You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

18/08/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira XIX

Buracos em Profus√£o
√Ä rua Maur√≠cio Sampaio, logo ap√≥s a empresa do Marquinhos da Metal√ļrgica, os buracos est√£o em fase de crescimento no pavimento implantado em 2010 e recuperado(?) em 2011. Definitivamente, ningu√©m fiscaliza obra p√ļblica em Nobres e o desperd√≠cio de dinheiro √© qualquer coisa absurda. Onde j√° se viu, asfalto com menos de dois anos de dura√ß√£o? S√≥ em Nobres e ningu√©m reclama. A quem compete fiscalizar as a√ß√Ķes do Executivo? A falta de fiscaliza√ß√£o pode comprometer as finan√ßas p√ļblicas com gastan√ßa desordenada de dinheiro do povo.
- S√£o Bento (de Sorocaba) que nos livre desses centro avantes que s√£o contratados para jogar no nosso time.

Buracos em Profus√£o II
Acima da C√Ęmara de Vereadores, sentido centro bairro S√£o Jos√©, o asfalto constru√≠do j√° est√° em situa√ß√£o de depauperamento na pista, entre a sede do Parlamento e a rua Almerinda, onde os buracos est√£o expostos. S√≥ as pessoas deste jornal conseguem ver os buracos, crescendo mais que praga em lavoura, e ningu√©m para reclamar, nem mesmo quem ganha para isso. A empresa que realizou os servi√ßos nunca foi acionada para recuperar o que fez ou o que deixou de fazer. Teve um secret√°rio, que prometeu acionar a empresa na Justi√ßa, mas, tadinho, da missa ele n√£o sabe nem a metade.
- Vale lembrar, o TFC (Tabajara Futebol Clube) acaba de dispensar o centro avante, n√£o faz gol... mas nem que chupe manga com febre.

Sem Buracos
Por aqui, sem a necessidade de orar por Nobres, milagres acontecem e um deles está bem abaixo dos nossos narizes, é preciso reconhecer. O trechinho de asfalto, entre a casa de Gilmarzinho e a famosa Av. Marechal Rondon, há anos que não tem um buraco sequer e foi construído na gestão de Devair Valim. Não por acaso, Devair anda anunciando que agora tudo vai mudar e é ele quem vai mandar (viu, até rimou!). De que adianta anunciar centenas de metros de asfalto, desses que não duram um ano e meio? De professor novo, se esses alunos não aprenderem nada, manda embora, do goleiro ao centro avante. Seria ofensa a algum corintiano, comparar o professor Devair ao professor Tite?
- Professor, troca o centro avante por um beque que joga na sobra, empatar já terá sido bom demais. Mas, cuidado com Baianninho entrando pela diagonal para desestabilizar a linha de três beques.

Rodovi√°ria
A esta√ß√£o rodovi√°ria de Nobres, nem t√£o digna assim se comparada com um barrac√£o de estacionamento de m√°quinas agr√≠colas de qualquer fazenda de n√≠vel m√©dio, est√° sem guardas, sem infraestrutura vi√°ria no seu entorno e "invicta" ainda, j√° que n√£o foi melhorada desde quando foi entregue, h√° 18 anos. O guarda de patrim√īnio foi transferido para uma certa resid√™ncia para zelar pelos patos, marrecos e gansos l√° existentes. Seria absurdo, mas √© o c√ļmulo do absurdo essa transfer√™ncia.
- Ops! Cuidado aí, seu guarda, acende a lanterna, se não você vai pisar nas fezes de patos espalhadas por aí. Ninguém merece.

Nomenclaturas
Nobres é mesmo a capital dos exageros e só perde para Itu, em Sampa. As nomenclaturas que são criadas por aqui são dimensionadas ao extremo, por exemplo, tapa-buracos, aqui se diz "recapeamento". Só faltou dizer "mega-recapeamento". Não é qualquer centro-avante que faz um gol de placa assim, merece até busto na praça, com direito a gastar luz para ver quem é. No show de 30 de abril, menos de 10.000 pessoas dentro do estádio e dizia-se que passavam dos 18.000 presentes. Gigantesca ilusão. De real, mesmo, só aquele 'capotamento' à saída do trapézio, digo, do camarote vip.
- Eita uisquinho ruim, no dia seguinte, era só dor de cabeça e gente vendo "carroças voadoras". Enquanto os cães ladram, a carroça voa... de volta pra casa.

Reparando
Nem deu tempo para pintar o centro comunit√°rio antes da sua inaugura√ß√£o e a pintura est√° sendo feita agora, ap√≥s a conven√ß√£o do DEM. O Centro Comunit√°rio resgatado √© uma conquista do ex-vereador Dena, gra√ßas a sua coragem de denunciar erros administrativos grotescos nas obras de constru√ß√£o do trevo nas proximidades da Emal. Pela sua luta, Dena n√£o ganhou nem um muito obrigado e olha que foram 500 mil reais "repatriados" atrav√©s de a√ß√£o judicial. E quem foi estrear as instala√ß√Ķes recuperadas? O velho PFL que foi governo entre 1997 a 2000 em Nobres.
- Sabe, por vezes esse papo de se escrever certo por linhas tortas, o tempo acaba por confirmar a tese, vide a convenção do ex-PFL naquele local. Viejas recordaciones estan de volta.

Reparando II
H√° qualquer coisa no ar bastante suspeita e dizem que onde h√° fuma√ßa √© por que o Botafogo j√° passou ali. De uns meses para c√°, se come√ßou a falar muito em agiota e uma pessoa que est√° infiltrada entre os governistas passou a dar a ficha de servidor p√ļblico "atolado" com cheques na agiotagem. Ningu√©m ousou dizer quem e nem por que essa troca de cheque por dinheiro, mas tem a ver com Nobres e √© de Nobres que estamos falando. O infiltrado deu at√© o nome da factoring e quem levou esse algu√©m l√°.
- Mas, o que teria a ver cofre particular com o er√°rio? Dizem que todo er√°rio √© p√ļblico, ser√° mesmo? Se algu√©m disser er√°rio p√ļblico seria apenas uma for√ßa de express√£o. Factoring √© uma empresa de fomento mercantil e atrav√©s desta se mercantiliza vontades. "Je compreend".

Má Notícia
Encerrada recentemente, a enquete que estava no s√≠tio Portal Nobres apresentou resultado nada surpreendente. Tenho guardado aqui nos meus arquivos de mem√≥ria, na pasta "retina", gravados os n√ļmeros. Como n√£o levo jeito para mestre do suspense, digo que...
- ... a seguir cenas dos próximos capítulos da minissérie "O Titanic vai afundar de novo", sem Leonardo Di Caprio. "Oh! Mon Dieux... e os agiotas, quebrarão?".

Sonho de √ćcaro
Ao n√£o se precisar mais das porteiras que se abrem ao acesso para o Morro do "Vai-Quem-Quer", como se dar√° o acesso ao alto? O parapente √© um instrumento esportivo de voo que come√ßa como uma coliga√ß√£o pol√≠tica, sempre de cima para baixo. Mesmo √ćcaro, para dar realidade ao seu sonho, tentou uma asa de cera e o ponto de partida n√£o √© igual ao de um helic√≥ptero, de baixo para cima. Chegar ao morro atrav√©s das asas de um beija-flor pode ser a sa√≠da, mas vale avisar, a capacidade de peso √© bastante limitada.
- Onde est√° a surpresa?

