You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

20/07/2018
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XXIII

Rua Bahia
Pedir votos na rua Bahia após aquelas enchentes, isso é difícil, muito difícil. Arriscar, é ouvir, ao pé da letra e do ouvido. Será que tem alguém que arriscou? Terá que ouvir poucas e boas, aquele que arriscar. Dizem que alguém já ouviu, quem será que foi?
- √Č pau, √© pedra, √© o fim do caminho... √°guas de mar√ßo.

Nota de Desaparecimento
Onde est√£o aqueles ve√≠culos que foram buscar l√° em Foz do Igua√ßu? Dois P√°lio's Weekend, duas motos, um barco e muito combust√≠vel nessa excurs√£o a Ciudad del Leste. As motos ou as sucatas mandaram arrumar, um ve√≠culo, P√°lio Weekend, repousa sobre um cavalete em uma oficina da cidade, o outro P√°lio, verde garrafa, circula em Nobres sem adesivos, como se fosse propriedade particular e ve√≠culo preferencial de uma √ļnica pessoa no governo. E o barco, ser√° aonde que se encontra? Apesar de sucata, pertencem ao munic√≠pio e √© propriedade p√ļblica. Est√£o catalogados no setor de Patrim√īnio?
- Alguém para expedir Nota Oficial esclarecendo aos verdadeiros donos, o povo de Nobres? Empresta um molinete aí?

Inform√°tica
Algum t√©cnico de inform√°tica para checar as m√°quinas das reparti√ß√Ķes p√ļblicas? As p√°ginas de relacionamento social estariam sendo utilizadas para navega√ß√£o e postagens de propagandas de candidatos. Bacana, n√©? E por falar nisso, para onde foi parar a biblioteca municipal que iriam construir para substituir a que existia? Que mania de acabar com o que existe e n√£o repor no lugar.
- Quero passar um "weekend" com voc√™. Buenas, jo me voy a las √Āguas Calientes.

Sacanagem

Tem alguém por aí se apresentando como "irmão" do vereador Bacalhau e pedindo votos a outro candidato. Isso, no mínimo, soa como uma brincadeira de péssimo gosto e demonstra como algumas pessoas brincam de fazer política, disparando contra companheiros, no chamado fogo amigo. Também, na nossa fauna, os sucuris adultos "papam" os menores, da mesma espécie; na política, dizer que espécie dizima espécie não seria nada de anormal. Com um "brother" desses, pra que mais inimigos?
- Desde Caim que começou esse canhanhãim todo.

CDC (Condenado ‚Äď Devendo ‚Äď Conta)...
...que n√£o √© sua. Mais uma vez apareceu uma conta sobre conta na conta do professor. Um empr√©stimo atrav√©s de CDC, descontado na folha salarial e depois descontado pelo banco por conta de n√£o pagamento. A Prefeitura de Nobres ret√©m o valor mensal do CDC do sal√°rio do servidor, mas este valor n√£o chega ao banco que cobra do servidor, de novo! O caso √© bem de fiscaliza√ß√£o s√©ria sobre essas informa√ß√Ķes de servidores.
- O servidor t√° igual gado, sendo ferrado...

Parabéns a Você...
... por esta data... e tome cervejas, novilha na brasa e discurso de candidato. Se voc√™ j√° viu algo semelhante por a√≠, tome nota. Jeito novo de atrair as pessoas para o lado do candidato, mas as pessoas hoje andam mais ladinas que vendedor de seguro: come o churrasco, bebe a cerveja, aceita a placa na porta, pega a grana e vota em outro candidato. Pra pouca mala... bom bagageiro. Quantos anivers√°rios uma √ļnica pessoa faz num ano?
- Então tá! Inté o próximo aniversário.

