e fazendo tudo o que pode financeiramente s√≥ com pouquinho mais de 3 mil pilas. Faltou relacionar na lista de compras, u√≠sque, um par de asas que d√° o Red Bull e at√© refri. Sobra at√© para C√Ęmara de Vereadores e a flechada n√£o tem muito de Bastiana, mas parece ser um cabra macho. Isso parece at√© que tem dedo de vereador.
- Realmente, o clima político anda tenso, é que está chegando a hora do paredão; é TPP, Tensão Pré-Paredão.

E No Velho Oeste
Na manhã de 11 de maio, Lobo Solitário despachava sozinho na oca 'caciquenha', já que Tonto não foi ao trabalho e só rondou o ambiente, estando em pé-de-guerra com a índia Takitá, só porque o colega de Zorro dormiu fora da oca, em outra aldeia. Desprotegido, Lobo Solitário nada fez e não pensa em demitir, nem ao menos o 'curandeiro' da tribo, que também não foi na sexta-feira. Enquanto isso, Rin-tim-tim uivava ali fora, justo quando passava uma caravana com a marca da Well's Fargo, transportando uma carga de uísque para a adega, a espera de uma futura pajelança. A novidade de maio, fica por conta de Tonto, dormindo na praça nova e tendo que explicar: "Seu guarda eu não sou vagabundo, sou um cara tranquilo, eu dormi na praça... não fiz arruaça".
- O ruim da camoeca não é o pré, nem o durante, mas o que vem depois, que nenhum curandeiro consegue resolver, nem com boldo, nem com caferana; com chá-de-língua, menos ainda: "dorme neném, senão o boi da cara preta vai pegar você... Tonto.".

Birinaite Club
Se fosse 1¬ļ de abril, n√£o botaria f√©, mas √© 11 de maio de 2012, e como contaram, h√° uma ponta de veracidade. Chega-nos a informa√ß√£o que tinha secret√°rio de pileque, pela manh√£, no maior barraco com a patroa nas proximidades da sede do governo. Dormiu na rua e estaria tomando um esculacho antes de chegar em casa. N√£o fosse este uma figura p√ļblica, seria irrelevante. N√£o fossem os seguidos barracos na cidade, tamb√©m seria irrelevante a ocorr√™ncia.
- Realmente, √© muita press√£o sobre o ser humano e como diria aquela m√ļsica "dar uma fugidinha com voc√™...". Mas com voc√™, quem?

Birinaite Club II
Teve um vereador, supostamente, de uma cidade do M√©dio Norte, que teria sido filmado em alto poder et√≠lico e teve que pagar uma bola por fora para n√£o ser execrado publicamente. Aqui, at√© que o pessoal √© comportado e vive s√≥ de boatos. Mas, quando se trata de uma certa patente governista, a gente acha que √© feio, n√£o o ocorrido, em seu total conte√ļdo, e sim a cena de baixo n√≠vel perto do local de trabalho, onde o sujeito tem grandes responsabilidades. Fosse isso na Inglaterra, onde existem tabl√≥ides sensacionalistas, ia pegar geral esses seguidos barracos.
- Entre os cuiabanos, a patroa diria: "Bonito pra chá cara, né Mané, chegando cedo em casa. As cinco da manhã, seu cachorro; estavas, por acaso, vendo a caravana passar?". Au,au, au, assim você me mata.

AC
Depois daquele um que foi chafurdar-se na lama por ter ouvido Victor & L√©o e as Borboletas. Agora, foi √° vez de outra patente governista se apresentar "borracho" pelas cercanias do Pal√°cio de Buckingham. √Č como j√° dizia Elis: "A Lua, Tal qual a dona do bordel; Pedia a cada estrela fria; Um brilho de aluguel; E nuvens! L√° no mata-borr√£o do c√©u; Chupavam manchas torturadas; Que sufoco!".
- H√° quem acredite que o melhor √© ser um Alco√≥latra Conhecido que um b√™bado an√īnimo. √Č muita press√£o, d√° um tempo. Tire uns dias de licen√ßa e te v√°s.

Preço da Fama
O programa de esportes apresentado pela dupla M. Cheba/Nilson Filho est√° "bombando" e tem muitos ouvintes, inclusive intelectuais, a partir de professores, bons formadores de opini√£o e que tem at√© mandado cartinha ao programa. Na sexta-feira (11/05), flagramos um professor solicitando: "fala meu nome l√°, sou seu ouvinte". O pre√ßo da fama √© a turma do Casseta & Planeta" e do P√Ęnico no R√°dio j√° querendo imitar a dupla de apresentadores. "Al√ī voc√™s, um abra√ßo para...".
- Liga não, Marcão, é só língua de trapo, fica na sua; cês tão mandando bem... é nós, véi. Ele falou Magal? Juro que não ouvi. Fala de novo.

Direito Zero
No atual governo de Nobres inaugurou-se um per√≠odo em que o chefe de governo n√£o d√° a m√≠nima para a C√Ęmara de Vereadores. J√° estamos chegando ao meado do m√™s de maio e at√© agora nenhum balancete relativo ao ano de 2012 foi enviado √† C√Ęmara Municipal. Mas quando dizem que h√° o risco de altera√ß√£o no atual quadro de vereadores, na faixa dos 50%, a√≠ √© aquela correria toda. Cobre, exija e busque o cumprimento da lei, e tamb√©m busque tirar o seu da reta, daqui pra frente, √© cada um por si e Deus por todos. Mas por todos os que agem.
- Calar √© consentir esse descaso absoluto para com a institui√ß√£o que representa o povo. A vida n√£o √© s√≥ festa, h√° obriga√ß√Ķes.

A Lista do Zé
A lista de multas que o prefeito tem que pagar (do pr√≥prio bolso, acredite se quiser), est√° igual a "capivara" do Carlinhos Cachoeira. E o mo√ßo segue costurando alian√ßas atrav√©s da oferta de emprego e de contratos p√ļblicos, no mais absoluto uso da m√°quina p√ļblica, e os advers√°rios batendo palmas. O DEM anda mais distra√≠do que jovem na internet, onde parece s√≥ existir o mundo virtual. O l√≠der dos Democratas parece que abandonou mesmo o barco e n√£o assume que foi descartado pelos governistas, mas tamb√©m n√£o abre para que ningu√©m no seu partido negocie. Segundo Devair, o Z√© ofereceu-lhe sete secretarias, mas ele n√£o teria aceitado. Recusou a da A√ß√£o Social para a esposa, cuja remunera√ß√£o n√£o daria nem pagar a revis√£o da estilosa caminhonete dela.
- E nós aqui no maior canhanhaim, necessitando encostar na parede para poder latir um pouquinho mais audível para que as pessoas que estão na caravana a passar nos ouçam.

A Lista do Zé II
Devendo mais que qualquer simples mortal que esteja vendendo o almoço para tentar comprar a sopa da janta, ao menos o Zé não perde a pose e diz que quando ele passa, montado na diligência da Well's Fargo, pelo deserto do Alabama, "os cães ladram e ele segue, garboso", na corrida do ouro. Gente chique é assim mesmo, mas vá ver no Tribunal de Contas o tamanho da lista das dívidas com as multas, mais famosas que a senhora Dickmann após as pererecadas na mídia mundial. Tem aquele um papagaio bancário que ainda adorna o Serasa, em que duas vítimas entraram como avalista e os avalistas ainda são chamados de cachorros que caíram da caravana.
- Auuuuuuuuuuuuuuuuuuuu... v√īte, esse n√£o √© latido, √© uivo de lobi. "F√©cha a porta, Amazonina... apaga a lamparina e reza tr√™s Pai Nosso e 4 Ave Maria". D√° sete no total(?), ent√£o manda mais uma, porque sete √© conta de mentiroso.