Viajando
A r√°pida aprova√ß√£o do projeto de lei que cria a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer para Nobres tem a ver com uma conex√£o com ningu√©m menos que Joseph Blatter, presidente da Fifa, que, supostamente, repassar√° recursos da Copa do Mundo para Nobres, segundo aludiu um vereador. Deixa Blatter saber disso. Se brincar, nem Carlos Orione sabe que em Nobres tem essa tal Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. Como j√° temos a faculdade em Nobres, esse dinheiro da Fifa servir√° para treinar o futuro time da LUN (Liga Universit√°ria Nobrense) que vai disputar a Ta√ßa Libertadores da Am√©rica quando o Cor√≠nthians se igualar ao Santos FC em n√ļmero de t√≠tulos mundiais.
- Alguém acha que não demora? Então, puxe uma cadeira, sente e espere por Joseph Blatter saber que Nobres existe. E lá se vão mais 102 anos.

Desinformação
Onde está escrito que não se pode falar sobre a PreviNobres? O fundo de previdência tem algum proprietário? O que está escrito na nota abaixo, para quem ainda não leu, trata-se da gestão do fundo do ano de 1997, e ainda assim, ninguém está proibido de mencionar algo sobre esse órgão da administração indireta, que tem conselho fiscal e membros. Até agora não vimos ninguém que pertença ao conselho gestor reclamar do que é realidade e ocorreu há pelo menos 15 anos atrás.
- Ditadura, já vai longe esse tempo. Está no site Midia News a lista contendo 362 nomes, na qual está o nome do ex-diretor, inserido à página 14.

Alguém Se Lembra?
Um t√©cnico gabaritado na √°rea administrativa, Mauro Vieira Baldini, 15 anos depois ainda continua com o nome inserido no cadastro negativo do TCE e sem condi√ß√Ķes de disputar mandato eletivo, caso queira. Ele era o diretor Executivo da Previ Nobres √† √©poca em que perto de R$ 300.000,00 foram sacados do fundo a t√≠tulo de empr√©stimo e nunca mais devolvido. Quem paga essa conta √© o funcionalismo p√ļblico, desde quando o percentual de contribui√ß√£o foi alterado, de 9% para 11% para recompor as perdas com o rombo nas contas do fundo. Os servidores p√ļblicos precisam entender que o patrim√īnio p√ļblico pertence a eles, ao povo e que prefeito e secret√°rios s√£o meros gerentes da coisa p√ļblica ocupando cargos meramente transit√≥rios.
- Teve servidor p√ļblico que avalizou empr√©stimo para pol√≠tico e este at√© hoje n√£o pagou. Cuidem-se, caros servidores, para que ningu√©m se torne um ficha suja por conta de governos transit√≥rios.

Alguém Se Lembra? II
No passado, teve gente ligada à política que não tinha nem como abastecer a despensa, ainda que minimamente, e os amigos daquele período bancavam as despesas de comida da figura. E o que aconteceu? Por essa ação, tornaram-se renegados na aldeia, nossa, de cada dia. Quem providenciou o terno para a posse de um certo político local? Também foi renegado. Os avalistas do tal político até hoje ainda amargam o prejuízo e estão "pendurados" no banco sem poder realizar transação financeira. A nossa sorte é que esse fato aconteceu no Arkansas, na terra do Tio Sam, e não nos pertence.
- Alguém para experimentar essa carapuça? Ah! Deixa pra lá, o alcance do jornal não chega nem até o Pindura, não é mesmo KT, digo, Kitaro Tamayura?

Memória Viva
Ainda não deixou a pasta principal do nosso banco de memórias as cenas dolorosas causadas após o infausto acontecimento que vitimou um garoto que nem bem aprendia a entender o que é a vida e foi tragado pela morte ainda em plena liberdade, rumo à escola. Além da fatalidade, se lamenta as cenas do mais puro oportunismo de um batalhão político cercando o ambiente onde se procedia a transferência do acidentado para a aeronave. Gente da área administrativa, da área do maior gasto visto até hoje em Nobres com aparelhos de ar condicionado, enfim, quem não tinha nada a ver com a dura realidade daquele momento, estava por perto.
- Mas v√° ver quem realmente estava ali para ajudar? A pergunta √©: mandaram consertar a porta traseira da ambul√Ęncia?Que vexame.

Perdemos a Piada
Ao menos os amigos ficam preservados ap√≥s a conquista do Cor√≠nthians sobre o Boca Juniors da Argentina, dia 4 de julho, √† noite, no Pacaemb√ļ. Criada em 1960, a Ta√ßa Libertadores de Am√©rica era um dos √ļnicos t√≠tulos n√£o conquistados pelo Cor√≠nthians, que servia de goza√ß√£o e nas p√°ginas de relacionamento na internet, haja piada em cima da maior torcida do Brasil. Como o maior nem sempre √© o melhor, as piadas eram m√ļltiplas, faltando agora um Mundial Interclubes, que poucos times no Brasil tem. Como eles s√£o fan√°ticos, sempre vai faltar alguma coisa a eles.
- Mas estão de parabéns, pela conquista e por conseguirem se livrar das piadas.

Imprópria Para Menores
Quem esteve na reunião legislativa da noite de 29 de junho foi Mozal Xavier e uma vez lá, roubou a cena, devidamente "trincado". Pré anunciou o nome dos seus candidatos (a vereador e a prefeito), mas prometeu outros votos. Além do próprio voto, Mozal ofereceu mais um seis votos na urna a outro vereador, "mas meu voto é de J...", disse.
- Bateu e depois assoprou.

Dó, Ré, Mi...
A oposi√ß√£o ser√° tratada como "desesperada" pelo tom musical a ser dado na campanha da situa√ß√£o e adivinha quem dirige a orquestra. Ele mesmo, o vendedor de "panelas" furadas de 2.008. A oposi√ß√£o dir√°: "√Č mentiraaaaaa!". Mas, a oposi√ß√£o em Nobres estaria desesperada, mesmo? Em uma batalha como a que se avizinha, manter o poder √© que leva ao desespero, j√° que o inimigo avan√ßa para "tomar" o QG do inimigo.
- Maestro, o violino, lá do fundo, não é um Stradivarius e seu tom está desafinado. A nota que sai é só a Ré... e o risco é um quibe pela retaguarda. Traduzindo: Ré no quibe é sempre uma estratégia arriscada.

"Merchan"
Aguardar pelo chefe à porta do banco, enquanto ele (lá dentro) realiza uma operação financeira ou faz um saque jornada nas estrelas... "não tem preço". Ontem (03/07), à porta de um banco, quem está escalado para o grande jogo de 07 de outubro, aguardava por boas notícias que o "chefe" traria de dentro da casa de créditos (e de débitos, também). Saiu o prêmio, digo, o bicho adiantado.
- Trinta dinheiros pela venda do templo que será derribado e em três dias estará em pé novamente.

Campe√£o de Votos
H√° mais de uma d√©cada atr√°s, um ilustre desconhecido dos nobrenses obteve mais de 1.000 votos na regi√£o da Coqueiral ap√≥s a entrega de um trator √†quelas comunidades. Luiz Em√≠dio Dantas faleceu dia 03 de julho de 2012, em C√°ceres, aos 59 anos, v√≠tima de c√Ęncer. Foi ele o surpreendente votado na regi√£o rural. Recentemente, tinha um l√≠der rural que pretendia ganhar um caminh√£o de um candidato l√° na zona rural. Esse tipo de negocia√ß√£o, em que se oferece vantagem para se ter aliados coloca a situa√ß√£o do munic√≠pio em risco.
- Cooptar aliados atrav√©s de contratos p√ļblicos, √© legal?