Esperar Sentados
Era uma vez, numa cidade qualquer por a√≠, que antes de acabar as reuni√Ķes pol√≠ticas, um grupo corria para fazer as reservas de cervejadas e dizia: "emende as mesas, o candidato vem a√≠". Num belo dia, digo, numa bela noite, o candidato "deu a volta" no pessoal e foi pra casa, para onde encomendou petiscos e deixou o pessoal que fica na aba s√≥ aguardando. O candidato n√£o vem e mandou avisar, foi aquela chatice toda e gente com aquele sorriso amarelo, indo embora. Adivinhem de quem foi √° ideia... de mandar todos √†s favas?
- No dia 08 de outubro, pela manh√£, eu conto tudinho, desde a cidade e as pessoas.

Combustível Zero

Um √īnibus, desses que foram entregues pelo governo do Estado para Nobres, o "Yellow Buss", esteve parado na semana passada por falta de diesel, segundo uma informa√ß√£o que chegou de Bom Jardim. Realmente, o ano atual, que est√° quase no fim, t√° de lascar. Aonde vamos parar, gente? Ser√° que n√£o se pode falar nisso? A p√©ssima situa√ß√£o atingiu tamb√©m a zona rural, e n√£o √© de agora.
- T√° complicado.

Caixa Eletr√īnico
Buuuuuummmm! E l√° foi mais um caixa eletr√īnico estourado em Nobres. Esse neg√≥cio de trabalhar parece que est√° saindo de moda e a parada passou a ser bem outra... a de ganhar na moleza. Mas, em Nobres a situa√ß√£o anda t√£o repetitiva que tira at√© o ar de cidade pacata que sempre foi, sem viol√™ncia e bem calma. A ag√™ncia Sicredi, em pouco mais de 30 dias, j√° foi visitada duas vezes com explos√Ķes de terminais eletr√īnicos; e desta feita, a pouquinho mais de 500 metros de onde se realizava um vel√≥rio. Nem tentem adivinhar como funciona esse esquema de "trabalho" da rapaziada. Num raio de 20 kms., Nobres tem sido preferencialmente a city que caiu nas gra√ßas dessa gente.
- Com bom humor, diríamos: "Pega Intiligência!".

Chuviscos

Alguns pontos que cansamos de apontar aqui começam a se restabelecer em determinas ruas de Nobres onde os serviços foram mal executados e as chuvas o resgatam. À av. Mato Grosso, em frente ao Real Mini Mercado, um ponto de alagamento em plena pista pavimentada atrapalha a entrada de clientes no estabelecimento. Naquele ponto, ao menos uns 50 técnicos já foram vistoriar ali e nada de solução. À rua Almerinda, esquina com Tomé de Campos, além dos buracos, a água fica represada sobre a esquina, margem esquerda da rua Almerinda, sentido centro/São José.
- Ah! Mas l√° na Five Avenue tamb√©m √© assim... e o Tesouro norte-americano tamb√©m est√° sem fluxo de caixa. P√īrrrrra, aqui √© Nobres e os problemas est√£o aqui!

Parado
Um caminh√£o carregado de pedra britada repousaria no p√°tio de uma reparti√ß√£o do governo municipal por absoluta falta de combust√≠vel. E gente por a√≠ preocupada com uma tal de multid√Ķes. Independentemente do n√ļmero de pessoas, a multid√£o vai ser s√≥ uma j√° que √© quantidade colocada de forma coletiva. Alcat√©ia de um √ļnico lobo, algu√©m j√° viu isso? Cardume de um peixe s√≥? E por falar nisso, cresce o n√ļmero de desesperan√ßados no governo com os sal√°rios em atraso, fornecedores sem receber e o hospital conveniado sem ver a cor do dinheiro.
- O Tombador em chamas e o pessoal contando carneirinhos.

Em Chamas

O Tombador em chamas e um ex-todo poderoso curtindo √Āguas Quentes. Como se v√™, infidelidades pol√≠ticas costumam ocorrer quando o iceberg est√° se aproximando... foi assim em 1912 com aquela m√°quina feita para n√£o afundar. Modestamente, daqui do nosso ponto de observa√ß√£o, anunciamos sobre o risco de o governo abra√ßar arrivistas. E n√£o ter√° sido por falta de aviso embora algumas correntes queiram que aqui s√≥ falemos de flores.
- Vem, vamos embora que esperar não é saber...

