You must be live and work in the UK Payday loans Have a history of poor borrowing

Tribuna de Nobres

07/12/2019
Tamanho do texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Trincheira

Trincheira

Trincheira X

Lazer ou Trabalho?
No domingo, dia 15 de janeiro, o prefeito Jos√© Carlos da Silva, de Nobres, foi visto com o carro oficial em uma peixaria na Bom Jardim, no mais novo "point" tur√≠stico de Mato Grosso, acompanhado de uma funcion√°ria p√ļblica municipal. Seria a lazer ou a trabalho? O que regularia o cargo de prefeito e o uso do carro oficial com companhia feminina? Para quem seria prefeito s√≥ at√© as 13:00 horas de cada dia, pega mal essa pr√°tica de circular com uma funcion√°ria p√ļblica a tiracolo e com o carro oficial, justamente na casa de um companheiro que ele abandonou ap√≥s chegar ao poder.
- Estaria em cogitação a implantação de uma creche em Bom Jardim?

Fala Sério
Dizem que PMDB e DEM v√£o se alinhar no projeto de reelei√ß√£o do prefeito Jos√© Carlos da Silva embora alguns dos cardeais partid√°rios neguem isso. Como n√£o houve nenhum contato imediato e nem duradouro nos √ļltimos 36 meses entre PP e PMDB, estaria em curso mais uma dessas hist√≥rias de amor a primeira vista. Ser√° que o cacique Das Neves vai se render aos encantos e o canto da sereia? Amor √† primeira vista, nuvem passageira, chuva de ver√£o e promessa de palanque, segundo dizia Nelson Ned: "tudo passa, tudo passar√°...".
- Sir William Shakespeare e sua história de um amor fadado à morte... Montecchio e Capuleto são famílias que não se batem, feito dois bicudos.

Propagação
Nortel√Ęndia e Nobres viveriam hist√≥rias pol√≠ticas quase semelhantes, constando que o prefeito Neurilan Fraga teria rompido rela√ß√Ķes com o vice-prefeito Antonio Meira e muitas foram √†s demiss√Ķes com o objetivo de desmotivar o vice. Entretanto, o nome de Antonio Meira vem sendo comentado em quase toda a regi√£o do M√©dio Norte pelas suas qualidades pessoais e pelo carisma. Antonio Meira pode derrotar o prefeito Neurilan Fraga nas pr√≥ximas elei√ß√Ķes, em 07 de outubro, mesmo concorrendo contra a m√°quina p√ļblica. O virtual candidato da oposi√ß√£o √© realmente um nome que desponta e a sua fama de bom sujeito j√° deixou as divisas de Nortel√Ęndia.
- Estresse e rompantes de poder nunca fizeram bem a ninguém, nem em Nobres e nem no Cazaquistão.

Porrete e mais Porrete
Mat√©ria inserida no site mtdestaque.com.br aborda quest√£o do profissional que dirige ambul√Ęncia e do descaso como o profissional √© tratado em Nobres. O assunto √© s√©rio, tanto que um coment√°rio feito por um internauta em rela√ß√£o √† mat√©ria acaba sendo mais incisivo que a pr√≥pria informa√ß√£o e revela o quanto h√° de insatisfa√ß√£o espalhada por a√≠ em rela√ß√£o √† atual gest√£o municipal de Nobres. E o tema √© bem atual, falando sobre o "baf√£o" da sexta-feira 13, sem poupar cr√≠ticas √°cidas.
- Como diriam em Greenville: "a notícia se espalhou feito um rastilho de pólvora".

Entrando de Sola
Faltou combinar entre os convidados ao jogo das faixas, realizado dia 15 de janeiro, no campo da Vila Bom Jardim, quem daria o pontapé inicial. Bola no centro e dois chutes na mesma bola, um do empresário Gilmarzinho da Ecoplan e outro do vereador Silvestre Campos, simultaneamente. A entrada de sola ficou por conta do vereador Silvestre Campos. E quem esteve por lá foi o vereador Fermino, presidente do Legislativo, também um convidado especial ao evento festivo que bombou na parte da tarde.
- Tem nada não, no bi da Bom Jardim, vamos comprar duas bolas para o pontapé inicial... um de cada vez e nada de bater com as duas.

Bola em Jogo
Essa rapaziada, acima dos 40, n√£o t√° pra moleza e jogou entre 11 at√© √†s 13:00 horas. A pesagem dos atletas, s√≥ em balan√ßa rodovi√°ria. Qualquer problema ali, tem aquela moderna ambul√Ęncia, um ve√≠culo Gol, duas portas, da Prefeitura de Nobres, desde 2009 na √°rea... s√≥ marcando gol contra. E o prefeito marcando encontro com Vitor e L√©o para cantar duas horas no anivers√°rio de Nobres, tentando fazer nova a proposta do p√£o e circo.
- "Pouco a pouco a solidão e o silêncio me abraçam...", diz a letra de "Preciso te Dizer". Vai ser assim.

D√ļvida Atroz¬†

Quem vai ser mandado embora, a v√≠tima ou a visitante ilustre? Bem, se for a v√≠tima, a popularidade do prefeito vai deixar o sub-solo e vai para a camada do pr√©-sal. Se for o secret√°rio, piv√ī de tudo, o governante vai perder o ch√£o. Caso queira colocar panos quentes, pode alimentar a boataria que j√° ganhou a cidade e ficar√° a d√ļvida sobre um novo reencontro para quem a cidade ficou pequena para tudo. Pelo aspecto da sutileza, o secret√°rio/piv√ī ficaria acabrunhado e pediria o bon√©, essa talvez a op√ß√£o mais remota desse epis√≥dio, deveras lament√°vel.
- E o "crupiê" diz: "a sorte está lançada, façam as suas apostas, senhoras e senhores. Bolinha rodando, Vermelho 11... perdeu, senhor!".

Enxurradas
Chuvas e chuvas, enxurradas de problemas estruturais na cidade e, n√£o bastasse isso, ainda vem um "baf√£o" para levar de rold√£o a popularidade do governo. E ainda tem aquele imbr√≥glio futuro que est√° cada vez mais presente, sobre a comiss√£o do homem que recuperou cr√©ditos para o governo, o que possibilitou pagar a todo mundo, segundo uma fonte informativa do "pal√°cio dos baf√Ķes". Chove problemas a c√Ęntaros, diria o poeta, n√£o muito habituado a nova ortografia, mas h√° aquelas gotas pesadas de chuva √°cida, causada pelos temperamentos moment√Ęneos, que invade raz√£o e joga com as emo√ß√Ķes. Mas h√° uma sa√≠da, a reflex√£o...
- "...Tudo o que o homem semear, isso tamb√©m ceifar√°." ‚Äď Paulo. Est√° em Galatas, 6:7.


De Bandeja
Um papo, n√£o muito cabe√ßa deixou as cercanias do poder para ganhar a rede de boataria, contada por gente do pr√≥prio governo, de que um prefeito do interior teria ido ao gabinete de um deputado solicitar ajuda para o carnaval e l√° tomou exatos 240 minutos de uma "catracada" hom√©rica sobre comportamento pol√≠tico e companheirismo quando se est√° no cume. Em algumas reparti√ß√Ķes p√ļblicas, diz-se que seria uma CR (Comida de Rabo, no popular), recibada de corpo presente. N√£o me pergunte quem foi e nem o munic√≠pio.
- Pra tudo se acabar na quarta-feira de cinzas. Volta e meia, a terra passa entre o sol e a lua, ou a lua entre a terra e o sol; s√£o os eclipses, momentos de trevas que felizmente passam depressa... quatro anos, no m√°ximo em um determinado ponto da terra.

Prêmio
Ganha uma cueca, usada, daquela que vem no copinho, quem adivinhar por que não foi ao ar o noticiário da TV Cidade, o canal doméstico. A Secom municipal, aqui de Nobres, parece que precisa mesmo é de um exorcista para tirar uma peste encaibrada que tomou conta do lugar. Bastou criar o setor e já aconteceu dois BO's por lá. Um foi aquela parada do Mamonas... Peladio em Nobreyork City; agora, a parada foi... causo di quê, messssmo?
- E aquele cartaz na parede, sobre desacato ao funcion√°rio?


Exorcista
A TV Cidade tá mesmo "cabojada" (maré de azar), né? Ficou sem apresentar o jornal televisivo e quando volta, eis que um incidente atrapalha tudo. Chama o Fernando, meu camarada, a solução é ele, porque vai ficar difícil ver o noticiário daqui pra frente... a notícia que virou notícia.
- Eu vi chover, eu vi relampear, mas mesmo assim o céu estava azul... Oxóssi reina em qualquer lugar.


BO's ‚Äď Uns e Outros
Al√©m dos buracos nas ruas, do coloca e tira quebra-molas, das obras anunciadas e nunca vistas, o atual governo est√° se especializando em "baf√£o" por problemas extra-gest√£o administrativa. O BO na Sa√ļde, ano passado, foi feio e teria ocasionado a demiss√£o de um secret√°rio. O BO registrado hoje (13), pela manh√£, na sede do governo, j√° ganhou a cidade e ser√° que alguma cabe√ßa vai rolar? A coisa foi feia e mais uma vez envolve o sistema de comunica√ß√£o p√ļblica e vai al√©m daquela nudez virtual. Em aldeia sem cacique, a indiada toma porre. A seguir, cenas dos pr√≥ximos cap√≠tulos de "Engra√ßadinha" e o escandalizante cen√°rio que d√° realidade aos fatos.
- Hoje é sexta-feira, e é 13... réstias de alhos nas portas de vidro, ferradura na parede, mas tem que ser do cavalo que virou senador por nomeação.