Relatividade
O que teria a ver um m√©dico com um mec√Ęnico? Salvo as necessidades de um e outro: do mec√Ęnico precisar do m√©dico e do m√©dico necessitar de um mec√Ęnico para consertar o carro, as semelhan√ßas se encerram por a√≠. Realmente, desta vez √© o m√©dico quem est√° precisando de um mec√Ęnico... para mandar consertar a porta traseira da ambul√Ęncia que em uma emerg√™ncia levou ao menos 10 minutos para abrir. E quando era mais preciso de agilidade, eis que a porta emperra, bem ao lado do helic√≥ptero. N√£o adianta a alta c√ļpula do governo cercar o ambiente em operacionaliza√ß√£o pela tripula√ß√£o da aeronave se a porta traseira da ambul√Ęncia nos envergonha a todos, entre mun√≠cipes e governistas.
- O que fazer se o jogador de futebol n√£o sabe nada de bola? Se o seu pedreiro come√ßar a obra da sua casa pelo telhado, desconfie dele, essa t√©cnica ainda n√£o nos pertence. Vou "risca" l√° pr√° Capela do Pi√ßarr√£o, em Vaj√ļ e diz√™: "Pesso√°, oc√™s me mata de vergonha".

Esquina/ Attencion
N√£o ter√° sido por falta de aviso, caso ocorra um acidente nas proximidades da esquina mais famosa de Nobres. Depois daquele dique colocado em frente √† feira, onde a √°gua da enxurrada represava e entrava, casas adentro, tiraram a barreira, de codinome "quebra-molas". Lembram-se? Tudo aqui √© esquecido na velocidade da luz. Bem, falta agora resolver o problema no novo "Tri√Ęngulo das Bermudas", implantando ali um redutor de velocidades ou um quebra-molas menos monstruoso e ineficiente que aquele foi banido. Nem na Holanda, a terra dos diques, se viu obra t√£o eficiente para "travar" √°guas pluviais (tem gente que fala galeria fluvial).
- Minhas notas em Geografia n√£o eram t√£o decepcionantes, com a nota 5 voc√™ passa "raspeano", dependendo dos efl√ļvios do professor. De toda sorte que tenho cora√ß√£o de estudante, clonado e transplantado por concess√£o de Milton, nascido nas Minas Gerais.

Campanha
Vem aí, a campanha: "menos peixe na telha e mais atitude". Aonde já se viu, taxar cada aluno em R$ 2,00, a título de tirar fotocópias na maior escola da cidade. Realmente, chegamos ao fim da picada e ainda tem gente que aprova isso, essa "revolução" educacional de taxar famílias como se estas já não pagassem impostos para a receita da educação. A propósito, bastou sair reclamação aqui sobre a falta de ar condicionado na creche improvisada que providências foram tomadas. Lisonjeia-nos, o respeito aos profissionais daquele setor e para com as crianças, nada além disso.
- Isso é comer sardinha e arrotar camarão, não?Ao invés do peixe na telha, por que não uma xerocadora?

Visita
Indiferente a onda de fofocas a seu respeito, o vice prefeito Ismael Baraviera segue a sua vida de trabalho e de compromisso com a sua família. Diz-se dele, que estaria de volta aos braços do governo, o que se nos parece um boato bastante frágil para o tamanho do homem, não na sua compleição física, mas no que ele tem de sobra, o respeito aos princípios e valores. Em 2010, o ex-prefeito Devair Valim de Melo, líder do DEM, apontava, em entrevista a este jornal, que Ismael Baraviera estaria sendo "fritado" dentro do governo. Dito e comprovado, o processo de fritura chegou ao ápice através da substituição de Ismael Baraviera por outro e tudo piorou.
- Realmente, nas suas entrevistas passadas, Devair acabou por criar um monte de obstáculos ao seu projeto atual, de permanecer como o centro do universo político local, mesmo sem mandato, há pelos 11 anos, seis meses e três dias. Ou seja, de 31 de dezembro de 2000, até esta trigésima primeira semana de 2012.

Cachorrada
A quantidade de c√£es soltos nas ruas do bairro S√£o Jos√© √© proporcional √† quantidade de fezes espalhadas por cal√ßadas e locais onde eles circulam. O caso √© de sa√ļde p√ļblica e h√° pelo menos uns cinco anos algu√©m ganha da prefeitura para executar esses servi√ßos sem ter local apropriado para a "guarda" desses animais que teriam que ser coletados nas ruas. A fun√ß√£o de coletor de animais √© uma afronta √† intelig√™ncia das pessoas, mas persiste, h√° anos. Enquanto isso, o que se v√™ √© uma cachorrada s√≥ a praticar sexo ao ar livre... vem mais uma safra de c√£es vadios por a√≠.
- E sabe como são os cachorros, brincando aqui ou acolá, "papam" até a mãe.

"Operação Tartaruga"
H√° diversas hip√≥teses para um mesmo fato em rela√ß√£o as obras de reformas do posto de sa√ļde central, ou est√£o sem receber e de outro entendimento aguardam por um termo aditivo, muito comum nos dias modernos para aumentar o custo da obra. O pessoal contratado trabalha um dia e ficam dois parados. A hip√≥tese mais aventada √© a de que o dinheiro anda mais curto que coice de jabuti, ao menos para as obras. A ordem agora √© "enrolar" e arrolar os fornecedores na empreitada.
- E a "operação tartaruga" segue e o dinheiro só em capas de revistas ou na tevê.

T√ī Por Dentro
Desde 2.009, que se pregava o uso correto do contrato com a emissora de r√°dio, ao inv√©s daquelas enfadonhas e hil√°rias entrevistas ao vivo. Finalmente, encontrou-se um formato de informa√ß√Ķes que condiz com a realidade, a da informa√ß√£o institucional e n√£o com a inten√ß√£o de fazer de um contrato p√ļblico um palanque. "Fique por Dentro" √© a forma correta de se mostrar o que faz o governo e n√£o os governantes, figuras transit√≥rias dentro do universo local. A cria√ß√£o e a apresenta√ß√£o tem a ver com a apresentadora e sua equipe. Aline Wendpap, parab√©ns e sucesso.
- Informa√ß√£o institucional, esse √© o car√°ter do setor. H√° outras formas de "aparecer", por exemplo, mastigar semente de pequi em pra√ßa p√ļblica.

Semelhanças
Títulos de matérias com semelhanças embora uma tenha sido no início da manhã e a outra perto do meio do dia, estranho não? Nada que assuste, até porque, este sítio tem pautado o trabalho de alguns colegas locais por ser referência. Como não se trata de um caminhão cheinho de japoneses, um brasileirinho no meio faz a diferença. Mas é possível entender a tese de um ex-vereador, que costumava repetir uma citação bem conhecida que diz: "Nada se cria, tudo se copia".
- Bem, a pauta de hoje é... anotar o cardápio do vizinho.

Chateado
O vereador Joel J√ļnior demonstra insatisfa√ß√£o ao saber que seu nome foi preterido da lista de integrantes do Diret√≥rio com direito a voto. No s√°bado, ap√≥s as conven√ß√Ķes do seu partido, falava cobras e lagartos a respeito dessa posi√ß√£o partid√°ria, de alij√°-lo da lista, apesar do perfil apresentado por ele durante a reuni√£o legislativa realizada na noite de 29 de junho, de ter sido um bom vereador e de ser partid√°rio.
- Esqueceram de Mim, esse filme já é repetido.

