You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

15/10/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XXIV

Bate/Rebate
Repercutiu a Carta Aberta do líder sindical Anderson Boaventura e alguns vereadores rechaçaram a iniciativa do educador. A liberdade de expressão é garantia constitucional e gostar ou não gostar é papel que convém a cada um, como teve vereador que rebateu o texto, a questão é entre uns e outro. O vereador Manoel Fermino (DEM), presidente do Legislativo, apontou que só vê a Casa cheia quando há interesses em jogo. E botou lenha na fogueira ao dizer, da tribuna da Casa, que é mais forte na crítica que nos aplausos.
- Na verdade, quem deu repercussão ao texto foram os próprios vereadores.

Bate/Rebate II
Houve ameaça de retaliação contra o líder sindical, entretanto, o presidente da Casa de Leis, Manoel Fermino Pinho, se saiu como manda o figurino, dizendo desconhecer quem seria o autor da Carta Aberta e ainda disse que poderia ser alguém que acaba de chegar à cidade, desconhecedor da realidade e das lutas dos parlamentares em favor da educação e do salário dos educadores. Menos enfático, o vereador Bacalhau destacou que a ele aquela carapuça não cabia porque sempre esteve no Parlamento, todos os dias, e não como se anunciou, em só duas noites por mês. Quem estaria fora de combate, aparentemente, o vereador Adão, se posicionou favorável à liberdade de expressão do líder sindical.
- Matreiro, Fermino discursou e voltou ao seu lugar de origem sem tirar nem por... sobre o texto do sindicalista.

Em Greve
Os servidores p√ļblicos municipais aderiram a um movimento grevista iniciado dia16/10, pela manh√£, ap√≥s assembleia geral, realizada no Sal√£o Nobre do Legislativo municipal. Os funcion√°rios municipais, al√©m de aderir √° greve, v√£o acionar juridicamente o governo pela apropria√ß√£o ind√©bita de valores correspondentes a reten√ß√£o de parcelas de empr√©stimos consignados, cujos valores n√£o aparecem creditados ao banco credor. O clima √© de indigna√ß√£o e os servidores p√ļblicos n√£o suportam mais a pesada carga de multas por atrasos salariais nas suas contas.
- Que final mais melancólico a um governo dito transformador.

Eleitor Insistente
Tem eleitor que se apega ao candidato e n√£o o deixa t√£o cedo. Dia desses, numa conversa entre duas pessoas, algu√©m conjecturou: "Agora ficou mais dif√≠cil para o Devair, n√£o?", disse em rela√ß√£o aos √ļltimos resultados das urnas. Entretanto, o eleitor ferrenho discordou e a conversa continuou, ao que disse o interlocutor do eleitor ferrenho: "Nem a vereador mais". E o "valinista" respondeu: "Pra vereador, ia estourar de votos!".
- Isso é gostar de ser eleitor de um mesmo candidato.

Visita/Treino
A sess√£o ordin√°ria do Parlamento realizada em 15 de outubro, dia do Professor, foi marcada pela presen√ßa de muitos professores e de v√°rios vereadores eleitos observando o funcionamento da Casa. Uma coisa √© certa e aguarda os novos parlamentares, a de que a possibilidade de mudar o mundo √© remot√≠ssima e ali, todo entusiasmo quase sempre vai parar atr√°s de alguma porta. S√£o as ocorr√™ncias registradas e catalogadas h√° pelo menos duas d√©cadas que endere√ßam para essa triste vis√£o de realidade. Na d√ļvida, pergunte a quem j√° foi vereador.
- Mas, siga a estrela e vá viver o próprio sonho.

E o Bolo?

Supostos 40 quilos de bolo para uma festa de aniversário no início de setembro está sem o devido pagamento até hoje. Será quem que encomendou? As pessoas que trabalham com micro empresas não o fazem por "hobby", mas porque necessitam aumentar a renda doméstica e por isso dão duro na vida. Resta saber quem vai pagar a despesa, agora que a festa toda acabou. Isso é feio e deixa um rastro de desconfiança pelo caminho e todos sabem que dor de barriga não dá só uma vez, não é mesmo?
- Já estamos preparados para cantar parabéns, mas se pagarem a confeiteira. Que tal?