Superstição
Hoje, seguramente, quem quiser se avistar com o prefeito de Nobres, ele est√° na cidade. De acordo com uma fonte pr√≥xima ao chefe do Executivo, na sexta-feira que cai no dia 13, n√£o viaja de carro, de avi√£o muito menos e evita sair de casa. Vai para a prefeitura a p√©? Mas..., e se um pitbull cruzar o seu caminho? √Č um jogo duro...
- ...inteligência X superstição. Quem arrisca um palpite. Não foi aoproblema virtual e o real veio até ele... um novo bafão.


Reclames
O prof. Magal, diretor da Escola "Dalci", deixou passar a oportunidade de iniciar um bom bate-boca com o prefeito ao ouvir dele (Z√© Carlos) que a escola est√° feia, suja e mal cuidada. Basta dizer aos alunos e pais de fam√≠lias que as primeiras no√ß√Ķes de higiene surgem em casa, ainda na tenra idade, e que o prefeito n√£o pode atirar a culpa apenas no diretor. Teria sido durante visita do prefeito a escola para anunciar a segunda etapa das reformas. Magal ouviu e deixou passar a oportunidade de dizer que na escola n√£o h√° galinhas, patos, cachorros e outros animais que defecam e deixam as suas fezes espalhadas por toda casa, inclusive pernil de paca estragado dentro de freezer.
- Well! Na escola são centenas de alunos e naquela casa, melhor dizendo, no zoo particular, quem deveria cuidar não o faz e é apenas uma pessoa. Não nos pergunte quem.


Ricos, Intoc√°veis...
... e Togados, alguns dos membros do Judici√°rio que foram investigados pela COAF (Comiss√£o de Assuntos Financeiros) do Senado n√£o gostaram. Seriam cerca de 3.438 membros do Judici√°rio entre ju√≠zes e desembargadores de 22 estados brasileiros, cujos nomes n√£o foram revelados, mas sofreram varreduras nas suas movimenta√ß√Ķes financeiras. A "varredura" causou uma situa√ß√£o de embate entre a AMB (Associa√ß√£o de Magistrados Brasileiros) e o CNJ (Conselho Nacional de Justi√ßa) e foi parar no STF (Supremo Tribunal Federal). A AMB n√£o gostou da "varredura e as quest√Ķes mais escandalosas estariam em S√£o Paulo, Bahia e outros estados. R$ 856 milh√Ķes de reais em movimenta√ß√Ķes consideradas "at√≠picas".
- Aqui, do meio da pobreza que depende do bolsa/vale tudo vem a citação: "uai, quem não deve não teme, não é mesmo?".

Pauta
Legal, n√©? O que est√° contido no jornal eletr√īnico do Tribuna de Nobres serviu √† pauta da TV Cidade, edi√ß√£o que foi ao ar hoje (11/01/2012). A pauta, as imagens de arquivo e a consulta ao secret√°rio de Obras sobre quando vai ser resolvido tudo e a apresenta√ß√£o da esposa do secret√°rio municipal de Finan√ßas, a sra. Hingrid Guimar√£es, ali√°s, H. Albertoni. E o telespectador √© o b√ībo da corte. √Č como diria Rom√°rio...
- "...o rei, sua corte e os b√ībos". Esse "japa" √© "digoreste", diriam os cuiabanos.

Convivência Pacífica
No bairro CPA-3, em Cuiabá, uma família adotou referências nem um pouco carinhosas a seus animais de estimação, dois cachorros, de codinomes "Ladrão" e o outro "Delegado". A convivência entre ambos é das melhores, com cada um respeitando o seu espaço, mas na hora de "investigar" possíveis visitantes indesejados na noite, agem em dupla. Já em Brasília, tem sido cada um por si e os contribuintes por todos, embora "Delegado" não esteja presente... só o outro. E nem ouse chamar pelo outro no Congresso Nacional, todos dirão presente. E se gritar que o cachorro escapou da coleira, em Brasília, não diga, nunca, "pega Ladrão"...
- ...sabe como é... a correria e o tumulto que vai causar.

Título Inédito
A atual administra√ß√£o municipal de Nobres pode levar t√≠tulo de campe√£ absoluta de come√ßar e n√£o terminar. O asfalto para o bairro Jardim Carolina at√© hoje n√£o saiu do papel e al√©m da placa colocada √† entrada do bairro. E o resultado disso √© visto e sentido ali, no cruzamento da rua Pedro Nolasco com Niva Matos, onde reside um conterr√Ęneo do prefeito. Tudo quanto √© entulho para ali, onde a √°gua fez sua morada e l√° se v√£o mais quatro anos daquela esquina famosa por mais uma cagada hom√©rica. Uma obra prevista para a rua Alagoas n√£o saiu do papel e a empresa do cruzeirense V. Rodrigues est√° a ver navios em mar de √°gua doce.
- Quem mal começa, mal termina. E quem começa e não termina?


Insistência
Onde estaria a empresa que executou os serviços de asfaltamento nas ruas do bairro São José? E o que diz uma normatização do TCE-MT acerca da manutenção das obras executadas pela empresa que prestou o serviço, isso existe? Alguém para acionar o MPE? Ah! Não sabe o que é MPE, então tá. E aquele asfalto que terminou ao lado da sede do Projeto Sentinela, à rua Promotor Maurício Sampaio, no bairro São José, que fim levou? Diz-se que não pagou à empreiteira, alguém viu?
- Ele começa e não termina.

Rendição
Finalmente, o prefeito de Nobres se rendeu √† dura realidade, de que o quebra-molas implantado na Marechal Rondon, no Largo da Feira, foi puro desperd√≠cio de dinheiro p√ļblico. O dinheiro que foi gasto ali daria para adquirir medicamentos da cesta b√°sica de sa√ļde que faltam desde o final do ano passado. Para quem gosta de se utilizar do dinheiro p√ļblico ao seu bel prazer, a cagada foi desfeita na manh√£ de hoje (10/01/2012) quando aquela 'praga' foi retirada do local, evitando transtornos e alagamento em estabelecimentos comerciais.
- Alguém para assumir pela cagada? Alguém para agradecer pela dica que demos? Não bastasse ter trabalhado (de graça!) para eleger essa iminência "marronzística", segundo diria Odorico Paraguaçu.


Rendição II
√Č de se pensar, como o cara c√°ga e depois lembra que se esqueceu do papel higi√™nico. Vai uma folha de urtiga a√≠, patr√£o? E com que "cara" o sujeito vai ao local onde fez a hom√©rica cagada? Sem nenhum lustra m√≥veis na "cara"? E o dinheiro que j√° foi perdido nessa cagalan√ßa toda? Se "times is gold", agora virou bijuteria; se "time is Money", agora virou trocadinho para guloseimas.
- Desocupa a moita, tem gente que sabe e é do "metiê". Adios, hasta siempre.

Agradecimentos
J√° s√£o mais de 20.000 acessos para a coluna Trincheira nas suas s√©ries de 1 a 10, pelo que agradecemos a prefer√™ncia. Curiosamente, de 09 de janeiro para c√°, o acesso aumentou, ap√≥s a volta ao trabalho do funcionalismo p√ļblico, apesar das restri√ß√Ķes dentro do setor p√ļblico. Restri√ß√Ķes aos simples mortais, j√° que tem gente dizendo sobre poss√≠veis "cantadas" atrav√©s do MSN. Mas vamos cuidar dos nossos internautas e agradecer pelos acessos, j√° que est√° quase na hora do cara desocupar a moita.
- Psiu! Você aí, não acha que já cagou demais?

"Guerra Fria"
A Ponte da Forquilha est√° levando muita gente a loucura, entre moradores prejudicados e pol√≠ticos promesseiros. Ros√°rio Oeste se defende dizendo que corre atr√°s do governo para a execu√ß√£o da obra; em Nobres, a situa√ß√£o se apresenta um pouco mais real a partir da participa√ß√£o dos deputados Dilmar Dalbosco (DEM) e Z√© Domingos (licenciado/PSD), al√©m do presidente da C√Ęmara Municipal, vereador Manoel Fermino Pinho (DEM) e do prefeito municipal, Jos√© Carlos da Silva, que at√© decretou estado de emerg√™ncia para conseguir os recursos junto ao setor competente, a Sinfra.
- Parece at√© aquela coisa que existia entre Estados Unidos e R√ļssia, anos atr√°s... m√≠ssil daqui, m√≠ssil de acol√°; nh√©m-nh√©m-nh√©m daqui, bl√°-bl√°-bl√° de l√° e muito pum.