Sobrenatural?
Disseram, dia desses, nos corredores palacianos que Devair Valim seria um fen√īmeno, por conseguir reverter quadro de desgaste do governo na √°rea rural em uma semana. Se algu√©m disse isso, presume-se que seja uma pessoa que esteja querendo valorizar o passe, j√° que na zona rural as comunidades e as pessoas ali perderam o encanto com o governo, ainda que surja a tal "TransCoqueiral", estrada que cortar√° o PA Coqueiral/Queb√≥ de ponta a ponta. Fenomenal esse "sambarilove" contado, como se Devair fosse o "dono" do feudo rural, com poder de "mandar" no voto das pessoas.
- Vistas e ouvidas de perto, as pessoas derrubam o mito, o fen√īmeno, o sobrenatural e o que mais se inventar. √Č..., o povo anda ladino demais.

Vision√°rio
A sabedoria popular √© qualquer coisa admir√°vel e isso se confirma quando algu√©m ouve a voz da experi√™ncia. O mineiro Adilto Guerra, da Roda d'√Āgua, f√£ de Juscelino Kubitschek, √© algu√©m que realmente tem pensamento pol√≠tico gerado a partir da experi√™ncia, de vida e de lutas pol√≠ticas. Guerra e Arnaldo Pereira tem convic√ß√Ķes pol√≠ticas semelhantes e um dedinho de prosa com essas pessoas acrescenta muito. Guerra entende que a na√ß√£o come√ßa nos munic√≠pios, entretanto, a gera√ß√£o de receita √© endere√ßada a Uni√£o que devolve muito mal os recursos aos munic√≠pios com a utiliza√ß√£o dos deputados (federais e estaduais) e senadores como intermediadores dessa opera√ß√£o, equivocada e desgastante aos entes municipais.
- S√£o opini√Ķes de quem tem a vida calejada pelo trabalho e pela a√ß√£o do tempo, mas figuras respeit√°veis e sensacionais.

Salvo Pelo Gongo
Nosso leitor e conhecido de muitos anos, Daniel de Oliveira Leite, da Roda d'√Āgua, chegou bem na horinha em que o Democratas estava por ceder aos apelos do ex-deputado de tr√™s mandatos, Cec√≠lio de Jesus Gaeta, que desejava candidatura pr√≥pria a prefeito pelo DEM. Seu Daniel foi o 17¬į votante e se demorasse mais um pouquinho teria melado o acerto entre Devair Valim e os governistas por coliga√ß√£o entre PP e DEM.
- O gongo soou no 17¬ļ round, evitando de Jesus Gaeta mandar Devair Valim √† lona.

Comunicado Lun√°tico
Um email de S√£o Jorge, o ca√ßador de drag√Ķes, direto da Lua, pede informa√ß√Ķes sobre esse recapeamento que est√° sendo realizado em Nobres, visto l√° do alto, os lun√°ticos acharam uma maravilha e querem realizar uma mega opera√ß√£o tapa-buracos em solo lunar. S√£o Jorge, como se sabe, √© corintiano, √© quer tapar o "Boca" da oposi√ß√£o por l√° com uma opera√ß√£o dessas, mas n√£o abre m√£o de copiar de Nobres essa tecnologia, mesmo que o pessoal da Nasa insista que isso pode influenciar no clima aqui na terra. Segundo S√£o Jorge, ele e seu cavalo j√° ca√≠ram em v√°rios buracos por l√°. Mas o curioso √© que S√£o Jorge falou que l√° na Lua tamb√©m tem um bairro chamado S√£o Jos√© e disseram a ele: "ent√£o √© o que vemos daqui, por telesc√≥pio. Nossa, S√£o Jorge, mas s√£o muitos buracos nesse bairro, n√£o?".
- Ele respondeu, imitando o Faust√£o: "Coisa de louco".

Balancetes/Procura-se
E l√° se vai o sexto m√™s de 2012 e at√© agora ningu√©m reclamou dos balancetes de abril e maio que n√£o foram remetidos ao Legislativo. Realmente, a palavra de ordem agora √© reelei√ß√£o, como se tudo se resumisse no futuro e o presente est√° entregue aos des√≠gnios do Poder Executivo. Nas elei√ß√Ķes de 2.008, todos viram no que terminou a farra e no que resultou a faxina. Deu hoje, no programa policial "Cadeia Neles", que Nobres vive uma gest√£o fantasma e tome poeira nos olhos dos moradores do Jardim Petr√≥polis. Quem est√° fora de Nobres tem uma vis√£o mais ampla do que ocorre aqui, o que corrobora com a cita√ß√£o sobre a invisibilidade por conveni√™ncia.
- Um fiscal sem nada para fiscalizar é como um açougueiro sem vaca, tal e qual um beija flor sem bico e as abelhas sem as flores. A enxada, quanto mais estanque, maiores serão as suas partes tomadas pela ferrugem.

Esc√Ęndalo dos CDC's
Em qualquer lugar deste pa√≠s, a apropria√ß√£o ind√©bita seria um esc√Ęndalo, em Nobres √© como tomar doce das m√£os de crian√ßa... a rea√ß√£o √© quase nula. N√£o fosse o Coordenador de Controle Interno, Alysson Ferreira de Oliveira, isso aqui pareceria mais um jardim da inf√Ęncia, onde as puerilidades embalam as brincadeiras. A coisa p√ļblica em Nobres √© tratada como se fosse uma brincadeira de roda... ao menos na brincadeira de roda se verifica um constante movimento. Nunca se viu tanta permissividade como nestes √ļltimos dois anos. Se desenvolver para crescer for assim, deixem-nos ao sabor do vento. A vida em Nobres √© s√≥ baladas, rodadas de u√≠sque e os cambaleantes momentos que antecedem o dar com a "fu√ßa" no parquinho dos su√≠nos.
- Em Sodoma, tirando o seu da reta, deixa entrar o resto.

Pintou um Clima
Depois do apoio confirmado do PMDB aos governistas, teve gente que saiu dizendo que não tem pra mais ninguém. Dentro do governo, há quem ache que seja tarefa árdua carregar quem não tem nem cacoete de político e que mal cumprimenta as pessoas. Seria apenas isso? E as pilhas de notas empenhos onde ninguém consegue receber? E os boatos de que no ano que vem terá reforma administrativa para comportar novos aliados? Reforma administrativa é uma necessidade, mas primeiro precisa superar o alto grau de rejeição do governo e depois pensar no amanhã.
- As √°guas v√£o rolar aqui em Sodoma.

Repetecos
O vereador Silvestre Campos (PR) apresentou, pela sexta vez consecutiva, indica√ß√£o ao governo municipal para que coloque bancos de concreto ou de madeira no ponto de t√°xi em frente ao Supermercado Moraes. Os tocos de √°rvores que est√° l√° s√£o duros e desconfort√°veis. Seis vezes fazendo o mesmo pedido e sem solu√ß√£o, tal e qual a ambul√Ęncia, que nunca saiu do papel em tr√™s anos e meio; √© muito descaso para com um vereador.
- E lá se vai o mandato de quatro anos e a credibilidade nos políticos em baixa.

D√ļvidas
O ex-prefeito Devair Valim, de Nobres, √© mesmo o maior frequentador desta coluna ao longo dos √ļltimos 20 anos e √© o campe√£o das pol√™micas. Durante a conven√ß√£o do PMDB, dia 28 de junho (ontem), usou da palavra para justificar a desist√™ncia do ent√£o candidato Das Neves ao revelar que o peemedebista patinava nos 10% nas inten√ß√Ķes de votos em pesquisa feita. Mas que pesquisa? Al√©m de pol√™mico, o ex-prefeito √© contradit√≥rio e revelou que o virtual candidato Gilmarzinho teria 29% na pesquisa anunciada por ele, enquanto que o prefeito Z√© Carlos teria 22%. A contradi√ß√£o √© parte do repert√≥rio de Devair Valim e isso ficou claro quando disse, no s√°bado (23/06), ao pr√≥prio Gilmarzinho, que seria poss√≠vel reverter os mais de 50 pontos porcentuais dele (Gilmarzinho) em rela√ß√£o ao prefeito atual. "Se as elei√ß√Ķes fossem hoje, voc√™ ganharia disparado", disse Valim a Gilmarzinho e a mais tr√™s pessoas.
- Esse é um dos pontos que abalam a credibilidade desse político, cujo nome frequentará as rodas de boatos por mais uns 20 anos futuros, intercalando os seus ditos entre verdades e mentiras.