Nos Bastidores
Atribui-se a Edison Luiz Pinto, um dos √ļltimos jur√°ssicos do PMDB, a desmotiva√ß√£o dentro do partido para que Leocir declinasse, mais uma vez, do seu projeto de se tornar prefeito de Nobres. Espera-se uma rea√ß√£o √† altura do partido para evitar a fala√ß√£o sobre ser mais uma sigla a ir parar nos bolsos do colete do inimagin√°rio articulista Z√© da Loteria. Nem parece aquela mesma figura que clamava por Gilmar em agosto de 2.008 sob a alega√ß√£o de que o partido n√£o tinha dinheiro para concorrer com a m√°quina governista. Deixou de ser tost√£o para ser o milh√£o, ao melhor estilo da contin√™ncia com chap√©u alheio; que trocado em mi√ļdos vem a ser o uso da m√°quina p√ļblica para cooptar aliados.
- O PMDB sob Pereá, deve deixar as cavernas e vir para a selva de pedra do Zé. A selva das pedras portuguesas, trazidas por Pedro Alvares Cabral.

Milagres Acontecem
S√≥ gente granfina ontem no Lar dos Idosos para um jantar. Nunca √© tarde para se redimir dos tr√™s anos sem se conhecer a realidade de l√° e agora a nata governista vai l√°, demonstrar solidariedade para com os velhinhos. N√£o tem pre√ßo. Isso, aos olhos da sociedade, √© uma maravilha. Dudu, concordo contigo, em fazer despertar esse lado bonzinho de quem s√≥ pensava em ganhar na loteria; ali√°s, administrar 40 milh√Ķes de reais por ano j√° √© como ganhar na loteria. Olha, Dudu, amanheci t√£o emocionado, que at√© plagiei Paulo Diniz e aquela m√ļsica, O Chor√£o: "Ahan, han, han, como chora esse rapaz...".
- "Quero dizer pra voc√™s que este √© o maior presente que um homem pode receber, a solidariedade de algu√©m da minha import√Ęncia e do meu cacife (eleitoral)", diria aquele papagaio que acompanha o capit√£o Jack Sparrow sobre os ombros.

Dois na Fila
Dizem os mais próximos do governo que a grande indecisão está perdendo força e que tudo estaria se resumindo após o trigésimo recuo de Ney Campos, que se disse um caititu fora do bando e teria preferido jogar a toalha. Consta que só haveria dois nomes na disputa para ser o vice do Zé e seriam Hercione da Farmácia e o evangélico e empresário da Muniz, Otacílio Muniz, segundo revelou-nos uma fonte. O prefeito Zé Carlos, depois daquela gafe com a Banda Anjos de Resgate, converteu-se e teve uma revelação, a de que com Ney Campos não emplacaria. Tá difícil, companheiro, por lá já aventaram os nomes de Suzete Masson, do empresário Amauri Zeni, de Ney Campos, agora os de Hercione e de Otacílio Muniz. Seria essa uma jogada do enxadrista Dudu? Mas o risco de entrar em xeque é razoável, não Dudu?
- Modestamente, diria que o Bispo Edir Macedo declinaria de um convite para ser vice de um apostador lotérico compulsivo. Sabe como é, chegamos sem nada e ao pó voltaremos sem nada... até porque, todas as sepulturas já estão cavadas ou não andas pelas ruas de Nobres?

"Quero dizer...
... pra voc√™s, que lamento muito pelas ruas de Nobres e por cada esquina das ruas, onde s√≥ se v√™ buracos. O prefeito deu com os burros n'√°gua ao anunciar que a Sanches Tripoloni iria dar nova vida as ruas de Nobres. Depois, queria inaugurar o viaduto em 1¬ļ de Maio. Mais tarde, passou a bola para a empresa do Leocir. Matutando com o meu travesseiro, uma frase ficou em uma pasta qualquer do meu arquivo de mem√≥ria, foi quando ouvi o prefeito, em seu gabinete, dizer: "Cad√™ o L√©o, liga pro L√©o...". E quem seria o L√©o. Olha, teve gente que viu um email do Leo para o prefeito e ficou escandalizado. Mas os buracos continuam e cad√™ o L√©o? Consta que L√©o costumava dizer que a qualidade do asfalto seria de acordo com o que restasse dos recursos. Mas, e o total geral (?); √© dele que queremos saber.
- Chama um veterinário aí e me ensina como "capar" gatos. "Atirei o pau no gato; mas o ga...toto, não morreu, reu, reu...".

Visita Futura
O deputado José Riva deve vir a Nobres para a campanha futura e vai estar mais próximo daquele político que andou falando dele por aqui. O deputado não gostou de saber que essa figura deitava a falação no nome da sua pessoa. Um radialista local também já foi vítima do muito falar dessa pessoa; este ou aquele vereador já teve histórias contadas através dessa mesma figurinha carimbada. O mais novo secretário de Ação Social também já "bailou" por entre os dentes dessa pessoa, habilidosa no muito falar, principalmente quando o próximo não está muito próximo.
- O 'sujeito' √© do c√£o... e l√° vou eu, latindo atr√°s da caravana. J√° vi muito cachorro lambendo a 'cara' de quem caiu da caravana e foi parar no parque de divers√Ķes dos porquinhos... na lama, obviamente. Au, au, au... assim voc√™ me maaaaata de vergonha, Lipurdina, prima bem longe, de Amazonina. Que tar? Rimou, J√ļca?

Indicativos
Amanhã, 10 de abril, parece chegar a hora do juiz Rondon Bassil Dower Filho se tornar desembargador do TJ-MT. Ao menos 15 magistrados concorrem à uma vaga com a aposentadoria do titular Theomar de Oliveira e a cotação do magistrado Rondon Bassil parece ser a mais alta, ao menos para a torcida de muitos de seus alunos e amigos. A juíza que já passou pela Comarca de Nobres, Flávia Catarina do Amorim Reis, também figura no rol dos 15.
- Há um tempo para tudo. Aguardar e receber o resultado, é o que todos farão.


Tacada de Prima
O prefeito Jos√© Carlos da Silva at√© que se saiu bem perante o TCE-MT ao "reclamar" contra as 920 UPF's de multa por falta de envio de informa√ß√Ķes ao Geo-obras. De pouco mais de 30 mil reais em multas, vai pagar s√≥ 6 mil pilas. √Č como diria o pessoal l√° da terra do vereador Silvestre: "√Č poco, n√©? Isso que √© tirar o pr√≥prio da reta quando vem o caminh√£o trazendo fumo. Salvo pelo gongo, entre tantas e tantas multas. Se algu√©m me contar de onde √© a fonte de recursos para custeio das multas, contarei aos torcedores do Flamengo, que contar√£o aos do Cor√≠nthians e depois aos do Atl√©tico Mineiro e por √ļltimo aos torcedores do NQA.
- Acha pouco? Direi a um língua de trapo que conheço. Esse negócio de multa é como pinga... depois que vai à cabeça... tá dentro.