"Guerra Fria" II
Entre falar com o dono da pocilga e atirar p√©rolas aos porcos vai uma dist√Ęncia quilom√©trica. Mas a √ļnica verdade que se imp√Ķe √© a necessidade de muito mais de meio milhar de moradores, pequenos produtores rurais que at√© hoje est√£o a espera de um trator que um certo candidato prometeu a eles, com dinheiro do pr√≥prio bolso (sic). A necessidade fala mais alto quando h√° um hiato entre pergunta e resposta; quem responde mais r√°pido, concreta e corretamente seria o que mais interesse tem e vai al√©m daquele equipamento abastecido, supostamente, com a√ß√ļcar no tanque, cujo o motor "fumou" no caminho de volta.
- Toda ponte é uma obra de arte da engenharia, estabelecida para superar obstáculos, inclusive os de ordem política.


"Guerra Fria" III
Na regi√£o da Forquilha do Rio Manso, a palavra mais suave que se ouve √© "plebiscito" para anexa√ß√£o. Tem gente que consegue dezenas e dezenas de votos l√° e depois desaparece. E quando ocorre um fen√īmeno dessa natureza, de extrema necessidade, eis que surgem os √ļltimos dos moicanos. A pol√≠tica que s√≥ faz emoldurar cartazes em √©poca de campanha, isso j√° vai longe e hoje j√° n√£o se fala mais em mula-sem-cabe√ßa, p√©-de-garrafa e boi-tat√°, o povo quer luz el√©trica, quer estradas, pontes e um m√≠nimo de √©tica na pol√≠tica.
- Por ser 2012 um ano eleitoral, bate uma vontade de fazer tudo o que não foi feito em dias antanhos, né? Menos, Batista, menos.

Rua Alagoas
As obras previstas para a rua Alagoas est√£o emperradas na burocracia municipal e o empreiteiro n√£o consegue receber e a d√≠vida aumentou. Dizem coisas escabrosas sobre supostas conversas reservadas com empres√°rios que prestam servi√ßos ao munic√≠pio como se obra p√ļblica fosse um grande balc√£o de neg√≥cios escusos. O tempo encurta e o muito falar s√≥ aumenta, o que dep√Ķe contra o governo. Mas, o que estaria havendo com a tal obra da rua Alagoas? Ser√° que complicou ap√≥s aquela visitinha do tal camarada?
- Eu vou pra Minas Gerais, eu vou... quem foi conversar com o empreiteiro? Adivinhe.


Chapa Pura?

Por mais que soe como imprudente, os coment√°rios de que o PP (Partido Progressista) vai de chapa pura para as elei√ß√Ķes municipais deste ano j√° ganham for√ßa; e imaginem como est√° sendo escalado. O vereador Joel J√ļnior (PP) teria prefer√™ncia entre o eleitorado para ser o cabe√ßa de chapa e o atual prefeito, o m√©dico Jos√© Carlos da Silva, seria o seu vice. Assim, JJ cuidaria da parte administrativa e das a√ß√Ķes pol√≠ticas do governo, passando ao vice as a√ß√Ķes pol√≠ticas na √°rea da sa√ļde. H√° quem diga que a densidade eleitoral de JJ seria abundantemente maior que a do desgastado prefeito JC.

- Ent√£o t√°. J√° √©...; √Č n√≥is na fita com JJ, disse um correligion√°rio do vereador.

Curiosidade Doentia

E l√° se foram alguns neur√īnios, j√° avariados e sucateados, de tanto pensar como foi que o governo municipal arrumou tanto dinheiro para pagar a tudo e a todos no final de 2011. Se o governo ganhou, algu√©m vai ter que perder, mas, ser√° que vai ser justamente o ‚Äėcara‚Äô que arrumou a grana, o que tem aquela tal procura√ß√£o? Pegamos uma linha cruzada e ouvimos dizer que o pagamento da comiss√£o (a do tal ‚Äėcara) ser√° sem licita√ß√£o. Ser√° mesmo?

- O tal ‚Äėcara‚Äô correu atr√°s desse ‚Äúfundo‚ÄĚ a 20%, foi? E conseguiu quanto? 700, 800 ou 900 mil pilas?Neur√īnio perdido n√£o se recupera. Perdi 3 dos 7 que tinha.

Musa Sem Inspiração
O comando diretivo da Secopa (ex-Agecopa, que n√£o deixou saudades) j√° deu o grito: "que n√£o tem qualquer v√≠nculo com o concurso de beleza 'Musa da Copa do Pantanal', com o projeto 'Garota Copa Pantanal 2014' ou qualquer outra promo√ß√£o deste tipo", de acordo com nota oficial divulgada no portal de not√≠cias Midia News. Ent√£o, o castelo de areia "O Vento Levou" e pessoas foram expostas ao quase nada a partir da nota oficial da Secopa, numa desconfian√ßa nossa, quando cantamos a bola, ainda que discretamente. A bola foi parar na rede da entidade Associa√ß√£o dos M√ļsicos e Artistas de Mato Grosso (Amarmat), chutada pela Secopa, em tiro de meta, conforme a nota oficial.
- J√° sinto que no hablamos como usted. Solamente una vez.

E o Lixo, hein?
Nunca se viu tanta reclamação sobre o lixo espalhado pela cidade. O que estaria havendo com o caminhão ou com o contrato com a empresa? Realmente, por aqui, de um tempo a este, a coisa está mais para cobertor nosso, de pobre, do que cobre a cabeça e os pés ficam de fora; se cobre os pés, a cabeça padece. E quando o cara é cabeçudo, tanto maior será o padecimento.
- Nóis tá fu... e no meio do lixo, feito pinto no merdeiro.

Outros Ares
O cara quando gosta de frescura, assenta a bunda na poltrona e liga o ar de 20.000 btu's e quando aqui, do lado de fora, morando onde n√£o mora ningu√©m, que fod...-se com lixo, com mal cheiro e ar irrespir√°vel. A trilha sonora √© essa, passou mal, vai pro hospital. Se vai ser atendido, a√≠ a garantia √© de quem? Lixo, falta de infraestrutura b√°sica √© porta aberta para uma sa√ļde prec√°ria e eterna depend√™ncia de posto de sa√ļde... √© assim que o Z√© qu√©, ver a cara do cliente, todos os dias, queixando-se de bucho inchado e dor de cabe√ßa. Toma uma aspirina a√≠...
- ... e vá tombar pra lá. O bem bão não é em Canaã, é aqui, neste nosso eldorado.

Evolução
Em qualquer munic√≠pio que deseja desenvolver e crescer que se preze, um loteamento √© sempre uma oportunidade de expans√£o e de combate ao d√©ficit de moradias. Em Nobres, segundo alguns empres√°rios, √© motivo a peregrina√ß√Ķes √† meca dos ares refrigerados, com direito a ch√° de cadeira e bate bola... de l√° pr√° c√° e daqui pra acol√°, feito peteca em m√£os de frescos. Quanto mais fachada de inteligente tiver os poderosos de plant√£o, tanto maior ser√° a engambela√ß√£o.
- Ch√° de cadeira, sem direito a rosquinhas, fresquinhas. √Č da Tostines?

Contrastes
Na √Āgua Doce, localidade na regi√£o da Coqueiral, soubemos, ano passado, que o povo rural paga por ilumina√ß√£o p√ļblica nas vicinais sem nunca ter visto l√Ęmpadas por l√°, a n√£o ser nas noites de luar. Na cidade, tem luzes para iluminar um cartaz gigante, anunciando um filho que ainda n√£o veio, o pai, a m√£e e o av√ī; o fim e o meio. Depois da s√©rie de foguet√≥rios, luz para iluminar o "out door" que muitos j√° est√£o denominando de "menti door". Mas ele far√°, o que n√£o fez em tr√™s anos.
- Ah! Se eu te pego... Télogo Michel, vá cantar em outra freguesia.

Camuflagem Tucana
De acordo com o portal de not√≠cias G1, tramita pela C√Ęmara dos Deputados projeto de lei que pode ser votado ainda este ano e impede a divulga√ß√£o de investiga√ß√Ķes de crimes cometidos por candidatos no per√≠odo eleitoral. O texto, proposto pelo deputado Bonif√°cio de Andrada (PSDB-MG), especifica que a restri√ß√£o √© relativa a crimes culposos - cometidos sem inten√ß√£o - ocorridos nos quatro meses da campanha eleitoral. O PL 2.301/11 determina a proibi√ß√£o de divulga√ß√£o ou publica√ß√£o de qualquer 'sindic√Ęncia, procedimento investigat√≥rio, inqu√©rito ou processo, ou qualquer ocorr√™ncia de natureza penal' relativos a il√≠citos cometidos por candidatos durante o per√≠odo da campanha".
- Já ao cidadão comum, toda a transparência e todos os holofotes.

Recriando...
...a cria√ß√£o, √© dessa forma que a Prefeitura de Nobres est√° pretendendo disciplinar o uso da internet. Algumas proibi√ß√Ķes s√£o para evitar o uso da rede indevidamente, o que nos reporta a um per√≠odo em que uma figura de alta patente foi chamar a aten√ß√£o de uma funcion√°ria sobre o uso do MSN e ela teria dito: "e voc√™, que fica no msn, azarando as meninas que trabalham aqui?". Qual a moral do cara?
- Entre nós, cuiabanos, dir-se-ia que o sujeito tomou uma "cuiada". "Bonito, pra xá cara, né sujeito?". "Ai, ai, ai, assim você me mata...". Canta aí, Michel Télogo.