Anota√ß√Ķes
O presidente do PMDB municipal, Jos√© das Neves de Almeida, declinou da candidatura e deixou atr√°s de si uma s√©rie de palavras atiradas ao vento que dep√Ķe contra si. A primeira delas foi √† distribui√ß√£o de documentos que apontavam o contrato da empresa de Leocir com a Prefeitura de Nobres para sustentar a sua pr√≥pria candidatura. Numa segunda empreitada, mostrou c√≥pia de p√°gina do Di√°rio Oficial em que aparecia desincompatibilizado, tamb√©m para sustentar a candidatura. Na terceira vez, disse a diretora do jornal local, dia 11 de junho, por voltas das 13:30 horas, que n√£o iria se aliar a essa "............". Cita√ß√£o impublic√°vel e ofensiva. Bem antes, disse que Pre√° poderia at√© "vender", mas ele n√£o entregaria o produto.
- Vender o quê? Pecou no muito falar para tudo terminar no que se viu.

Anota√ß√Ķes II
Em dezembro de 2010, Das Neves gastava sola de sapato pedindo votos para uma candidata √† diretora da Escola "Dalci" e cruzou com o prefeito, que teria prometido ajuda incondicional para "derrubar" Magal. No dia da elei√ß√£o, saiu da Prefeitura de Nobres toda estrutura de apoio a Magal contra a candidata de Das Neves. Bem, mais isso s√£o √°guas passadas, vamos em frente j√° que atr√°s vem gente. Pol√≠tica √© mesmo a arte de engolir sapos, por exemplo, as pr√©vias realizadas na Roda d'√Āgua e em Bom Jardim, que acabam de ser ignoradas.
- Quem acaba mal, mesmo, s√£o os avalistas.

Vamos Respeitar
As pr√©vias realizadas recentemente na Roda d'√Āgua, acredita-se que ser√£o mantidos os resultados e o acordo entre cavalheiros. Qualquer coisa fora desse sentido pode atrapalhar a quem resolver "furar" a fila. Nada de anormal, apenas rompimento de acordo e risco de isolamento, mas se algu√©m quiser tentar, boa sorte. Mas que √© feio, isso, l√° √©.
- Int√© o dia 07 de outubro, ap√≥s a divulga√ß√£o do resultado. √Č fria.

Votos...
...vendo, no atacado e no varejo. Calma, gente √© apenas uma compara√ß√£o com as falsas lideran√ßas pol√≠ticas, dessas que "vendem" as pessoas sem nem elas saberem. √Č como se os eleitores fossem bois no curral e o "dono" dos bois acerta com o comprador e resolve o seu problema e os "bois" (sem nomes) v√£o parar nas urnas, digo, currais, dos outros. O l√≠der partid√°rio e at√© quem n√£o √© p√īrra nenhuma na ordem do dia, vem para a cidade, faz acerto e "vende" os seus(sic) eleitores para outro pol√≠tico. √Č a chamada "transfer√™ncia de dom√≠nio eleitoral", como se perdurasse por aqui o sistema de capitanias heredit√°rias. H√° um lado que s√≥ lucra com isso, j√° que consegue vantagens, consegue empregos para parentes e o eleitor fica chupando dedo.
- Preste muita aten√ß√£o nisso caro eleitor(a). A manobra √© denominada como sendo esp√ļria. N√£o aceite que ningu√©m "transfira" o seu voto ou fale em seu nome. Duvido que algu√©m encontre um eleitor que n√£o saiba disso na Coqueiral inteirinha.

Histórias Passadas
Essa pergunta n√£o constava do concurso p√ļblico, mas tamb√©m n√£o √© dif√≠cil de responder: "Voc√™ sabe quem foi o pol√≠tico que disse que o eleitor √© igual a porco e bastaria bater no cocho que ele vem?". J√° sabe? Ent√£o t√°. E qual a diferen√ßa entre esse pol√≠tico e aquele que faz o "acerto" e usa os eleitores como moeda de troca, de barganha ou escambo, como queira? "Transfer√™ncia de dom√≠nio eleitoral", que cita√ß√£o mais chique, mas isso, trocado em mi√ļdos, √© menosprezo √† intelig√™ncia, de quem aceita e de quem acredita em dom√≠nio sobre o voto das pessoas. Tem gente apostando alto em transfer√™ncia de voto das pessoas, n√£o caia nessa manobra. O voto √© √ļnico, indivis√≠vel e intransfer√≠vel.
- Não acredite mais em coronelismo político e nem em transferência de voto. Respeite e seja respeitado, caro eleitor.

Evasivas I
A situa√ß√£o ou os ocupantes do governo est√£o mal de articula√ß√£o e sofrem do muito falar de algumas pessoas. Isso √© p√©ssimo para o governo, mas fala-se por a√≠. Na zona rural, tem sido comum as pessoas ouvirem da parte de um famoso interlocutor do governo os seguintes dizeres: "pode deixar, ele (quem?) n√£o far√° mais cagadas, quem est√° mandando sou eu e quem mandar√° sou eu". Isso √© p√©ssimo para todo o governo e dep√Ķe contra a lideran√ßa do chefe. N√£o diga isso, ex-prefeito n√£o manda nada, seo menino, e mandar mais que aquele que foi votado √© ruim, n√©?
- Na zona rural, quem está mais por fora, já fala inglês, espanhol e português, estando mais politizado que muita gente que mora na cidade. Chega de mentira.

Evasivas II
O ex-vereador Edison Luiz Pinto, talvez um dos políticos mais experientes de Nobres, é o guru do prefeito atual, mas já foi o urubu do governo entre 1995 a 1996, quando chegou a presidente e ganhou o apelido. Como guru ele anda jogando pedras no telhado do governo quando diz que ao conquistar o segundo mandato "o prefeito vai trocar quase todos os seus secretários". Isso equivale dizer que aquele que pede votos hoje, amanhã é um futuro cidadão que vai enxergar com os olhos dos outros... o olho da rua. Isso foi pronunciado hoje (28/06/12), pela manhã, no escritório deste jornal, quando da visita do ilustre ex-presidente do Legislativo.
- E para que ningu√©m alegue ignor√Ęncia no futuro, est√° dado o recado.

Evasivas III
Como bom guru e bom investigador, Pereá, sabe quem é o autor daquele panfleto, jogado às ruas em 13 de maio de 2010. Esse é um dos que estariam na lista de dispensas do prefeito, caso ele conquiste um segundo mandato? Sendo assim, é bom observar como pode se agir daqui pra frente, quando o cargo está na marca da cal. Governo que se preze não pode prescindir de um guru assim, que dá a dica e até prevê quedas de assessores. Já fazia um bom tempo que não recebíamos uma visita tão esclarecedora e, ainda, segundo o guru, o atual governante não vai ter adversário, vai concorrer sozinho.
- Isso porque esqueceu a sua bola de cristal em casa, lá no Brejinho. Prefiro botar fé nos quadrinhos... aprende-se mais com Tex e o seu companheiro, o Tonto.