Curiosidade Satisfeita
Olha, tá bombando a matéria de capa do nosso site, sobre aquele amigo que passou a desprezar e a desconhecer o outro quando atingiu as cumeadas do poder. Mesmo aqueles que já nasceram há 10.000 anos atrás, eles já ouviam dizer que é preciso saber com quem andas. Já um pouco mais pra frente, há uns 2.000 anos atrás e um cadinho mais, de madrugada, uma tropa de elite perguntou a um tal Pedro (mas não era o Pedro Paulo) se ele conhecia um certo Jesus e ele negou e disse nunca ter visto, e só faltou mesmo que o pescador espalhasse panfleto dizendo que foi JC quem atrapalhou a vinda da Banda Anjos de Resgate para se apresentar na Terra Santa.
- Se ele prefere valorizar os Iscariotes... é como propaganda de cigarro: "Um Raro Prazer"... sugar nicotina e outros 4.999 componentes químicos. Vaya com Dios, hombre, hasta la muerte pela trairagem.

No Sé e No Conozco
Essa parada, de negar amigos √© bem antiga, tanto quanto cachorro urinar no poste; vem sendo repetida h√° anos, ao ponto de tro√ßarem e de trocarem JC por um tal Barrab√°s, conhecido arrombador de caixas eletr√īnicos no passado. J√° at√© perderam d√° conta de quantas vezes Barrab√°s foi ao Pal√°cio de Pilatos para dinamitar os dois caixas eletr√īnicos que tinham l√°... o caixa um e o "caixa dois", este segundo, o que Pilatos usava para comprar aliados e acertar com vendedores de sabonetes, toalhas e bacias. Pilatos era seboso, tinha medo de contrair v√≠rus e lavava as m√£os todas as horas. Olha s√≥ que troca est√° sendo feita agora, Carlinhos Cachoeira por Dem√≥stenes Torres e todos os pequis do Goi√°s como lambuja.
- Conta √° hist√≥ria que Pilatos mandou fazer um panfleto em que dizia no seu conte√ļdo: "Sans√£o, voc√™ est√° cego, sem cabelo e sem for√ßa pra nada, quem manda em voc√™ √© Dalila e a m√£e dela, sua sogra". Sans√£o n√£o acreditou e chamou seu guru... beberam a noite inteira e dessa bebedeira saiu ao menos uma letra de m√ļsica "Beber, cair e n√£o levantar", sucesso na Roma antiga... e tome p√£o e circo.

Leitora Assídua
Temos um recado de uma leitora assídua desta coluna que nos ligou para questionar: "Por que o prefeito não convidou católicos e evangélicos para uma Missa ou Culto no aniversário de 47 anos de Nobres. "A religião é o rumo na vida do ser humano; quer fingir ao povo que não é mais besta?". "Acorda, prefeito", aponta a leitora. Culto ecumênico, mas para quem já se considera reeleito, para que povo?
- Dado o recado e obrigado pela leitura dos nossos escritos.

Retratista
Desculpe-nos pela nossa burrice, mas bateram à porta errada. O setor de retratação não é aqui. Mandaram alguém procurar algum retratista na cidade ou "paparazzo", como queiram. O programa de esporte na rádio local está bombando e aquele ouvinte assíduo, manda uma carta, mais comprida que rolo de papel higiênico, solicitando que se faça uma correção em certas palavras atiradas ao ar, logo quem? Rapaz, tu tá ficando conhecido na city, tanto quanto uma nota de R$ 3,00, e depois ainda acham que muitos tem "moneyfobia" ao não gostar de cédulas de R$ 3,00.
- Vi dizer que mandaram um aviso ao rapaz, deslumbrado com Nobreyork City: "Isso que tu tá comendo não é coelho, é gambá, figura. Segura essa onda porque aqui tem café no bule, revoltoso". Taí, um belo cartão de visitas. Vá catar coquinho, meu tchapa.

Pró-Jovem
Andam dizendo que o dinheiro do Pr√≥-Jovem, programa do governo federal, destina R$ 100,00 para cada jovem e que em Nobres ningu√©m receberia nada. Isso est√° sendo investigado. E para onde estaria sendo canalizado o dinheiro? E por falar em dinheiro, at√© que n√£o cheguem os caminh√Ķes de lixo, as ruas est√£o entulhadas de lixo e as moscas proliferam.
- Para quem gosta de tomar um bom vinho, neste ano vai ter o milagre da transformação de água em vinho; o da multiplicação dos peixes já ocorreu, na semana santa.

Aval
Que fim ser√° que levou aquela est√≥ria do aval de dois servidores p√ļblicos a uma alta patente pol√≠tica em uma casa credit√≠cia na cidade de Nobres? O credor n√£o teria pagado o empr√©stimo e os dois avalistas estariam dependurados no rol dos devedores. Aval, nem para madrinha e para a m√£e, ap√≥s muito pensar. O "sujeito", dizem, seria ruim de pagar as pr√≥prias contas.
- Ah! S√≥ quando abiscoitar o pr√™mio da Mega Sena, sozinho. Moleza pro Vasco, uma chance em mais de 60 milh√Ķes. √Č mais f√°cil a piroca de um elefante entrar pela bunda de uma agulha, sem vaselina, que ganhar na Mega.

Lembran√ßas Pueris ‚Äď A S√©rie
E√ßa de Queiroz queria escandalizar a sociedade portuguesa e utilizou-se de seus escritos para isso. J√° aqui no Brasil, naquela √©poca, um rapaz, tamb√©m escriba, descobriu que o Padre Amaro tinha um caso com Am√©lia, semelhante ao do conto de E√ßa, e teve a cara de pau de ir at√© ao marido de Am√©lia para pression√°-lo e assim "fabricar" dinheiro com a amea√ßa de revelar o caso. FM se acredita uma tar√Ęntula e quer espalhar os seus tent√°culos pela prov√≠ncia toda, onde quer que tenha um incauto. Na verdade, FM √© uma esp√©cie de Fred Mercury, um g√™nio da m√ļsica, que amanhecia em conflito com o seu interior e ia para frente do espelho trajando avental e balbuciando que gostaria de ter nascido uma dona-de-casa. FM, o daqui, quer escandalizar a sociedade portuguesa, nossa, a corintiana, a palmeirense e at√© a do seu time, a galera s√£opaulina, com amea√ßas sobre poss√≠veis erros cometidos, mas n√£o hesitaria se algu√©m o chamasse para um particular. Qualquer 1.500 pilas, pre√ßo de tabela, diverte o escriba que tripudia at√© sobre defunto.
- Dizia-se, naqueles idos anos, que a mesma m√£o que empunha a pesada pena √© a que acariciava um falo portentoso. Entre FM e Fred Mercury apenas uma diferen√ßa, a intelig√™ncia a servi√ßo do mal e uma cabe√ßa maravilhosa para criar m√ļsicas que se eternizaram e renderam (e ainda rende) milh√Ķes de d√≥lares. O primeiro sobrevive, ainda, ao estilo de uma hiena e o segundo morreu e deixou um legado musical da maior import√Ęncia.

Lembranças Pueris
Quando era menino, que alegria... mas veio a vida adulta e a conviv√™ncia com os falsos moralistas mudou tudo. Lembro-me que ainda menino, via um jornalista que costumava usar "pedidos" para pressionar presidentes de c√Ęmaras e at√© extorqui-los com amea√ßas. Teve um que se sentiu t√£o pressionado e foi se encontrar com o camarada, na cidade do "cara" e pagava por fora, algo em torno de R$ 1.500,00 em valores atualizados. Mas isso foi l√° no passado, quando at√© um defunto foi usado para extorquir dinheiro de empres√°rio do ramo de "presuntos". Ser√° que iam dizer que o defunto estaria com mau cheiro?
- Essa dinheirama toda ia parar nos bolsos dos bofes daquela figura, dada a atacar garot√Ķes, mas era por cartas, n√£o tinha MSN naqueles anos. Essa "loba" nos mata de vergonha, mas tem registro e at√© carteirinha de 0 Km. Maldooooooosa, que s√≥ ela!!!