Estrada aos Cacos
A MT-241, cantada e decantada, est√° aos cacos, com problemas de trafegabilidade atrav√©s das denominadas "costelas de vaca". Isso, porque nem choveu ainda. O pior vem depois com os atoleiros ao longo dos cerca de 65 quil√īmetros de estrada at√© bem pr√≥ximo a Vila de Bom Jardim. A compet√™ncia √© do governo do Estado pela manuten√ß√£o da estrada e quem os prejudicados s√£o os mun√≠cipes, em boa parte pecuaristas e micro e pequenos produtores rurais com propriedades no entorno dessa estrada estadual.
- Até que alguém tire ao menos um dos pés do chão, cupim já roeu o outro. E tome impostos e taxas.

Flechadas Certeiras
Se h√° um setor no munic√≠pio de Nobres que inquestionavelmente queria mudan√ßa, este √© o dos ind√≠genas da aldeia bakairi. Nunca na hist√≥ria desta terra se viu resultado t√£o escachapante como agora, nas elei√ß√Ķes municipais de 07 de outubro. O candidato da situa√ß√£o, dr. Z√© Carlos, perdeu de 99 a 01 naquela comunidade, com apoio de Devair Valim, uma esp√©cie de rei rural. Nem na olimp√≠ada, os arqueiros conseguem tantas flechadas assim... na mosca. Bem, depois de tudo isso se haver volta √† aldeia para pedir votos, a√≠ j√° vai ser demais. H√° um povo e sua hist√≥ria, que precisam ser respeitados, agora, mais que nunca.
- Essa foi a maior confirmação de que algo não vinha bem em nuestro reinado.

Velhos Tempos
Nos anos 60, bastavam alguns pingos d'√°gua para que a luz el√©trica apagasse na velha Cuiab√°. Era o tempo em que a empresa se chamava EFLA (Empresa de For√ßa, Luz e √Āgua) e a energia via da Usina do Rio da Casca. Atualmente, a ANEEL, reguladora do sistema el√©trico lida com apag√Ķes em quase todas as semanas pelo Brasil afora. Em Nobres, vez por outra uma rua fica desprovida do fornecimento de energia el√©trica, sem nenhum aviso pr√©vio. √Č ruim isso.
- √Č a volta dos velhos lampi√Ķes a g√°s.

Inspiration
Pois n√£o √© que o site KM inspirou o compositor a fazer uma letra sobre barco afundando? Foi o "hit" da campanha o pula-pula e como resposta veio um apelo, quase um SOS: "N√£o pula, n√£o pula...", mas sabe como √©... gato escaldado tem medo de √°gua fria. Quando o navio est√° afundando, qualquer barranco serve como porto. Na verdade, com o dil√ļvio, a Arca de No√© ficou vazia... a bicharada pulou tudo. Cita√ß√Ķes mal explicadas e m√ļsicas mal feitas jogam candidaturas para baixo.
- Tapete vermelho e Oscar para o marqueteiro que criou a palavra "desespero", tão descabida, tão fora de lógica e desproposital, a um só tempo... foi um tiro no próprio pé.

Eleição/Mesa
N√£o se pode iniciar qualquer discuss√£o sobre Mesa Diretora no Legislativo sem que ocorra a diploma√ß√£o, ali por volta de dezembro. Nas redes sociais ao menos um debate foi levantado, mas seria prematuro o tema, quando as elei√ß√Ķes mal acabaram. Obviamente, a pauta ser√° debatida a partir de dezembro e o que se acredita √© que n√£o haver√° motivos para uma nova "batalha" neste primeiro bi√™nio.
- Sem atropelos à ordem cronológica, viu gente?!