Novidade
O empres√°rio Leocir Hanel volta a ter o nome frequentando as rodas de especula√ß√Ķes como o prov√°vel vice do prefeito Jos√© Carlos da Silva. Um convencional da ala tucana derrotada foi quem comentou essa possibilidade, em alto e bom som no s√°bado, 23 de junho, pela manh√£. Bem essa novidade, caso seja realidade, pode abalar o prest√≠gio de Das Neves e h√° de se perguntar, e o PSC, que rumo tomar√°? S√°bado, at√© o fim da tarde, mais essa curiosidade cessar√° e no dia 02 de julho vem outra fase, n√£o menos empolgante, o registro das candidaturas. Pela impress√£o deixada no escrit√≥rio do jornal no dia 11, Das Neves pode entrar em contradi√ß√£o. O termo pronunciado aqui em rela√ß√£o aos governistas √© impublic√°vel.
- Time to time... para ver como se encaixam as palavras.

Jesus Volta
Quem deve aportar na convenção do Democratas em alto estilo, dia 30, no Centro Comunitário, é o ex-deputado estadual Cecílio de Jesus Gaeta, que se intitula pré-candidato majoritário pela sigla. Hoje (27/06), pela manhã, Gaeta ostentava um conjunto super fashion, em tom rosa e de bem com a vida. Olha, não é difícil presumir que ele cumprirá o papel da mosca que pode pousar na sopa dos democratas. Se ele incorporar à sua indumentária o estilo Gaeta de ser, aquele do final dos anos 70, quando aterrorizava a situação em memoráveis momentos como oposicionista no velho MDB, o caldo pode entornar.
- Seria Jesus a terceira via t√£o esperada? Dele e de Devair Valim pode-se dizer ou comparar com Muhamad Ali e Cassius Clai... quem vai a nocaute?

Pré-Candidatíssimo
O ex-prefeito Zeno Gonçalves, de Rosário Oeste, confirmou o que revelara publicamente durante encontro regional do PSD, em maio passado, na sede da AMM, de que estaria candidatíssimo a candidato. Ele voltou a confirmar isso e disse que vai à convenção com tranquilidade, o que representaria um fato novo/velho na atual conjuntura política de Rosário Oeste. Como se vê, apenas reportamos o que dissera o experimentado político, teoricamente, o líder em todas as sondagens para consumo interno realizadas até agora. Seria um político que gravitaria pela fronteira entre o bem e o mal com desenvoltura, tipo o amado por uns e odiado por outros, mas vai em frente.
- Seria só uma questão de tempo, segundo os dados de Zé Felício.

Sondagem
Falou-se em pesquisa recente realizada em Ros√°rio Oeste, o que n√£o seria verdade j√° que n√£o se sabe do registro. Tratar-se-ia de uma sondagem para consumo interno e j√° causou furor e ira. H√° quem tenha denominado a sondagem de pesquisa, o que n√£o est√° permitido, mas j√° que a m√≠dia anunciou, quem viu os n√ļmeros, dizem que eles n√£o decepcionariam Zeno, pelo contr√°rio, funcionaria com mais efic√°cia que aquele tratamento dos tempos da vov√≥, com aquele medicamento em que um homem aparecia com um peix√£o nas costas.
- Dizem que Zeno estaria "emulsionado" de Scott e emocionado pela aceitação.

Fora do Baralho
J√° andam espalhando por a√≠ que o "Correio Nobrense" n√£o mais interessa ao governo municipal e que est√° vindo por a√≠ uma publica√ß√£o eleitoreira que vai arrasar. O TRE vai gostar de saber a quantas andam os gastos com publicidade do governo municipal de Nobres. Tem gente de olho e pronta a informar ao TRE, mas como ningu√©m √© tabar√©u, vamos aguardar a chegada do "The Washington Post" do Tombador. Mas, ser√° que entenderam que aquilo que tinha n√£o era bom? O xar√° merece o maior respeito e n√£o acredito que v√£o dar a "volta" nele. Nunca se sabe, o que vimos de 2009 para c√°, nem a revista "Times" e os seus famosos editorais dariam jeito, a quest√£o n√£o √© inventar, mas √© de governabilidade e de credibilidade perante a opini√£o p√ļblica.
- Sou mais a revista "Camalote", imponente e bela, o resto é palha de aço de segunda. Se nem a Camalote deu jeito, comece a rezar.

Cochilo
Quando uma autoridade √© convidada para participar de evento p√ļblico, compare√ßa e assista tudo atentamente, evitando tirar um cochilo r√°pido em plena reuni√£o. Pega mal dar uma "pescada" quando se √© ouvinte, e se for para dormir, n√£o v√°, d√™ uma desculpa. Foi o que ocorreu hoje (27), pela manh√£, no F√≥rum local em plena audi√™ncia p√ļblica, quando uma certa patente pol√≠tica escorregou no cochilo, o que frustra qualquer palestrante.
- Fostes ao 'funk', seu menino? Ah! Ins√īnia. Noites mal dormidas, √©? Tendi.

Revanchismo
A conven√ß√£o do PSDB fez uma v√≠tima e o governo j√° tem mais gente na al√ßa de mira do revanchismo, que come√ßa a ganhar for√ßa. Mas a debandada ainda nem come√ßou e j√° tem gente apressando o processo? Vem mais coisa por a√≠, nem precisa precipitar e j√° ir demitindo, at√© porque, ningu√©m √© obrigado a votar em candidato par o qual n√£o se quer votar. Revanchismo √© coisa feia, mas tamb√©m serve para aumentar o n√ļmero de insatisfeitos. Quer ver a quantas anda o clima, pede ao "Pra Nada" para sair √†s ruas e pedir votos.
- Hasta la ma√Īana, dorminhoco.

Constatação
Duvido que alguém com poder de fiscalização tenha a coragem necessária e a humildade, também, de se dirigir até a praça Josino Serra e verificar falhas gritantes que ficaram pelo caminho, com o meio fio torto e um ou outro tijolo atirado pelo meio do capim (ou seria grama?). E o respeito aos taxistas que tinham o ponto ali? Dia desses, observamos um taxista sentado sobre uma pilha de tijolos. E quem fiscalizaria isso? Ah! O que mais importa é a reeleição, então tá.
- Com a palavra os eleitores de Nobres.

Constatação II
Quem tem para receber da Prefeitura de Nobres levanta as m√£os... 1, 2, 3, 4, 5... 75, 76, 77, 78, 79... 100. Nem falem mais em ar condicionado, deu zebra, e a empresa que ganhou o preg√£o (caibral) n√£o era a do interesse, √© isso? Portanto, essa empresa n√£o consegue receber do governo segundo fomos informados e tamb√©m n√£o fornece mais o produto, enquanto n√£o receber o que est√° em atraso. "Ah! Fala s√©rio.". Empresas locais n√£o conseguem receber do setor p√ļblico e quem n√£o tem capital de giro pode quebrar. Tomara que seja piada de 1¬ļ de abril o tanto que nos chega de informa√ß√Ķes sobre a fila de espera para pagamento. A prop√≥sito, j√° viram como ficou a 'cara' do Posto de Sa√ļde Central.
- Coisa linda, mas uma chuvinha qualquer mostra como é o pé do pavão ou a viola por dentro.

Ressurreição?
Olha aí, se for fato o que se anda dizendo, Nobres pode ficar famosa no mundo inteiro como a terra da eterna juventude. Na pior das hipóteses, vai ser comparada àquela cidade fictícia que deu origem a série "Incidente em Antares". Aqui, quase tudo é fictício, só o eleitor que é real. Na série televisiva, a cidade era frequentada por zumbis, já em Nobres, dizem que mortos recebem dinheiro e até acessam senhas bancárias. "Gente! Vocês estão brincando?", perguntamos.
- Alguém para constatar isso?Depois do almoxarifado fictício, nada como uma mostra real de ressurreição. Coisa d'outro mundo.