Farinha Pouca...
...meu pir√£o primeiro, ditado cuiabano/matogrossense que exemplifica como funciona o sistema pol√≠tico nos munic√≠pios, notadamente, em Nobres, onde alguns s√≥ alguns poucos ousam reclamar do estado das ruas, dos postos de sa√ļde que terminaram o ano e come√ßaram um novo sem rem√©dios da farm√°cia b√°sica, das ruas dos bairros Ponte de Ferro e Jardim Gl√≥ria e da √°rea central que est√£o esculhamnbadas; entre outras impropriedades. Algumas pessoas influentes que poderiam mudar essa realidade s√£o anunciadas como apoiadoras do atual governo ao menor sinal de uma ou outra transa√ß√£o comercial bem sucedida.
- A cidade e as demais pessoas que nela vivem são as que menos importam, o que conta é o meu caixa cheio e a pose de benfeitor. Sacou a charada?

Zé Cantor?
Depois de um frustrado dueto numa confraterniza√ß√£o de servidores p√ļblicos no m√™s de dezembro do ano que passou, o prefeito de Nobres voltou a cantar e a n√£o encantar, na festa de anivers√°rio do vereador Bacalhau, no primeiro dia do ano. Culpado dessas inconveni√™ncias √© o pessoal que √© contratado para fazer o som e o sujeito nem se toca que n√£o est√° no Cassino do Chacrinha e que n√£o h√° abacaxi ou buzina para anunciar que n√£o est√° agradando. Segundo Arnaldo Cesar Coelho, a regra √© clara: pisou na bola...
- ... é cartão amarelo, por atitude inconveniente. Já pegou um boi ao ser convidado e ainda quer cantar, uuuuuuuuuuuh....

Na Homilia
Quando o governante e o seu governo vão parar na homilia das missas de domingo... "tende piedade deles". Consta que seria por conta do alagamento que toma conta da Praça da Matriz e atinge a residência do Pároco, por sinal, alguém que está resgatando o rebanho disperso. Realmente, a Praça da Matriz tem um jeitão de pavão, com belas plumagens, mas os pés, feio pra daná. Quando se diz os pés, na verdade, a referência é sobre a beleza da praça, mas o escoamento das águas pluviais por ali é uma piada, de muito mau gosto, aliás, que custou cerca de R$ 68.000,00 para a desobstrução das manilhas e nada.
- Quem canta seus males espanta, tal e qual o Sabi√° ap√≥s deixar pelado o p√© de pimenta malagueta. Est√° em Romanos, 2:6.: "O qual recompensar√° a cada um, segundo as suas obras". √Č o eleitor quem d√°: tratamento correto √† conduta correta.

Diagnóstico
A avenida Marechal Rondon, nem nos tempos da comunica√ß√£o por telegrafia, n√£o andava t√£o ruim assim, heran√ßa de nossos antepassados chefes do Executivo e s√≥ piorou nos √ļltimos anos. Sugere-se que seja denominada Rua das Cataporas, tantos s√£o aqueles "caro√ßos" na pista, capaz de balan√ßar o mais firme dos seios em tr√°fego de bicicleta pela mais ondulada das pistas aqui do nosso solo Lunar. E o sujeito tirando uma onda de Pepino de Capri nas festas dos outros, fazendo jus √† par√°bola da cigarra e da formiga. O contribuinte carrega (no lombo) o piano e o sujeito canta.
- √Č o Michel T√©logo... j√° vai tarde.

Privativo
O "propriet√°rio" do estacionamento em frente ao est√°dio "Baliz√£o" at√© que faturou bem no ano passado e em 2012 deve aprimorar o seu sistema de cobran√ßa, certamente que vai expedir boleto banc√°rio. No final de 2011, andou expulsando uns e outros bebuns do local, provavelmente, com receio de ver os seus neg√≥cios atrapalhados. Foi terceirizado o local? Tamb√©m, em um governo onde as empresas de assessoria fazem a festa, ped√°gio em logradouro p√ļblico √© caf√© pequeno.
- Xuxa Departament ‚Äď Develop to Grow. Trata-se de uma empresa itinerante, onde haja evento e carros pra se guardar.

Guarda
Contava um guarda "import" a um mun√≠cipe de Nobres sobre a tal academia e que j√° n√£o se fazem mais garotos como antigamente. Ele tenta esclarecer que a academia n√£o √© parque infantil e os garotos dizem: "V√° tomar no c...". Isso √© um est√≠mulo a qualquer guarda de patrim√īnio, ao menos para abandonar a profiss√£o ou o local. J√° n√£o se faz mais ber√ßo como antigamente e a educa√ß√£o parece n√£o ter mais proced√™ncia. E ainda tem a lei das palmadas com artigos voltados para o cascudo e pux√£o de orelhas.
- Pergunte a qualquer cuiabano cinq√ľent√£o o que era um cascudo de padre. Ao inv√©s de um monitor, formado em educa√ß√£o f√≠sica, um guarda. Ai, como d√≥i, meus test√≠culos.

Ficção
O "Z√© da Loteria" vai contratar um numer√≥logo para ensinar como ganhar na loteria investindo apenas 30 reais por cada tipo de jogo, entre a Mega, a Quina, Supersena, a Lotomania, a Lotof√°cil, a Timemania e a Raspadinha. Enquanto voc√™ faz exerc√≠cios, preenche o seu bilhete e manda ver. Olha, pra gastar o nosso dinheiro tem estacionamento p√ļblico/privativo, tem as empresas de assessoria, tem os 't√©nicus' para ensinar a misturar alhos com bugalhos e vai por ai.
- Esse meu c√īco esquerdo, √© pracab√°.

Saldo Negativo
As ruas de Nobres est√£o em estado lament√°vel e o que j√° era ruim s√≥ piorou com as chuvas intermitentes. Daqui at√© mar√ßo, muita √°gua ainda vai passar por debaixo da ponte, e pelas ruas da cidade. O governo acumula mais esse saldo negativo, al√©m do lixo e dos freq√ľentes alagamentos no bairro Ponte de Ferro. A espera pelo asfalto no bairro Jardim Carolina que ainda n√£o aconteceu, mas que ningu√©m duvida que ser√° feito, √© o que se preconiza para 2012.
- Zé, o tempo 'ruge', e o leão também.

Festa Concorrida
Quem foi ao evento de aniversario do vereador Bacalhau, concorrid√≠ssimo, ali√°s, pode antever que o primeiro secret√°rio do Legislativo est√° com for√ßa pol√≠tica na cidade de Nobres. Foi o come√ßo do ano em grande estilo e muita coisa diferente ainda vem por a√≠, neste 2012 de muitas costura√ß√Ķes pol√≠ticas e de articula√ß√Ķes. O Poder Executivo vai precisar de todos os vereadores embora em anos anteriores tenha tido apoio incondicional do Parlamento. Pela parceria que faz com o presidente Fermino, Bacalhau tem cacife para chegar a mais um mandato Legislativo.
- Mas vai precisar de muito tato político daqui pra frente já que o Executivo é algo que tanto mata quanto engorda na atual conjuntura.

Incógnita
Como ser√° a rela√ß√£o do vereador Joel J√ļnior com o governo neste ano, de muitas decis√Ķes e articula√ß√Ķes? Reconhecidamente, o vereador progressista manteve uma rela√ß√£o de amor e √≥dio com o governo nos √ļltimos tr√™s anos e chegou a comentar que o PP (Partido Progressista) pode ter conven√ß√£o municipal com concorr√™ncia a pr√©-candidatura ao cargo majorit√°rio e ele (JJ) est√° certo porque j√° n√£o h√° mais candidaturas natas, prerrogativa barrada por lei. A alguns interlocutores mais pr√≥ximos o prefeito diz que j√° n√£o ag√ľentaria mais JJ embora n√£o diga por qu√™. JJ √© um vereador com boas chances de reelei√ß√£o e pode ter seu sonho de disputar o cargo majorit√°rio antecipado, caso o prefeito continue na lanterna nas sondagens realizadas at√© agora para consumo interno.
- A boa cotação como vereador lhe dá esse respaldo.

De Como 2 e 2...
A vereadora Paula (PSD) tem cacife político para a reeleição e muitos pedem que ela se recandidate, mas vem chamando a atenção mesmo é pelos seus cálculos matemáticos quando diz que foi 100% Zé Carlos em 2008 e será 200% Gilmarzinho em 2012. Ao apoiar a candidatura do irmão, lá na frente, e por ser Nilson Filho de outro partido, os 200% e até mesmo os 100% caem por terra, já que apóia um majoritário e outro proporcional de outra sigla. Se ela rever os seus cálculos e atender aos pedidos de muitos, aí sim, atingirá os 100% de apoio ao virtual candidato Gilmarzinho, de mesmo partido da vereadora Paula.
- Do que se depreende que dois e dois acabam virando cinco.

No P√°reo
O radialista Nilson Filho desmente boatos de que n√£o seria mais candidato e afirma que j√° √© candidato, mesmo que as conven√ß√Ķes ainda n√£o tenham acontecido. E refor√ßa ao dizer que ter√° apoio da fam√≠lia, o que n√£o seria suficiente apesar de numerosa. Al√©m disso, o eleitor cobrar√° dele a postura que teve em 2008, quando faturou alto com o grupo derrotado e ap√≥s se aliou aos derrotados, modificando o pr√≥prio discurso. Aquele que era membro de uma "panelinha" ontem, hoje, √© "prefeit√£o arrojado".
- Está candidatíssimo e tem apoio da vereadora Paula em 100%. Sendo assim... é só partir pro abraço com os votos de palmeirenses e de flamenguistas.