Em Chamas II
Ami√ļde, anunciamos precau√ß√Ķes com rela√ß√£o a esse inebriante interesse por condicionadores de ar nas reparti√ß√Ķes p√ļblicas... ora se se vendesse fuma√ßa ensacada, o vendedor ou algum preposto insistiria mil vezes sobre a necessidade de o governo adquirir esse produto. Cada um vende o peixe que tem e dotar as reparti√ß√Ķes p√ļblicas de condicionadores de ar interessaria a quem? E as empresas de assessoria, quantas foram que prestaram servi√ßos que nunca passavam dos R$ 8.000,00, teto m√°ximo para evitar processos licitat√≥rios. E os pagamentos on line... foram para o infinito?
- √Āguas Calientes l√° e a press√£o aqui a mil. N√£o foi por falta de aviso.

Peixaria Ambulante
Na luta pela sobreviv√™ncia e para n√£o deixar a peteca cair, tem servidor p√ļblico vendendo o almo√ßo para refor√ßar a janta; vendendo peixe, carne de porco e tem prestador de servi√ßos ao munic√≠pio que anda com o carro puxado a reboque por absoluta falta de combust√≠vel e do dinheiro para abastecer. Entretanto, em √°guas calientes a vida est√° uma maravilha. E ainda tem gente que n√£o sabe nem 2% do que ocorreria nos bastidores pol√≠ticos e administrativos e continua a insistir que h√° um algu√©m na multid√£o. Quem deveria estar na linha de frente do tiroteio, jogou a toalha e foi veranear, enquanto uma galera insiste que vai dar.
- Atentem-se para os fatos e baixem a guarda... e o iceberg vindo na direção.

Sem Combustível
Ganhou as ruas os coment√°rios de que sem combust√≠vel os carros p√ļblicos n√£o rodam e se fosse com √°gua, tamb√©m n√£o rodaria, o caixa do governo est√° furado. De dia 10 os servidores p√ļblicos municipais esperam pelo dia 20, 21, 22, 23, 24... e at√© o 7 de outubro, que est√° batendo √† porta. Nem Picasso conseguiria retratar um panorama assim em seu quadro "O Desespero" e ainda dizem que √© dos outros o cen√°rio. Greve do funcionalismo, com algumas poucas pessoas pagas e as pessoas pregando √†s crian√ßas que n√£o haver√° mais A√ß√£o Social ano que vem. As pessoas chegam e v√£o embora, mas as institui√ß√Ķes permanecem e s√£o transit√≥rias as pessoas e seus cargos na hierarquia administrativa.
- Vinde a Mim os Pequeninos... mas contem-lhes apenas a verdade.

Sem Molhar
?
Dizem que j√° faz mais de uma semana que as ruas da Vila Bom Jardim n√£o √© molhada mais; e h√° 60 dias que o prestador dos servi√ßos n√£o v√™ a cor do dinheiro. Que √© isso? E a popula√ß√£o enfrenta a baixa umidade do ar, a poeira e os irrespir√°veis dias sem ver a cor do dinheiro dos sal√°rios por aquelas bandas. Vai chegar a hora em que pode ocorrer uma briga por um √ļnico comprimido de descongestionante nasal por aquelas bandas. Seria o "Poeira 60", uma imita√ß√£o do Poeira Zero, de Cuiab√°? Bom, falar em reservat√≥rio de √°gua numa hora dessas seria at√© inoportuno, n√£o √© mesmo?
- E pensar que oásis só existia no deserto.