Liberdade Total
Muitos dos novos vereadores est√£o √°vidos por ver o tempo passar e chegar o dia da posse. Ser√£o sete estreantes e nenhum deles compromissados com o grupo derrotado, que mais atrapalhou que propriamente ajudou. Todos t√™m apenas compromissos partid√°rios e com as pr√≥prias atitudes, o que n√£o deixa de ser uma oportunidade rara para se praticar uma boa governabilidade. N√£o h√° entusiasmos exagerados e nem sobressaltos, bastando olhar para tr√°s e ver que em 47 anos de hist√≥ria, apenas dois vereadores se tornaram prefeitos ‚Äď M√°rio Abra√£o Nassarden e Devair Valim de Melo.
- Assim entendido, é trabalhar pela própria imagem, buscando conhecer qual o real papel do vereador.

Grande Dia
O com√≠cio final de cada candidato seria utilizado como term√īmetro √† campanha e teve secret√°rio municipal que se expressava assim: "√Č hoje, o grande dia. Vamos conhecer a verdade". O quadro e o cen√°rio pintado no com√≠cio final n√£o expressaram a realidade e nem expressariam em tempo algum sem se considerar que companheiros foram atirados pelo caminho em nome do revanchismo pol√≠tico. Como acreditar que chutar a bunda de companheiros verdadeiros n√£o teriam consequ√™ncias? Como acreditar que pessoas foram mantidas no governo por sabe-se l√°, que entendimento, e que estas ajudariam a ganhar votos? Como vencer com pessoas que se apresentavam acima do povo e com a presta√ß√£o de servi√ßo com que qualidade?
- O grande dia foi revelador e cadê esse secretário que dizia isso?

Conversa Repartida
Diz um interlocutor mais pr√≥ximo do governo que uma pessoa ligada ao prefeito sugeriu in√ļmeras vezes que se demitisse dois secret√°rios e n√£o foi ouvida. Ainda h√° chance, mesmo ap√≥s a derrota, e cabe agora perguntar, ser√° que esses dois v√£o at√© o fim, mesmo tendo cavado uma vala para atirar ali o governante? A fonte informativa apontou que os tais secret√°rios seriam Valdinei e Cl√°udio Vitalino. Se insistirem em perguntar de quem teria sido a sugest√£o, meses atr√°s, eu direi.
- Depois daquele "barraco" dentro do governo, a f√© foi perdida. √Č mesmo seu... como √© mesmo o nome dele? O que teria sugerido a demiss√£o dos dois? Ah! Deixa pra l√°.

Mudança de Hábito
A coisa anda feia dentro do governo e algumas demiss√Ķes j√° foram processadas. Agora, tem algu√©m que h√° um certo per√≠odo atr√°s, teria gasto cerca de R$ 10.000,00 s√≥ com telefonemas interurbanos naquele mesmo local de trabalho, e agora amea√ßa os servidores com desconto salarial na segunda-feira, porque muitos n√£o compareceram por terem trabalhado nas elei√ß√Ķes municipais um dia antes. Alguns, quase nem compareciam por estar a servi√ßo do comit√™ de campanha, e bastou o resultado das elei√ß√Ķes ser divulgado que vem √†s retalia√ß√Ķes. Seria l√° no Procon?
- Chame o Procon e lance m√£o do C√≥digo de Defesa do Trabalhador. Quem n√£o foi aquela dezena logo posterior ao 10, que segure o roj√£o. A prop√≥sito, e aquele Caso da Bomba d'√Āgua?