Pincelando
Como Leonardo da Vinci, o vereador Manoel Fermino traça o próprio perfil político com o "pincel do tempo"; por vezes, imita os traços de um artista plástico que não espera pela venda de nenhuma obra-prima e reforça o caixa com serviços em faixas e painéis, o cunhado Leir Mendes, que apóia Fermino. Então, por seus fortes traços de uma fusão entre o populismo e os discursos pontuados pela modéstia e linguajar de sertanejo, o vereador Manoel Fermino Pinho vai mesmo optar pela reeleição. Vê o PSD com muita simpatia e respeita a parceria entre Legislativo e Executivo pelas melhorias que a cidade necessita, mas não vislumbraria aliança entre DEM e PP neste ano.
- Político matreiro e bom garimpeiro, Fermino joga com as palavras e pincela nas telas do tempo uma imagem futurista do que será a política. Pra quem gosta de enigmas, tudo fica misterioso.

Temporada
Fim de ano, para aqueles que tiveram o h√°bito de serem sinceros durante o ano todo, √© tempo de cumprimentos, de abra√ßos e de confraterniza√ß√Ķes, bem diferente do √ība-√ība com vistas a 07 de outubro. Tem gente que n√£o vai poder ir em certas casas, ano que vem, em campanha, porque enfiou o p√© na jaca os anos anteriores todos.
- T√° "queimado", chefia.

Vis√£o de √Āguia
Verdade seja dita, se as elei√ß√Ķes fossem hoje, do Poder Executivo, o √ļnico que teria chances de se eleger seria Valdinei Albertoni. Apesar de muitos contr√°rios, Valdinei √© realmente quem pilota a nau governista enquanto o prefeito faz o que mais sabe, realizar cirurgias. Como estamos bem servidos de m√©dico cirurgi√£o, considerando-se o doutor Jos√© Carlos da Silva como profissional da Medicina, falta-nos um prefeito de qualidade e apesar de n√£o ser votado, Valdinei re√ļne as qualidades de prefeito e s√≥ n√£o o √© de direito embora de fato pare√ßa. Em sendo Valdinei o "manda chuva", o que faria o titular?
- Bem, assinar embaixo é o seu ofício, mas não pode acenar para os que o vêem no presépio humano... faz parte do show.

Pensando Mais Além
O vereador e presidente do Legislativo, Manoel Fermino Pinho (DEM), que não se enganem alguns, pensa como um bom enxadrista. Fermino vislumbraria uma aproximação com o PSD, sigla que ele vê com bons olhos exatamente pela composição que tem. E como quem tem direito a pedir e sonhar para 2012, há quem o veja como vice do virtual candidato do PSD, e assim, segue comendo o mingau pelas beiradas. Ajudar a construir obras, tornar o Legislativo ágil é uma questão, se aliar com o governante de plantão é outra coisa.
- √Č como diria o fil√≥sofo do Tombador: "uma coisa √© uma coisa, outra coisa √© outra coisa", entenda quem quiser, quem vier... amanh√£, √© um novo dia.

Faz Nos Rir
A "Sociedade (dos Poetas Mortos) ronda a cidade, v√™ e sente que tudo continua como dantes", com as ruas esburacadas, lagoas, esgoto a c√©u aberto, terrenos baldios, animais pe√ßonhentos e bairros transformados em periferia de uma cidade do tamanho de um ovo, por onde, nos cofres p√ļblicos, j√° passaram mais de 90 milh√Ķes de reais em tr√™s anos de (indi)gest√£o e de enfastiamento.
- Dot√ī, me receita um laxante, quero xixi; bem antes que o nosso reino seja derribado e reerguido, em uma semana.

Zum, zum, zum
Dizem que a eleição no Cisne Branco, dia 27, passado, foi uma raridade. E que raridade, o sonho de Casagrande se realizou e é o novo presidente do clube. Como chegou lá é que não pode ser perguntado, porque a oposição rasga o verbo. Dizem por aí que foi braba a coisa e o estatuto do clube teria sido "rasgado".
- Coisas de santistas e de palmeirenses. Algo a ver com alguma citação de Maquiavel?

"Guerra de Informa√ß√Ķes"
Em contato telef√īnico com a nossa reportagem, dia 27 de dezembro, o prefeito Jos√© Carlos da Silva, de Nobres, revelou que esteva na Sinfra em companhia do vereador Manoel Fermino, dos deputados Dilmar Dal Bosco e Jos√© Domingos (licenciado e na Sedraf) para acertar a constru√ß√£o de uma nova ponte sobre o Cuiabazinho, na Forquilha do Rio Manso. Entretanto, a assessoria do prefeito Joemil Ara√ļjo diz que a reforma da ponte ser√° imediata, gra√ßas a uma interven√ß√£o sua. A informa√ß√£o real parece ser a que partiu daqui de Nobres.
- Mas isso é só o começo, em 2012 vem mais por aí.

Na Bronca
O ex-prefeito Devair Valim estaria em plena pr√©-campanha e meio na bronca com as pessoas erradas. Daqui do jornal local n√£o houve an√ļncio de que ele n√£o seria candidato, mas quem tem algo a ver com pren√ļncios nesse sentido deve ser a Justi√ßa Eleitoral e alguns de seus desafetos pol√≠ticos mais atirados. Mas, pra que antecipar o ano e a campanha, que s√≥ come√ßa no segundo semestre de 2012. J√° n√£o se faz mais "guerras" lan√ßando m√£o de catapultas, h√° outras armas, bem mais modernas.
- O clique nas teclas da engenhoca chamada urna eletr√īnica, por exemplo.

Química
A Prefeitura de Nobres gastou exatos 12 mil reais em novembro com presta√ß√£o de servi√ßos de an√°lises laboratorial para massa asf√°ltica (R$ 8.000,00 em duas parcelas de R$ 4.000,00) e mais R$ 4.000,00 para algu√©m treinar o pessoal da Obras para opera√ß√£o permanente de tapa buracos. Mas, se a Sanches Tripoloni vai refazer asfalto em todas as ruas, esses gastos n√£o seriam in√ļteis? Tr√™s pessoas diferentes para dois servi√ßos diferentes e 4 mil pilas para cada uma. Essa √© a prefeitura mais bem assessorada e mais bem treinada do mundo... e o resultado: √≥√≥√≥√≥.
- Que que h√°... t√ī pagaaaando.

Matador
O Cor√≠nthians √© um dos √ļnicos que n√£o vai precisar de um centro avante matador para 2012, j√° tem Adriano, o "atirador de elite". No velho oeste os bons atiradores cortavam cigarros no tiro e ainda na boca do cara fumante. O "atirador de elite" do Campe√£o Brasileiro de 2011 √© t√£o bom que s√≥ bota no dedo. "Hou, hou, hou, Adriano √© matador...", a torcida pode gritar. Que tal iniciar uma cota entre n√£o corintianos para "comprar" uma Ta√ßa Libertadores de Am√©rica para dar de presente ao time que ainda n√£o tem? Algu√©m tem uma pra vender? O Boca J√ļnior, da Argentina, t√° quebrado e pode vender ao menos uma.
- Na casa do vizinho, a prateleira anda cheia de tudo o que não temos. "Por favor, me dêem uma Libertadores".

Aptos, com Louvor
Quem inscrever os garis de Nobres em alguma maratona não vai passar vergonha. Eles correm atrás do caminhão de lixo que só anda embalado, o que não deixa de ser um bom treino, digno de atletas de alto nível. Ao invés de ser no caminhão, é preciso colocar tacógrafo nas canelas dos garis que só correm atrás do "objeto voador" (identificado, obviamente).
- Caro irmão, tire um pouco o pé do acelerador, diz a torcida. O velocista não é o caminhão, mas os garis/atletas. Agradecidos.

Perguntinha B√°sica
A pergunta é de alguém que se identifica como "Funcionário" e é feita para os nobrenses e não para a prefeitura e está assim (ipsis litteris) no site "portalnobres.com.br": "Será que todos os Secretarios q o Prefe.de Nobres tirou da Prefeitura são Ruim assim, ou é Ele o Prefeito que é ruim, tirou tudo só ficou ele até o Vice ele tirou, tomara que Outro prefeito q entrar não traga tanta gente de fora. Péssimo exemplo.". Alguém para responder sobre os 'produtos' vindos da China, via Ciudad del Leste? Procura-se um vice, mas que também seja "importado" de outras plagas.
- E olha que 'nostro' rio só tem uma curva, mas como engancha coisa nela...

Pedro Henry
Uma mat√©ria que est√° inserida no s√≠tio Olhar Direto aponta que o PP (Partido Progressista) foi quem mais perdeu com a cria√ß√£o do PSD e um trecho da not√≠cia diz: "O presidente do PP lembrou ainda que foram necess√°rios 10 anos para construir um grupo forte como o que existia na sigla, portanto, n√£o d√° para esperar muito na pr√≥xima elei√ß√£o, mas ainda assim aposta num "bom desempenho" da legenda em 2012." Mau sinal, essa cita√ß√£o, n√£o muito animadora, principalmente para Nobres. E Pedro Henry ainda diz que est√° muito mais preocupado em rearrumar a pasta da Sa√ļde.
- Por aqui, vai faltar palanque.