Lembranças Pueris II
Já menino, via a fama de um certo jornalista crescer por aí afora, com estilo próprio de abordagem, sempre em busca de dinheiro, dinheiro e mais dinheiro. Eça de Queiroz, provavelmente, foi uma grande inspiração a esse menino jornalista, que pode ter extraído dos escritos de Eça sobre "O Crime do Padre Amaro" uma fórmula mágica para ele fazer dinheiro, extorquindo um anunciante acerca de um certo romance semelhante em uma cidade imaginária. Eita menino sabido taí, esse jornalista que um dia sonhou em ter uma Casa da Moeda só pra si, só para não ter que disputar bofes com a concorrência, digamos, mais assumida.
- Amélia, sim, era mulher de verdade. Qual foi "O Crime do Padre Amaro?". Genial esse menino e sua história de vida, ganhará um nome de rua pelo seu estilo de trabalhar... como quem sempre acredita que "as uvas estão verdes".

Show Gospel
O √ļltimo show do pacote constante do anivers√°rio de Nobres, do cantor Andr√© Valad√£o, poderia ter sido melhor, muito melhor, n√£o fosse √† desorganiza√ß√£o total. O prefeito Jos√© Carlos da Silva, insatisfeito com as cr√≠ticas, ainda que indiretas do segmento cat√≥lico, anda preferindo o lado evang√©lico, supostamente, por ser seu vice futuro oriundo dali. Da√≠, se pensar que poderia ter sido melhor o show. Algu√©m viu algum pastor evang√©lico no palco de Andr√© Valad√£o? Tinha apresentador do show que fosse do segmento evang√©lico? √Č como os asfaltos implantados em Nobres, que dizem ser "de gra√ßa", portanto, feitos de qualquer jeito.
- A propósito, qual a origem dos mais de R$ 750 mil gastos na festa? Em Nobres, ninguém paga impostos? Seria, por acaso, esta ilha um paraíso fiscal?

Cadê Tu, Pedro Paulo?
Esse Pedro Paulo tem mesmo o dom da premonição, previu que o vereador Adão derrubaria, sozinho, o projeto de reeleição de Sarkozy, na França. E não é que Nicolas Sarkozy dançou? Mas, será Pedro Paulo, que tu consegue saber se Adão também vai atrapalhar a reeleição do Zé da Loteria, o Sarkozy do Tombador? Assim como na França, por aqui a coisa não vai bem e tem gente dizendo que o hospital conveniado não recebe.
- Ah! Pedro Paulo, como anda o som maneiro de Kitaro Tamayura? Pedro Paulo, o 'pacote' furou, né? Anjos de Resgate deve ter caído no caminho, né Pedro Paulo?

Pulgas e Carrapatos
Preocupa saber que tem secret√°rio andando disfar√ßado, √† noite, usando bon√© e conversando com gente estranha em pizzaria. Olha, al√©m da pulga atr√°s das orelhas, surgiu um carrapato tamb√©m; tem gente se roendo para saber o tom do assunto. Ningu√©m vai a uma pizzaria, disfar√ßado, para falar em amenidades. Pistoleiro n√£o era e se fosse tamb√©m n√£o teria tanta import√Ęncia assim, afinal, com as pistoleiras que existem em Nobres, a coisa √© s√≥ uma quest√£o de sexo. Ah! Descobri, o tema dominante foi o sexo dos anjos, at√© porque, anjos est√£o na boca do povo desde a noite de 27 de abril, agora, "istrudia", diria o cuiabano.
- Pulgas e carrapatos é com aquele rapaz, o da cachorrada.

Precisa-se
N√£o vi na lista de cargos ao concurso ao menos uma vaga para "gesseiro", aquele tipo de profissional especializado em gesso e que auxilia o ortopedista. Com todas as secretarias do munic√≠pio com o or√ßamento "engessado", nada como um profissional dessa √°rea para ajudar o "dot√ī ortopedista", o que controla todos os ossos do governo e a musculatura financeira do poder, que hoje √© de um e meio, mas j√° foi de tr√™s e chegou a ser at√© de meia d√ļzia. O povo de Nobres ainda n√£o sabe a for√ßa que tem e o tamanho do poder do voto, tanto que aceita um mero gerente da coisa p√ļblica fazer o que quiser com o dinheiro de todos.
- O or√ßamento do munic√≠pio est√° com m√ļltiplas fraturas e 2013 ser√° um ano fatal para as finan√ßas p√ļblicas.

Au, Au, Au...
Isso s√≥ pode ser coisa de marqueteiro, fazer uma autoridade de grosso calibre pronunciar em p√ļblico uma frase feita bem batida, feito cal√ßa jeans de gente jovem, bem surrada: "Enquanto os c√£es ladram a caravana passa...". Coisa mais chinfrim para gente educada. Em 28 de agosto de 2.008, eram umas 22:00 horas, mais ou menos, na resid√™ncia do patroleiro Moacir Pereira, o ent√£o candidato Jos√© Carlos da Silva empunhava o microfone para come√ßar o seu discurso para mais de 200 pessoas e come√ßou agradecendo o l√≠der pol√≠tico que faleceu logo depois, Agripino Pereira. O candidato Jos√© Carlos da Silva obteve espa√ßo na reuni√£o que era do candidato Ad√£o e disse, em alto e bom som: "Gilmar, voc√™ n√£o pode nos abandonar neste momento. Eu preciso de voc√™... n√≥s precisamos de voc√™", disse.
- O correto seria dizer agora: "Os c√£es s√£o os melhores amigos dos homens, mas nem sempre s√£o bem tratados e os que n√£o aceitam a coleira, s√£o abandonados pela caravana". A pergunta √©: "At√© onde ir√° essa caravana de n√īmades, sobre os quais se dizem ciganos?".

Paparazzo?
O proprietário da empresa criada em fevereiro de 2.009 e que de lá para cá vem abocanhando cartas e mais cartas convites, na qual trabalha a parentela, falou em fotografar alguém naquele dia (01/05) na praça? Quem seria? O telhado desse "rapazola" é de fino cristal e qualquer pedrisco pode botar em cacos essa coisa. E não seria de difícil entendimento o nosso recado, viu rapaz? Você reclama a uns e outros que é "testa de ferro" e que todo o dinheiro da carta convite não fica com você, mas nós não temos nada com isso, entendeu?
- Quanto ao telhado de fino cristal, fique esperto, conheço a outra face da moeda. Já ouvi falar muito da Galeria Alaska, conheces? Sou sonso, pero no mucho. Fique fora desse jogo e contente-se com o que ganhas.