M√°quina na M√£o

Em 2010, por volta do primeiro semestre, dentro do seu gabinete, o prefeito Jos√© Carlos da Silva teria dito: "Quem perde com a m√°quina p√ļblica nas m√£os tem que ser muito ruim", e o interlocutor disse naquele dado momento: "Mas isso j√° aconteceu com um certo Devair Valim, doutor". Sil√™ncio e a conversa fluiu para outro assunto. Como se v√™, as semelhan√ßas entre o ano 2.000 e 2012 foram muitas, inclusive no quesito dos atrasos salariais. Foi uma frase inesquec√≠vel, pronunciada por uma autoridade municipal, mas faltou lembrar, excel√™ncia, que ningu√©m chuta a bunda de pessoas da cidade para abrigar arrivistas sem que se tenha uma resposta. Se ganha com os amigos e se governa com os inimigos, isso tem consequ√™ncias.
- A pesquisa publicada no jornal, cujo alcance não atinge nem ao Pindura, foi a mais real possível. Sobre ganhar com os amigos... nós avisamos. Entendeu agora como é isso?

Na Rede
N√£o se fala em outra coisa nas redes sociais a n√£o ser sobre aqueles post's aludindo multid√Ķes nas reuni√Ķes do 11. As pessoas mal chegam √† cidade e j√° passam a entender de pol√≠tica e se acreditam peritas nessa arte. Teve a cria√ß√£o de perfis falsos no Facebook com ataques pessoais e manipula√ß√Ķes de imagem de pessoas, cujas responsabilidades ser√£o apuradas e se algu√©m tiver algo a ver, vai sofrer as san√ß√Ķes. Adolescentes abusados que acreditam que as redes sociais seja ambiente para extravasar sentimentos e atacar pessoas. Quando os fatos n√£o s√£o reais, at√© mesmo a cita√ß√£o √© incorreta, por exemplo, multid√Ķes e multid√Ķes quando, meramente, registra-se apenas um grupo de pessoas que mal chegam a 300.
- E tome piadas nas redes sociais.

Panfletagem
Duas frentes pol√≠ticas se digladiavam e, obviamente, uma delas seria a parte autora da panfletagem escusa, absurda e equivocada contra advers√°rios. Algu√©m pensaria que um candidato conspirasse contra si, o que joga toda a responsabilidade da panfletagem aos seus advers√°rios, como ocorreu em Bom Jardim e Roda d'√Āgua. Provid√™ncias para apurar responsabilidades foram tomadas. O n√≠vel tenderia a baixar, mas como n√£o houve revide, ficou o dito pelo n√£o dito. O mais dif√≠cil √© ter que aturar a vit√≥ria do advers√°rio, ali, bem perto, debaixo dos seus olhos.
- Que cachorrada, não é mesmo?Lobos solitários em dia de euforia.

Mais uma Vez
Questionado ao extremo e com an√ļncios de certa tend√™ncia informativa, o jornal Tribuna de Nobres saiu ileso do processo pol√≠tico e com muita tranquilidade. O jornal n√£o faz pesquisa e n√£o atua nessa √°rea. Entretanto, uma pesquisa foi divulgada em forma de propaganda pol√≠tica e dava como certa a vit√≥ria do candidato Dr. Z√© Carlos. Sabe quem acreditou nessa pesquisa? Certamente que s√≥ os ocupantes de cargos de confian√ßa, que defendiam as suas perman√™ncias no governo. Mais uma vez o prefeito Jos√© Carlos da Silva foi induzido a cometer erros e, segundo se comentou, houve gente mais pr√≥xima a ele que teria sugerido que ele n√£o entrasse na disputa pol√≠tica, mas alguns assessores achavam (os achistas) que dava para enfrentar o advers√°rio e perdeu com a m√°quina p√ļblica na m√£o e tudo.
- Virou motivo de piada a pesquisa do 11.

Tendency...oso?
Diziam que o jornal de Nobres seria tendencioso e atacaram duramente ao IMPEC, cuja direção nem conhecemos direito. Entretanto, logo em seguida surgem com uma pesquisa eleitoral cujo nome da empresa seria Tendency. Quanta ironia no nome, já dos dados compilados, disparadamente equivocados. Tem coisas que não batem, tanto quanto ligar para uma pessoa e alguém atender para dizer: "Ele manda dizer que não está...".
- Tendency, falta mais o que para completar a palavra abrasileirada?

Segunda Divis√£o?