Vis√£o Turva
O ex-vereador e ex-presidente da C√Ęmara Municipal de Nobres, Edison Luiz Pinto, o Pre√°, um dos 'jur√°ssicos' no PMDB, tem sido o principal conselheiro pol√≠tico do prefeito Z√© Carlos e tem dito que √© o PSD que n√£o ter√° palanque em Nobres. O "Mercedinho" emperrou nas √ļltimas elei√ß√Ķes e est√° guardado na caverna, de onde tem sa√≠do apenas para atirar algumas 'p√©rolas'. E que p√©rolas. Tem dito que o PSD n√£o teria palanque em Nobres. Ser√° mesmo? Resta saber como os remanescentes no PP, Pedro Henry e dr. Azambuja, v√£o se desdobrar para estar em todos os palanques em 2012.
- Alguém para interpretar o que vai pelo interior da "bat caverna"?

E Pero revelou...
...relendo as cartas, sentindo o perfume, vi nos escritos de Pero Vaz de Caminha que os portugueses (motivos a muitas piadas), levaram pão e cachorro quente a uma comunidade indígena para festa de formatura e lá chegando, tava um baita churrasco, regado a muito refri (mas era refri, mesmo, e não era refrigereco). "Pois bain, os portugueses se renderam aos aborígenes e caíram na folia, ajudando a comer a carne...", daí que surgiu a origem do pão dormido e do cachorro que dormiu ao relento e virou hot dog.
- Nem só de pão vive o homem... e a mulher nas aldeias. "Nós qué carne, mea dona, tchega de pão dormido", disse um habitante da ilha. Hou, Hou, hou.

Redescobrindo
Hoje (27/11), por volta do meio dia, o prefeito José Carlos da Silva ligou para o celular de uma pessoa responsável pelo "Jornal do Pindura" (mesmo alcance dos quilowatts de uma rádio), para anunciar que firmou parceria para construir uma nova ponte na Forquilha do Rio Manso, sobre o Cuiabazinho. Tamanha emoção não foi a do sujeito, a quem o prefeito disse (no seu email) que tinha perdido a compostura. De olho em 2012, o "Zé do 11" quer refazer o "Caminho de Santiago de Compostela" e ainda reinventar a roda.
- Sai da minha aba... sai pra l√°. √Č S√≥ Pra Contrariar. O Trem das 11 j√° passou...

Par√°bolas
A oposi√ß√£o ao governo da Dilma j√° derrubou sete ministros, mas em Nobres, a vers√£o tombadorenha do Palocci √© "o cara". Nunca se viu em Nobres tantas empresas de assessoria e a oposi√ß√£o assistindo, de bra√ßos cruzados, tudo acontecer. √Č preciso fazer uma correla√ß√£o entre tantas empresas de assessoria e as ruas dos bairros Jardim Gl√≥ria (ou ainda seria Sapol√Ęndia?) e Ponte de Ferro. O prefeito na sala de cirurgia e as empresas de assessoria comendo soltas por a√≠, para resultados administrativos p√≠fios at√© agora. Pagar conta e realizar obras n√£o √© mais que a obriga√ß√£o de gestor. De uma coisa ningu√©m pode duvidar, a declara√ß√£o de renda de algumas pessoas nunca mais vai ser a mesma.
- Vende-se um imóvel na Bonanza, lá tem água, tem luz e será a terra prometida. Há interesses ou não? Quando não tinha água ninguém queria.

Zé Viajante
O prefeito n√£o teria gostado nada de certa deprecia√ß√£o em rela√ß√£o √†s suas l√°grimas e revelou o irrevel√°vel, de que ele foi a Capital Federal (Bras√≠lia) in√ļmeras vezes para cobrar junto ao DNIT a duplica√ß√£o da BR 163/364. T√° poderoso o h√īme. As obras de duplica√ß√£o da rodovia federal √© uma promessa feita pelo deputado federal Wellinton Fagundes (PR) em muitas de suas conversas com o ent√£o prefeito Fl√°vio Dalmolin, quando anunciou que seria constru√≠do um viaduto em frente ao Xaxim. A Pra√ßa da Matriz √© uma obra que come√ßou a ser acertada na gest√£o do ent√£o prefeito Dalmolin.
- T√° surfando na onda dos outros, meu camarada. Cuidado com a bocada do crocodilo, meu tch√°pa.

Zé Viajante II
Depois que centenas de pessoas perderam a vida no trecho entre V√°rzea Grande e Posto Gil, em Diamantino, a duplica√ß√£o da rodovia federal era uma necessidade estudada por longos anos e o prefeito de Nobres vem dizer que voou milhas e milhas para cobrar essa duplica√ß√£o. Ent√£o t√°, contra outra. Ah! Tem mais uma, a do "dono", do pai da obra de asfaltamento da MT-241, seria ele tamb√©m? Da Escola Marechal Rondon, o secret√°rio de Educa√ß√£o, dr. S√°guas Moraes, revelou que foi gra√ßas a um pedido do secret√°rio Vidal Rodrigues de Souza, entre outros. Algu√©m para citar uma obra com recursos pr√≥prios? Ah! A Academia ao ar livre no Jardim da Inf√Ęncia dos Idosos.
- √Č um sonho do tempo em que trocava figurinhas com coleguinhas do prim√°rio l√° em Barbacena?

Coisa Linda
Est√° entre as 100 maravilhas do mundo aquele quebra-molas (e carro tamb√©m) constru√≠do em frente √† Pra√ßa da Feira. Gastaram tanto cimento no quebra-molas que est√° esfarelando e em breve vai aparecer a sua ferragem, se √© que foi usada ferragem naquela coisa, longe de obedecer √†s normas da ABNT e da constru√ß√£o civil, tamb√©m. Segundo um vereador, o tra√ßado feito para o setor p√ļblico √© de 10 carriolas de areia para um saco de cimento... d√° tanta liga quanto a√ß√ļcar e √°gua.
- A propósito, quanto custou essa "barreira" aos motoristas e às águas das chuvas?

Açougue?
√önico tr√°fego intenso ali naquele trecho da Marechal Rondon √© de bebum e de defunto. Naquele trecho j√° morreu mais gente assassinada que v√≠tima de acidente de tr√Ęnsito, mas o governo "transformista" resolveu criar um quebra-molas ali para testar, mesmo, se 10 carriolas de areia lavada d√° liga com apenas uma bolsa de cimento. N√£o colou! A interven√ß√£o transformadora est√° uma merda e ter√° que ser refeita. Coloquem um engenheiro numa sala de cirurgia e entregue a ele um bisturi... vai trabalhar t√£o bem quanto um m√©dico que se mete a prefeito.
- Após a cirurgia realizada pelo engenheiro, o paciente passará a cagar pra frente e a mijar pra trás. Quebra-molas? Ora, faça-nos um favor, vá catar coquinhos.

Casanova
Pois √©, o Casanova vai patrocinar mais moradias ao povo e acaba de adquirir mais um im√≥vel para construir casas populares para a empreitada de iludir o eleitor e obter mais um mandato. Ser√° um governo de um ano apenas, j√° outros tr√™s que passaram, esque√ßam e esque√ßam tamb√©m dos mais de 90 milh√Ķes reais que se dilu√≠ram com o tempo. Secret√°rio com lote na Bonanza, casa para a fam√≠lia toda e para a parentela dos mais chegados... √™iiita coisa boa. Secretariado "importado" e computadores vindos do Paraguai em mochilas e montados no Brasil, carros p√ļblicos ganhos em Foz do Igua√ßu, motos "importadas" de Foz...
- Só falta exigir na grade curricular dos estudantes a língua Guarany. Menos Don Juan, bem menos.

Requerendo
N√£o vi, mas dizem que em uma certa distribuidora de bebidas foi parar uma requisi√ß√£o para compra de 10 caixas de cerveja e 10 barras de gelo para uma resid√™ncia no bairro Jardim Paran√°. Mas, ser√° que Curi√≥ bebe cerveja? Isso contraria a tese de que √© √°gua que passarinho n√£o bebe. E aquele edredon (bem f√īfo) que foi solicitado por requisi√ß√£o em uma loja da cidade, ser√° pra quem que foi? E aquela c√≥pia de arquivo de um celular, onde est√£o algumas trepadas hom√©ricas? E olha que n√£o √© √°rvore.
- Realmente, a vida é mesmo bela, principalmente quando tem muita festa e o mastro ergue.

Mau Sinal
Segundo as premoni√ß√Ķes que rolam por a√≠, o ano de 2012 ser√° de acerto de contas e tudo aquilo que o sujeito plantou, vai colher no ano que vem. Ser√° o ano da cat√°strofe segundo os Cavaleiros do Apocalipse, que seguem por a√≠, montados em suas mulas. Como "plantou" s√≥ coisas boas entre 2009, 2010 e 2011, o governo do prefeito "Z√© da Loteria" vai ter, enfim, a sorte que merece. Segundo o profeta e adivinho "V√≥stadando", Quem plantou "buraco", vai colher cratera; quem plantou ilus√£o, vai colher quimeras.
- Sem d√ļvida, "esse √© maior presente que um prefeito pode dar ao seu povo... a desist√™ncia".