T√° Esquisito

Recebemos a informa√ß√£o de que o lixo de determinadas casas na Cohab Jardim Paran√° estariam sendo deixados. Isso parece inacredit√°vel, mas estaria ocorrendo ali pelas bandas da Pra√ßa da Cohab, margem esquerda, sentido ag√™ncia da Sefaz. Seria por n√ļmero a coleta? Por acaso, aonde for n√ļmero √≠mpar, por exemplo, "n√£o apanhar o lixo". Mas... b√©√©√©√©√©√©√©√©√©√©√©, reclamava o bode.
- B√©√©√©√©√©√©√©√©¬ī... tem muda de noni, a√≠?

Confus√£o
Pesquisa é coisa séria e exige dados científicos, método de aplicabilidade e a assinatura de um profissional que trabalha com estatística, com os rigores da Justiça Eleitoral para a publicação de dados levantados. Mesmo assim, tem gente corajosa por aí, publicando resultados de sondagem eleitoral, sem registro na Justiça Eleitoral e sem se preocupar com os rigores da lei. Em 2.008, induziram uma alta patente política estadual a ler em palanque dados de suposta pesquisa, sem registro e sem nenhum método científico, resultando em nada, pelos dados apócrifos.
- Ent√£o, sem registro nada feito.

Fundo de Previdência

O parcelamento de dívidas junto ao fundo de previdência (PreviNobres) em quatro parcelas foi apenas o relativo à parte patronal e quanto ao que já foi descontado dos servidores em folha, nessa parte ninguém falou nada e tudo continua como antes, na moita, e seria a parte maior do desfalque nos créditos do fundo. E quem será que tomará partido dessa situação? Onde estão aqueles a quem cabe fiscalizar o governo? O futuro dos aposentados está comprometido e ninguém fala nada ou toma atitudes, até quando isso vai perdurar?
- O fundo vai ficar sem fundo no futuro.

Hospital/Problemas
O hospital conveniado com a Prefeitura de Nobres est√° inviabilizado e sem poder seguir adiante na presta√ß√£o de servi√ßos √† popula√ß√£o. Quem trabalha n√£o recebe; quem fornece ao hospital n√£o recebe e o caos est√° instalado. Apelar a quem? N√£o seria o caso de se instalar faixas √† porta da casa de sa√ļde para falar que n√£o tem como tocar o barco adiante sem dinheiro? Se a dire√ß√£o do hospital agir assim, com faixas e tornando p√ļblico o caos financeiro, algu√©m h√° de se mobilizar pela recupera√ß√£o financeira do nosoc√īmio. Se n√£o se atende...
- ... não tem mais pra ninguém.

Altas Somas
Tem gente dizendo por a√≠ que o munic√≠pio de Nobres deve algo em torno de R$ 6.000.000,00 na pra√ßa. Se a soma for essa, realmente, ser√° impag√°vel daqui at√© 31 de dezembro de 2012. N√£o h√° prazo al√©m desse, o √ļltimo dia do ano deste 2012, de agrad√°veis lembran√ßas; de outras, nem tanto. E por falar em valores, aonde anda o 13¬ļ sal√°rio?
- Virou capa de revista?

Vestindo Carapuças
Tem gente que anda lendo o jornal que condena e até xinga, pelo que agradecemos. E até vestindo carapuças, o que é errado quando não há referências, salvo se a identidade secreta do JGB que pinta e borda no Facebook seja a mesma daquele que vestiu a carapuça do "aborrecente". De qualquer forma, agradecemos pela leitura.
- √Č isso a√≠, priminho pobre.

Notícias da Trivelato

Agora, que a campanha pol√≠tica come√ßa a se acentuar, come√ßa a surgir not√≠cias escabrosas sobre a passagem de uma corte por l√°. E olha que as informa√ß√Ķes n√£o s√£o nada animadoras e dizem que havia um grande esquema de implanta√ß√£o de ao menos quatro empresas para operar comercialmente com o setor p√ļblico no munic√≠pio de Santa Rita do Trivelato. Well! Aqui em Nobres, s√≥ daqui mais alguns meses, se vai saber como tantas empresas de assessoria prestavam servi√ßos ao munic√≠pio e esses servi√ßos nunca ultrapassavam o valor dos R$ 8.000,00. E o pior, a gest√£o p√ļblica nunca melhorou nesse per√≠odo, da√≠, o questionamento sobre os servi√ßos. Quem ganha para fiscalizar isso n√£o fiscaliza, fazer o qu√™?
- Temos detalhes de alguns fatos de l√°, revelados recentemente.