Investigacion
A ANAClan (Associa√ß√£o Nacional de Avia√ß√£o Clandestina), investiga o pouso for√ßado de uma "aeronave" em pleno est√°dio Baliz√£o, dia 30 de abril, √ļltimo. Ao inv√©s de olhar para cima, a "torcida" olhou para baixo e julgaram ser um OVNI, mas a certifica√ß√£o veio depois, era um elemento, do sexo masculino, bastante elegante, que fez um pouso for√ßado no lama√ßal aos fundos do chiqu√©rrimo camarote dos vip's. O "piloto" tentou arremeter, mas j√° era tarde e deu com a fu√ßa na lama, digo, o bico da aeronave. O "piloto" pode ter o seu brev√™ cassado. Pouso for√ßado nunca foi um bom neg√≥cio, s√≥ em casos de emerg√™ncia, meeeeesssssmo, diria o mineirim de Frutal. "Uai s√ī, fui v√™ e o rapaiz dava uma 'pranada' na lama", disse o mineirim que gosta de cum√™ tra√≠ra. Essa manobra de arremetimento j√° fez muita gente sujar os fundilhos dentro de uma aeronave.
- Né Zé? Com quem tu tava mesmo Zé?

Flagra
Viram o secretário de Finanças de Nobres no dia 03 de maio, à noite, por volta das 20:40 horas, curtindo uma pizza e batendo um papo com um interlocutor considerado estranho por aqui; foi no Chicken-in, uma pizzaria de nossa cidade. Calma gente, é só lazer e nada de negócios. De boné? Quem estava de boné? Não acredito, de boné? Seria por receio de algum paparazzo?
- Consta que o de bon√© seria o agente p√ļblico. Num tendi.

Lista Negra
Não vai dar certo a empreitada do Dudu, de "recuperar" um lata velha e ainda escrever no 'out door' que é novo, porém, usado, feito as obras do centro comunitário que foi encontrado pela metade. Dudu, não acredito que tu tenha feito distribuir uma lista discriminatória contra determinados veículos da imprensa local em relação aos shows. Vou ligar pra Zé do Pátio e saber se ele proibia tu de circular pelo pátio da escola, justo quando mais tu precisavas; sabe como é, para aquelas aulinhas básicas de Língua Portuguesa. Tu fizeste essa listinha, Dudu? Pena, fiquei sem a minha tietagem sobre os cantores. Sabe Dudu, já fui você um dia, na tarefa de ensinar papagaio velho a falar. Tentei até uma peruca para o meu cliente, mas logo descobriam que o 'sujeito' era o mesmo, os seus discursos o traiam. Pior, não ganhei nada e fui pra casa...
- ...ouvir o som maneiro de Kitaro Tamayura, fiz an√°lise para n√£o entrar em depress√£o e por vezes, me pego chorando, por ter trabalhado de gra√ßa. Queriam me pagar, mas era com dinheiro p√ļblico, "sartei" de banda com esse neg√≥cio de cartas marcadas, logo eu, um campe√£o de pif-paf.

"Inalguração?"
Acessamos o site da Prefeitura de Nobres, ontem, 03 de maio, e vimos a palavra inauguração grafada errada. Per favore, de quem foi essa coisa aí? Não tenham vergonha de corrigir e de providenciar para que o autor tenha aula de reforço na matéria sobre Língua Portuguesa. Taí uma pista que nos leva a acreditar que o candidato AA reeleição ainda esteja lançando mão do verbo no tempo passado, com aqueles velhos clichês sobre salário em dia, sobre obras que foram inauguradas e que muitos não acreditavam. Não tem como gravar um novo cd? Esse já está riscado.
- P√īrra Dudu, manda essa Rural Willys para o lata velha. S√≥ bl√°, bl√°, bl√° em disco de vinil, ainda? T√ī desconfiado dessa funilaria.

Percep√ß√Ķes
Era uma vez, l√° no munic√≠pio de Sapezal, onde ocorriam fen√īmenos estranhos no √Ęmbito do poder p√ļblico, com uma onda indiscriminada de cartas an√īnimas, panfletagem e os cambaus de bico que surgiam contra autoridades locais. Curiosamente, depois que certas pessoas se mudaram de l√°, os fen√īmenos deixaram de acontecer, segundo um "estoriador" de l√°, que anotou essas ocorr√™ncias. A cria√ß√£o de perfil falso na p√°gina de relacionamento deixa pistas sobre o que possa estar ocorrendo na cidade de Nobres onde pessoas, supostamente acima de qualquer suspeita, estejam por tr√°s da repet√™ncia dos ocorridos em outras terras.
- Bingooooooo! √Č ele. Vai dar BO esse anonimato. "Eiiii... Al Capone, j√° sabem do teu furo, nego, no Imposto de Renda e no Face...". Sujou pra ti, meu camarada, deixou pistas.

Guerra Mitológica
A julgar por uma matéria que está inserida no site Agitos Nobres desde ontem, a guerra entre os deuses, apesar de a Grécia estar feia na foto com dívidas, a mitologia está em alta e Zeus e Narciso "cerraram fogo no espaço; quem tentar seguir seus rastros; se perderá no caminho; na pureza de um limão ou na solidão do espinho...", segundo Djavan. O que tu pode e o belo, em que vai terminar isso? A "guerra" está estabelecida, mas parece que quem vende armas é o que insufla o embate.
- Conheço um cara que frequentou a casa daquele em quem hoje manda bater; bebeu da sua água e até lamentou pelo risco de perder o apoio de Zeus e dos seus.

Surpresa Surpreendente
√Č como se algu√©m j√° tivesse visto uma surpresa que n√£o fosse surpreendentemente redundante. Durante o show de Andr√© Valad√£o, perguntaram se tinha algu√©m que n√£o era de Nobres, estabeleceu-se uma confus√£o tamanha a partir de ent√£o, com a maioria absoluta dos bra√ßos erguidos. Todo artista sonha estar onde o povo est√° e todo pol√≠tico sonha ter tantos votos nas urnas quanto √† presen√ßa de p√ļblico em eventos festivos. A festa acaba, o pov√£o vai embora e a d√ļvida permanece... at√© onde vai a rejei√ß√£o do governante? √Č como vender bebida fiado... urinou, a vontade de pagar tamb√©m escorre pelo canal da uretra. A d√ļvida permanece, mandei bem nesses dias de festa? Que tu achou, Dudu? Fora os velhos clich√™s do Z√©, foi belezeira. A nota √© 6,5 e vai ficar de recupera√ß√£o, com muitas aulas de refor√ßo at√© 07 de outubro, viu?
- Com essa nota em concurso p√ļblico, j√° podia ir treinando para outro evento semelhante. Mas, ser√° que essa Funilaria do Dudu vai conseguir 'consertar' essa Rural Willys cansada de guerra, feito Teresa Batista?

"Guerra é Guerra"
Foi parar no site Midia News a falha cometida pelo deputado federal Pedro Henry durante a sua fala na inaugura√ß√£o da Pra√ßa Josino Serra e n√£o Josino Guerra como disse Henry. Cad√™ Dudu que n√£o forneceu um breve relato hist√≥rico sobre o homenageado aos visitantes? No desfile das escolas, dia 01 de maio, √† tarde, havia um relato resumido sobre todas as escolas, apresentado pelo locutor. √Č como se algu√©m fosse em C√°ceres e dissesse, numa suposta homenagem a Deusdel (Marmit√£o) Ferreira e citasse que o busto seria de Mujinho.
- "Anestesiou" a história do homenageado com uma pitada de guerra.

T√ī Fora
Um grupo de governistas se esfor√ßou e at√© se apertou para garantir vaga ao deputado Z√© Domingos em uma mesa na esquina da badala√ß√£o, mas o deputado teria recusado o convite, n√£o demorou e partiu, na noite de 01 de Maio. √Č... depois do furo com o segmento cat√≥lico, quem quer sentar √† mesa da fartura? Olha, viver em Nobres com o poder nas m√£os, faz jus ao slogan "Alegria de Viver em Nobres", comer, beber, cair e ir de cara na lama, mas de gra√ßa, √© bom diiiiimais.
- Fui!!!