Cidade Enlutada
A morte do secret√°rio municipal de Esportes, Cultura e Lazer de C√°ceres, Jos√© Bento da Luz, o sargento Brito, da reserva do Ex√©rcito Brasileiro, e ligado ao PSB pegou a todos de surpresa, por complica√ß√Ķes card√≠acas, dia 21 de dezembro, por volta das 21h30. Hoje (23/12), eis que C√°ceres se abala mais uma vez com a morte do ilustre prof. Natalino Ferreira Mendes, uma lenda na Princesinha do Paraguai. O nobre professor, aos 86 anos de idade, deixa um legado liter√°rio, hist√≥rico e moral da maior import√Ęncia ao seu povo. Natalino Ferreira Mendes, segundo o jornalista Sin√©zio Nunes de Alc√Ęntara, foi o seu guru e algu√©m capaz de apontar caminhos e sa√≠das com exemplos, com atitudes.
- V√£o se homens de bem e ficam as suas a√ß√Ķes, atitudes e ensinamentos.

Gafe?
Quem ouviu, soltou risos disfar√ßados, segundo se comenta por a√≠. Durante ato inaugural da academia da terceira idade, mas que √© freq√ľentada por muitas crian√ßas, o prefeito Z√© Carlos, no seu af√£ discursivo, teria anunciado que aquela academia ali sendo inaugurada seria um sonho seu (do prefeito) desde criancinha... ainda que tenha vindo para Nobres cerca de 40 anos depois. A dedu√ß√£o √© a de que tenha dons premonit√≥rios e projetou o pr√≥prio futuro para 56 anos depois inaugurar um sonho de inf√Ęncia.
- Riam da piada e n√£o de quem a contou, diz o manual.

Na Rede
Nas redes sociais, s√£o tantas as piadas e cr√≠ticas ao atual governo e √†s ruas da cidade de Nobres, que chega a ser tr√°gico ao inv√©s da comicidade que se v√™ nas promessas e em meio aos foguet√≥rios que agora predominam no palco das perdidas ilus√Ķes. E o 'sujeito' ainda diz que √© v√≠tima de deprecia√ß√Ķes 'en el circo da 'grand transformacion'.
- By, by patr√£o.

Fen√īmeno

Ros√°rio Oeste pode estar sendo visitada por algum extraterrestre, vez por outra, conforme se deduz pelos fatos estranhos que acontecem na administra√ß√£o p√ļblica. Na segunda gest√£o do prefeito Zeno Gon√ßalves, uma m√°quina pesada teve o motor fundido, que deixou o governo f..dido. Recentemente, outra m√°quina teria sido alvo de sabotagem ap√≥s ordem de recolhimento para a sede do munic√≠pio. Na zona rural, prestaria servi√ßos a particulares e no caminho de volta o motor teria "fumado" e ao inv√©s de um mec√Ęnico, a Prefeitura de Ros√°rio vai precisar de uma nutricionista na oficina para dizer que a√ß√ļcar faz mal a sa√ļde do motor de m√°quinas pesadas.

- Embora o caso seja de polícia, né?

Nuevo "Barça"

Pelo jeito, o prefeito de Nobres, o "Zé da Loteria", está querendo montar uma equipe de governo igualzinha a do Barcelona, quase imbatível. Em Rosário Oeste não se fala em outra coisa, sobre a aquisição do passe da contadora e articulista Maria de Lourdes Tavares pelo governo de Nobres. Em nome da reeleição, o "Zé da Loteria" vai mover montanhas e levá-las até Maomé, invertendo a lógica.

- Quem pode, não pede, manda buscar. Para o "Zé da Loteria", do jeito que Devair vier... são três palitos.


Baf√£o I

Festa de confraterniza√ß√£o que n√£o d√° ‚ÄúBO‚ÄĚ n√£o √© a festa. A festa dos servidores p√ļblicos municipais terminou em catiripapos por conta de marca de cerveja. Realmente, o bicho pegou e ainda bem que foi nos bastidores. √Č de se duvidar que em 2012 aconte√ßa outra igual, n√£o pelo baf√£o, mas pelo resultado das urnas.

- Oh! Meu camarada, sai una Passe√Īa para esto hombre, amigo de my amigo. Pero no hay, compa√Īero. Pimba.

Baf√£o II

Mas o maior ‚ÄúBO‚ÄĚ, n√£o revelado, foi a de um conhecido ‚Äėsujeito‚Äô que teria sido visto apalpando o ‚Äúderi√®rre‚ÄĚ de uma ou outra mulher nos bastidores da festa, atr√°s da cortinas. O ‚Äėcara‚Äô √© dado a esse tipo de gracejo e j√° n√£o h√° mais tanta confian√ßa em mandar a mulher trabalhar, principalmente ap√≥s umas e outras.

- Por que n√£o, apalpar os gl√ļteos da m√£e? D√™ bons exemplos cidad√£o e ganhe o respeito dos outros.

Aposta Perdida

Pelo andar da carruagem, a aposta que fez o secretário de Finanças, vai terminar que nem a vitória do Santos sobre o Barcelona. Se for para o bem de todos e a felicidade geral da nação, diga ao povo que Cláudio fica e a aposta está perdida.

- H√° que se dizer, nem sempre se ganha.

Humildade

Os ares de Nobres est√£o fazendo bem ao secret√°rio Valdinei e agora, quando todos os governistas est√£o tomados pelos esp√≠rito natalino, a humildade baixou geral; o mo√ßo recolhendo garrafas, juntando mesas e agrupando cadeiras ap√≥s a festa aos funcion√°rios no Cisne Branco, dia 17 de dezembro. Continuar ser√° a palavra de ordem no governo, ano que vem. Administrar um or√ßamento de mais de 34 milh√Ķes anuais √© de fazer baixar qualquer caboclo no nosso terreiro.

- 2012 ser√° mesmo o ano dos milagres. O ‚ÄúZ√© da Loteria‚ÄĚ quer ganhar mais um pr√™mio.

No estrondo

A g√≠ria do futebol ‚Äúganhar no grito‚ÄĚ nunca esteve t√£o na moda agora com o novo estilo de trabalhar da Prefeitura de Nobres. Muitos fogos de artif√≠cio para pouca obra √© a nova forma de chamar a aten√ß√£o para justificar como mais de 90 milh√Ķes de reais ‚Äúespocaram‚ÄĚ entre 2009, 2010 e 2011. Em 2012, quando o governo entra em contagem regressiva, √© quase certa a contrata√ß√£o de Steven Spielberg para garantir mais ‚Äúefeitos especiais‚ÄĚ a um governo que se redescobriu √© quer fazer em um ano o que n√£o fez em tr√™s. A reelei√ß√£o √© um erro, mas n√£o √© conden√°vel ver um prefeito fazer em um ano o que deixou de fazer em tr√™s, desde que n√£o sejam gambiarras.

- Quer ganhar um segundo tempo no grito e no foguetório. Vaya com Dios, hombre.

Compara√ß√Ķes

Todo sujeito poderoso que se preze tem que ter uma mulher ‚Äúbraba‚ÄĚ por perto. Adolf Hitler tinha a sua Eva Braun, nem t√£o braba assim. Mas ser√° que Eva Braun largava o marido trancado em casa? Consta que Hitler disse certa vez: "um homem extraordinariamente inteligente tinha que ter uma mulher burra e primitiva". Ser√° mesmo? Mas tem cara poderoso, que manda muito bem, mas a esposa o deixa trancado no quarto.

- Esse segredo é irrevelável.

 

 

Pimba
A nova apresentadora do telejornal local, aqui da "cidade luz", onde mora a escurid√£o, fez a sua "avant premiere" e sumiu. Foi uma boa estr√©ia, mas ela teria estranhado a √ļltima apresenta√ß√£o do Cidade Aflita, considerada por ela um tanto quanto "pesada". O telespectador achou que foi pouco, do que depreende-se que a adapta√ß√£o da nova apresentadora com o sistema, que √© "bruto", ainda vai demorar. Imagine, ela ter que atirar pedras sobre o pr√≥prio telhado em tempos de chuvas torrenciais.
- Je ne compreend p√°s, m'sieux Makot√ī.

Jogando a Toalha
Os boatos j√° est√£o no ar e d√£o conta que o radialista Nilson Filho teria jogado a toalha e n√£o vai mais disputar um cargo proporcional ano que vem. Isso seria um ato de alta sensibilidade diante da cota√ß√£o do candidat√°vel, que n√£o seria das melhores nas sondagens. Muitos continuam preferindo a atual vereadora Paula embora um fato n√£o tenha a ver com outro, considerando-se que o eleitor muda de candidato, mas n√£o aceita "transferir" seu voto. Esse neg√≥cio de pular no vazio, nem passarinho faz mais isso para evitar de esborrachar-se no solo; se para quem sabe voar h√° muita precau√ß√£o, a quem n√£o sabe ainda, todas as precau√ß√Ķes.
- Antes a toalha que o nocaute. Aquela velha tese ao avesso diz que: "antes muitos votos nas urnas que alguns poucos voando".