Em visita à redação deste jornal, dia 01 de setembro, por volta das 16:00 horas, o ex-prefeito Devair Valim, de Nobres, disse que está em uma de suas maiores batalhas políticas e se comparou a um técnico de futebol com o propósito de tirar determinado time da segunda divisão e ainda levá-lo ao título da primeira divisão. Se conseguir esse feito, que beira o impossível, Devair entende que mereceria uma estátua, feita de pedra sabão. Desejou se tornar o Tutankamon do Tombador.
- No máximo, uma réplica de Felipão como treinador do Tabajara FC. Mas, esse time que está segunda divisão sobe quando?

Recontando História
O desejo de Devair Valim de se tornar o Tutankamon do Tombador esbarraria nos relatos da hist√≥ria. Siga e entenda: "Tutankamon, tamb√©m conhecido como o "Fara√≥ Menino", nasceu em 1346 a.C e morreu, aos 19 anos de idade, em 1327 a.C. Foi fara√≥ do Egito Antigo entre os anos de 1336 e 1327 a.C. Era filho do fara√≥ Akhenaton. Ainda existem muitas d√ļvidas sobre a vida de Tutankamon. Foi o √ļltimo fara√≥ da 18¬™ dinastia. Durante seu curto per√≠odo de governo, levou a capital do Egito para Memphis e retomou o polite√≠smo, que havia sido abandonado pelo pai Akhenaton. Sabe-se que morreu de forma traum√°tica ainda na adolesc√™ncia. Alguns pesquisadores acreditam que ele tenha sido v√≠tima de uma conspira√ß√£o na corte e, possivelmente, tenha sido assassinado com um golpe na cabe√ßa. Esta hip√≥tese √© sustentava, pois o cr√Ęnio da m√ļmia do fara√≥ apresenta uma perfura√ß√£o. Por√©m, estudos mais recentes e avan√ßados (inclusive de DNA) efetuados na m√ļmia do fara√≥ menino revelaram que a causa mais prov√°vel de sua morte tenha sido a mal√°ria. Estes estudos mostraram tamb√©m que Tutankamon era portador de uma doen√ßa conhecida como K√∂hler-Freiberg, que provoca inflama√ß√£o em cartilagens e ossos dos p√©s. Um dos p√©s da m√ļmia do far√°o apresenta necrose, provavelmente causada pela m√° circula√ß√£o sangu√≠nea provocada pela doen√ßa. Logo, essa conjuga√ß√£o de doen√ßas pode ter levado o fara√≥ a morte", segundo o Wikipedia..
- Meio ruim de história, no máximo, o ex-prefeito conseguiria o feito de trabalhar para ver diminuída a goleada, segundo ele mesmo deixa antever nas entrelinhas.

Pesquisa
Tem sido um tormento para muitos os 'pum' nos palanques, ainda mais, perto das senhoras. Em um certo palanque, pesquisas de opini√£o j√° elegeram o campe√£o daquilo que na linguagem vulgar se convencionou chamar de "peido". E tem que esperneie ao olfatar aquele ar irrespir√°vel, mas sem grandes alardes. J√° imaginou, uma ex-miss tendo que sentir aqueles ares anunciadores de algo pior a caminho?
- A propósito, leva o título de campeão, quem mesmo?

Dança com os Lobos

Na Roda d'√Āgua, dia 30 de setembro, a noite, o vice-prefeito Ismael Baraviera subiu no palanque e fez um desabafo acerca do processo de fritura que sofreu do atual governo. "Ele prometia algo e depois ignorava, completamente", disse acerca dos maquin√°rios para a recupera√ß√£o de estradas. Segundo Ismael Baraviera, houve trai√ß√£o contra a sua pessoa por um falso amigo que surgiu na Roda d'√Āgua e que hoje o ataca em palanque. Ismael Baraviera, o Kevin Costner do Tombador e a dan√ßa com os lobos. O vice prefeito arrancou aplausos com uma sacada da cartola: "Quem anda com os lobos tamb√©m aprende a uivar".
- Foi uma flechada certeira.