Na Terra do Steven...
...Spielberg, al√©m do almoxarifado fict√≠cio, mortos se lembram de senha e festas s√£o realizadas sem nunca ningu√©m ter visto e at√© paga-se por essas. Mas vamos buscar novas informa√ß√Ķes sobre esses fatos. Ah! Aquele tipo de pedra que foi colocado na parte frontal do posto de sa√ļde estaria na moda? √Č que tem sido vista em algumas casas de servidores p√ļblicos e por aqui h√° um costume de se lan√ßar tend√™ncias, ao melhor estilo de Paris. Nobres √© eternamente fashion, as pessoas s√£o fashion e tudo √© fashion quando se est√° por cima da carne seca.
- Atrás de dinheiro, só não vai quem já morreu... melhor dizendo, quem já morreu vai também. Vamos tomar uma Devassa?

Caça as Bruxas
De s√°bado (23/06), ap√≥s o meio do dia, at√© agora, tem gente que n√£o se conforma com o resultado da conven√ß√£o do PSDB e sai por a√≠, buscando culpados. Os governantes nunca se articularam, nem quando o time estava completo e agora com essa legi√£o estrangeira, menos ainda. J√° diziam por a√≠: "Nem s√≥ de cargos vivem os homens... e nem as mulheres". Tinha muita gente de olho gordo no PSDB e o risco maior era a sigla apanhar um quebranto. Fora isso, tem as imita√ß√Ķes "furrecas" de Salom√©, pedindo cabe√ßas na bandeja. Querem retaliar porque a maioria dos tucanos n√£o caiu na armadilha e agora buscam bodes expiat√≥rios.
- A política é feita de grupos, mas os interesses são individuais e no fim não casa, a realidade com a constatação.

Atraso Previsto
O pagamento do funcionalismo p√ļblico vai ser rifado outra vez e pode ficar para o dia 10 de julho, assim mesmo, se n√£o ocorrer curto circuito na linha de transmiss√£o no entorno do pal√°cio do governo nesta cidade. As obras no Posto de Sa√ļde est√£o paralisadas e o dinheiro sumiu. E o pessoal preocupado com siglas pol√≠ticas alheias, como se adentrar a ser√° alheia fosse algo correto e normal. Pensem no hoje e no que est√° ocorrendo, ao inv√©s de se preocupar com o futuro que n√£os pertence. Dim, dim, s√≥ daqui a duas semanas.
- Que tal pedir um empr√©stimo para Victor e L√©o?√Č s√≥ tempo de pagar a folha de maio (ou seria a de junho?) para evitar novos CDC's.

Lembrete
E quando ser√° constru√≠da uma outra biblioteca em substitui√ß√£o a que existia, segundo nos lembrou um nobrense de cora√ß√£o? Jogaram ao ch√£o a biblioteca que estava em p√© e a constru√ß√£o de outra ficou s√≥ na promessa. √Č como diria Antonio Maria (1921-1964) Compositor e Jornalista Pernambucano: "A aus√™ncia total de livros nos descompromete de maneira definitiva com a cultura". Mas aqui o caso √© mesmo de uma biblioteca, derrubada para dar lugar a uma pra√ßa, e que nunca mais foi erguida, ficando apenas nas lembran√ßas.
- Um abaixo assinado derrubou a biblioteca e tudo foi cair no esquecimento.

Conven√ß√£o e Palavr√Ķes
Consta que um governista ao conhecer o resultado da conven√ß√£o do PSDB, teria pronunciado alguns palavr√Ķes impublic√°veis, alegando desperd√≠cio no investimento. Seria ofensa perguntar, em quem ou em que o investimento? Trocas bruscas de lado pol√≠tico geram desconfian√ßa e nem sempre levam ao caminho da vit√≥ria; √© um atalho com perigosos obst√°culos no trajeto e se haver necessidade de alguma travessia, o risco s√£o os dentes de 'lob√≥' ou tra√≠ra como √© popularmente conhecido esse peixe.
- De volta à calmaria, vale perguntar, o investimento prevalecerá?

Deslindes
Em política, vota-se em pessoas e não em partidos, sendo as siglas apenas uma referência no contexto. Entretanto, em determinado tempo do jogo político são as siglas que mais interessam e não a individualidade de cada um. E o que cabe perguntar agora é: "até onde o vereador Beto vai interessar ao governo?". Ainda há uma chance ao parlamentar municipal do tucanato e tem um custo, manter a sua candidatura a vereador e permanecer no PSDB, em meio aos seus ao invés de manter uma saída de cena de forma melancólica após três mandatos consecutivos.
- √Č pegar ou largar. √Č como diria vov√≥, se n√£o for para estar na cobertura, no sub-solo n√£o fico. A garagem √© lugar comum a carros estacionados e carro bom tem que estar em movimento.

Tucanos Preservados
Em tempos de dizimação de algumas espécies, os tucanos, instintivamente, se auto preservaram e escolheram de que lado irão ficar entre julho e começo de outubro deste ano, quando se costuma meter fogo na floresta política. Já fazia algum tempo que não se via tamanho interesse por uma ave, que apesar de bela, é o bico que chama a atenção; e no leilão, os tucanos preferiram tirar uma onda da Fênix e ressurgir das cinzas. Até o dia anterior, teoricamente, os tucanos até poderiam entrar em extinção, mas chegou aquele dia e o que mais se via na convenção eram os "caçadores de tucanos". Na verdade, a operação mal sucedida seria para manter a ave apenas emplumada e empalhada na sala de decoração do outro lado de lá.
- Foi o dia da ave e não dos caçadores e os tucanos mais espertos transformaram a ave em mais uma raridade mitológica, ao menos não viraram um objeto empalhado na sala refrigerada dos colecionadores de raridades.

Tucanos Preservados II
A conven√ß√£o parecia mais um encontro ornitol√≥gico, tantos eram os "bicudos" em torno dos tucanos, at√© que se revelou aos convencionais ornitol√≥gicos que estava presente ali o urubu rei, outra ave em fase de extin√ß√£o e que costuma montar guarda em torno dos lix√Ķes. E l√° foi por √°gua abaixo a tese de que dois bicudos n√£o se beijam, e Devair foi chamado para uma conversa informal com a autoridade no assunto. Essa conversa nos remete ao que disse uma autoridade recentemente: "de que adianta eu ganhar 100 votos com o tal hoje e amanh√£ perder 1.000". Em qualquer bolsa de aposta, quando tiver 1.000 por 1, √© porque o cavalo √© azar√£o. 1000 por 100, a√≠ j√° √© pra apostar e botar a pule debaixo do altar do santo e fazer figa.
- Afinal, é um tucano ou é a fênix? Ufa! Essa foi por um triz, deixando os caçadores de tucanos frustrados... foi o dia da ave.

Empreitada
Ao se confirmar a citação, é de se concluir que o ex-prefeito Devair Valim é mesmo de enfrentar desafios. Quando ele disse ao colega ex-prefeito: "Esse cara é ruim, mas tão ruim, que bate em nós dois juntos no quesito ruindade" e foi ajudar o tão ruim a se tornar menos ruim, justamente agora, aos 44:30' do segundo tempo, é qualquer coisa semelhante ao que faz Indiana Jones em busca da Arca Perdida. O dr. Jones começa a desvendar agora, através dos seus conhecimentos sobre arqueologia, que a arca já está perdida e que as taças amargas já foram derramadas, pessoas foram prejudicadas e outras chutadas, feito cachorros mortos nessa trajetória. Falamos ainda do filme e da ficção, mas ainda vai chegar a hora de falar sobre realidade.
- A propósito, ex-prefeito, está se confirmando que o cara é mesmo ruim?Mas quem, diz aí?