Nocaute Técnico
Quem anda meio grogue no ringue, mas tem evitado jogar a toalha é o chefe de Gabinete do prefeito. Ele pode beijar a lona nos próximos dias e há toda uma estratégia para tirá-lo do páreo e o seu algoz pode ser o secretário de Finanças, conforme os vapores que vem do governo. "No hay gobierno sin mi", seria esse o pensamento do atual chefe do Gabinete, mas ele teria conseguido irritar ninguém menos que o homem forte do governo e nem vai mais para o paredão, indo direto para a linha de fundo.
- E na sua "bat caverna", o Batman prepara a sua bateria de fogos de artifício, o Coringa vai pro buque.

Soberba Ofuscada
E por falar em fogos de artif√≠cio, se o prefeito Z√© Carlos e sua equipe usassem o dinheiro dos fogos que espocaram no ato da entrega das chaves em infra-estrutura aos novos n√ļcleos habitacionais seria bem mais √©tico. Andou bem perto do rid√≠culo aquela quantidade de fogos de artif√≠cio em um evento onde, infelizmente, o prefeito teve que dar o bra√ßo a torcer ao ter que assumir que Eva e Neko foram os precursores daquela empreitada, de fazer com que o dr. Valtenir conseguisse recursos para as 150 casas e pode chegar a um total de mais de 300 casas. Na d√ļvida, muitos presentes perguntavam depois: "os fogos foram para Neko e Eva?".
- Atirou pra frente e o projétil saiu por trás, pela culatra.

Em Quest√£o
Pela en√©sima vez a pergunta que n√£o quer calar: "O prefeito Jos√© Carlos da Silva seria 'dono' de todos os bens p√ļblicos ao ponto de n√£o ver que os carros p√ļblicos se tornaram carros de passeios?". "Week end" ou final de semana bastante "happy" tem passado o chefe do Gabinete Institucional da Prefeitura de Nobres, visto circulando com aquela viatura P√°lio que ele provavelmente escolheu para ser 'sua' e com ela circular fora do hor√°rio de servi√ßo. Quem paga o abastecimento e quem custeia a manuten√ß√£o dessa ...√īrrrrrra?
- E depois o "sujeito" vem chorar em p√ļblico quando n√£o tem nem autonomia sobre seus subalternos. O dinheiro p√ļblico tem que ser respeitado, isso sim seria ideologia, o resto √© muito relativo.

Presença Lá...
...e c√°, bem pouca. Em Cuiab√°, o m√©dico pediatra, Manoel Loureiro, participou do j√ļri que escolheu o Rei Momo e a Rainha do carnaval cuiabano, dia 10 de dezembro. Manoel Loureiro estava ao lado do ator Romeo (Tot√≥) Benedicto Lucialdo, que participou do folhetim da Globo "Cordel Encantado" como um dos capangas do coronel Herculano. Bom m√©dico, bem relacionado socialmente, bom de festa e de carnaval, em Nobres, junto ao setor de sa√ļde p√ļblica, dizem que as faltas do m√©dico s√£o muitas e muitos s√£o os pacientes que o aguardam e quando ele comparece, chega atrasado e s√≥ avisa a sogra do prefeito e n√£o a quem deveria comunicar.
- Bumbum, patibumbum, prucurundum, o nosso samba √© isso a√≠ minha gente, deixa a tristeza e as doen√ßas pra l√°. Vai dan√ßar, √© o que dizem. A Carta de Demiss√£o vai ser assinada por Juj√ļ... ela t√° podendo.

De Olho
O ex-vereador Wanderlei de Almeida, o Dena, responsável direto pela devolução ao município de Nobres de 500 mil reais por parte da Encomind na relação com o então prefeito Devair Valim, disse que vai acompanhar bem de perto onde serão investidos os 500 mil reais pela administração atual. Osso duro de roer, Dena quer saber para onde vai cada centavo do valor recuperado e corrigido. Informalmente, Dena disse que valeu a pena fiscalizar o Executivo enquanto vereador por Nobres.
- Cents by cents e se o dinheiro n√£o for bem aplicado, nem adianta chorar.

Crocodilagem
A despeito desse "berreiro" que se verifica em Nobres de um tempo a este, vale lembrar que o crocodilo quando engole a sua presa, o faz sem mastigar, com abertura excessiva da mand√≠bula, fazendo com que esta comprima a gl√Ęndula lacrimal, de onde sai a l√°grima. Desde ent√£o, criou-se essa vers√£o popular sobre este ou aquele "chorar l√°grimas de crocodilo", fato que ocorre justamente quando a v√≠tima do "croc√ī" j√° est√° indo pro bucho. Se o crocodilo chora, n√£o se ponha no lugar da sua v√≠tima.
- Chorar n√£o adianta e se n√£o ag√ľenta pau, que n√£o fa√ßa propaganda de C..., digo, de motoserra.

Risco Total
Pol√≠tico local que tem como h√°bito gravar as suas aventurosas amorosas ao celular, vale lembrar que h√° uma c√≥pia solta por a√≠ e se algu√©m botar essas coisas na rede? Vai ser o caos. E quando esse pol√≠tico revela intimidades amorosas como fanfarronices aos amigos? S√£o narrativas em rodinhas, bastante picantes, contadas com riqueza de detalhes sobre os gritinhos que uma ou outra soltava. √Č grave e o arquivo de imagens caiu em m√£os erradas.
- "Ai, ai, ai, ui,ui, uuuuii...", essa, se n√£o t√° doendo, vai doer.

Na Lista
T√° o maior lero lero sobre lista de ineleg√≠veis para as elei√ß√Ķes do ano que vem e alguns nomes j√° estariam descartados da disputa. Nem adianta listar esses nomes porque quem tem culpa j√° sabe que est√° fora do p√°reo. Sendo assim, √© bom deixar o palco e ir para a plat√©ia porque o show tem que continuar.
- Hasta la vista hombre.

Na Faixa
Den√ļncia sobre faixas feitas no meio deste ano para o Legislativo de Nobres, se o MPE tomar ao p√© da letra a quest√£o, haveria uma extens√£o de fatos novos, de novos nomes e de eventos que podem culminar como sendo um tiro no pr√≥prio p√© do franco atirador. No territ√≥rio das hipocrisias, um cuspe para o alto √© risco de ver a pr√≥pria cara cuspida. As tar√Ęntulas tecem as teias para apanhar as suas v√≠timas e podem acabar presas √†s suas pr√≥prias teias.
- Na d√ļvida, leiam √Āgatha Christie para ver a elementaridade dos fatos mr. Hercule Poirot.

Céu e Inferno
O vereador e ex-presidente da C√Ęmara Municipal de Cuiab√°, vereador Deucimar, "deu-se 'mar', literalmente e est√° com investiga√ß√£o atrav√©s de CPI. A celeuma envolve a gest√£o do presidente relativa ao ano de 2010, em que ele foi candidato a deputado estadual e "deu-se mar" nas urnas. Frequentou o c√©u em campanha e agora est√° a alguns passos al√©m do purgat√≥rio com a investiga√ß√£o sobre os gastos p√ļblicos na sua gest√£o. Ser√° que v√£o cassar o seu mandato? O deputado estadual Jos√© Riva n√£o quis saber de Deucimar no PSD.
- A canoa quando dá para virar para a corredeira, é saltar da danadinha para evitar a queda na cachoeira.

Last Updated ( Tuesday, 17 January 2012 12:49 )

 

Trincheira IX

Em Disputa
Pelo andar da carruagem, o prefeito Jos√© Carlos da Silva n√£o nadar√° em √°guas tranq√ľilas at√© o ano que vem, quando devem acontecer as conven√ß√Ķes municipais. Como j√° n√£o h√° mais candidaturas natas, vai ter que bater chapa e deve en







































































































































































































































































































































































Last Updated ( Friday, 09 December 2011 18:34 )

Trincheira VIII

Vitalino & Messias
A separação da dupla parece ser fato e em recente show interno, nos corredores palacianos, alguém foi no papo de alguém, segundo contou uma fonte informativa. O secretário de Obras tem conseguido garantir certa agilidade à sua










































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Tuesday, 08 November 2011 17:46 )

Trincheira VII

Articulação Zero
Na corda bamba, a secretária Neidinha se mantém no cargo até que a sorte queira. A pasta da Ação Social está para moeda de troca em articulação política e já foi oferecida a esposa de um vereador e a esposa de um ex-prefei

















































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Friday, 07 October 2011 18:04 )

Trincheira VI

Tabelinha
O prefeito de S√£o Paulo, Gilberto Kassab, chef√£o do PSD, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do PSB, estudam a possibilidade de alian√ßa entre os dois partidos para ampliar as bancadas e o poder de fogo na C√Ęmara dos Deputados,











































































































































































































































































































































































































Last Updated ( Tuesday, 06 September 2011 12:12 )

Page 10 of 11

Trincheira LVI

Imaginação Fértil Se você não pensa, há quem pense por você. Tem gente imaginando como seria uma confraternização entre o pessoal da imprensa local nos próximos dias e depois de uma três caixas de cerveja (garrafas). Um dos problemas para esse acontecimento, pra lá de surreal, seria a uni

Rumos e Defini√ß√Ķes

A política municipal em Nobres parece que converge para um rumo que difere completamente do sistema político nacional. Longe da crise de confiança estabelecida no cenário nacional a partir da corrupção que ainda é marca nacional e a política exercida sorrateiramente por antigas cobras de um
Banner
Banner
Banner
Banner