You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

20/11/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Últimas notícias

Últimas notícias

Principal criminoso da região de Cáceres é preso pela 3ª vez em um ano

Principal criminoso da região de Cáceres é preso pela 3ª vez em um ano Pela terceira vez, a Polícia Judiciária Civil prendeu Ademilson Domingos Tazzo, 37, um dos homens conhecidos na região Oeste do Estado, pela sua extensa ficha criminosa. Acusado de envolvimento em assassinatos, tráfico de drogas, roubo, receptação de veículos e ligação com uma facção criminosa do Estado de São Paulo. Ademilson foi preso na cidade de Mirassol D'Oeste (300 km a Oeste), por mandado de prisão preventiva, na última sexta-feira (13.11), requisitado pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), de Cuiabá.

Em novembro (16/11), o investigador Joel da Silva Almeida, também teve mandado de prisão preventiva cumprido. O policial está preso no Presídio Militar de Santo Antônio do Leverger, por crimes de ocultação de arma e tráfico de entorpecentes. Ele foi levado hoje para Cáceres, onde será ouvido em crime de homícidio.

Conforme o delegado Marcelo Felisbino Martins, a DRE vem auxiliando a Delegacia Regional de Cáceres, nas investigações da organização criminosa, envolvida em pelo menos 12 crimes de homicídios.

Tazzo já tinha sido preso junto com outras dez pessoas, na operação "Têmis" – Deusa da Justiça - deflagrada no dia 22 de novembro de 2008, nos municípios de São José dos Quatro Marcos, Porto Esperidião, Indiavaí, Cáceres e Cuiabá. Ele permaneceu na cadeia 60 dias e após conseguiu Habeas Corpus do Tribunal de Justiça e foi solto. Em 26 de março de 2009, Ademilson Domingos Tazzo, foi novamente preso, no município de Cáceres, por crime de coação de testemunha no curso do processo.

A prisão de Ademilson Tazzo foi efetuada policiais do GIG e do Grupo de Operações Especiais (Goe), de Cuiabá.

INVESTIGAÇÕES

Um dos crimes investigados pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), de Cuiabá e a Gerência de Investigações Gerais (GIG), da Delegacia Regional de Cáceres (225 km a Oeste) é do homicídio de Rui Alberi Antunes JR, ocorrido em 01 de julho de 2008, em Cáceres. O crime foi praticado por Ademilson Domingos Tazzo, 37 anos, Joilson Gonçalo Barbosa, 28, Alberto Gouveia Nunes, 27, (o Costela), tendo o investigador Joel Almeida da Silva, 42, participado na execução do crime, o qual já está preso por tráfico de drogas. Todos com mandados de prisão decretados.

Conforme o delegado regional, Percival Eleutério de Paula, na época, o crime causou enorme repercussão na região. Conforme ele, a vítima teve uma peça de motor de caminhão amarrado em seu pescoço. O corpo foi jogado e um córrego, região do Caramujo, em Cáceres, onde foi encontrado no dia 9 de julho por pescadores.

De acordo com o delegado, a vítima teria ficado responsável pela revenda de cerca de 90 quilos de cocaína, recebidos em troca de duas aeronaves, roubadas no município de Mirassol D'Oeste, em 2007, e levadas para a Bolívia. Na autoria do roubo aparece duas pessoas identificadas por "Jhonatam" e "Emerson" e dois pilotos bolivianos.

Um dos aviões era de propriedade de Ademilson Tazzo e o outro pertencia a facção criminosa de São Paulo. Conforme as investigações, Tazzo era responsável pela organização criminosa na fronteira. Os autos apontam que os dois bolivianos teriam sido mortos na Bolívia.

Um dia antes da morte de Rui Alberi, testemunhas viram o policial Joel Almeida da Silva, parar sua camionete S10, branca, em frente à casa dele. Depois Rui não foi mais visto na região.

Ainda, de acordo com a testemunha, Joel levou a vítima para Ademilson Tazzo e seus dois comparsas Joilson Gonçalo Barbosa e Alberto Gouvêa Nunes. A após ser torturada, a vítima foi lançada com vida dentro do rio. O policial Joel teria ficado com os 90 quilos de cocaína, que estava na posse de Rui Alberi, em pagamento.

Os suspeitos Joilson Gonçalo Barbosa, 28, Alberto Gouveia Nunes, 27, (o Costela), estão foragidos, mas com mandados de prisão decretados.

Pela terceira vez, a Polícia Judiciária Civil prendeu Ademilson Domingos Tazzo, 37, um dos homens conhecidos na região Oeste do Estado, pela sua extensa ficha criminosa. Acusado de envolvimento em assassinatos, tráfico de drogas, roubo, receptação de veículos e ligação com uma facção criminosa do Estado de São Paulo. Ademilson foi preso na cidade de Mirassol D’Oeste (300 km a Oeste), por mandado de prisão preventiva, na última sexta-feira (13.11), requisitado pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), de Cuiabá.

Nesta segunda-feira (16.11), o investigador Joel da Silva Almeida, também teve mandado de prisão preventiva cumprido. O policial está preso no Presídio Militar de Santo Antônio do Leverger,  por crimes de ocultação de arma e tráfico de entorpecentes. Ele foi levado hoje para Cáceres, onde será ouvido em crime de homícidio.