Falando Sério
Os donos de restaurante, as donas de casas e mais interessados poderiam criar um abaixo assinado e colher assinaturas contra as moscas verdes que povoam os locais onde se realizam frituras. √Č lament√°vel isso e dep√Ķe contra as quest√Ķes mais b√°sicas de higiene, demonstrando ainda que esteja havendo um desequil√≠brio ecol√≥gico, fazendo-se urgente um estudo para se conhecer o que houve com o predador natural das moscas. Al√©m disso, o desinteresse pela implanta√ß√£o do aterro sanit√°rio √© qualquer coisa descabida, principalmente, quando se sabe que as a√ß√Ķes burocr√°ticas foram tiradas das m√£os de uma profissional competente para ser entregue em m√£os de quem at√© hoje s√≥ atrapalhou o governo.
- Tudo o que se fez até hoje foi "Pra Nada" e o "Pra Nada" prevalece por absoluta vontade de quem deveria mudar essa realidade.

Confus√£o Prevista
Ningu√©m cobra perfei√ß√£o dos gestores p√ļblicos, mas o aviso foi dado pelo Coordenador de Controle Interno, Alysson Ferreira de Oliveira, com rela√ß√£o √† necessidade de se colocar faixas e cartazes com indica√ß√Ķes dos nomes das escolas. Agora, pela manh√£, dia do concurso, √© consider√°vel a procura pelos locais de realiza√ß√£o das provas, afinal, s√£o mais de 3.000 pessoas de outros munic√≠pios e estados. Mas √© muito mais f√°cil aquelas faixas com frases imagin√°rias, "Fulano de tal ama Nobres", "O sei l√° quem agradece a visita do deputado beltrano, que vem trazer benfeitorias (sic) para n√≥s". E vai por a√≠. Alysson, mais uma vez sai na frente e avisa com anteced√™ncia.
- Chato ser previsível e de senso de realidade. Mas há quem acredite que administrar seja "fazer favor" ao povo.

Rasgando Dinheiro
Fracassa a opera√ß√£o de recupera√ß√£o das ruas na cidade de Nobres atrav√©s do recapeamento com lama asf√°ltica. At√© os leigos sabiam que n√£o ia dar certo sem que fossem tapados os buracos e ainda assim a opera√ß√£o prosseguia, at√© que algu√©m entendido no assunto desse o sinal de alerta. E o dinheiro utilizado at√© agora no que fracassou quem vai repor ou algu√©m vai cobrar? Isso dep√Ķe contra qualquer administra√ß√£o, principalmente em ano eleitoral e o prefeito precisa esclarecer publicamente o malfeito.
- √Č lament√°vel, tanto desperd√≠cio de dinheiro enquanto a sa√ļde p√ļblica vai de mal a pior.

Rasgando Dinheiro II
O Posto de Sa√ļde Central j√° entra pela segunda vez de paralisa√ß√£o nas obras de reformas e quando chove √© um tal de redobrar servi√ßos com rodos para retirada de √°gua em local que chove mais dentro que fora. O pior em tudo isso √© que ningu√©m sinaliza com provid√™ncias contra tais abusos em desfavor dos bolsos dos contribuintes. At√© quando isso vai perdurar sem que se fiscalize o por que dos atos e dos fatos?
- Tanto dinheiro mal utilizado e mal distribuído enquanto famílias estão sem comer em vários bairros da cidade.

LDO
N√£o mais que cinco pessoas acompanharam a audi√™ncia p√ļblica que trata da Lei de Diretrizes Or√ßament√°rias, caminho para a constru√ß√£o do or√ßamento para 2013. Nenhum secret√°rio de governo se fez presente e representante de bairro, idem. O interesse maior agora √© pensar e agir em favor do continu√≠smo. Chama a aten√ß√£o no conte√ļdo da LDO, a exist√™ncia de recursos destinados ao esporte e a cultura, com algo em torno de R$ 450.000,00. No entanto, na proposta de cria√ß√£o da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer, o valor de refer√™ncia √† pasta √© de R$ 98.000,00, o que dar√° brecha aos remanejamentos de verbas para cobrir despesas. E quando se v√™ no texto a palavra "Profissional" grafada como sendo "proficcional", √© de chutar pra escanteio essa coisa.
- Cultura, Esporte e Lazer num mesmo espaço, salvo se prevalecer o slogan "Esporte é Cultura". Quando a matéria tem interesse político, vai mesmo de goela abaixo.

Esquisito
O PSDB est√° realizando conven√ß√£o agora, pela manh√£, e rola um clima esquisito, de coopta√ß√£o de votantes em prol do lado governista nas op√ß√Ķes de votos em favor de duas prov√°veis coliga√ß√Ķes. Os governistas estariam oferecendo at√© emprego para que alguns convencionais optem pelo lado governista. A coisa beira ao desespero de causa e n√£o revela bom sinal daqui pra frente.
- Vamos aguardar o resultado.

Last Updated ( Sunday, 08 July 2012 14:04 )

 

Trincheira XVIII

Conselho
√Č voz corrente, desde os tempos em que aquele cara, de sobrenome Iscariotes, recebeu aquele "vale", de 30 pilas, para dedurar o colega de campanha; j√° naquela √©poca, dizia-se que se "conselho" fosse bom, era vendido por pre√ßo acima do va





















































































































































































































































































Last Updated ( Friday, 22 June 2012 18:46 )

Trincheira XVII

Poder e Camuflagem
Uma entrevista do promotor Mauro Zaque ao portal de not√≠cias M√≠dia News exp√Ķe ao cidad√£o comum um velho problema existente neste Pa√≠s, de cujas entranhas emergem determinadas figuras sombrias que se alimentam do er√°rio e se ma











































































































































































































































































































Last Updated ( Monday, 04 June 2012 18:11 )

Trincheira XVI

Dia de F√ļria
√Ā tarde de 15 de maio n√£o foi aquela que se poderia dizer calma, ao menos para o vereador Joel J√ļnior, autor de dois requerimentos e de uma Mo√ß√£o de Aplauso. Ao descobrir que a Mo√ß√£o de Aplauso poderia ser sabotada, JJ buscou sabe
































































































































































































































































































Last Updated ( Wednesday, 16 May 2012 18:54 )

Trincheira XV

No Ar
O canal dom√©stico TV Cidade est√° no ar desde o dia 27 de abril (ontem) e neste dia 28 deve ter o tradicional S√°bado Especial, a partir do meio do dia. √Č bacana e vamos l√°, nos ligar no Canal 3, assistir o Cadeia Neles e ver a programa√ß√£o


























































































































































































































































































































































Last Updated ( Saturday, 28 April 2012 13:44 )

Page 8 of 11

Trincheira LV

√Ä Flor da Pele Um exorcista, por favor. A C√Ęmara Municipal de Nobres precisa chamar um padre e benzer o ambiente ou do contr√°rio, ‚Äúafastar‚ÄĚ os maus esp√≠ritos que rondam ali. Em dois anos e meio j√° se contabiliza ao menos um barraco por sess√£o. E por mais que se diga, a Casa de Leis tem a im

Turbulências no trajeto

Daqui pra frente, a campanha pol√≠tica come√ßa a se mostrar mais evidente, com as siglas pol√≠tico-partid√°rias buscando alinhamentos, promovendo reuni√Ķes de bastidores e se ajeitando para o ano que vem ‚Äď 2.020. Algumas observa√ß√Ķes j√° come√ßam a ser feitas e a administra√ß√£o municipal sob Leoc
Banner
Banner
Banner
Banner