Esporadas
O ex-prefeito de Cuiab√°, eleito e reeleito, Wilson Santos, j√° por duas vezes consecutivas em Nobres, tem distribu√≠do esporadas para todos os lados. Na Roda d'√Āgua, dia 30 de setembro, √† noite, disse que n√£o estava l√° para machucar ningu√©m... e se estivesse com vontade, como seria? "Eu n√£o entendo, como algu√©m que entende do assunto abandonar a sa√ļde e deixar faltar at√© Cibalena, Captopril e outros medicamentos b√°sicos", apontou o Galinho. Mas, Cibalena? Esse j√° t√° fora de moda. Bem, mas a cesta b√°sica de medicamentos passa dos 50 itens e quando n√£o tem nenhum?
- Cacetada sem vídeo.

Ot√°rio?

Citado como a pessoa que estava de posse da caminhonete pertencente ao gabinete do prefeito, no s√°bado, dia 22 de setembro de 2012, pela manh√£, o secret√°rio de Finan√ßas, Valdinei Sergio Muniz Albertoni, respondeu atrav√©s da p√°gina de relacionamento social que a pessoa que postou a foto seria um ot√°rio e que a imagem se justificava porque estava trabalhando, o que n√£o era bem a praia de quem postou a foto. Se a Secretaria Municipal de Finan√ßas tem um carro, o que fazia o ve√≠culo do Gabinete do Prefeito parado no p√°tio de uma empresa atacadista? At√© onde se sabe, os ve√≠culos oficiais, salvo a ambul√Ęncia e outros de setores essenciais, deveriam estar recolhidos ao p√°tio competente.
- A não ser que esse "know how" tenha sido trazido de experiências outras lá das bandas de Santa Rita do Trivelato, de onde veio o nobre secretário.

Ot√°rio? II
Ao classificar de ot√°rio o respons√°vel pela postagem da foto, o secret√°rio demonstrou a sua irrever√™ncia e o seu descontentamento quando s√≥ deveria faz√™-lo oficialmente, fazendo expedir nota oficial com a clara justificativa do que fazia, inclusive apresentando relat√≥rio de viagem a todos os contribuintes e n√£o somente √†quele que classificou de ot√°rio. O ve√≠culo √© oficial e de responsabilidade do gabinete do prefeito, n√£o cabendo ao secret√°rio de Finan√ßas apresentar a justificativa. "Estava Trabalhando sim ot√°rio o que n√£o √© bem a sua praia", respondeu no Facebook o secret√°rio. Assim, sem nada por escrito quando se sabe que em administra√ß√£o p√ļblica vale o que est√° escrito. Vamos aguardar o relat√≥rio de viagem, que dever√° ser apresentado ao Minist√©rio P√ļblico Estadual.
- Respondeu a pergunta e disse que estava trabalhando. Ent√£o t√°!

Ot√°rio? III
O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso quer o ressarcimento do er√°rio de 163 cargas de g√°s de cozinha adquiridos indevidamente pelo munic√≠pio. Justificou-se que o g√°s teria sido trocado por √°gua e gelo, mas os t√©cnicos do TCE contra atacaram e apontaram que a empresa que fornece √°gua seria outra, portanto, n√£o se justificando a confus√£o. A quem caberia verificar tudo isso antes de pagar? O prefeito e qualquer outro subordinado seu, seja de que escal√£o for, s√£o meramente servidores p√ļblicos, o que, redundantemente, deveriam fazer √© "servir" aos cidad√£os que pagam os seus impostos.
- Pelo contrário, quem vê alguma coisa é tratado como otário. Menos mal que no município de Santa Rita do Trivelato a coisa não é bem assim.