Colis√£o?
Ser√° que foi registrado esse acidente de tr√Ęnsito, em que o p√© esquerdo de uma figura governista colidiu com o p√© direito, da mesma figura, obviamente? Menos mal que os danos foram apenas no aspecto da lama na fu√ßa, ap√≥s uma manobra mal executada. O √ļnico envolvido no acidente se recusou a fazer o teste do baf√īmetro e o que √© pior, derrubou a tese musical do "beber, cair e levantar...". S√≥ caiu. At√© encontrar um caminh√£o guincho naquela hora e naquela altura do campeonato. No carnaval, s√≥ bebedeira por conta do contribuinte, na festa de anivers√°rio do munic√≠pio, idem.
- Isso me lembrou Elis, através de João Bosco e Aldir Blanc: "Dança na corda bamba; De sombrinha; E em cada passo Dessa linha; Pode se machucar...".

Anonimato Zero
Olha, vimos, na manhã de 01 de maio, na praça inaugurada, uma pessoa passando as coordenadas para o locutor governista e para o prefeito. Daí, a dedução foi a mais lógica possível, seria "the marketing man", Dudu para os íntimos. Mas o Zé não mudou nada, continua com a mesma cara, com os mesmos discursos (ipsis litteris) e a mesma introdução: "Quero dizer pra vocês...". Olha, Dudu, falta 'garimpar' o estilo de abordagem do Zé, fazendo-o abandonar os velhos clichês sobre presentear o povo com dinheiro do próprio povo. O deputado Airton Português matou a charada ao dizer que o governo investe na praça o dinheiro arrecadado do povo. Conto com você, Dudu, nessa difícil empreitada, de transformar água em vinho.
- E conte com a nossa discri√ß√£o, a mesma com que Silvio Santos manteve Lombardi: "√Č voc√™ Dudu?". Fui assistente de palco de "Mr. Eme" e n√£o contei pra ningu√©m, at√© o dia em que a torcida do Flamengo me obrigou. Abri o jogo.

Orientação Zero
Algu√©m precisa orientar o ainda prefeito de Nobres sobre como discursar, j√° morre de senilidade essa cita√ß√£o de que "disseram que n√£o far√≠amos esta pra√ßa...". Se h√° o dinheiro, h√° um setor de licita√ß√£o para direcionar as regras do jogo e h√° uma pra√ßa pela metade, faltando apenas 50% para ser constru√≠da, digamos, aterrada e urbanizada, qual o sacrif√≠cio nisso tudo, seu Z√©? √Č um dramalh√£o desnecess√°rio, at√© porque, naquele ato inaugural, o mais desatualizado dos seres, tem 1.000 horas de internet e ao menos algumas horas de tev√™ em notici√°rios nacionais e internacionais. O mais lerdo naquele evento de inaugura√ß√£o da pra√ßa Josino Serra j√° teve ao menos duas viagens espaciais e j√° conhece ao menos um est√°dio no Brasil al√©m do "Baliz√£o". At√© quem nasceu ontem sabe que esses discursos extra√≠dos de "script's" de novela mexicana j√° est√£o fora de moda depois da tev√™ em 3D, seu Z√©.
- Conta pra nós, seu Zé, para onde foram parar as pedras portuguesas que estavam naquela praça? As pedras portuguesas, semelhantes as que enfeitam o calçadão de Copacabana, tem valor inestimável no mercado de negócios da Bolsa de Mercadoria do Passado. Tu conheces essa bolsa, Pedro Paulo?

Pedras Portuguesas
Al√©m das pedras portuguesas que sumiram da pra√ßa remodelada, foram com elas um pouco do passado, restando apenas √†s figueiras a projetar sombras sobre a pra√ßa futurista de R$ 366.000,00. Hoje em dia, o dinheiro do contribuinte j√° banalizou com os zeros para a direita e em apenas um dia √© poss√≠vel gastar 500 mil reais, assim, brincando. Sen√£o vejamos, R$ 390.000,00 para os mineiros Victor e L√©o, mais os u√≠sques paraguaios que derrubam secret√°rios e outros gastos de um dia, ali√°s, de uma noite. √Č caro esse projeto de P√£o e Circo e os s√ļditos ainda ter que ficar sabendo do baf√£o, de um secret√°rio que trope√ßou ap√≥s uma colis√£o entre o p√© esquerdo e o direito.
- √Č como diria, aquele bord√£o novelesco... "ficou com a cara na ch√£o". Al√ī, meninos que andam com estilingues, n√£o vale atirar pedras portuguesas em telhados de vidro.

Contrastes
"Como cambian las cosas", diria em bom portunhol o porta-voz Pedro Paulo. √Č desafiadora, at√© mesmo para Pit√°goras, essa equa√ß√£o matem√°tica. Era uma vez, um candidato que s√≥ faltava ter uma s√≠ncope quando lhe pediam dinheiro e quase foi internado quando um tal Ratazana lhe pediu R$ 20,00. Deu, mas o eleitor era da Mutum. Hoje, esse mesmo muquirana acaba de encomendar uma festa para poucos convidados ao custo de quase um milh√£o de reais. Nem aquela minha calculadora de engenheiro do Hava√≠ n√£o me trouxe a resposta √† tamanha disparidade entre as cifras; botei essa p√īrra no meu acelerador de part√≠culas e n√£o tive resultado nenhum dessa mudan√ßa radical. Minha esperan√ßa √© uma resposta de Carlinhos Cachoeira, o homem que mais entende de zeros √† direita neste Pa√≠s na atualidade.
- Então o cálculo é o seguinte: x2 - 11x + 25= Delta/Pi + x14, podemos chegar a conclusão que PP, PMDB e DEM seguem na mesma direção. E tome gastança.

BO N¬ļ 47
Realmente, a personifica√ß√£o do P√£o e Circo ficou caracter√≠stica na noite de 30 de abril, durante o show da premiad√≠ssima dupla Victor e L√©o, quando se criou um camarote para os vip's do governo, com direito a muita cacha√ßada, por conta do contribuinte, obviamente. Rolou muito u√≠sque paraguaio e teve secret√°rio dando baf√£o, ap√≥s uma derrapada na "pista et√≠lica". O sujeito/secret√°rio foi de cara na lama, segundo contaram uns amigos dele. "Num querdito niiisso, uai...", disse um mineiro, l√° de Frutal, conterr√Ęneo de Victor e L√©o.
- O 'tar" do malt paraguaio √© de matar no dia seguinte... o vexame sim, n√£o √© o primeiro e nem ser√° o √ļltimo, "n√©, otoridade?". Tanta eleg√Ęncia "pra nada" ap√≥s uns goles.