Conforme o delegado Marcelo Felisbino Martins, a DRE vem auxiliando a Delegacia Regional de Cáceres, nas investigações da organização criminosa, envolvida em pelo menos 12 crimes de homicídios.



Tazzo já tinha sido preso junto com outras dez pessoas, na operação “Têmis” – Deusa da Justiça - deflagrada no dia 22 de novembro de 2008, nos municípios de São José dos Quatro Marcos, Porto Esperidião, Indiavaí, Cáceres e Cuiabá. Ele permaneceu na cadeia 60 dias e após conseguiu Habeas Corpus do Tribunal de Justiça e foi solto. Em 26 de março de 2009, Ademilson Domingos Tazzo, foi novamente preso, no município de Cáceres, por crime de coação de testemunha no curso do processo.


A prisão de Ademilson Tazzo foi efetuada policiais do GIG e do Grupo de Operações Especiais (Goe), de Cuiabá.



INVESTIGAÇÕES

Um dos crimes investigados pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), de Cuiabá e a Gerência de Investigações Gerais (GIG), da Delegacia Regional de Cáceres (225 km a Oeste) é do homicídio de Rui Alberi Antunes JR, ocorrido em 01 de julho de 2008, em Cáceres. O crime foi praticado por Ademilson Domingos Tazzo, 37 anos, Joilson Gonçalo Barbosa, 28, Alberto Gouveia Nunes, 27, (o Costela), tendo o investigador Joel Almeida da Silva, 42, participado na execução do crime, o qual já está preso por tráfico de drogas. Todos com mandados de prisão decretados.


Conforme o delegado regional, Percival Eleutério de Paula, na época, o crime causou enorme repercussão na região. Conforme ele, a vítima teve uma peça de motor de caminhão amarrado em seu pescoço. O corpo foi jogado e um córrego, região do Caramujo, em Cáceres, onde foi encontrado no dia 9 de julho por pescadores.


De acordo com o delegado, a vítima teria ficado responsável pela revenda de cerca de 90 quilos de cocaína, recebidos em troca de duas aeronaves, roubadas no município de Mirassol D’Oeste, em 2007, e levadas para a Bolívia. Na autoria do roubo aparece duas pessoas identificadas por “Jhonatam” e “Emerson” e dois pilotos bolivianos.

 

Um dos aviões era de propriedade de Ademilson Tazzo e o outro pertencia a facção criminosa de São Paulo. Conforme as investigações, Tazzo era responsável pela organização criminosa na fronteira. Os autos apontam que os dois bolivianos teriam sido mortos na Bolívia.

Um dia antes da morte de Rui Alberi, testemunhas viram o policial Joel Almeida da Silva, parar sua camionete S10, branca, em frente à casa dele. Depois Rui não foi mais visto na região.

Ainda, de acordo com a testemunha, Joel levou a vítima para Ademilson Tazzo e seus dois comparsas Joilson Gonçalo Barbosa e Alberto Gouvêa Nunes. A após ser torturada, a vítima foi lançada com vida dentro do rio. O policial Joel teria ficado com os 90 quilos de cocaína, que estava na posse de Rui Alberi, em pagamento.


Os suspeitos Joilson Gonçalo Barbosa, 28, Alberto Gouveia Nunes, 27, (o Costela), estão foragidos, mas com mandados de prisão decretados.
LUCIENE OLIVEIRA
Assessoria/PJC-MT

 

Last Updated ( Wednesday, 13 January 2010 11:26 )

 

Secretário de Obras acredita em solução para as ruas do bairro São José

Secretário de Obras acredita em solução para as ruas do bairro São José

Em conversa informal com a nossa reportagem, dia 06 de janeiro, pela manhã, o secretário Euclydes Motta Júnior revelou que a situação das ruas do bairro São José está perto de uma solução positiva. Após a instauração de sindicância para

Legislativo – a Casa da esperança

Legislativo – a Casa da esperança

Em novas dependências, com o pessoal experimentando equipamentos e reposicionando o mobiliário, a Câmara Municipal começa 2.010 em plena atividade. O espaço físico da Casa foi ampliado e setores como o de contabilidade, secretaria, assessoria j

Para Buri, sem reservatório bairro vai continuar sofrendo com falta d’água

Para Buri, sem reservatório bairro vai continuar sofrendo com falta d’água

              O bairro Jardim Petrópolis unificou-se com a Cohab Marzagão e tornou-se uma comunidade populosa e com muitas deficiências estruturais. Localizado na saída para a zona

A cura d’alma é sempre uma “esperança”

Por B. F. S.

A corrida desenfreada em que muitas pessoas se atiram tem feito com que elas percam o elo com o estado d'alma, com o lado espiritual, com a religiosidade, com o lado mais profundo da vida que não o estado físico e o materialismo. Market

Page 124 of 125

Trincheira LVI

Sem Rumo Tem gente dando pulos por conta do mais absoluto repensamento de objetivos. Não sabe se vai ou se fica, mas a verdade é que a Lei Eleitoral mexe com muita coisa na política paroquial e alguns partidos serão meramente figurantes nas próximas eleições municipais. Se não houver uma reav

Rumos e Definições

A política municipal em Nobres parece que converge para um rumo que difere completamente do sistema político nacional. Longe da crise de confiança estabelecida no cenário nacional a partir da corrupção que ainda é marca nacional e a política exercida sorrateiramente por antigas cobras de um
Banner
Banner
Banner
Banner