Recontando Fatos: A MT-241 e o turismo na cidade de Nobres

Monday, 24 June 2019 21:47 administrator
Print

JONAS BARROSTemos uma história escrita em alguns capítulos de realidade e outros de meras noções do que seja, de fato, a verdade sobre o turismo em Nobres sob o olhar de quem tem uma larga experiência no tema “Nobres”. (Foto: Arquivo/Tribuna de Nobres - D. Souza).

Tudo começa lá no período de 1997 a 2.000, com a escolha do então secretário de Turismo, Everaldo Ferreira de Barros, que esteve no comando da pasta em um certo período desses anos conturbados. Everaldo convidou o empresário Cleber Oliveira para investir em, Nobres, onde praticava mergulho em cavernas.

Já naquela época, Everaldo tentava avançar na proposta do turismo rural para a região da Sela Dourada, rechaçada, veementemente, por alguns proprietários de área. Mas já havia uma percepção de futuro.

Mas, o que mais preocupava e que criava um clima de desconfiança era aquela idéia inicial de uma rota turística entre Chapada, Bom Jardim e Diamantino, roteiro traçado que não privilegiava a sede do município.

Alguns vereadores encamparam uma luta imaginária contra o “descarte” da sede do município do mapa turístico e um ou outro passava a anunciar que era o “pai” da MT-241, ligando a sede do município às localidades de Roda d’Água e Bom Jardim por estrada pavimentada.

E essa conversa foi parar em um ambiente onde estavam o então deputado Zé Domingos, o vereador Silvestre Campos, Jeferson Borralho e o renomado artista plástico Jonas Barros, este que se posicionou sobre o assunto.

Jonas Barros deixou todos bem informados a partir de sua experiência profissional, de suas andanças pelo mundo e, mais que isso, de vivência de Nobres.

O artista plástico falou claramente que o turismo, que a atividade turística em si, fatalmente, passaria por Nobres a partir da cultura, da gastronomia e da descoberta de atrativos turísticos que oportunizariam outras possibilidades para a cidade de Nobres.

Isso dito naqueles dias em que as percepções eram poucas sobre o que viria pelo caminho, Jonas Barros foi claro em seu esclarecimento. Ele colocou aos seus interlocutores as possibilidades que a sede do município teria e que hoje estão se concretizando com a Feira Cultural e Gastronômica, com a abertura do Acqua Fan Salobão, com o Balneário Dona Máxima e com o advento da própria MT-241.

Então, nada de premonição, mas uma visão de futuro que acabou tornando-se realidade e há muito mais coisas boas chegando por aí.

Quando teve essas perspectivas anunciadas, Jonas Barros nem de longe poderia prever que Nobres pudesse contar com os trabalhos do turismólogo Daniel Martins da Cruz, secretário de Turismo e Cultura que veio a se juntar à experiência da também turismóloga Dahiana Ferlin e que, juntos, garantem realidade àquilo que foi uma previsão do respeitado artista plástico nobrense/mato-grossense, Jonas Barros.

Só quem presenciou os seus enunciados para mostrar que está se concretizando o que poderia ser apenas uma argumentação passageira. Quem sabe não tem medo de expor as suas opiniões. Dito em maio de 2011 e ocorrido de 2018 para cá.

Last Updated ( Monday, 24 June 2019 21:51 )