Clap, Clap, Clap...
Se daqui sai alguns petardos e se atinge o objetivo n√£o sabemos, mas, curiosamente, no dia do belo show da dupla Victor e L√©o, n√£o ouvimos cita√ß√Ķes elogiosas a nenhum secret√°rio, o que merece parab√©ns. Quanto ao "presente" ao povo, digamos que tenha ficado um pouco salgado por R$ 390.000,00, segundo Pedro Paulo, um an√īnimo porta-voz do governo que "compra tudo". Vale a pena pagar pelo status que a dupla mineira adquiriu, mas √© preciso dizer e √†s vezes nem precisa, que a festa e os fogos de artif√≠cio s√£o custeados com dinheiro p√ļblico. Ou ser√° que algu√©m teria a coragem de, sorrateiramente, dar um "baculejo" na bolsa da pr√≥pria m√£e para mais tarde lhe presentear (com o dinheiro dela) e se vangloriar?
- Vamos fazer uma "onda"(√īla) humana, mas s√≥ com trinta pares de bra√ßo, pouco, n√©? Quem est√° alegre a√≠? P√īxa! S√≥ 80 pessoas? E as outras 14.920 que n√£o responderam ao comando? 15.000?

Ilus√£o
√Č inconceb√≠vel que algu√©m veja o espocar de fogos de artif√≠cio e se extasie tanto a ponto de dizer: "√Č de Deus". Na verdade, √© dos homens, crian√ßas e mulheres que fabricam fogos de artif√≠cio em ao menos uma cidade mineira, a de Santo Antonio do Monte, sendo o Brasil o segundo maior produtor de fogos de artif√≠cio, s√≥ perdendo para a China. A p√≥lvora vem da China, descoberta h√° pelo menos 2.000 anos atr√°s. Alguns elementos qu√≠micos indicam a cor dos fogos utilizados nos shows de pirotecnia, entre o S√≥dio, L√≠tio, B√°rio, Pot√°ssio e outros.
- √Č do homem, ent√£o, e n√£o de Deus; mas, diz-se de Deus para alegrar aos que assistem a pirotecnia governista que vem do gog√≥.

Na Mira
O apresentador do programa Na Mira, da TV Ros√°rio, ligou-nos, na tarde de 30 de abril, para justificar que estar√≠amos insinuando sobre a sua pessoa nesta coluna. Em nenhum momento citamos o nome de Gigio neste espa√ßo e o coment√°rio postado no site Agitos Nobres √© de nossa autoria, sim. Tamb√©m l√°, n√£o demos nome a boi nenhum, o que ent√£o preocuparia o apresentador televisivo? N√£o citamos nome de ningu√©m apresentador Gigio, acerca de quem foi que conseguiu a fa√ßanha de "extrair" o nome de Nobres da lista do Cadin e se soub√©ssemos quem foi, com certeza, ir√≠amos ao MPE. Se houver d√ļvida sobre o seu nome ou se voc√™ estiver na mira, n√£o hesitaremos em perguntar pra voc√™ para tentar tirar a limpo.
- Caro apresentador, se você ligou para antecipar e justificar que não foi a Vossa Senhoria, então fica aqui o esclarecimento de Gigio: "Não foi ele".

Comparativos
Paira uma d√ļvida no ar: o que teria a ver aquele panfleto distribu√≠do no ano de 2.000, com um burrinho ilustrando o papel, e o de agora, um outro panfleto, sobre o embargo judicial contra o show de 27 de abril. Nossa! S√£o tantas as semelhan√ßas e coincid√™ncias. Um panfleto sempre vem para confundir a opini√£o p√ļblica, mas isso est√° cheirando a coincid√™ncia com as hist√≥rias de √Āgatha Christie, em que o assassino sempre volta ao local do crime e, via de regra, √© sempre o mordomo. Well! A tentativa de estrago do casco do navio coincide com a chegada da fam√≠lia real ao Brasil e todos desembarcam no Porto de Santos sorrindo.
- A bom cão farejador, boa ração.

Terra da Panfletagem
√Č como dizia o homem da tev√™: "Nobres, terra da mulher bonita e do calc√°rio...", faltando acrescentar um novo item, terra da panfletagem. Um panfleto com um burrinho ilustrando a coisa foi uma tentativa, dir√≠amos, infantil perto do devastador "panfleto verde" que j√° entrou para a hist√≥ria de Nobres, h√° 12 anos atr√°s, praticamente. O pen√ļltimo deles tinha at√© t√≠tulo: "A Cegueira Nordestina", cuja autoria foi descoberta pelo prefeito e anunciada em alto e bom som, data de abril de 2010. Mas ser√° que o autor do panfleto sobre a cegueira foi estar com o prefeito para abrir-lhe as vistas? Seria um oftalmologista ou um optometrista? Bem, a cegueira continua, o que revela que areia nos olhos nunca ajudou ningu√©m a ver melhor. O √ļltimo deles, um panfleto, obviamente, diz que tem um vereador com poderes ilimitados em Nobres, capaz de fazer o ver√£o, o inverno, o outono e a primavera. Todos n√≥s temos uma prima que se chama Vera e um filho do pai que se chama J√ļnior, n√£o √© mesmo?
- Desde crian√ßa que ou√ßo falar que todos os nossos pecados vem de Ad√£o e Eva, mas, e o livre arb√≠trio? Esperamos que essa seja a √ļltima tenta√ß√£o (os shows mal sucedidos) do Z√©, o verdadeiro p√°ra-raios do governo. O resto √© Pra nada.

O Bom Pastor
Sem colocar os pingos nos "is", o padre Rosimar deu uma raquetada na classe pol√≠tica na noite de domingo, dia 29 de abril, durante a homilia acerca de Jo√£o Batista e seus m√ļltiplos afazeres em favor do Evangelho de Cristo. O P√°roco disse naquela homilia que h√° pastores ou aqueles que est√£o na condi√ß√£o de l√≠deres, sejam pol√≠ticos ou de qualquer outra forma de lideran√ßa, que se servem das suas ovelhas ao inv√©s de as servirem. "H√° pastores que das suas ovelhas s√≥ querem a carne e a l√£...", citou o padre Rosimar, seguida de um alerta para que evitem repetir maus pastores no comando de rebanhos.
- Foi uma bela celebração, tocante do ponto de vista espiritual e no sentido mais reflexivo daquele evento dominical na Casa do Senhor. Pesquei pérolas pelo rádio, domingo a noite, em 29 de abril.

O Bom Pastor II
O vi√©s salientado na hom√≠lia inegavelmente tem a ver com o momento pol√≠tico em Nobres, √© quando se cita ruas esburacadas e sobre as lideran√ßas que det√©m o poder sobre os seus representados e ao inv√©s de exercitarem o ato de servir ao seu povo, antes, servem-se do povo legando-lhe descaso, abandono e a√ß√Ķes administrativas interesseiras, ao ponto de ver-se uma cidade esburacada; hospital conveniado sem receber; sal√°rios com amea√ßa de atraso. Se n√£o foi direta nesse sentido, a hom√≠lia soou um pouco n√≠tida, j√° que, para amenizar, citou-se que os abandonos da cidade e dos interesses da popula√ß√£o contrastariam com aquisi√ß√£o de fazendas por l√≠deres pol√≠ticos, mas isso ocorreria nos EUA, segundo o l√≠der religioso.
- Ent√£o t√°, all understood Padre.

Tosquiadas
P√īxa! Nem sabia que os estrangeiros que est√£o no governo do Z√© est√£o tosquiando as suas ovelhas e ainda aproveitam a sua carne. Temos ido ao sacrif√≠cio todos os dias, pagando impostos e vendo o nosso dinheiro ser mal empregado e at√© dividido entre os amigos do poder. A homilia noturna da missa de domingo nos leva a uma reflex√£o, a de que, infelizmente, os nobrenses est√£o mal direcionados no campo pol√≠tico e administrativo e o l√≠der espiritual sugere que n√£o caiamos mais em tenta√ß√£o ao repetir ou prorrogar os nossos sofrimentos insistindo no erro. A homilia do bom pastor teve a ver com uma flechada certeira em dire√ß√£o a um mau governo, que ao inv√©s de servir ao povo como bom prop√≥sito, serve-se do povo para a m√° gest√£o do dinheiro p√ļblico.
- Tem gente que não dorme mais, desde o dia 27 de abril, só contando carneirinhos. Olha! Como alguém que trabalhou e não recebeu na campanha do tosquiador, me senti nu, com as mãos nos bolsos em dia de baixa temperatura com essa homilia.