Ot√°rio? IV
A confus√£o estabelecida no governo e detectada pelo TCE-MT aponta que "N√£o houve respeito ao Princ√≠pio da Economicidade, por se tratar de despesa com sistemas n√£o utilizados, gerando gastos desnecess√°rios durante o exerc√≠cio de 2011. Dessa forma, sugeriram a este Relator que mantenha a irregularidade do item 4, assim como determine ao prefeito que promova o ressarcimento no valor de R$ 46.800,00 (1.321,47 UPFs-MT ‚Äď 672,02 (1¬į semestre) e 649,45 (2¬ļ semestre).". A quem cabe verificar essa realidade e evitar essas despesas? Onde estava o secret√°rio municipal de Finan√ßas que n√£o planejou os gastos p√ļblicos e que n√£o evitou desperd√≠cio de dinheiro do povo?
- Afinal, uma super secretaria serve para qu√™? Quem assumir√° o √īnus disso tudo?

Ot√°rio? V

Para onde foram parar os 201.76 metros quadrados de piso porcelanato da marca Elizabeth? Ap√≥s, apresentaram fotos da marca Delta para justificar procedimentos administrativos equivocados como est√° no relat√≥rio do TCE-MT, a seguir descrito: "no entanto a justificativa apresentada demonstra o contr√°rio, isso porque foi realizada a aquisi√ß√£o de 201,76 m¬≤ de piso porcelanato, assim como outros produtos correlatos como argamassa e rejunte, e posteriormente, foi constatado que n√£o havia necessidade desses produtos, gerando uma despesa desnecess√°ria ao munic√≠pio no valor de R$ 8.714,16 (250,33 UPFs-MT), ou seja, houve m√° aplica√ß√£o do recurso p√ļblico.",¬† apontou¬† a¬† Egr√©gia Corte¬† de Contas de MT.
- A Secretaria Municipal de Finan√ßas serve a que princ√≠pio l√≥gico dentro da estrutura administrativa municipal? Status e b√īnus a um e todos os √īnus a outros.
Atendimento Zero
Sem m√©dico para atender, o hospital conveniado depende da Prefeitura de Nobres para sobreviver, local onde o prefeito atuou desde 1995. Na madrugada deste dia 25 de setembro de 2012, uma pessoa procurou a casa de sa√ļde e n√£o encontrou atendimento e quando acreditava que j√° tinha visto tudo, eis que uma senhora sofria com as dores do parto bem na recep√ß√£o do hospital. O dele, caso do cidad√£o que levou a esposa com dores abdominais, foi resolvido por "fone-confer√™ncia", consultando-se com parentes m√©dicos em Cuiab√°. J√° o caso da parturiente, ser√° que foi atendida em Ros√°rio Oeste?
- Se com o Coordenador de Controle Interno ocorre isso, imagine com o cidad√£o comum, sem argumentos e extremamente humilde?

Na Descida
Se a coisa n√£o anda nada boa para o CCI, que tem n√≠vel superior e √© concursado, imagine para quem trabalha na √°rea da sa√ļde e absorve as cargas negativas da popula√ß√£o por conta do caos no sistema, que ningu√©m sabe quando √© p√ļblico e nem quando √© privado. √Č funcion√°rio do setor privado que vai para o p√ļblico, √© do setor p√ļblico que se comanda o privado e essa panaceia √© que √© servida ao cidad√£o/contribuinte quando busca atendimento naquelas horas em que n√£o se pede para ficar doente. Ali√°s, quem pediria isso? E ainda tem gente que liga para tirar satisfa√ß√Ķes sobre o que ocorreria. Vivemos num hosp√≠cio sem paredes e sem portas, onde se √© pressionado por todos os lados. "Perdoai as nossas d√≠vidas... mas n√£o espere por n√≥s perdoarmos aqueles que nos devem".
- Se arrependimento matasse... esta cidade estaria deserta, j√° h√° muito tempo. Depois da tempestade, o que vir√°?