Mandando Recado
Tem gente no governo mandando recado, tipo assim: "fulano vai ter que comprar uma passagem e se mandar de Nobres". Justo quem não é daqui e chegou em desabalada carreira, vindo de outras plagas? E o que dá a certeza para que essa ameaça seja feita? Ah! Rapaz, pega leve porque a pessoa a quem foi enviado o recado, é daqui e tem raízes aqui e não vai reagir a tais absurdos, os recadinhos marotos. Sítio do Pica-pau Amarelo... sabugo de milho é gente, escreveu Machado. Após 07 de outubro, ficarás ajoelhado, rezando sobre um grão de milho. Se tudo correr bem. Igual à parábola do grão de mostarda, né?
- Santa Rita do Trivelato, tirai o pecado deles. Amém.

Sapatadas

E seguem as botinadas em palanque nas duas coliga√ß√Ķes ou mais, onde est√£o os aspirantes a vereadores. Tanto de um lado quanto de outro, de vez em quando vem uma pernada contra um ou outro vereador. √Č como no treino de jogadores profissionais, entre reservas e titulares, √†s v√©speras de um cl√°ssico, sempre espere por uma pegada mais forte, do reserva, √© claro.
- A propósito, quem é o secretário de Obras titular?

E o Sal√°rio...
...sumiu, escafedeu-se das m√£os e das contas do funcionalismo p√ļblico. E o que √© pior, s√≥ ap√≥s 7 de setembro, se tudo correr bem l√° pelos lados das "margens pl√°cidas" do pal√°cio governista. Cartinha: "Querido Santo Expedito, sei que esta causa √© imposs√≠vel, mas, valha-nos nesta hora, minha conta de √°gua e luz est√£o atrasadas, os carn√™s est√£o s√≥ crescendo, o meu celular j√° n√£o v√™ mais cr√©dito e os b√īnus sumiram. Pode at√© ser pecado, mas n√£o t√ī nem podendo 'pendurar' mais umas cervejotas, o pessoal do boteco j√° n√£o me aguenta mais com o 'prego'. D√° uma for√ßa a√≠ pra n√≥s, para dia 10 j√° serve!".
- Como se vê, a história de "canhanhãim" é fato.

Patrocínio
Lucidalva Gomes, presidente do Sintspun, ficou sabendo que tinha algu√©m disposto a patrocinar mat√©ria ofensiva contra ela e foi saber quem era. Mas logo descobriu de quem se tratava, de um famoso "Don Juan", segundo lhe contaram; e ela, sabendo da hist√≥ria das "massas e das ma√ß√£s", guardou muni√ß√£o para contraatacar. √Č guerra? E l√° vem ela: "galopando em desafio, abrindo fendas e cobrindo vales, quem tentar seguir seu rastro, se perder√° no caminho...".
- Melhor n√£o enfrentar essa parada. √Č como diria Lionel Ritchie: "Hello, is it me you're looking for?

Badalação
Seria ofensa perguntar: "Quem paga a pajelan√ßa nos restaurantes locais onde os governistas fazem fila pra comer?". A pergunta seria feita √†quele polvo adivinh√£o, mas ele m√≥rreuuuuuu. O jeito vai ser apelar aos b√ļzios ou a alguma quiromante ou cartomante para saber quem banca essas despesas e tem gente exigente, que n√£o come se n√£o for picanha maturada. Se for para bancar preju√≠zos, a√≠ o jeito √© mandar para o lombo do contribuinte. De segunda a sexta a galera frequenta os locais badalados da city, mas vem √† d√ļvida: "ser√° que assinam nota e pronto?". V√° ver se algu√©m do governo se habilita a dar uma "cagadazinha" b√°sica no banheiro da rodovi√°ria.
- Há certos tipos de sanitários que subvertem a ordem natural e, ao invés de o elemento cagar ali... sai cagado. Aqui em Nobres, passageiro não é tudo e sifu quem quer garantir uma "xixidinha" básica.