Cena Dantesca
Assim como ocorreu h√° milhares de anos no Monte das Oliveiras, em Nobres, o prefeito Jos√© Carlos da Silva, sentado √† beira da cal√ßada, sobre o meio-fio, na noite de 27 de abril, meditou sobre a n√£o realiza√ß√£o do show da Banda Anjos de Resgate, bem pr√≥ximo onde tem realizado as ceias, custeadas com dinheiro do contribuinte e onde se pede fil√© a parmegiana, picanha mineira e carne de sol com jirimun. H√° muito o que se lamentar, principalmente o vexame, que ser√° tanto maior ao atribuir os fracassos do governo a outrem. Quando a ru√≠na do templo amea√ßa, √© preciso se retirar de cena e repensar o governo, essa ilha cercada de incompet√™ncia que tem sido o gabinete institucional do prefeito. √Č preciso reexaminar e ver quem est√° certo e quem est√° errado.
- Mas a hora do calvário ainda está por vir e quando chegar a hora de o governista ser negado por aqueles que sentam à mesa ao seu lado ou no seu entorno, aí sim, a profecia se cumprirá. Por hora, são apenas taças amargas derramadas.

Aumento Estratosférico
Chama a atenção, de 2011 para cá, o aumento em mais de 200% no contrato de uma empresa que assessora a Prefeitura de Nobres. A leitura simples do fato é a seguinte: "quanto mais pregos nas ruas, tanto melhor para a borracharia". Quanto mais tecnologia e softwares o governo usar, tanto maior serão os gastos com a empresa que alimenta o sistema. E ainda mais quando se registra a aquisição de cerca de 60 computadores com preço de mercado bem acima do normal para a configuração adquirida. Pena que não tenhamos fiscais para ver tudo isso.
- E tome gente comprando gado e abastecendo a propriedade rural.

Sem Esclarecimentos

Ningu√©m do governo quis esclarecer publicamente por que n√£o houve o show da Banda Anjos de Resgate, dia 27 de abril. O segundo show do pacote foi realizado com Mato Grosso e Mathias, dia 28, e o que mais se ouviu foram cita√ß√Ķes do nome do supersecret√°rio Valdinei Albertoni. A uns ele diz que essas cita√ß√Ķes o incomodam, mas, c√° pra n√≥s, em p√ļblico, isso "inflaria" o ego at√© de quem n√£o √© narcisista. Teria sido Valdinei quem contratou, pessoalmente, o engenheiro que fez o projeto para a arena do show e este n√£o acompanhou o seu andamento e deu zebra. Mas os governistas n√£o parecem interessados em dar satisfa√ß√Ķes aos cat√≥licos, o que importa √© que Valdinei n√£o pede, mas manda.
- Quem vai esclarecer por que o show não foi realizado? Cadê os "paparazzos" do governo?

Eu Bebo Sim...
...estou vivendo, tem gente que não bebe... é porque não tem as benesses do poder. Tinha secretário que estaria "borracho" no show de Mato Grosso e Mathias, tudo por conta da exclusividade da casa. Duvidamos, mas duvidamos, mesmo, que os secretários tenham enchido a cara com dinheiro do próprio bolso. Até compra para abastecer sítios seria custeada através do erário, segundo contou um dono de loja a terceiros. O valor atribuído seria de mais de 4 mil reais, então, o que são algumas cervejas por conta do contribuinte? Pelo que se ouviu e pelo tanto que se falou na noite de 28 de abril na arena do show, é de se acreditar que o cantor renomado seria o secretário de Finanças.
- Seria ele da dupla Retratista e Paparazzo?

Cadê Pedro Paulo?
A √ļltima not√≠cia que soube de Pedro Paulo foram aqueles coment√°rios maldosos feitos em um site de Cuiab√°. Nervoso, Pedro Paulo se confundiu ao escrever: "os buracos n√≥s tapamos...", como se fizesse parte do governo de Nobres. A√≠, Pedro Paulo meteu os p√©s pelas m√£os ao repetir, j√° por duas vezes, em 2010 e agora, que o "Dito que seja o prefeito...". Cheio de si, PP disse tamb√©m que "voc√™ nunca conseguir√° trazer um pacote de cantores para Nobres como eu...", mas eu quem, Pedro Paulo? A√≠ veio o tal Kitaro "Tanajura", que PP gosta de ouvir.
- Dissiparam-se todas as d√ļvidas, Pedro Paulo estava travestido de um personagem e vislumbrei que ele tamb√©m negou companheiros em janeiro de 2011. Cad√™ voc√™, Pedro Paulo?

Last Updated ( Wednesday, 16 May 2012 18:54 )

 

Trincheira XV

No Ar
O canal dom√©stico TV Cidade est√° no ar desde o dia 27 de abril (ontem) e neste dia 28 deve ter o tradicional S√°bado Especial, a partir do meio do dia. √Č bacana e vamos l√°, nos ligar no Canal 3, assistir o Cadeia Neles e ver a programa√ß√£o


























































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 28 April 2012 13:44 )

Trincheira XIV

Prévias/Prensa
A pr√©via que apontar√° os nomes que representar√£o a regi√£o rural na disputa √† C√Ęmara de Vereadores, prevista para 15 de abril, est√° "bombando" e com boa aceita√ß√£o na Roda d'√Āgua e seu entorno. Aqui em Nobres, sob influ√™ncia d



































































































































































































































































































































Last Updated ( Monday, 09 April 2012 19:12 )

TRINCHEIRA XIII

Marinheiro Sou
Em tempos de "mariner's" por aqui e após a descoberta de um Almirante, o Capitão Jack Sparrow determinou que não se aceitará mais por aqui piadas sobre português a fim de não constranger os torcedores do Vasco e da Portuguesa de D
















































































































































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 21 March 2012 18:00 )

Trincheira XII

P√ļblico ou Privado?
O site institucional da Prefeitura de Nobres está bombando, com a exibição de dezenas de fotos do carnaval, na maioria, exibindo secretários em plena festa, na maior 'pegação' e azaração. Isso, como portal institucional é
























































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 25 February 2012 20:07 )

Page 9 of 11

TRINCHEIRA LVII

Loucura Total Apesar de todas as recomenda√ß√Ķes e medidas protocolares, as pessoas insistem em carregar crian√ßa para locais de aglomera√ß√£o, sem m√°scara. Se o pessoal da fiscaliza√ß√£o for falar, h√° quem zangue. Nas barreiras sanit√°rias, o absurdo de quem n√£o quer se submeter a checagem. H√° o

Caos do caos

A popula√ß√£o de Nobres, neste caso espec√≠fico, representada por algumas pessoas, est√£o apavoradas, mas ningu√©m faz nada para mudar o cen√°rio que se apresenta, de crescente n√ļmero de casos do Covid-19. O sistema p√ļblico de sa√ļde e toda a m√°quina p√ļblica, enfim, pode estar sendo v√≠tima de um
Banner
Banner
Banner
Banner