Na Boca do Povo
Alguém teria ligado para o ex-prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, para evitar que ele visitasse Nobres na noite de 24 de setembro. O "serviço" foi derrubado pelo amigo de WS, Alex da Farmácia, que fez uma ponte com o Galinho e ele esteve em Nobres. No "day after" o assunto ganhou as ruas e não se falava em outra coisa e, finalmente, constatou-se que a empreita de desconstruir, aparentemente, a mais fácil, causa prejuízos. Na seara alheia, então, tudo se torna mais complicado e complexo.
- Foi o maior coricocó do Galinho e ainda no Chicken-in... foi o maior frango do goleiro que tentou fazer essa ponte.

Coisa Feia
Dia desses, o pessoal que estava em greve, reivindicando sal√°rio em dia, se deparou com coment√°rios cretinos nas p√°ginas de relacionamento social de que aquilo seria "palha√ßada". A √ļltima fa√ßanha governista foi √† leitura p√ļblica de uma carta an√īnima, utilizada, supostamente, para tentar ofender alguma pessoa por sua prefer√™ncia pol√≠tica. Em que √©poca n√≥s estamos? Nem no per√≠odo medieval se viu tamanha falta de √©tica, expor esta ou aquela pessoa por conta de cita√ß√Ķes ap√≥crifas, urdidas no anonimato. Nem nos por√Ķes da ditadura se utilizava de tamanho disparate para impor coima sobre as pessoas. Lamenta-se por esse ocorrido e deixamos aqui de citar o patroc√≠nio desse incidente vetusto e reprov√°vel para que desse sarc√≥fago n√£o exale ainda mais os maus odores do ocorrido.
- "Vendo outro ser mais rico de esperança, Invejando seu porte e os seus amigos; Se invejo de um a arte, outro a bonança, Descontente dos sonhos mais antigos...;". (Sir William Shakeaspeare).

Last Updated ( Wednesday, 17 October 2012 10:40 )

 

Trincheira XXIII

Rua Bahia
Pedir votos na rua Bahia ap√≥s aquelas enchentes, isso √© dif√≠cil, muito dif√≠cil. Arriscar, √© ouvir, ao p√© da letra e do ouvido. Ser√° que tem algu√©m que arriscou? Ter√° que ouvir poucas e boas, aquele que arriscar. Dizem que algu√©m j√





























































































































Last Updated ( Tuesday, 25 September 2012 17:08 )

Trincheira XXII

Impasse Brabo
Os times de futebol que disputam a Copa Rural 2012 estão no impasse por conta de um regulamento que se apresenta equivocado, contra a participação de mais de três atletas "estrangeiros", ou seja, de fora da zona rural ou do municípi
















































































































































Last Updated ( Tuesday, 28 August 2012 18:44 )

Trincheira XXI

Mobilização
Os profissionais da educa√ß√£o sinalizam para o governo com uma mobiliza√ß√£o pela regulariza√ß√£o no calend√°rio de pagamento. Eles querem o cumprimento da lei, que prev√™ o pagamento at√© o quinto dia √ļtil de cada m√™s e a partir de h




































































































































































































Last Updated ( Thursday, 09 August 2012 11:28 )

Trincheira XX

Contagem Regressiva
Na base de lançamento do Sargento Canaveral (era Cabo e foi promovido) estão em contagem regressiva... ten, nine, eigth, seven, six, five, for, tree, two, one... zero, vai chegar esse instante em que alguém vai cobrar essa conta































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 25 July 2012 15:22 )

Page 7 of 11

Trincheira LV

Avaliação e Reavaliação O prefeito Leocir Hanel deve promover a correção de rumos da sua gestão e uma das medidas, essencialmente essencial e redundantemente redundante, é garantir que gente que desconhece a realidade de Nobres, que não conheça os bastidores políticos, saia por aí, emitin

Imagem reversa

O setor industrial em Nobres tem a inten√ß√£o de mudar alguns conceitos e at√© pr√©-conceitos sobre a ind√ļstria da minera√ß√£o em Nobres. Sabe-se que o setor quer mostrar que n√£o √© o grande vil√£o da hist√≥ria e que contribui para a melhoria e o desenvolvimento do munic√≠pio. Na verdade, a ind√ļst
Banner
Banner
Banner
Banner