Mensagem ou Premonição?
Uma mensagem enviada ao Poder Legislativo para solicitar aval a parcelamento de d√≠vidas em 15 meses, v√™-se no texto da mesma uma linguagem vulgar, n√£o apropriada para autoridades administrativas e pol√≠ticas. "Seria suic√≠dio exigir da Prefeitura...". Se todos os que tomassem dinheiro emprestado de banco alegassem com tal argumento, os bancos quebrariam facilmente. "Se n√£o pago, morro...". A tarefa de gastar √© muito mais c√īmoda que a de justificar que n√£o tem como pagar. Agora, imagine um dono de restaurante que fornece para a prefeitura e n√£o recebe em dia, o que ele vai dizer aos seus fornecedores? Comer e assinar nota √© bom, djimaaaaaaaaaaais, j√° pagar, fica para quando der. E se em todos os com√©rcios se visualizasse placa com os dizeres: "Vender para a Prefeitura de Nobres √© um suic√≠dio".
- Infeliz, sob todos os aspectos, essa cita√ß√£o em documento p√ļblico e sugere que algu√©m precisa se consultar com um psicanalista. "P√īrra, Sigmund, n√£o Fr√≥id com essa conversa vulgar".

Panela de Press√£o
O funcionalismo p√ļblico vive dias de amargura, sem sal√°rio em dia e ainda pressionado a cumprir tarefas que lhe fogem √† compreens√£o do que √© regime democr√°tico de direito. Ap√≥s as elei√ß√Ķes, vai ser uma tal de fuga ao psicanalista e no div√£ algu√©m dir√°: "vejo placas me perseguindo e adesivos povoam meus pensamentos". E a psicanalista, uma jovem, bela e segura, com o seu caderninho de anota√ß√Ķes, conforta: "prossiga em seu relato, mas, se sentes algum desconforto, relaxe e goze... tudo vai terminar bem. Com mais 55 sess√Ķes, os seus 'fantasmas' desaparecer√£o".
- E aquele chefe que pressiona diz: "Eu sei de tudo; Com quem andas, aonde vais; Mas eu disfar√ßo o meu ci√ļme... E fecho os olhos; Para todos os teus passos; Me enganando...". Ah! Esses deslizes.

Futebolizando
A regra √© clara, carrinho por tr√°s no futebol, √© falta grave e cart√£o vermelho. "Pelas barbas do profeta", algumas tamancadas que saem em palanque s√£o como um carrinho por tr√°s no futebol. Em palanque, em frente ao p√ļblico, um aspirante diz perto de um titular que "fulano √© corrupto, que n√£o fiscaliza, que n√£o faz nada...". Isso, dito assim, na lata, √© mais chato que aquele chato que vaga pelos pentelhos... ora pinica, ora d√° uma picadinha.
- Well! As pérolas saem em todos os palanques, é aspirante sonhando com a vaga de titular.

Penitência?
O que seria o assunto que prendia uma candidata, um servidor p√ļblico e uma outra pessoa em frente a um com√©rcio, em pleno sol das 14:00 horas, √† margem da rua? Era algo extremamente importante em discuss√£o, considerando-se o sol escaldante e a perman√™ncia debaixo dele, sob risco de insola√ß√£o, quebrando a marca dos 10 minutos. Seria por acaso a contrata√ß√£o de Tuf√£o pelo Cor√≠nthians? Ou seria a passagem de um outro tuf√£o, o Katrina, pela Am√©rica Central? Ou ser√° que falavam sobre Seedorf, o holand√™s que est√° no Botafogo? Sobre o jogo Cor√≠nthians e Botafogo n√£o era, at√© porque, n√£o teria tanta import√Ęncia assim. Tentei ao menos 55 op√ß√Ķes de adivinha√ß√£o e n√£o cheguei a nenhuma conclus√£o. Um dil√ļvio estaria fora de cogita√ß√£o, aquele barco de Noel, o que um dia foi No√©, n√£o suportaria.
- A √ļltima delas, adivinhar, por exemplo, que seria casamento de Maria... carnaval e cinzas na quinta e n√£o na quarta. Ou seria a passagem do cometa Jei Jei pela nossa √≥rbita?Sem cartazes e nem trailler, como saber do filme?

Farpas
Um rapaz, cujo computador seria o de uma entidade, usaria a rede social para satirizar e tentar anarquizar a política local. Provavelmente, não deve ser daqui e presume-se que seja um desses "aborrecentes" sem causa em busca da puberdade perdida. Adultos e jovens andam querendo saber quem seria esse que se esconde no anonimato e ainda usa uma máquina de alguém no anonimato, se acreditando o bam-bam-bam da informática ou um "hackers" cibernético. Antigamente, quando ainda não estava no ar a internet, a molecada vivia fuçando pornografia e enforcando o sabiá nas horas extras. Descobriram o Face, e agora resolveram tirar uma onda de tiranos. Por enquanto é só um... mergulhado na própria singularidade.
- Alguém para depilar a figura?Com cera ou sem cera?

Last Updated ( Tuesday, 25 September 2012 17:08 )

 

Trincheira XXII

Impasse Brabo
Os times de futebol que disputam a Copa Rural 2012 estão no impasse por conta de um regulamento que se apresenta equivocado, contra a participação de mais de três atletas "estrangeiros", ou seja, de fora da zona rural ou do municípi
















































































































































Last Updated ( Tuesday, 28 August 2012 18:44 )

Trincheira XXI

Mobilização
Os profissionais da educa√ß√£o sinalizam para o governo com uma mobiliza√ß√£o pela regulariza√ß√£o no calend√°rio de pagamento. Eles querem o cumprimento da lei, que prev√™ o pagamento at√© o quinto dia √ļtil de cada m√™s e a partir de h




































































































































































































Last Updated ( Thursday, 09 August 2012 11:28 )

Trincheira XX

Contagem Regressiva
Na base de lançamento do Sargento Canaveral (era Cabo e foi promovido) estão em contagem regressiva... ten, nine, eigth, seven, six, five, for, tree, two, one... zero, vai chegar esse instante em que alguém vai cobrar essa conta































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 25 July 2012 15:22 )

Trincheira XIX

Buracos em Profus√£o
√Ä rua Maur√≠cio Sampaio, logo ap√≥s a empresa do Marquinhos da Metal√ļrgica, os buracos est√£o em fase de crescimento no pavimento implantado em 2010 e recuperado(?) em 2011. Definitivamente, ningu√©m fiscaliza obra p√ļblica em N

















































































































































































































































































Last Updated ( Sunday, 08 July 2012 14:04 )

Page 7 of 11

TRINCHEIRA LIV

Troca de Farpas Todos estavam no mesmo barco para destronar Silval Barbosa (MDB), agora, todos se voltaram contra Pedro Taques e a união histórica entre PMDB e PFL volta a acontecer só que, com a maquiagem da mudança de nome embora os ocupantes das naus sejam os mesmos. A política mato-grossense

Raz√£o desconsiderada

O impasse gerado entre a categoria dos profissionais da Educa√ß√£o e o Executivo municipal est√° longe de terminar em Nobres. Nenhum dos dois lados cede e o prazo para que os alunos voltem a estudar est√° sendo esticado. As negocia√ß√Ķes est√£o emperradas e a crise entre educa√ß√£o e governo permane
Banner
Banner
Banner
Banner